História Hope - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Adriana Lima, Chaz Somers, Christian Beadles, Dylan O'Brien, Justin Bieber, Kendall Jenner, Lily Collins, Nick Jonas, Ryan Butler, Stella Maxwell
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Amor, Criminal, Obsessão, Possessão
Visualizações 251
Palavras 1.818
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amores, estou muito feliz que estamos chegando a cinquenta favoritos.Isso é gratificante. Tentei escrever, Hope duas vezes, uma acabei ficando sem criatividade o suficiente pra continuar, e a outra, a falta de motivação ( comentários e favoritos). Eu estou cheia de ideias, e me sinto feliz escrevendo pra vocês.💖

" Beijo"

Boa Leitura
&
Beijos

Capítulo 7 - Kiss


Fanfic / Fanfiction Hope - Capítulo 7 - Kiss

"Não conseguimos manter nossos demônios escondidos pra sempre, uma hora ou outra eles aparecerem "_ LLYMikaelson 

PO.V Mia

Toronto, Ontário - Canadá.

- O que você está fazendo? _ Rose fala enquanto me ver sentada no chão em meio ao monte de papel. - Pensei que suas provas já tinham acabado. _ Ela fala, colocando suas coisas em cima do sofá.

Confesso já estou a horas procurando "coisas", sobre Justin na internet. Mas nada encontro. Ele dizia ser um grande empresário e realmente parecia ter bastante dinheiro, aquela casa era enorme e sem falar no monte de carros que tinha em sua garagem, eu contei, eram dez carros, todos de marcas cobiçadas e que valem milhões.

Era difícil controlar minha curiosidade sobre ele. Quanto mais eu descobria mais eu queria descobrir. Ele era uma caixa imensa de mistérios, que eu queria a todo custo desvendar.

- E acabaram, mas eu só..._ Eu paro quando vejo que estou começando a inventar uma mentira. Eu e Rose dificilmente mentimos uma pra outra, era uma promessa que tínhamos feito quando crianças.

- Só...?

- Nada, tô pesquisando algumas coisas, nada demais. _ Falo ela concorda.

- Greg me chamou pra sair. _ Ela começa e eu a encaro.

Eu tinha alguns dias de "folga", isso era chato, pelo menos pra mim, eu gostava de está ativa, odiava ficar parada, sentada sem nada pra fazer, eu era uma pessoa que ficava com tédio muito rapidamente.

- E Matt também vai..._ Eu sabia que tinha algo a mais.

- Rose...

- Eu sei, eu sei, mas sei lá, Mia. Eu queria ir hoje e eu não quero te deixar só, podemos ir e não demorar muito. _Rose e seus dramas, eu suspiro e concordo.

Eu não ia ter nada pra fazer, ou seja, ficaria no tédio.

- Eu te amo. _Ela deposita um beijo na minha testa e sai.

Horas depois, já estamos pronta pra tal festa, ao que parece é uma coisa mais íntima, nada demais. Peguei meu celular é guardei na bolsa. Já tinha falado com a minha mãe pela manhã, então ela não iria me ligar agora a noite.

Quando saio do quarto, vejo Rose já pronta, ela usava um vestido vermelho colado, ele tinha um decote de coração na frente, e era extremamente apertado. Ficava bonito nela. Em seus pés um salto altíssimo.

Ela sorri pra mim, e se aproxima.

- Está linda. _ Eu sorrio.

Eu usava um short de couro cintura alta, é uma blusa branca por dentro, ela tinha um decote, não tão grande, mas chamativo. Nos meus pés uma bota de salto, preta.

- Não vamos demorar, Ok? _Falo e ela suspira concordando.

A festa seria na casa de Harry, ele era o melhor amigo de Greg, e um dos garotos mais bonitos e mais cobiçados do curso e talvez até da faculdade inteira. Eu não o achava tudo isso, pra mim ele era normal como qualquer um. Claro que sua beleza era chamativa, mas nada anormal, ele possuía olhos azuis, cabelos loiros e um corpo atlético. Na cabeça das garotas de lá ele parecia um deus grego.

