História Hope Riddle - A Herdeira das Trevas. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Bellatrix Lestrange, Carlinhos Weasley, Cedrico Diggory, Cho Chang, Cornélio Fudge, Dobby, Draco Malfoy, Fred Weasley, Harry Potter, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Olívio Wood, Pansy Parkinson, Percy Weasley, Personagens Originais, Quirinus Quirrell, Ronald Weasley, Rúbeo Hagrid, Severo Snape, Tom Riddle Jr.
Visualizações 175
Palavras 2.028
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Magia, Saga, Suspense
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Amores !! Olha eu aqui de volta, trazendo mais um capitulo para vocês.
Eu espero que voces estejam gostando da Fic !
Sem mais enrolação vamos ao capítulo.
Um beijo, um queijo e até as notas finais !!

Capítulo 3 - Capítulo 2.


Fanfic / Fanfiction Hope Riddle - A Herdeira das Trevas. - Capítulo 3 - Capítulo 2.

Após comprar sua varinha, Hope foi em direção a loja de mascotes onde encontraria seu padrinho. Contudo, a mente da menina devagava entre pensamentos, então aquele menino ao qual Hope encontrou no Olivaras era o causador do sumiço do pai ? 

Curioso, o garoto era tão doce, tão pequeno,  como teria ele causado tanto mal ao seu pai ? Se bem que olhando por outro lado: Lord Voldemort mereceu o fim que teve, afinal de contas ele foi o causador da morte dos pais no menino. Pensava Hope enquanto caminhava.

_ Por que demorou tanto ?_ a menina sai de seus pensamentos com a voz grave do padrinho.

_ Tinha alguém na minha frente _ ela responde dando de ombros fazendo o homem bufar impaciente.

Hope sabia que Severo era o ser mais impaciente do mundo bruxo, como se isso não bastasse, o moreno não tolerava atrasos. Isso as vezes irritava Hope, a loira sempre tinha de fazer as coisas com antecedência para não se atrasar, seja para uma das refeições feitas no decorrer do dia ao qual dividia a companhia do homem, ou simplesmente, um compromisso onde Severo era obrigado a levar Hope por não ter com quem deixar a menina.

Geralmente esses compromissos eram reuniões dos seguidores do Lord das Trevas, Snape odiava levar Hope para essas reuniões que na maioria das vezes aconteciam na mansão Malfoy. Ele sempre amaldiçoava Charllote por ter lhe dado a missão de cuidar da menina, ela avia simplesmente jogado sua pequena copia na " boca do leão " já que deixou a mesma aos cuidados de um comersal. Apesar de Severo esta no memento ao lado da Ordem da fênix, trabalhando como um espião.

_ Onde está sua varinha? _ o homem pergunta tentando se livrar de seus pensamentos.

_ Aqui _ a menina tira a varinha de sua capa animada _ Azevinho, pena de fênix e sangue de cobra, 28 centímetros, flexível. Possui dois núcleos, já que sou ambidestra.

O moreno rapidamente retira a varinha das mãos da afilhada guardando a mesma em suas vestes, a loira revira os olhos. Afinal de contas: qual era o problema ela querer aprender feitiços variados antes do ano letivo começar?

_ Não vamos comprar um mascote?  _ a menina pergunta enquanto seguia o homem de volta ao caldeirão furado.

_ Você ja tem um _ Severo responde.

_ Marvolo já esta velho _ a menina reclama vendo o rosto do padrinho se contorcer em uma carreta. O moreno ainda não avia se acostumando com o nome que Hope deu ao seu masconte presenteado pelo avô da criança em seu sexto aniversário.

Hope sabia que o nome escolhido traria certo desconforto, mas ela achava o nome bonito e deixou bem claro que o nome de sua Fênix seria Marvolo. Na verdade, Hope pensava em chamar a ave de Tom, mas seria de certa forma uma afronta muito grande para certas pessoas, então escolheu o nome do meio que o pai carregava.

_ Em breve ele estará novinho em folha _ ele fala puxando a menina para um canto e aparatando com ela de volta para casa.

............x.........x..............

Não demora muito e logo 1 de setembro chega, como Dumbledore queria qur sua neta tivesse as mesmas experiências que os outros novatos que teriam ao ingressar em Hogwarts, deixou que a menina passasse uma semana na casa de Molly Weasley, já que  como professor Severo tinha de ir uma semana antes da chegada dos alunos na escola.

No começo Severo não gostou muito da ideia, com certeza sua afilhada voltaria mais arteira do que antes se passasse uma semana na companhia dos gêmeos. Mas acabou aceitando a proposta depois de Hope passar quase o mês inteiro lhe irritando com o assunto.

