História Hora de Aventura - Furacão Florence - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Beemo "BMO", Billy, Dona Tromba, Finn, Jake, Lady Íris, Marceline, O Lich, Personagens Originais, Princesa Caroço, Princesa De Fogo, Princesa Jujuba, Rei Gelado, Sr. Porco, TV
Tags Ação, Aventura, Comedia, Ficção, Finn, Hora De Aventura, Jake, Luta, Magia, Minerva Mertens, Nudez, O Lich, Originais, Personagem Original, Princesa Jujuba, Prismo, Romance, Susana, Universo Alternativo
Visualizações 8
Palavras 2.350
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 20 - Episódio Doze: Grande destruição


Fanfic / Fanfiction Hora de Aventura - Furacão Florence - Capítulo 20 - Episódio Doze: Grande destruição

No Reino Doce, uma campanha estava ocorrendo. Adversários pós adversários, dois grupos distantes cujo um deles votam pela Princesa Jujuba enquanto o resto pelo Rei de OOO. Dois guardas bananas davam tapas um no outro, ambos tendo um símbolo diferente que representa ambos os competidores da realeza.

No meio da plateia, um homem amarelado e barbudo, com uma coroa dourada e, em cima de uma mesa, fazia um discurso para convencer os súditos do Reino de votarem nele.

- Obrigado, meu docinhos! Obrigado! Vocês aquecem o coração de cera deste pobre rei de OOO (Piscou ambos os seus olhos. Finn, Jake e Florence estavam no meio dos cidadãos. Ambos tinham uma expressão neutra, prestando atenção no discurso 'convincente' da parte dele. A albina, no entanto, apenas cruzava os braços, parecendo desinteressada naquela baboseira toda) Bom, eu ouço vocês perguntando: "Rei de OOO, como você pode ser tão sábio?". E aí eu respondo como: "Vocês sabiam que eu tenho 8.000 anos de idade?". Pode ser por isso (Piscou para a albina- plateia. Todos gritaram de felicidade).

Ao mesmo tempo, no topo da torre do castelo, Jujuba observava uma luz radiante do céu através de seu telescópio enorme.

- É verdade! Eu sou maravilhoso! E a Princesa Jujuba ela diz que não se rebelou, ela diz que não é um cão selvagem sedento por sangue! Ela diz que não é literalmente um bebê se fingindo de mulher adulta! Ela diz muitas coisas. Princesa Jujuba, você não faz sen-ti-do! (Enquanto todos gritavam como fizeram antes, em concordância, Finn estava um tanto incomodado pela sua amiga estar sendo ofendida daquela maneira. Florence já estava no ponto em querer acabar com a carreira daquele homem).

- Esse cara tá me convencendo (Jake sussurrou bem baixinho para o Finn já que se a albina ouvisse ela explodiria. Felizmente, estava distraída demais planejando uma lista negra).

Um esquilo com terno colocou uma cidadã na mesma mesa onde o rei está. O homem dourado se ajoelha para a senhora.

- Sim, querida? Tem alguma coisa a dizer? (Ofereceu a cidadã um sorriso).

- Mhum, eu sou a mãe do James. A senhora James. O meu filho foi transformado em um monstro mutante e foi exilado para sempre pelas terras desertas pela Princesa Jujuba! (Balançou os braços, parecendo chateada. Mal percebia que estava virando enquanto falava até o Rei a virar para a plateia novamente. A plateia gritou novamente. Os gritos começaram a incomodar Jujuba, que estava apenas anotando algumas informações no bloco de notas).

- Mas, e a pobre humana albina? A Princesa Jujuba vive fazendo testes nela como se fosse uma cobaia! (Um dos doces gritou, fazendo todos olharem para a albina que estava distraída demais para notar a atenção jogada para ela. O rei rapidamente agarra o braço de Florence - olha a audácia - e a puxa para a mesa. Somente agora que a albina despertou de seu transe).

- Querida humana albina (Florence levantou uma sobrancelha pelo apelido) Por acaso não se sente incomodada ou escravizada por isso?

- É o quê?

