1. Spirit Fanfics >
  2. Hora do clichê >
  3. Não me use de muleta

História Hora do clichê - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Hora do clichê
Quem ta ansioso para o capitulo de hoje ein? Já aviso estarei trocando a capa da fic por uma criação minha e espero que gostem. Capitulo de hoje esta pegando fogo então cuidado para não se queimarem ok.

Capítulo 10 - Não me use de muleta


Fanfic / Fanfiction Hora do clichê - Capítulo 10 - Não me use de muleta

*Athenas

  Passamos uma semana inteira assim nossos olhares qualquer um percebia do que se tratava, mas eu negava com todas as minhas forças. Não posso me atrair por ele eu prometi que não me atrairia pelo Castiel Collins e que eu não seria só mais uma dele, mas a cada olhar sempre que ficamos sozinhos e conversamos por um tempo o clima esquenta e eu saio correndo. Por que ele ta fazendo isso comigo? Um dia eu estava saindo do aquário para encerrar o dia quando encontrei aquela garotinho de novo ele estava triste e eu percebi isso então sentei do seu lado, pude ver que ele estava segurando as lagrimas então o abracei e ele não estranhou só me abraçou forte.

  - Pode chorar. - Sussurro e ele derrama suas lagrimas enquanto me abraça, eu me sinto na pele dele tentando demonstrar ser forte quando quer desabar.

  - Me disseram que se eu chorar é porque sou fraco. - Eu faço ele olhar para mim e vejo ele fungar e limpar as lagrimas.

  - O choro significa que você passou muito tempo sendo forte, todos tem que chorar em algum momento você não é fraco, mas sim muito corajoso. - Ele sorri para mim e passamos a conversar.

  Ele se chama Adam e seus pais viajam muito ele praticamente foi criado pela babá e os pais afastam o irmão mais velho dele, ele queria ter o irmão do lado e brigou com os pais dele por isso. Acho que ele só procura ter alguém com ele para não ser tão só e por algum motivo ele me lembra muito alguém. Ele começou a aparecer todos os dias e eu até apresentei ele para o golfinho que quase me matou o Gal, significa onda pelo menos foi o que o Leo disse quando o nomeou. Eles se adorarão e brincavam na reabilitação por um tempo. Esse garotinho é inteligente para a idade e bem fofo com um bom carácter construído, mas o melhor ele me chamava de sereia e diz que adora me ver nadando no aquário.

*Castiel

    Já não aguentava mais toda vez que eu achava que ia rolar alguma coisa quando dava um passo em direção de tentar algo ela fugia como diabo foge da cruz, estava no meu limite já ela não saia da minha mente e eu não sabia o que fazer. Só uma coisa boa aconteceu para me ajudar a parar de pensar tanto nela, mas só ajudou um pouquinho, meu irmão passou a me visitar sem meus pais saberem ele disse que sentia falta do irmão mais velho e sinceramente eu gostei da companhia dele era bom ter ele por perto.

   - Castiel o que eu faço se esse garoto me bater de novo? - Ele disse quando me contou que fugiu de uma briga na escola e se sentia covarde.

  - Eu vou te ensinar a bater nele, mas se não der jeito ai é comigo entendeu. Seu irmão o assusta um pouquinho e ele nunca mais meche com você. - Nesse dia ensinei ele alguns golpes e ele ficou tão feliz que até parecia que tinha ganhado doce.

   Ele aparecia regularmente e era divertido assistíamos filmes ele me contava coisas sobre nossos pais, sua escola e eu percebi como ele se sentia sozinho era como eu me sentia. Com nossos pais viajando estava sempre só e me acostumei com a solidão de um certo modo.

*Athenas

  Era quinta feira e depois de um dia de aula desgastante e mais um encontro constrangedor com o Castiel, eu estava morta o trabalho não conseguiu me deixar aliviada e o Adam não apareceu hoje estava indo embora e minha assombração favorita foi me ver.

  - Eai sereia como você esta? - Ele pergunta encostado no muro, eu me pergunto a quanto tempo ele estava ali e se ele estava esperando eu sair.