_ Muito bem Parcy, você primeiro _ a Sr. Weasley diz ao filho assim que pararam próximo as plataformas 9 e 10 da estação de King Gross.

O ruivo tomou a dianteira e correu em direção a parede sumindo ao se colidir com a mesma.

_ Fred pode ir _ diz novamente a Sr. Weasley.

_ Ele não é o Fred eu que sou, francamente mulher você ainda diz que é nossa mãe _ um dos gêmeos fala fingindo indignação, fazendo Hope gargalhar, a menina sabia que eles estavam zoando a própria mãe.

_ Desculpe Jorge, querido _ a mulher fala envergonhada por confundir os filhos.

_ Estava brincando, eu sou o Fred _ o ruivo diz ao tomar a dianteira a correr em direção a passagem seguido de seu irmão.

Hope foi logo atrás dos gêmeos, mas antes de passar pela passagem viu ele, o mesmo garoto que encontrará na loja de varinhas. Mas deixou isso para lá e correu em direção a locomotiva em busca de uma cabune antes wue todas estivessem cheias.

_ Wingardium leviosa _ a loira profere apontando a varinha para seu malão vendo o mesmo flutuar no ar, a mesma rapidamente o conduziu ate o bagageiro.

_ Vejo que não precisa de ajuda Milady _ a voz de um homem invade o lugar onde Hope se encontrava.

A menina olha em direção a porta da cabine vendo Lúcius Malfoy parado ali lhe olhando como se fosse uma divindade, Hope simplesmente odiava isso. Entendia que seu pai exigia tal tratamento, mas ela não era seu pai. Ela odiava o fato dos seguidores do pai lhe tratar como a jóia, Hope achava aquio desprezível.

_ Sr. Malfoy _ a mesma cumprimenta, estava seria, seus olhos sintilavam entre frieza e desprezo.

_ Ora querida, não precisa me tratar assim, somos amigos _ o homem diz se abaixando para ficar do tamanho da menina.

Hope solta um suspiro alto, odiava tratar as pessoas mal, mas se via obrigada a isso quando algo nao lhe agradava. A loira odiava ser tratada como "Milady ".

A garota estava pronta para responder o homem a sua frente, mas o apito alto da locomotiva soou informando que estava prestes a partir. Lúcius então simplesmente se levantou, depositou um rapido beijo no topo da cabeça da menina e saiu da cabine, já não era a primeira vez que tentava adular Hope. Sempre que possível ele mimava a garota, ele acreditava que se Hope lhe tivesse como um pai de criação por exemplo, ele seria poupado da revolta de Lord Voldemort caso o mesmo retornasse.

O Malfoy também acreditava que se mostrando  afetivo  para com Hope ele seria poupado, caso a menina seguisse o mesmo caminho do pai, sucedendo o mesmo e guiando seus servidores.

Contudo, de uma coisa Hope tinha certeza: ela simplesmente repudiava toda aquela bajulação. Os únicos que tinham o afeto da menina eram Narcisa e Draco Malfoy, o loiro e os gêmeos foram os primeiros amigos que Hope fez, já Narcisa era carinhosa com Hope e assim como Molly Weasley, Hope tinha a Malfoy como uma mãe.

..............x............x.............

_ Então se eu for para a Sonserina vocês não falaram mais comigo? _ Hope pergunta, estava dividindo a cabine com os gêmeos o que lhe rendeu uma conversa animada durante toda a viajem.

_ Sim !

_Não !

Responderam ao mesmo tempo fazendo a loira pender a cabeça para o lado direito confusa, os gêmeos riram da atitude da menina. Eles sempre faziam isso, adoravam deixar a menina confusa, achavam fofo a carinha que ela fazia ao pender a cabeça para o lado.

_ Nos continuaremos falando com você...._ Fred começa a falar mas logo e interrompido por Jorge.

_Afinal de contas te conhecemos a três anos....

_ Tempo suficiente para saber....

_ Que você é legal _ terminam juntos fazendo a menina rir. Ela adorava a sintonia que o gêmeos tinham, fora que echava uma graça o fato deles completa as falas um do outro.

............x.........x............

Não demora muito e finalmente os alunos chegam. Por ser uma primeiranista Hope deve de seguir os outros, mas prometeu que deoois falaria com os gêmeos. 

Guiados por Rúbeo Hagrid, guarda caças de Hogwarts as crianças foram levadas ate pequenos barcos, onde em cada um deles eram permitidos 4 crianças. Não demora muito e logo estão em terra firme, todos estavam abobados com a grandeza e magnitude do castelo.