- Viram?! Está sendo usada a tanto tempo como cobaia que nem consegue explicar o quão doloroso foi para seu psicológico! (Todos arfaram em surpresa. Antes que Florence pudesse se defender, o rei a joga para o meio da plateia, acidentalmente caindo em um dos doces) E quem não está com raiva pelos filhos mutantes? (Antes que alguém pudesse responder, um dos cidadãos chamou a atenção do rei).

- E o Docinho, Rei de OOO? Você ameaçou queimar o jardim da mãe dele! (Apontou para a o grande bebê no meio das pessoas. Sorrindo como sempre faz).

- Ameacei, é verdade (Passou pelas pessoas até chegar ao grande e pacifico bebê gigante) Docinho, eu estava com um animal encurralado! Eu não sabia bem o que fazer! Me desculpe, docinho (Olhou para os outros pelo canto dos olhos antes de voltar para o bebê) Anda (Estende os braços e Docinho o pega) Psiu! Me dá um beijo (O bebê fez como lhe pediu) Está ouvindo, Princesa Jujuba?! Está ouvindo?!

•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•

- Shhhhh, cala a boca! (Retrucou, ainda anotando no bloco de notas. A porta da torre se abriu).

- Princesa, desculpe interromper, mas sinto que precisa fazer uma campanha! O povo doce é bem burrinho (Mordomo Menta tentou convencer a princesa de colocar um fim naquela situação).

- Estou usando uma coisa que pode ser muito importante (Franziu as sobrancelhas) Ai, que eleição boba! Isso não é nem... porque isso não chega ser nem... (Bocejou) não é nem legítima!

•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•

- Uma eleição fajuta, mas completamente legítima! Foi o que meu gestor de campanha me disse! Palmas para ele! (Apontou para uma figura com um capuz) Senhor X! (Riu nervosamente) Estranho né? (Todos gritaram pela quarta ou quinta vez).

•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•

- Mesmo se fosse legítima. Poxa, eu criei todo o mundo. Montei as casas deles. O povo doce é influenciável, mas não é bobocóide! (A princesa retruca).

•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•

- E essa eleição totalmente legítima está nas mãos cheias de geleia de vocês! Do povo dos doces! (Subiu nos ombros de Docinho) Então, vão! Vão e votem de coração! Votem inconscientemente! Votem no candidato que não é um garoto adolescente de gelatina! (Todos foram votar, exceto o trio).

•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•

- Assim, eles sabem que eu amo eles...

•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•

- E os votos foram apurados (Um dos apresentadores olhou para os resultados finais) O Rei de OOO é a nossa nova princesa! (Os habitantes comemoraram a vitória da "nova princesa" do Reino Doce. Até que todos escutaram um grito familiar vindo do topo da torre).

- O QUÊ?! (Do lado de fora era possível ouvir os passos velozes e furiosos da princesa. A porta foi empurrada com força ao ser aberta) O QUÊ?! SEUS- BOBOCOIDES! VOCÊ É UM BOBOCOIDE! (Apontou para o Rei de OOO) O SEU SECRETÁRIO É UM BOBOCOIDE! (Apontou para o esquilo com o terno) E VOCÊ DEVE SER O BOBOCOIDE QUE EU NEM CONHEÇO! (Apontou para o Senhor X) VOCÊS TRÊS SÃO BOBOCOIDES! VÃO VIVER BOBOCOIDES, VÃO CONTINUAR BOBOCOIDES ATÉ TUDO VIR ABAIXO! E VOCÊS... (Se virou ameaçadoramente para os habitantes doces. Todos sorriam para ela. Sua raiva passou em instantes. Mas rosnou de raiva e jogou sua coroa no chão).

•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•

A tarde repentina surgiu com Princesa Jujuba e Mordomo Menta saíndo pelos portões do reino. O trio seguiu a dupla.

- Princesa! Princesa! (O loiro e a albina pararam na frente dela) Eu não sei o que é um bobocoide (Florence deu um tapa na nuca dele) Eu tava curioso!