O caminho até a festa é apenas de conversas aleatórias, nada demais, e a cada segundo eu me arrependia mais de ter vindo. Eu gostava de festas, mas preferia o silêncio, talvez um bom livro poderia me tirar do tédio, e me manter o ocupada durante toda a noite. Mas obviamente eu não pensei nisso.

Ao sair do carro, já é possível se escutar o barulho alto e estrondoso. Copos e pessoas bêbadas jogadas no chão. Típico.

- Hey, Mia. _Hannah me cumprimenta, e eu me seguro para não revirar os olhos. Eu não suportava ela, e ela aparentava sentir o mesmo sentimento. Mas a mesma sentia uma enorme necessidade, de ser falsa. Talvez esse seja o real problema.

Eu sorrio tentando soar simpática, e vou em direção a cozinha onde na maioria das vezes a álcool.

Eu pego um copo de cerveja e bebo lentamente, nada de ficar bêbada, me lembro. Apesar de eu está em uma festa, com uma música alta, meu pensamentos me dominam. Justin está em todos eles.

Não posso negar que desde o momento que o vi, ele me chamou atenção. Seus olhos cor mel, seus lábios quase em um formato de coração, e incrivelmente vermelhos, seus cabelos que pareciam ser liso e macio. Além de suas tatuagens, talvez seja isso que o deixa ainda mais atrativo. Ou talvez o ar perigoso que o acompanha em qualquer situação.

Sou tirada de meus pensamentos quando sinto uma mão levemente em meu braço, é Matt.

- Pensei que não viria. _Ele diz, e eu me viro pra ele. Que possuía um sorriso convencido nos lábios.

-Rose pediu pra mim vir.

Matt estava bêbado, isso era inquestionável, seus olhos estavam vermelhos, e ele já não ficava mais em pé. 

- Você..você...está muito...linda. _ Ele fala com calma, pois sabe que se falar rapidamente vai engolir as palavras, e provavelmente falar todas elas erradas.

- Obrigada._ Ele toca no meu braço, e eu me esquivo. 

- Estou sentindo...ah.. sua..sua..f-falta. _ Matt sóbrio já é chato em certos momentos, imagine bêbado. 

- Não começa. _ Falo e e tento sair dali, mas ele segura em meu braço firmemente.

- Podemos...con.. conversar?

- Não temos o que conversar. _Falo e ele se aproxima ainda mais. Matt além de sua beleza exuberante, ele era conhecido pelo ar de macho alfa, queria mandar em todo mundo. Principalmente em mulheres. Um completo idiota machista. Talvez esse seja o motivo de não estarmos juntos,somos diferentes demais. 

-Temos sim. _ Ele diz rude e firme.

- Não temos não. _ Solto meu braço, mas ele volta a segurar, dessa vez com mais força. - Me solta, Matt.

- Virou..v-virou putinha do, Bieber a-agora? _Ele fala e me encara, eu me seguro pra não dar na sua cara.

- Mandei me soltar. _ Falo entre dentes.

- Cuidado. _ Ele tomba a cabeça pra trás, e suaviza seu toque em meu braço. Segundos depois sussurra em meu ouvido: 

- Você p-pode m-morrrer..._ Ele sorrir,na verdade gargalha. Eu me solto de seu braço saio dali. Ele está bêbado, Justin não era assim. Pelo menos é o que eu tento acreditar. 

Saio dali e vou pra fora da casa, ficar no jardim, eu precisava de ar puro. Não deveria ter vindo, podia ficar lendo ou até mesmo ir dormir.

Sinto o frio em meus braços. E passo as mãos pelos mesmo. Querida ir embora. 

Mas Rose não iria agora. 

Sinto um cheiro de perfume amadeirado, e me parece familiar, conhecido. Logo depois uma jaqueta de couro é posta em meus ombros e eu rapidamente me viro, dando de cara com Justin.

Seu perfume era impossível não reconhecer.

Eu o analiso de cima a baixo. E e ele faz o mesmo.

- O que faz aqui? _ A voz dele quebra o silêncio.

- Vim para festa. _Falo revirando os olhos.

