História Hope One More Time - (Park Jimin) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lay, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Amor, Bts, Drama, Exo, Jimin, Poderes
Visualizações 42
Palavras 1.357
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom, estou dando início a um novo capítulo da minha vida escrevendo essa fic, Espero que gostem sz.
Irei postar capítulo todas as terças e quintas (talvez aos domingos).

Capítulo 1 - Coréia Do Sul - MEU NOVO LAR



Acordei mais uma vez neste inferno conhecido como casa. São 3 da manhã e novamente eles estavam brigando, eu definitivamente não aguento mais isso. Minha mãe gritava com meu pai enquanto o mesmo se permaneceu calado por um bom e longo tempo - finalmente acabou. Me virei para o lado e me encolhi dentre os cobertores na esperança de que eu pudera dormir outra vez. Acabei pegando no sono e acabei perdendo a hora, coisa que estranhei pois meu pai sempre vinha me acordar - tem alguma coisa acontecendo e eu posso sentir de longe que deu merda. 
Me levantei às pressas, fiz minha higiene matinal e fui até a cozinha já pronta para sair e ir à faculdade, mas fui interrompida com a entrada da minha mãe na cozinha. Sua cara não era uma das melhores e para piorar, ela me olhou e disse que assim que eu chegar da faculdade, ela precisaria ter uma boa conversa comigo. Senti meu corpo gelar por um breve momento mas logo concordei - não deve ser algo tão ruim assim.
                            QUEBRA TEMPO
Eu havia acabado de chegar em casa e tinham muitas coisas empacotadas e minha mãe estava tentando fechar uma caixa, porém, sem sucesso. Fui ajudá-la e logo tomei posição  de perguntar que diabos estava acontecendo ali.
   -Ok, já pode ir me explicando. Primeiro, onde está o meu pai? Segundo, o que você queria conversar comigo? Terceiro, que monte de caixas é isso?  - disse enquanto gesticulava com as mãos (mania minha).
    -Não sei onde seu pai está - disse com frieza enquanto me encarava -, queria conversar com você sobre as coisas que irão mudar e as caixas são o começo das mudanças. Filha, creio que seu pai não voltará, e como você já sabe, não temos mais ninguém para nos sustentar. A partir de hoje, morarei aos fundos de uma mansão onde vou trabalhar, e você... - suspirou - você irá para a Coréia, morar com seus avôs. - ela estava com lágrimas nos olhos, provavelmente para me dar forças na aceitação do que estava acontecendo. Eu só não entendia o por quê disso tudo estar acontecendo logo agora que eu estava me dando bem na faculdade de dança.
Não falei nada, apenas me virei de costas para ela e comecei a chorar, subi para meu quarto já começando a arrumar minhas coisas. Algumas lágrimas pingavam nas roupas, mas eu não podia fazer nada. É o melhor para nós neste momento. É  o que deve ser feito...
                                                                        -                              -
Estávamos no aeroporto. Eu tive que conversar com minha mãe sobre o que ocorreu ao certo mas ela não quis falar sobre isso, e eu respeito. Minha mãe nunca era de ficar assim, então, quando fica, eu tento apenas ficar quieta e respeitar o momento dela, afinal, eu a amo. 
Eu estudaria em uma faculdade lá e, graças a deus pai, eu sabia falar coreano pois meus tios coreanos que moravam no Brasil antes de falecer, me ensinaram. Eu não tinha muitos traços coreanos, apenas meus olhos que eram mais puxados que o normal, mas mesmo assim não eram coreanos completamente, era apenas um pouquinho puxado. 
                                                        QUEBRA TEMPO
    - Oh, minha querida, sinto muito que tenha sido arrastada até aqui de tal forma, porém são tempos de crise. Espero que entenda. - disse enquanto alisava meus cabelos -.
    - Tudo bem vó, não tem problema - dei um falso sorriso e a abracei. - onde posso colocar minhas coisas?
    - Pode colocar lá em cima no segundo quarto à esquerda. 
    - Ok, obrigada. - disse e subi para guardar minhas coisas. Meu novo quarto não era nada demais, muito pelo contrário, era simples porém aconchegante. -.
Arrumei minhas coisas e decidi dar uma volta por Seul, apenas para conhecer, já que não terei muita folga. Amanhã mesmo já terei que ir para a faculdade e vai ser um longo dia, pois terei que procurar algum emprego. 
Voltei para casa pouco antes das oito horas e tomei um banho, vesti meu pijama e suspirei, me jogando na cama, que me fez balançar um pouco por ser um colchão de molas.
    - Então é isso... Coréia do Sul - fechei os olhos - Meu novo lar.
   

