História Hope Riddle - A Herdeira das Trevas. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Bellatrix Lestrange, Carlinhos Weasley, Cedrico Diggory, Cho Chang, Cornélio Fudge, Dobby, Draco Malfoy, Fred Weasley, Harry Potter, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Olívio Wood, Pansy Parkinson, Percy Weasley, Personagens Originais, Quirinus Quirrell, Ronald Weasley, Rúbeo Hagrid, Severo Snape, Tom Riddle Jr.
Visualizações 140
Palavras 1.394
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Magia, Saga, Suspense
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Minha primeira fic com o tema Harry Potter.
Espero que gostem !!
Aceito sujestões e ideias, ou seja: cometem o que gostariam que acontecesse, ou o que acham que pode acontecer no decorrer da história.
Um beijo, um queijo e vamos ao capítulo.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Hope Riddle - A Herdeira das Trevas. - Capítulo 1 - Prólogo

24 de Dezembro de 1980

Seria apenas mais uma maravilhosa noite de natal em Hogwarts, os corredores do estonteante castelo estavam solenciosos, o unico barulho presente no lugar era o salão principal onde os alunos que não foram para casa comemoravam.

Contudo, avia algo errado: apenas alguns professores estavam presente no salão principal. Entre eles Minerva McGonagall, que carregava um olhar preocupado enquanto observava os poucos alunos presentes no lugar.

Apesar do castelo estar silencioso, o corredor que levava a ala hospitalar era preenchido por gritos agudos de uma mulher. Eram gritos dolorosos, de arrepiar o mais corajoso que passasse ali por perto.

_ Só mais um pouco, querida ! _ a voz doce de Alvo Dumbledore invade o local.

_ Não vou conseguir pai _ diz a mulher deixando que as lagrimas molhe seu rosto _ Tom sabia que eu fugiria.

Era obvio, naquele momento, que o Lord das Trevas queria sua Herdeira ao seu lado. Ele sabia que a menina nasceria dona de um imenso poder e ele quedia a dona desse poder ao seu lado. Estava tão obsecado com isso que ameaçou a unica mulher que um dia lhe mostou o que era o amor.

Obsecado por poder e tomado pela raiva de ter cido abandonado pela mulher, azarou a mesma com a ajuda de um de sues segudores. Charllote Dumbledore sabia que teria de voltar para Tom, ou morreria após o parto por conta da maldição que lhe fora lançada.

Mas é claro que Dumbledore não ficará sabendo da maldição que a filha carregava, o unico que estava ciente disso era Severo Snape, o mais novo professor de poções de Hogwarts. O mesmo se culpava pelo que aconteceu com Charllote, depois de Lilian ela foi a unica amiga que teve.

Conforme o ponteiro do relógio trabalhava, a aflição de todos na sala aumentava. Charllote sabia que todo aquele sofrimento, toda a dor que estava sentido era por conta da maldição de Tom. Mas não desistiria, ela morreria, mas deixaria sua filha segura dentro dos muros de Hogwarts.

Os minutos se passaram e logo um chorinho de bebê pode ser ouvido.

" Finalmente "

Todos ali presentes pensaram. A mulher sorriu ao ver sua pequena que foi depositada nos braços do avô. " Ela é  perfeita " pensou a mulher. Com o restante de forças que lhe sobraram, ela se virou para o amigo e disse:

_ Severo, cuide dela como se fosse sua... por favor ! Prometa-me que cuidará dela _ ela diz com lagrimas nos olhos. 

_ Charllote... _ o homem começa a falar mas e interrompido pela mulher.

_ Por favor ! _ ela pede novamente.

_ Prometo_ ele diz vendo um pequeno sorriso se formar no rosto da amiga, antes de morrer.

...........x...........x.............

"_ Primeiramente queria pedir minhas sinceras desculpas ao meu pai, se não estou aqui hoje e este testamento estiver sendo lido, significa que a maldição de Tom se cumpriu. Não queria que se preocupasse comigo, então escolhi não lhe contar sobre isso. 

Como todos presentes sabem, não me apego em bens materiais. No intanto antes de vira falecer deixei ai com vocês meu bem mais precioso : Hope Elizabeth Dumbledore Riddle. Sei que apartir do momentoque fechei os olhos sua guarda passou a pertencer ao pai: Tom Marvolo Riddle. 

Contudo, antes de morrer passei sua guarda ao seu padrinho : Severo Prince Snape. 

Hope Elizabeth Dumbledore Riddle agora passará a se chamar : Hope Elizabeth Dumbledore Prince Riddle. Uma singela homenagem ao seu padrinho. Quanto a minha casa, jóias e dinheiro deixo para o Sr. Severo Snape como forma de agradecimento por cuidar de minha pequena esperança. "

_  COMO ASSIM? _ Sirius Black ( um dos melhores amigos de Charllote ) grita indignado,não era segredo apara ninguém que Black era apaixonado por Charllote. 