- Ô Jujuba qual é o plano? Nós juramos lealdade a você (Jake comenta).

- A sua lealdade é ao reino (Suspirou) Gente, eu não sei quando vou poder voltar ao poder. Se eu voltar ao poder. Preciso que vocês três fiquem aqui para garantir que o Reino Doce fique seguro. Mesmo que isso signifique ter que trabalhar para o mané. Adeus amigos, meus campeões (Beijou a testa dos três antes de ir embora).

•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•

Enquanto o Rei - princesa - e o resto dos habitantes comemoravam com confetes, Jujuba e Menta chegaram até uma casa abandona no campo distante do reino. Jujuba dá uma última olhada para sua antigo lar. Menta estava tentando abrir a porta, mas parecia emperrada.

- O que é que foi, Menta?

- Está emperrada!

Jujuba tentou abrir a porta. Conseguiu, mas caiu para trás. Nisso, as janelas fecharam, a madeira que segurava uma parte do telhado se quebrou e metade do telhado do ou para baixo. Uma geladeira caiu e quebrou a parede, a porta caiu e a porta da geladeira que quebrou e milhares de morcegos saíram. Algumas partes da casa pegaram fogo.

- Aí, não, não, não, não, não! (Jujuba desesperadamente se levantou) Tá tudo bem, gente! Tá tudo bem! Fecham os olhos e repitam o mantra de segurança! (Fechou os olhos e cruzou as mãos em seu peito, repetindo uma frase).

- Princesa? (Jujuba acordou de seu transe).

- Ah, desculpa, Mentinha. É que estou tão acostumada a ter os cidadãos para proteger. Vou precisar de tempo para acostumar.

- Permissão para falar a vontade, senhora?

- A vontade.

- Esse lixo horroroso não se encaixa no padrão de luxo ao qual eu estou acostumado!

- Entendo. E também só pra constar, meu tio Jujubaldo construiu essa casa com as próprias mãos. Eu passava minhas férias aqui quando era mais nova. Enfim, deve demorar bastante até o povo doce se perceber que o governante ruim é pior que o governante bom. Bastante tempo pra limpar tudo.

•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•

Stark limpava as ruas de OOO, que a propósito, estava uma bagunça.

- Oh (Passou o braço na testa para limpar o suor) O Stark pensou que a vida séria melhor com o rei de OOO, agora tem até mais coisa pra limpar. Ah, pobre velho Stark, acaba sempre só com o palito do pirulito.

- E aí, Stark? Tranquilão? Tá varrendo? (O trio se aproxima do cidadão).

- Ah, sim senhor! Sim, sim ho! Estou varrendo, varrendo! (Riu sem graça. O trio não pareceu muito convincente, mas ignoraram. Florence e Jake olharam ao redor, notando as diferentes cores ao redor do local).

- É impressão minha, ou está ficando mais roxo por aqui? (Florence aponta).

- É mesmo. Deve ser o cometa catalisador (Estreitou os olhos para o cometa se aproximando da terra. Stark, no entanto, possui uma expressão em puro pânico com o objeto) Parece que está chegado mais perto, ou sei lá.

- E como ainda estão normais com isso?! (Florence olha para o humano, indignada com o quão calmo ele soava).

- Se acalma, Florencinha. Tá tranquilo, eu acho. Ele só vem pra, tipo, mandar umas coisas, sacô? Tudo bem. A gente tem uma, relação.

- Co-co-co-co-cometa?! Aí, o Stark não está com um bom pressentimento!

- Stark- (Jake foi acalmá-lo, mas Finn o impediu).

- A mente do Stark está queimando! Aí, senhora gominha! Um cometa está vindo pra destruir tudo! (Correu para longe).

- Vamos tentar acalmá-los? (Jake sugeriu).

- Uh, não depois daquela história de jogar a minha torre no castelo (Finn responde com Florence o olhando como se ele tivesse duas cabeças) A maior galera foi esmagada. Eles precisam ouvir isso de alguém que confiam muito.

•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•

- Rei de OOO? (Ambos gritaram ao entrar na sala do trono).