Já era manhã e eu não estava nada afim de ir para a nova faculdade. Me sentei na cama enquanto tentava criar coragem para e levantar, e então o fiz. Me arrumei de modo simples, uma calça jeans um pouco rasgada nas coxas e joelhos, uma camisa branca com um sobretudo listrado e um tênis branco. Tomei me café da manhã e fui até a faculdade a pé mesmo, já que não era longe. Ao chegar lá, fui direto para a secretaria, onde fui orientada a sentar e esperar. Parecia ser uma boa faculdade, apenas me incomodei um pouco ao ouvir o diretor aos gritos com um aluno que permanecia calma olhando para o nada, parecia que estava em outro lugar. Ele era lindo, seus cabelos eram platinados, suas roupas meio largadas porém estilosas e sua postura parecia que o deixava mais bonito ainda. Despertei de meus pensamentos quando a secretária me perguntou se eu queria um gole de água, e eu aceitei. Quando voltei a olhar para o garoto, ele me deu uma breve olhada. Seu olhar era meio sombrio, como o de algum psicopata que sabia exatamente seus maiores medos e os usaria contra você. Ele saiu da sala do diretor sem me olhar e logo o diretor veio falar comigo meio sem graça, pude notar.

Ele me apresentou a escola e me levou até minha primeira aula, me entregou o cronograma e me avisou que eu teria de correr, pois estávamos quase no meio do ano e o ritmo aqui era meio acelerado. 

A primeira aula correu bem, apenas tive algumas dificuldades de entender uma ou outra palavra que ainda não faziam parte do meu vocábulo coreano ainda, mas que acabara de aprender. Fui ao refeitório como todos os outros e como eu esperava, muitas pessoas olhavam para mim e me julgavam por eu ter traços brasileiros. Pude ouvir alguns cochichos sobre mim, uns diziam que eu era estranha, outros diziam ter pena de mim por ter morado em um país tão desregulado politicamente, acharam que eu sofria no Brasil. Fala sério! Mas o que realmente me chamou a atenção, foi o garoto que eu havia visto antes na sala do diretor, ele não dizia nada, apenas comia enquanto seus seis amigos zoavam e brincavam entre si de maneira divertida. Aliás, que amigos em, deu até falta de ar. 

    - Acho que você não vai querer ser amiga deles - dizia uma menina enquanto tomava espaço ao meu lado, a olhei com um olhar confuso - a turminha dos angels ali pode até ser de boa, mas como Lúcifer era um anjo, não duvido que Jimin seja o próprio.

    - Perdão, mas qual o seu nome? E por que está falando daquele garoto?

   - Oh, perdão. Meu nome é Seolhyun, estudo aqui e fiz a mesma aula que você agora a pouco, inclusive, você dança bem em! E "aquele garoto" é o demônio da escola. Te sugiro que não se aproxime dele. - disse ela enquanto mordia seu lanche -.

    - Prazer... ér, meu nome é s/n. Tudo bem, não irei me aproximar. - dei um sorriso fraco para ela e sorri, continuamos conversando e, bem, eu havia feito uma amiga. Notei que a mesa dos "7 pecados" (como a Seolhyun os chamava, e pelo jeito a escola toda também) aos poucos olhavam para mim, um por um. Até Jimin. Como notei isso? An... Confesso que os olhei algumas vezes também.

Terminei de fazer as aulas na faculdade, eram 3 por dia com um intervalo de 30 minutos cada por serem 2 aulas de dança e uma de ritmos. Voltei para casa e decidi apenas descansar e procurar por um emprego depois. Passei o dia terminando de arrumar algumas coisas que ainda estavam bagunçadas, quando terminei já era noite, então jantei e me arrume para dormir - fiz minhas higienes, tais como banho... etc..

Espero me acostumar com isso rápido.


Notas Finais


Obrigada por lerem. Está meio pequeno, mas pretendo melhorar isso com o tempo. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...