  - Estou de mau humor então fala logo o que quer e não enrola. - Ele da um sorriso, esse garoto adora me provocar.

  - Isso é falta de diversão minha sereia, que tal assim o favor que me deve é você se divertir. Vai ser minha acompanhante em uma festa amanhã. - Ótimo eu mato o Leo por isso.

  - Te devo um favor não tenho escolha, mas seja sincero porque eu e não sua piranha? - Ele sorri e desencosta do muro ficando na minha frente.

  - Ela quer que eu diga que a amo e fizemos uma aposta para ver quem diz primeiro, mas brigamos e ela disse que vai acompanhada com outro cara e bem... - Eu o interrompo pois já sei onde ele vai chegar.

  - E você vai me usar de muleta porque quer fazer ciumes para ela largar o cara e sair da festa com você e admitir que te ama, sabe que galinhas falam que amam uma garota sem amar o tempo todo faz isso ela vai pra sua cama e de todo jeito você ganha. - Ele se vira ficando atras de mim e começa a massagear meus ombros.

  - Minha sereia tensa assim eu perco e vou ferir meu orgulho, além disso é só um favor e eu juro que não encosto muito em você. - Eu o afasto e me viro olhando para ele.

  Vejo nos seus olhos que ele esta sendo sincero e que não é um jeito de tentar algo comigo e sim fazer ciume e reconquista-la. Ser usada de muleta é uma ofensa gigante, mas pelo menos acabaria com isso de uma vez e eu não deveria mais nada a ele.

  - Você e sua piranha se merecem, como eu disse não tenho escolha te devo um favor. - Ele da um sorriso sacana e beija a palma da minha mão.

  - Te busco na sua casa amanhã a noite, use aquele vestido da festa do seu avô azul estava linda nele. - Ele da uma piscadela e vai embora.

  O que eu fiz para merecer isso? Estava voltando para casa e assim que entrei vi meu abuelo conversando com alguém e quando eu entro na cozinha vejo que é o Adam.  Assim que eu chego ele vem correndo e me abraça.

  - Oi sereia seu vovô tava me contando sobre a ilha de Atlântida e uma aventura emocionante. - Sorrio para o meu abuelo, mas logo olho para o garotinho de cabelos negros e lindos olhos cinza.

  - Sua mãe não vai se preocupar com você fora de casa a essa hora? - Seu sorriso perde um pouco da alegria.

  - Eu disse que estava aqui e o motorista vem me buscar daqui a pouco. - Sorrio e coloco minhas coisas em cima da cadeira da mesa de jantar.

  - Então que tal um sanduíche enquanto esperamos, o meu é o melhor já feito. - Ele volta a sorrir cheio de alegria.

  Comíamos e dávamos risadas das graças do meu abuelo e de como o Adam entrava nas brincadeiras dele, mas pena que durou pouco. Logo um carro prata veio buscá-lo e ficamos só eu e meu abuelo novamente e quando ele foi dormir ficou só eu, acho que já me acostumei com a solidão então não vejo mais tanto mal nisso.

*Castiel

  Mais um dia chato de aula e dessa vez não ficaria sozinho com ela, como sempre desde o dia de seu acidente ela se matem distante, mas como estávamos todos juntos ela não se distanciou no intervalo só quando o celular dela tocou e ela foi atender no corredor. Eu pensei que seria uma boa oportunidade de ficar nozinho com ela então fui e fiquei encostado na parede do outro corredor.

  - Nico para de me encher eu já disse que vou nessa festa o que mais você quer? - Lembro daquele cara da praia e só de pensar nela indo com ele para algum lugar sinto minhas chances indo embora e uma raiva crescendo.

  - Eu vou dirigir nem adianta insistir minha moto minhas regras... Ta vamos de táxi seu machista... Até a noite... Não, eu não sou sua nervosinha. - Ela desliga o celular brava e coloca no bolso. - O Leo me paga por me fazer dever um favor aquele chico pollo. - Eu ia sair de lá com raiva quando nos trombamos e ela quase cai.

