História Hope One More Time - (Park Jimin) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lay, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Amor, Bts, Drama, Exo, Jimin, Poderes
Visualizações 12
Palavras 1.594
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Obrigada pelos favoritos <3 Boa leitura
*Capítulos todas as terças e quintas (talvez domingo)

Capítulo 2 - Flores Murchas


Fanfic / Fanfiction Hope One More Time - (Park Jimin) - Capítulo 2 - Flores Murchas

 Acordei mais cedo por conta de um sonho totalmente estranho que tive, perdi 1 hora de sono. Não sei explicar, mas parecia tudo tão real... Aquele olhar, eu conhecia esse olhar. Só não consigo me lembrar de onde...

 

“Eu estava em um campo, nele havia flores, belas flores, porém, quando eu caminhava, elas murchavam, uma por uma. De repente começou tudo a escurecer, é pude ver à minha frente uma silhueta de um homem, ele dançava alguns passos que eu não entendia muito bem, mas cada vez que eu me aproximava, mais ficava escuro, até que ele parou de dançar. Eu estava próxima demais dele, e, sem controle de minhas ações, coloquei uma mão em seu rosto, o qual parecia apenas um borrão, a não ser pelo seus olhos. Ele levantou sua cabeça e olhou-me nos olhos com um olhar que qualquer um julgaria por sombrio, mas eu julgo pelo olhar de alguém que está perdido e assustado pedindo ajuda ao mesmo tempo que fosse intimidador e me desse medo”

 

      Por um tempo fiquei pensando apenas nesse sonho, em por que eu sonharia uma coisa dessas. Será que era alguma mensagem? Não sei dizer. Posso apenas afirmar que isso já me deu dor de cabeça.

 

       Levantei e fui fazer minhas higienes, como eu tinha tempo, tomei um banho demorado e lavei o cabelo. Ao sair, sequei o mesmo e deixei eles meio bagunçados porém com uma caída estilosa. Coloquei uma roupa simples porem confortável, resolvi deixar meu rosto livre de qualquer maquiagem. Olhei no relógio e ainda era cedo, então fiquei olhando minhas redes sociais e depois desci para tomar café, onde encontrei minha avó.

    - Bom dia querida, quer panquecas? - disse ela me oferecendo um prato que estava com algumas panquecas empilhadas e com mel por cima, assenti e peguei uma. -.

    - Vó, você já teve um sonho tão estranho que parecia que era uma mensagem de... sei lá... Deus? - perguntei de boca cheia e logo fui repreendida por tal ato -.

    - Não me diga que você está frequentando centros de macumba, s/n! - caçoou de mim enquanto se virava para lavar a louça - Já sim, mas faz muito tempo.

    - E como foi? - perguntei curiosa, já que eu queria entender o por que de eu ter tido aquele sonho tão estranho -.

    - Você está falando com uma senhora de 60 anos, acha mesmo que irei lembrar? - deu risada e sentou-se à minha frente - Não lembro exatamente como foi, mas eu sabia que era uma mensagem. Eu sentia.

    - Ah, entendi. Obrigada vovó - disse e logo depositei um beijo no topo de sua cabeça, peguei minha bolsa e me despedi dela. Fui em direção à faculdade e adentrei a mesma -.

Eu havia chegado cedo, então haviam poucos alunos circulando pela faculdade. Caminhei em direção ao meu armário e guardei minha bolsa, pegando apenas o necessário para a primeira aula que, hoje seria com uma outra turma. Vai ser tipo uma competição de dança, acho. Quando me virei para caminhar pelo corredor, dei de cara com um dos 7 pecados, para ser mais direta, Jimin. Ele estava encostado na parede e me olhava com um olhar... um olhar que qualquer um julgaria por sombrio, mas eu julgo pelo olhar de alguém que está perdido e assustado pedindo ajuda ao mesmo tempo que fosse intimidador e me desse medo. Parecia que eu conhecia aquele olhar, senti um calafrio percorrer por minha espinha e continuei o encarando, até que o sinal tocou indicando que deveríamos nos dirigir à nossas salas e comecei a andar, mas antes de adentrar a sala, fui surpreendida por alguém que agora segurava em meu pulso. Olhei para ver quem era e lá estava ele.

    - Perdão, poderia soltar o meu braço? - disse e engoli seco, sem coragem de encará-lo -.

O mesmo pareceu acordar de uma transe e me olhou confuso, pude notar a confusão em seus olhos. Logo ele me soltou.

    - Não fique por aí no meio do caminho - ele disse friamente e adentrou a sala, me deixando totalmente confusa com o que acabara de acontecer. Balancei a cabeça na tentativa de me recompôr e adentrei a sala -.