- Não aparenta está gostando muito. _ Ele diz e eu não digo o contrário, isso era óbvio. 

- Podemos dizer que você está certo._ Falo e um sorriso arrogante aparece em seus lábios. 

- Posso te levar pra sair. _ Ele diz e ponhe as mãos nos bolsos, como se estivesse com receio. Eu imediatamente sorrio.

-Pra onde seria? _ Ergo as sobrancelhas.

- No centro, está tendo o festival de rua, onde pintores de todo o mundo mostram suas obras ao ar livre. _Ele diz e eu sorrio. Eu amava arte.

- Não sabia que gostava dessas coisas. _ Falo e a expressão dele muda.

- Se não quiser ir..._ Ele começa mas não termina, pois Matt aparece no topo da escada, ele está ainda mais bêbado. Ele vem até nós tropeçando em seus próprios pés.

- Deixa..Deixa...ela._ Ele fala e eu reviro os olhos, respiro fundo e me aproximo dele. 

-Matt pede para o Tyler te levar pra casa, você precisa de um banho e de uma noite de sono. Já está completamente bêbado e drogado.

-S- só vou se vofe for comigo. _ Ele diz e passa o polegar pela minha bochecha. Eu abro a boca pra falar mas, Justin fica ao meu lado e logo empurra Matt. 

Eu iria questionar sua atitude, até Matt abrir a boca e falar as palavras mais sujas que alguém já tinha dito sobre mim.

- E-ela  é minha. _Ele sorrir, se glorificando com isso. - Ela j-ja deu pra mim. _ Ele diz e eu engulo seco. Eu iria dar na cara dele, mas Justin faz isso por mim.

Justin desfere socos em seu rosto repetidamente. 

Matt tropeça em seus pés e logo caí no chão. Mas o sorriso debochado não sai de seu rosto. 

- Para Justin. _ Seguro seu braço. E vejo seu peito subir e descer. 

- Ela..._ Matt não sabe quando calar a porra da boca, a nossa volta  já se formava uma aglomeração de pessoas. - J-ja g-gemeu m-meu nome. _ Ele sorrir, na verdade ele gargalha.

Eu sinto a raiva me consumir e tento ir até ele, mas Justin como um leão raivoso acaba com ele. 

Socos e chutes, eu tento o segurar mas ele não para, eu pesso ajuda mas as pessoas estão focadas em fofocar e filmar. Após tanto gritar e pedir pra tirarem Justin de cima de Matt. Quatros garotos se prontificam.  E com muita dificuldade tiram Justin de cima de Matt. Eu fico aliviada, completamente aliviada.

- Não se aproxima dela seu idiota. Não se aproxima ou se não eu te mato. Eu te mato. 

Eu fico horrorizada com as palavras que Justin usa, mas não tenho tempo pra falar já que o mesmo agarra meu braço e me tira dali. Vamos em direção a uma Lamborghini vermelha.

- Se eu ver ele eu o mato. _ Ele murmura enquanto anda. Eu solto meu braço dele e o mesmo se vira pra me encarar.

- Calma. _ Me aproximo e ponho as minhas mãos em seu rosto. - Já passou. 

- Você viu o jeito que ele falou de você. _ Ele praticamente grita.

- Eu não me importo. _ Minto.

- Você foi posta ao ridículo e não se importa.

- Não. _ Encaro seus olhos. - Se acalma. Acabou, já estamos longe de tudo. 

- Eu não gostei do jeito que ele falou com você e do jeito que falou de você. _ Ele diz e eu sorrio. Ninguém nunca tinha se preocupado tanto assim comigo. 

- Agradeço por sua preocupação.

- Pode confiar em mim. _ Ele diz e se aproxima ainda mais. Suas mãos vão para minha cintura, enquanto as minhas permanece em seu rosto. Acaricio e tento acalmar ele.   

- Eu sei que sim. 

Ele passa a língua pelos lábios. 

E se aproxima.

Quando nossos lábios se tocam, sinto a eletricidade passar por todo meu corpo. 

Eu queria tanto isso. 

 


Notas Finais


Gostaram?
Comentem
Favoritem
Indiquem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...