  Eu a segurei bem na hora e ficamos colado um no outro, minha raiva de pensar nela em uma festa com outro cara que poderia tocar em sua pele e beijar sua boca antes de mim foi embora quando vi seus olhos brilhantes observando os meus. Posso sentir a vontade dela de me beijar eu sei que ela também quer, ela ia se afastar para fugir, mas eu não podia deixar dessa vez. Em um movimento rápido a coloco contra a parede ainda grudado em seu corpo, pena que ela usa esse moletom e esta de calça hoje, como eu queria sentir sua pele.

  - Catiel o que você esta fazendo? - Ela pergunta olhando para a minha boca e o que me faz olhar para a boca dela e ficar maluco ao vê-la morder os lábios como ela sempre faz e me provoca sem nem saber desse ato.

  - Acho que já sabe o que estou fazendo. - Digo baixo e com minha voz mais rouca pelo desejo que estou sentindo, eu aproximo minha boca da sua orelha e sussurro. - Sabe como é difícil ver você mordendo os lábios desse jeitinho com essa boquinha linda? Se continuar eu mesmo vou morder essa boquinha. - Digo e lambo atras da sua orelha escutando ela arfar, minha vontade de tomar os seus lábios é impedida pelo sinal da escola. 

  Assim que o som a desperta ela me empurra e se afasta eu percebo que ela esta ofegante e engolindo em seco, me delicio com a visão de que um simples ato meu a deixou. O jeito que o corpo dela corresponde o meu é algo que eu quero muito examinar mais.

  - Eu... eu vou para... sala. - Ela diz em um gaguejo e sai como se fugisse, ótimo me excitou e saiu correndo como sempre faz. Não da mais para aturar isso eu esta explodindo já e precisava extravasar.

  No resto do tempo na escola ela continuou indiferente como se nada tivesse acontecido e se manteve distante, depois de tudo eu decidi que deveria tentar seguir em frente e tirar ela da minha cabeça. Afinal ela sairia com aquele cara hoje e eu não ia ficar me torturando pensando nisso. Estava em um restaurante que o Lysandre me levou ele tinha musica ao vivo e dava para ver a praia, assim que olhei o mar me lembrei dela e isso me deixou cheio de raiva.

  - Com licença. - Uma garota chega a nossa mesa ela tinha cabelos negros e olhos castanhos e usava roupas de praia, seu sorrio para mim já me disse tudo e eu arrumei um jeito de tirar a ruivinha da minha cabeça.

  - Toda linda pode falar. - Lysandre já percebe tudo e só faz uma cara de tédio e de como se disse mentalmente "Castiel sendo Castiel".

  - Queria saber se quer ir em uma festa comigo hoje é que eu não queria ir desacompanhada sabe e você é um gato se me permite dizer. - Sorrio para ele e depois volto a olhar para ela.

  - Eu permito sim gatinha e eu topo só me dizer onde? - Ela sorri e me diz que vai me encontrar lá e ela mesmo me busca de carro, eu não gostei muito, mas sozinho imaginando a Athenas com aquele cara eu não ia ficar.

*Athenas

  Eu caprichei não por querer impressionar o Nico ou querer ver a cara da piranha mesmo achando que seria engraçado sua raiva, mas pela vontade de ficar mais bonita hoje. Passei meu creme com cheiro de jasmim depois do banho e coloquei o vestido azul que o Nico falou acho que é um dos únicos vestidos que tenho que é mais apertado ao corpo e fiz uma maquiagem que deixava minha pele mais brilhante, mas nada demais afinal eu nunca gostei de passar muita coisa no rosto.

 - Bem, yo ya estoy indo. Por favor Rose qualquer coisa me ligue e obrigado por fazer companhia para mi abuelo hoje. - Ela sorri para mim.

  - Ele é uma boa companhia para mim também, vai lá e se divirta e bastante se quiser nem precisa voltar essa noite e você esta linda. - Eu sorrio com seu comentário e vou embora para o taxi e vou buscar o Nico na casa dele.