A professora estava nos explicando as regras da tal "competição" e tivemos que nos dividir em 2 - Sala A contra Sala B - e primeiro começaríamos apenas as meninas contra as meninas, meninos contra meninos e na próxima aula após o primeiro intervalo, iríamos mesclar tudo. E foi feito, as meninas começaram a dançar umas contra as outras e eu fiquei apenas em um canto observando cada passo que as mesmas faziam, quando o placar estava empatado, entrei sozinha, algo que chamou a atenção da maioria que estava ali. Comecei meus movimentos ao som de "River" da Bishop Briggs (N.A: o vídeo da dança estará nas notas finais) fazendo movimentos que meio que caçoavam os movimentos que elas haviam feito. Terminei de dançar e ouvi alguns aplausos, dei um sorriso convencido e voltei para onde a sala se encontrava. 

    - Meninas, foi incrível, mas como é uma competição, devemos declarar um vencedor. - disse a professora -. Esta acontecerá por meio de votação dos professores - ela disse e apontou para a mesa de professores que eu só reparei agora - e, neste caso, as meninas da sala A ganharam com o gran finale da s/n, parabéns meninas!

    - Agora vamos começar a competição dos garotos - disse um professor que estava sentado à mesa e logo se levantou -.

Jimin era da sala A, a mesma que a minha. Percebi que ele, mesmo sem entrar na competição, ele ficava de fora medindo seus passos, e, de repente, ele entrou na dança. Estava tocando um hip hop e era incrível como seu corpo se movia, cada movimento perfeito deixava os adversários sem reação e, quando acabou, todos soltaram um "wooooooou" e o aplaudiram. Ele voltou a se juntar ao grupo ainda com seu semblante sério e eu suspirei voltando minha atenção para um professor que tomava voz.

    - Bom, os jurados já decidiram e quem ganhou essa foi a sala B mesmo com a performance perfeita de Park Jimin. Estão liberados, vemos vocês após o intervalo.

Resolvi ir ao banheiro pois estava me sentindo mal, apenas não sabia por quê. A Seolhyun não veio hoje e isso foi como uma pedrada por eu não ter outra amiga aqui, mas enfim. Entrei no banheiro com dificuldade já que estava tonta. Logo começaram a vir imagens na minha cabeça, imagens estranhas. Eu não conseguia entender nada. Me apoiei na pia e quando me olhei no espelho, percebi que meu nariz estava sangrando e dos meus lhos também escorria sangue. Comecei a ficar assustada e me sentei encostada na parede, apoiei os cotovelos no joelho e passei as mãos por meu cabelo começando a chorar, mas ao invés de lágrimas, escorria sangue de meus olhos. Eu estava tremendo, apavorada e tudo piorou quando voltei a ver as imagens e estas, eram flores murchando por onde eu passava. Logo a porta do banheiro foi aberta e julguei ser um menino por seu porte físico. Ele veio direto em direção a mim e logo pude perceber que era o Jimin. Ele me ajudou a levantar e suspirou. 

    - O que você está vendo? - ele perguntava como se soubesse que eu estava tendo alucinações - Me diga s/n, o que está vendo?

    - C-como você sabe meu nome? - perguntei meio que cambaleando e logo ele me abraçou -.

    - Apenas me diga o que está vendo. - sussurrou em meu ouvido, me fazendo arrepiar. Logo minhas lágrimas pararam, era como se ele tivesse me dado paz naquele momento -.

    - Flores... Flores murchando por onde passo. - senti ele me abraçar mais forte e fechei os olhos, apenas aproveitando a paz que ele me transmitia.

    - Você está murchando. - O encarei confusa e logo o mesmo suspirou, limpou meu rosto que estava sujo de sangue - Vamos, já vai começar a aula novamente. - Comecei a andar mas me senti tonta e ele me ajudou a andar - Calma, vou te ajudar.

Entramos na sala e ficamos quietos em um canto, a competição já havia começado e as pessoas dançavam de maneira intimidadora, até que uma loira da sala B me intimou claramente na frente de todos. Não deixaria ela fazer isso comigo, não na frente de todos, então mesmo tonta, fui dançar. Jimin me olhou com reprovação. Começou a tocar "Ride" e eu me movimentava lentamente com passos precisos, comecei a sentir que caíria, quando senti uma mão em minha cintura que complementava meus movimentos. Era Jimin. Começamos a dançar em perfeita sintonia mesmo sem termos ensaiado, era como se aquele momento já tivesse acontecido. Terminamos a dança com ele me pegando no colo e eu me apoiando em seu pescoço fazendo uma pose sexy. A sala inteira aplaudiu e logo a competição acabou. A sala A ganhou graças a dança de umas meninas que arrasaram. Fomos todos dispensados para ir embora e antes e sair, Jimin passou ao meu lado e sussurrou:

    - Lembre-se, você está murchando. - foi a última coisa que ele disse antes de sair e me deixar sozinha.

Fui para casa e fiquei pensando sobre isso, subi direto para meu quarto e me deitei. Passei a tarde inteira pesquisando sobre flores murchas em sonhos e quando a noite chegou, resolvi dormir sem ao menos jantar, estava cansada, tão cansada quanto uma flor murcha.

 


Notas Finais


https://www.youtube.com/watch?v=3pHYxx9dY_U
Coloquem o vídeo no minuto 2:48.

Obg por lerem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...