- Espera aí, você tá falando 'Rei de OOO'? (Jake pergunta).

- Quê que cê tá falando?

- Uh, eu pensei que fosse Rede OOO.

- Estão ouvindo isso? (Florence interrompe ambos ao escutar o som de metal se batendo).

- Lá em baixo (Finn sussurrou e o trio desceu as escadas pelas pontas dos pés. Ainda gritaram pelo rei).

- Não tem como vocês dois ficarem em silêncio? (Florence sussurrou, uma veia vermelha aparecendo em sua testa com impaciência).

- Foi mal (Ambos murmuram).

Uma porta de metal apareceu no final da escadaria. Ao abrirem, viram o laboratório subterrâneo da Princesa Jujuba, junto de uma grande nave.

- O que é isso? (Jake nem notou o intruso ainda).

- É o cara de antes (Finn reconhece o homem barbudo) Ele tá mexendo na nave da Jujuba. Melhorou bastante os motores.

- Ei! (Florence chama a atenção do homem, que os olhou por meros segundos e voltou a martelar com mais rapidez pra provar que era um invasor).

- Ô! O que cê tá fazendo?! (O trio franziu a testa. Jake pegou Finn e se esticou até o invasor) A JUJUBA NÃO DEIXA NINGUÉM MEXER NAS COISAS DELA, NEM EU QUE SOU MANEIRO PRA CARAMBA, IMAGINA VOCÊ QUE É UM ENXERIDO- (O homem retira uma arma de seu capuz) Ah! (Atirou em ambos, que caíram no chão).

Ao pensar que estava livre de problemas, um grito furioso ecoou junto de uma explosão que foram causados pela albina. Ao tentar atacá-lo, no entanto, foi nocauteada e um objeto foi colocado em seu pescoço. Caiu ao lado de Finn no momento em que Jake se levantou para atacar o intruso.

- Florence! (A ajudou a se levantar. Por alguma razão, sua pele não estava mais congelante como costuma estar, está na mesma temperatura que a dele) Você tá quente, o que houve?

- Não é possível… (Ela murmurou, olhando para sua mão).

- O quê?

- Nada! Vamos logo! (Agarrou o braço de Finn e correu para onde o cão e o homem estavam).

Enquanto isso, Jake tentava golpear o homem que se protege facilmente com seus punhos e evitando que o cão o ataque. Jake, com uma carta na manga, golpeou o homem quando um punho apareceu em sua cabeça. Riu em vitória ao rosto do intruso ser revelado, mas ficou chocado com quem ele viu.

Finn e Florence escalaram para alcancá-los. Ambos ficaram perplexos ao virem uma estranha coisa verde e brilhante. Olhando para baixo, viram Gunter.

- Gunter? (Florence olhou para o pinguim que a ajudou antigamente no Reino Gelado com uma certa tristeza).

Retirou o capuz e um cérebro enorme, verde e brilhante, saindo pelo topo de sua cabeça, copiando seus movimentos do braço.

- Que King Kong Sing song- (Gunter atira próximo dele, o que fez o loiro e a albina perderem o equilíbrio. Felizmente, Jake pegou a dupla antes que caíssem. Gunter entrou na nave rindo feito um vilão).

- Sayonara, otários (Riu novamente antes de fechar a cápsula da nave).

•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•~•

Enquanto o Reino estava um caos e o Rei - princesa - com o rabo entre as patas, Menta pintava as paredes, estando coberto da tinta.

- Tá ficando bom, Mentinha (Jujuba o elogia. Agora vestia roupas casuais e seus cabelos amarrados em tranças) Nossa, isso até que é gostoso, não é? Parece que estamos construindo um reino novinho do zero! Só que sem meus queridos cidadãos dessa vez. Com aqueles olhinhos bobos. Talvez o Rei de OOO consiga segurar a onda por um tempinho. Poxa, o que pior pode acontecer? Enfim, eu vou tomar um arzinho fresco. Já volto.

Saiu pela porta-

- O que é que-?! Por que tá tão roxo aqui fora?!

*Explosão no Reino Doce*



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...