  O filho da mãe me olha de cima a baixo e ainda diz que eu estava gata, mas é audacioso se não estivesse devendo um favor a ele já teria socado sua cara. Assim que ele entra no carro e me cumprimenta com um beijo no rosto eu digo logo minhas exigências para eu não mata-lo sem antes dar um aviso.

  - É o seguinte vamos fingir estar juntos na festa, mas se tocar em qualquer parte do meu corpo com malicia leva um chute onde mais te dói e se me beijar vai acabar como nariz quebrado como da ultima vez. - Ele da risada e concorda com as mão para cima em sinal de paz.

*Castiel

Fomos para uma festa em uma casa grande perto da praia e com piscina estávamos nós dois com alguns amigos dela e eu logo senti que ela não me deixava toca-la e quando uma das amigas falou de um outro cara eu saquei onde fui me meter.

- Então me trouxe para me usar de muleta, olha não sou esse tipo de cara e vou embora sei como acaba esse joguinhos. - Ela me segura para não ir, mas quando eu olho para a porta tenho uma surpresa.

  Ela estava linda seus cabelos vermelhos estavam cacheados e ela estava com uma maquiagem brilhante que realçava seu olhar e sua boca que tinha aquele sorriso que me tirava o sono, assim que eu vi aquele cara colocar a mão na cintura dela mudei de ideia sobre ir embora.

  - Conhece ela? Bem é aquele cara que eu quero, você pode tirar ela do meu caminho e nós dois ganhamos. - Eu queria manda-la ir se ferrar porque odeio ser usado, mas o plano não era tão ruim.

  - Dessa vez deixo passar só por causa dela. - Ela faz uma cara de quem não gostou do que eu falei e comenta enquanto andávamos até eles.

  - Claro ela sempre causa esse encanto. - Olho para ela e percebo seu ciume aparente, acho que não é primeira vez que ela sente ciume deles e isso me deixa enciumado.

*Athenas

  Nico olha meio irritado para uma direção e depois sorri para mim e eu já sei que ele avistou seu oponente, mas assim que ele coloca mão na minha cintura e me vira para olhar fico descrente. O ruivo estava com uma regata branca que realçava seus músculos e sua jaqueta que é sua marca registrada e uma calça jeans escura. Por que ele esta aqui? 

  - Oi Miriam, Castiel. - Eu cumprimento e o Castiel me olha de cima abaixo e logo fico tensa de novo, mas disfarço.

  - Athenas, não sabia que viria com o Nico achei que ele não servia pra você. - Miriam logo solta seu veneno e o Nico aperta minha cintura para me lembra do meu papel.

  - Eu vim pra dançar não sei se você se lembra, mas o Nico é o único homem que consegue me acompanhar. - Ela fica irritada e o Nico da risada, mas eu logo vejo a irritação do Castiel. Ele ficou com ciume e não é para menos, eu me lembro da cena no corredor e de como meu corpo me traiu ao sentir seu toque.

  - Eu vou buscar uma bebida pra gente. - Digo ao Nico que me puxa para sussurrar no meu ouvido, vou acabar batendo nele desse jeito.

  - Esta se saindo muito bem, mas preciso que tire seu amigo da cola dela. - Ele sussurra e lhe respondo para deixá-lo ciente.

  - Cuidado com as suas mão se não vai ficar sem elas. - Ele ri e eu saio para a mesa de bebidas, mas sinto o olhar do Castiel em mim.

  *Castiel

  Ver ele a tocando e os dois sussurrando um pro outro libertou outro lado meu e para mim o jogo havia começado e eu não iria perder, aproveitei que eles tinham se afastado e disse a Miriam que buscaria um drink para ela e encontrei a Athenas pegando as bebidas. Como ela pode estar aqui com aquele cara depois de tudo o que ela disse sobre ele ser difícil e ela ter socado ele.

  - Me vê duas batidas e um copo de Whisky sem gelo. - Eu observo ela tomar o copo de Whisky enquanto espera o bar tender fazer as batidas.