_ Sinto muito mas esses são os últimos pedidos de minha cliente _ o advogado presente na sala fala. 

Todos que estavam no local se encontravam estupefatos, teria Charllote enlouquecido de vez ? Era obvio que a guarda de Hope teria de ficar com o avô. No entanto, Dumbledore parecia calmo quanto ao último desejo da filha. Ele sabia que Severo era como um irmão para Charllote e confiou sua filha, a esperança do mundo bruxo a um dos seguidores do Lord das Trevas. 

_ Albus precisa fazer algo_ Minerva diz já nervosa com os gritos de Black.

_ Creio que não posso fazer nada perante isso. Se esse é o ultimo pedido de Charllote, que assim seja _ diz o homem fazendo todos lhe olharem como se fosse louco.

_ Não acredito que esta concordando com as loucuras de Charllote! _ Black rosna furioso. 

................x..............x..............

10 anos depois.

_ Maldição! _ Severo rosna enquanto procura sua varinha. Onde estaria aquele maldito espeto afinal ?!

Essa nao era a primeira vez que perdia a mesma. O mais engraçado era que  a mesma sempre sumia quando estava em casa na epoca das férias escolares.

Hope que agora estava com 10 anos sempre lhe acompanhava quando ia para Hogwarts, Severo achou prudente levar a menina consigo sempre que ia para a escola. Assim a mesma poderia ficar perto do avô.

A menina era uma verdadeira copia da mãe. Era dona de longos cabelos lisos e loiros, pele pálida, lábios rosados, nariz empinado e seus olhos, ah seus olhos a unica coisa que avia puxado fisicamente do pai, os olhos claros e frios. Contudo Hope era uma menina doce dotada de uma inteligência superior a idade que tinha.

Por sua mãe ser herdeira de Godric Gryffindor e seu pai de Salazar Slytherin, isso fez com que os poderes da menina fossem maior do que o esperado. 

Não demorou muito para os poderes de Hope darem sinais de vida. O que fez com que Dumbledore passasse a ensinar magia a menina em seu oitavo aniversário, utilizando a varinha do propio avô ja que a mesma ainda não podia ter uma. Quando completou 10 anos Hope ja tinha o conhecimento de aluno do terceiro ano. Claro que ninguém sabia que Hope era filha daquele que não deve ser nomeado, mas o que ninguém sabia era que Hope tinha um forte ligação com o pai, mas é claro que ela guardou esse segredo apenas para ela. Afinal ninguém precisava saber que ela mantinha uma conversa com o pai todos os dias antes de dormir.

 Por fazer aniversário apenas em Dezembro o diretor junto aos professores resolveram abrir uma exceção para a garota. Ela entraria em Hogwarts com 10 anos, já que completaria 11 três meses após o começo das aulas.

_ Hope você viu......_ Severo começa a falar mas se interrompe ao ver a menina em seu quarto com um livro aberto em sua frente ( foto de capa ) e a varinha em uma das mãos. 

_ Ahm? Ah, oi padrinho _ ela diz sem tirar os olhos do livro.

_ O que esta fazendo com minha varinha? _ ele pergunta se aproximando da loira.

_ Estou tentando fazer um feitiço simples que achei no livro _ ela diz ainda sem desviar os olhos do livro. Naquele momento Severo teve certeza de que o feitiço não era simples, ja que a garota ainda não avia obtido secesso com ele.

_ Sabe que não pode fazer magia fora da escola _ o homem fala se sentando ao lado da menina.

_ Sei ! _ ela diz simplesmente, dando de ombros.

_ E por que esta fazendo? _ ele indaga.

_ Apenas não queria ir para Hogwarts sem saber nada _ ela diz fazendo Snape bufar.

Ela só pode está de brincadeira, pensou o homem. Em um movimento rapido tomou a varinha da mão da menina e fechou o livro o colocando em cima do criado mudo. Esses movimentos bruscos fizeram a menina lhe olhar indignada. A cede de conhecimento de Hope era insaciável e isso assutava Severo pois ouvirá Dumbledore comentar que isso era uma das " qualidades " de Tom Riddle.

_ Hora de dormir _ Snape fala puxando os pésda menina a fazendo cair deitada na cama.

_O que ? Agora  ? _ ela indaga.

_ Já passou da meia noite _ Snape fala fazendo a menina arregalar os olhos, mal tinha notado o tempo passar _ Amanhã compraremos seu material. Boa noite.

 _ Boa noite padrinho _ Hope se rende ao bocejar.

"_ Boa noite papai! "

A mesma pensa mas não obtém resposta de imediato, quando já estava quase se entregando ao sono escuta ao longe a voz rouca e fraca do pai ecoar em sua mente:

"_Boa noite querida "



Continua ????????



Notas Finais


Desculpem os erros !!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...