Hope por outro lado se mantinha neutra. Avia crescido correndo pelos corredores do castelo, então não estava tão imprecionada como os outros. Hagrid levou os pequenos ate a entrada do salão principal onde os deixaram com Minerva McGonagall que se encarregou de lhe explicarem a função das casas e os ganhos e perdas de pontos.

_ É verdade então?  O que disseram no trem ? Harry Potter veio para Hogwarts !_ a voz de Draco Malfoy rompeu o silêncio que ficou quando Minerva deixou eles sozinhos por um curto período de tempo.

_ Eu sou Malfoy, Draco Malfoy _ o loiro fala parando na frente do garoto de cabelos revoltos, mas sua atenção se voltou para o ruivo que avia rido _ Acha meu nome engraçado não é?  Nem preciso perguntar o seu: Cabelos ruivos, vestes de segunda mão, você deve ser um Weasley !! Logo vai descobrir que algumas famílias de bruxos são melhores do que outras, você não vai querer ser amigo da pessoa errada, eu posso ajuda-lo nisso !!_ o loiro volta a falar estendendo a mão para Harry.

_ Eu posso ver sozinho quem é a pessoa errada _ Harry responde, não avia gostado do modo sinico que o loiro usou para falar com seu amigo.

No entanto a atenção dos meninos se voltaram para Hope que estava atras de Harry e não conseguiu segurar o riso ao ouvir a resposta que menino avia dando para seu amigo. Harry sorriu em direção a garota, estava feliz em vê -la. Contudo seu sorriso desapareceu quando Draco abraçou a menina.

Logo Minerva rotornará novamente ao grupo de novos alunos e os conduziu para dentro do salão principal, ao passar perto da mesa da Grifinória, Hope sorriu para os gêmeos que aviam puxado uma pequena mecha de seu longo cabelo.

_ Quando chamar seus nomes dêem um passo a frente, eu vou colocar o chapéu seletor em suas cabeça e seram selecionados para suas casas _ Minerva fala e logo depois desenrola o pergaminho que estava em uma de suas mãos _ Hermione Granger.

E assim a seleção começou, Hope nao prestou muita atenção, estava ansiosa. E se ela fosse para a Sonserina?  Seu avô ficaria chateado?  Mas e se fosse para a Grifinória?  Seu padrinho ficaria chateado? 

_ Harry Potter _ o menino e chamado, ou seja a próxima seria Hope.

O chapéu demorou certo tempo para selecionar o garoto, mas logo acabou com toda a curiosidade dos presentes no salão ao falar em voz alta e clara: GRIFINÓRIA ! Isso fez com que a mesa dos leões fizesse um estardalhaço com direito a gritos, palmas e uma dancinha exclusiva dos gêmeos.

_ Hope Riddle _ seu nome foi chamado, Hope viu Harry Potter ir em direção a  mesa da Grifinória.

A mesma respira fundo e vai em direção ao banquinho de três pernas e se senta lá. O chapéu é colocado em sua cabeça e logo escorrega ate cobrir seus olhos.

_ Ora, ora, ora... uma Riddle, faz muito tempo desde que o último Riddle pisou nesse castelo, você é inteligênte, corajosa, tem uma vontade de se mostrar.........  Mas onde vou coloca-lá ? Ora, ora, ora.... vejo aqui que é descendente de Gryffindor e Slytherin. Você tem o mesmo gênio que os dois tinham, onde vou coloca-lá? 

A essa hora todos presentes no salão principal estavam começando a se preocupar, o chapéu nunca avia demorado tanto para selecionar alguém, Dumbledore e os professores a essa altura já temiam que vinha pela frente. O silêncio no salão principal era insurdecedor, o unico barulho presente no lugar era a voz do chapéu.

Era possível ver a mesa das cobras asiosa, apesar de querer esconder o fato da neta ser filha de quem é, Dumbledore não pode esconder isso dos alunos Sonserinos. Metade dos pais dos alunos da casa das cobras era seguidores de Lord Voldemort, o que fazia com que eles soubessem da existência de Hope. Era obvio que os Sonserinos queriam que a menina fosse para lá, isso seria como uma certeza que Hope sucederia o lugar do pai.


_ Parecida demais com o seu pai, que fez coisas horríveis. Mas duvido que esse coração puro teria corajem de fazer o mesmo que o primeiro Riddle. É fato que podemos esperar coisas grandiosas de você, tenho certeza que o melhor para você será........









Continua? 



Notas Finais


Desculpem os erros !
E então, para que casa vocês acham que a Hope vai ?
Isso vamos descobri no próximo capítulo, ate lá lembre-se: Mal feito, feito !
;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...