  - Gosta de bebidas fortes? - Pergunto ficando do lado dela e logo sorrio para ela que termina de beber.

  - Gosto. - Ela diz sorrindo colocando o copo, agora vazio de volta na mesa. Eu olho para trás e vejo Nico e Miriam ocupados conversando como se discutissem com sorrisos e sei que estão ocupados para prestar atenção na gente e essa é minha chance.

  - E o que mais você gosta forte? - Sussurro no seu ouvido e como mais cedo posso vela se arrepiar com a minha voz.

   - Não acho que essa informação lhe seria útil. - Ela me responde dessa vez o que me surpreende. Agora ela quer brincar? E eu achando que a nerdizinha ficaria mais nervosa por não estar no seu habitat natural.

  Eu dou risada ainda próximo a sua orelha e vejo ela fechar os olhos e umedecer seus lábios brilhantes por causa batom, essa garota não é o que faz parecer ela esta bem nesse habitat pois ela faz o seu lugar. Eu logo volto a sussurrar na sua orelha, pois quero vê-la no limite uma hora ela vai ceder e sera essa noite.

  - Vou te provar que sou o homem que pode te acompanhar até mesmo na cama. - Ela abre os olhos e eu vejo um sorriso nos seus lábios ela se vira olhando para mim e se aproxima, mas para próxima a minha boca.

  - Duvido. - Ela diz para mim e meu sangue ferve com minha vontade de tira-la dali e provar todas as minha palavras para ela até faze-la admitir gritando que era minha. 

  O bar tender entrega as bebidas dela e ela sai andando e eu só a observo indo até o Nico e a Miriam que já estavam brigando. Ele pega a bebida e a mão dela e sai com ela deixando a Miriam sozinha, a não essa noite ainda não acabou. Ele não vai ganhar ela eu não vou deixar de jeito nenhum, ele pode chamar ela de sereia dele, mas ela é minha.

*Athenas

  Eu podia culpar o álcool, mas tinha que admitir não aguentava mais resistir ao Castiel e alem disso preciso tira-lo de perto da piranha para o Nico ficar com ela e eu poder voltar para mo meu lar doce lar. Nico me puxa para Miriam pensar que íamos ficar, mas só saímos para o quintal dos fundos onde a musica toca, ele disse que ia colocar uma musica latina pra gente dançar e a Miriam ficar louca e o Castiel também e dito e feito eles pareceram.

  - Onde o Nico vai? - Miriam pergunta com o Castiel grudado nela com o braço por cima dos ombros dela, eu ia responder quando a musica começou.

  - Eu disse que queria dançar, não disse? - Falo e saio de lá  indo ao encontro do Nico e dos amigos dele que também iam subir pra dançar.

(Ligue o som na musica https://www.youtube.com/watch?v=qBxny_naiC0 )

   

*Castiel

  Assim que o toque da musica se inicia ela sobe no palco colocando os cabelos para o lado deixando o pescoço a mostra dançando mexendo o quadril no ritmo e chama os outros para subir, o Nico sobe e eles dançam um pro outro como se já conhecessem seu ritmo e seus passos e dão um giro ficando na frente. Uma batida rápida começa e os dois fazem passinhos e os outros atras deles tentam acompanhar, seus passos são rápidos e bem legais de se ver, a musica diminui o ritmo e eles saem da frente indo para lados opostos e os outros dançam no meio. Ela sorri vendo eles dançando e eu fico ainda mais admirado eu realmente me enganei sobre ela.  O ritmo mais rápido recomeça e eles fazem um passinho de novo, mas quando o trompete soa ela da um giro e ele segura sua cintura com ela de costas para ele. Ela começa a mexer a cintura com ele a segurando até que ela sorri e se afasta, os outros fazem o passinho e ela da risada vendo os passos diferentes de cada um até que acaba e todos riem e batem palmas.

  - É sempre assim eles sempre dançam desse jeito, ai odeio isso! - Vejo como ela esta irritada e eu também fiquei por vela grudar nele, mas nunca a tinha visto de um jeito tão sexy como hoje e isso deixou meus sentimentos desconexos.

  - Eae vamos começar o jogo de verdade ou consequência vocês vem? - Um cara nos chamou e a Miriam me arrastou para lá, mas decido ficar quando vejo que ela também vai participar.

  - É agora você tem que ficar com ela. - Miriam diz no meu ouvido e ela nem precisava dizer pois eu já sabia que na primeira oportunidade ela seria minha.

*Athenas

  O jogo começou com o Nico tirando a camisa nada que eu não tenha visto antes e o uma garota tirando o brinco de outra garota com a boca, mas eu já estava cansada do Nico me arrastando e de ser feita de muleta então eu queria acabar com isso e a garrafa pareceu ouvir minhas preces.

  - Verdade ou desafio minha sereia? - Nico me perguntou e eu sorrio para provocar, pois vejo Castiel ficar com uma certa raiva ao ouvir a palavra "minha".

  - Desafio. - As pessoas vibram e fazem sons de suspense, ate que o Nico também sorri e diz com uma voz provocativa.

  - Te desafio a ir para o quarto do porão e ficar 15 minutos com um cara daqui da roda e tem que beijar. - Todos gritam e eu reviro os olhos sabia que só tinha um jeito de acabar com isso logo de uma vez.

  Eu levanto e puxo o Castiel pelo braço e vejo todos fazerem cara de espanto e surpresa, Miriam sorria para o Nico e um garoto de cabelos pretos fechou a porta quando entramos no quarto. Castiel sorria para mim e eu vi no seu sorriso safado que não resistiria hoje, não podia mais negar com ele ali meu corpo não ia obedecer minha mente, odeio esse sorriso realmente odeio o jeito que mexe comigo.

  - Foi usada de muleta também não é, esse foi o favor? - Sorrio por saber que ele realmente não veio com a Miriam, não que eu me importe claro, mas eu queria provoca-lo um pouco.

  - É ele queria me beijar na frente da piranha pra fazer ciume, mas não gosto que me usem então em vez de descer com ele pra cá vim com você. Sei que não vai querer nada com uma nerdizinha como eu. - Ele umedece seus lábios com a linguá e da mais um dos seus sorrisos que me desconcertam e eu vejo ele se aproximar.

  Seu olhar me lembra um predador e pelo jeito que ele me olha eu sou sua presa, eu não recuo pois dessa vez não queria recuar. Era como se meu corpo me controlasse agora e só o jeito que ele me olha me faz perder o raciocínio, ele me puxa me girando como em uma dança e eu sorrio com o seu ato.

 - É assim aquele passo? - Ele pergunta com sua voz rouca que me causa arrepios por todo o corpo. - Por que não dança comigo como dançou lá em cima? - Sua mão segura minha cintura e e eu sinto seu corpo quente colado no meu.

  - Não tem musica? - Ele da um riso baixo e sussurra na minha orelha de novo e eu tento pensar na minha promessa, não posso ficar com Castiel Collins, mas esse pensamento ta tão... Tão distante.

 - Imagina musica, uma musica lenta e excitante. - Ele segura a minha cintura e movimenta ela e meu corpo o responde como se mandasse minha promessa para o limbo.

  Eu mexi minha cintura como ele conduzia sentindo sua respiração pesada no meu ouvido e isso era melhor que qualquer musica, mas meu pensamento volta a funcionar quando sinto seu membro duro encostado em mim eu ia me afastar e ao perceber ele me segura forte me colando ainda mais a ele.

  - Você me deixou assim e fugiu uma vez não vou te deixar fugir de novo. - Lembro da cena do corredor e de como eu cai a sua merce e quase me deixei levar com ele, mas agora não estava com forças para resistir e nem queria estar.

  Ele beija o meu pescoço e novamente minha mente desliga e meu corpo o responde deitando minha cabeça lhe dando mais espaço, sua mão livre sobe pela minha perna sentindo a minha pele enquanto ele lambe meu pescoço e depois morde, me fazendo morder os lábios para não deixar um gemido escapar. Ele sobe seus beijos até atras da minha orelha e sussurra no meu ouvido e só com a sua voz fico completamente excitada e minha mente vai ao espaço.

  - Acho que você quer mesmo que eu morda essa sua boquinha. - Ele diz e eu mordo ainda mais forte meu lábio inferior quando ele chupa o lóbulo da minha orelha. - Para de pensar deixa seu corpo me responder, só faça o que você quer. - Ele diz e eu não aguento mais e faço o que tenho vontade de fazer desde aquele dia que ele me salvou.

*Castiel

  Ela se vira para mim e cola sua boca na minha, suas mãos vão para minha nuca puxando meus cabelos e eu a encosto na parede daquele quarto. Ela pede passagem e eu cedo com todo o prazer para um beijo quente, minhas mãos vão para suas coxas subindo seu vestido e sentido sua pele macia. Quando o folego cessa a dança de nossas linguás eu mordo seu lábio inferior com certa força pela vontade  que foi tão reprimida de cometer esse ato, com um impulso a levanto e deixando com suas pernas envolta de minha cintura e ela se segura no canto da parede.

   - Nossa. - Ela diz sem folego e começa a beijar o meu pescoço enquanto eu toco o seu corpo cheio de malicia e vontade.

   Seus beijos quentes na minha pele me excitam de um modo que eu não consigo descrever, eu aperto suas coxas com uma certa força e escuto ela arfar, posso sentir seu sorriso no meu pescoço e logo sinto sua linguá na minha pele. Minhas mão sobem por baixo do seu vestido e eu aperto sua bunda a colando mais a mim e assim que ela sente minha excitação junto a sua ela morde o meu pescoço e eu a prenso ainda mais.

  - Porra Athenas! - Eu gemo e ela ri na minha orelha sua risada é mais pesada da para sentir o desejo nela. 

  Ela lambe o lóbulo da minha orela e eu subo minha mão para o seu seio direito, posso sentir  que ela esta sem sutiã mesmo com o tecido do vesto. Eu aperto e me delicio com seu gemido na minha orelha, ela cola de novo a cabeça na parede para olhar o meu rosto.

*Athenas

  Eu já tinha namorado e ficado antes, mas aquilo era tão intenso ele é intenso nunca me senti tão dominada pela vontade como estou agora. Ao olhar seus olhos cinzas posso ver que eles estão mais escuros e cheios de intensidade e desejo, mas o que me faz me perder totalmente é quando ele sorri olhando nos meus olhos. Sinto sua mão descer e voltar para minha coxa e sua outra mão sobe indo em direção ao meu seio esquerdo, ele aperta e eu colo de novo nossos lábios gemendo na sua boca, nosso beijo era tão quente que eu sabia o que aconteceria se continuássemos e o pior eu queria precisava e desejava que acontecesse.

  - O tempo acabou melhor se arrumarem e se vestirem, estamos esperando la em cima. - O cara fala atras da porta e escutamos ele sair.

  Castiel me coloca no chão e apoia seus braço na parede ao meu redor só tem ele em toda minha visão e só se escuta nossa respiração ofegante e descompensada. Demorou um pouco para respirarmos normalmente e assim que conseguimos ele se afasta arrumando sua jaqueta e o cabelo, eu abaixo o meu vestido e arrumo os amaçados feitos pelos toques dele e vejo ele me observar. Nos encaramos por um tempo até que ele acaba com o silencio constrangedor usando seu sorriso e falando com sua voz que já se encontra normal.

  - Sabe que não vamos conseguir esquecer o que aconteceu aqui né? - Eu entendo o que ele quer dizer, nada sera como antes e não sei se vou poder continuar fugindo dele depois disso.

  - Eu sei. - Digo só e olho para o chão, até ele se aproximar de mim e com sua mão no meu queixo me faz olhar para ele.

  - Nunca perdi tanto o controle em um beijo com alguém, você realmente me tirou de mim sereia. - Eu penso no que ele quer dizer, como meu corpo correspondeu ao dele sem nem pensar e percebo que não fui só eu que me senti dominada isso me deixou confusa, mas sua risada me desperta dos meus pensamentos. - Essa sua mania me tira do sério, se continuar mordendo o lábio vou te beijar de novo e acho que você sabe o que vai acontecer se nos beijarmos de novo. - Eu me afasto dele indo em direção a porta e sorrio para ele de um modo divertido.

  - Sei? - Eu pergunto com ironia e vejo ele rir para mim antes de abrir a porta e subir a escadas, o garoto lá em cima fala que o cara que veio comigo foi embora com outra garota e Castiel sobe bem nessa hora.

  Ele fala para ele que a garota que estava com ele saiu com o cara que estava comigo e ele me olha com um sorriso sacana respondendo "Tudo bem já tenho uma garota muito melhor do meu lado", eu saio lá para fora enquanto ele se distrai e conversa com aquele cara. Tentei ligar para a Rose, mas ela não atendia o que significava que estava dormindo e eu não achava as chaves na minha bolsa, perfeito. 

*Castiel

  Quando eu vi Athenas tinha sumido da minha vista e eu começo a procura-la pela festa e quando não a encontro em lugar nenhum saio para fora estava prestes a entrar no meu carro quando a vejo tentando chamar um táxi e ligando para alguém. Eu descido me aproximar dela e escuto o que ela falar no telefone.

  - Rose sou eu de novo sei que deve estar dormindo, mas o Nico ficou com minha chave de casa então... Ta sem espaço suficiente para esse recado que ótimo. - Sorrio por causa da falta de sorte dela.

  - Precisa de ajuda minha sereia? - Ela se vira pra mim e sorri com a mão na cintura, seu sorriso meche comigo de um jeito que não posso explicar.

  - Não sou sua e não quero ajuda obrigada. - Sorrio e seguro seu braço abaixando sua mão que tentava chamar um táxi. - Castiel o que você... - Eu a levo até o eu carro e a faço entrar, dou a volta e entro no lado do motorista.

  - Te salvando de gastar dinheiro com táxi e quem é Rose? - Ela da risada fazendo sinal de interrogação como se não acreditasse no que esta acontecendo.

  - Só você viu, ela cuida do meu abuelo... avô para mim e ela ficou com ele hoje. - Ela só mora com o avô e ainda cuida dele, penso nisso por um tempo e uma pergunta me vem a mente "E quem cuida dela?"

  - Ela dormiu a chave ficou com o idiota do seu amigo e você vai ficar pra fora? - Ela olha para baixo e depois volta a me olhar.

  - É minha unica escolha. - Eu sorrio e olho para ela, me aproximo e posso ver sua respiração ficar mais forte, mas eu só coloco o sinto nela e me afasto.

  - Vai pra minha casa dorme lá hoje.- Ela ia responder quando eu falo antes dela. - Calma minha sereia não faço nada se você não quiser tá, mas não vou deixar você dormir no seu quintal. - Colco o sinto e ligo o carro ela foi falar e eu já esperava uma briga e ela falando que não ia pra minha casa, mas foi diferente.

  - Não sou sua já falei... E obrigado. - Sorrio e ficamos um tempo em silencio até que eu ligo a radio para acabar com o constrangimento que o silencio estava deixando.

     Ela começou a cantar e eu sorri ao ouvir sua voz de novo, quando chegou no refrão eu a acompanhei cantando a musica e ela sorriu me olhando. Cantávamos juntos e sorrindo e cada letra da musica me fazia pensar nela e eu não queria mais lutar contra isso já sabia o que significava estava me apaixonando pela ruiva. Nós chegamos e o Dragon pula nela assim que passamos pela porta ela agacha fando carinho nele e eu rio com a cena, e me afasto colocando as chaves no porta chaves e trancando as portas. Dragon estava tão feliz com a presença dela que nem me notou.

  - Acho que enfeitiçou meu cachorro. - Ela da risada e levanta olhando para mim.

 - A culpa não é minha que ele gosta do meu carinho. - Dou risada da sua resposta e não pude deixar de brincar com ela.

  - Depois de hoje posso até entender o porque. - Ela ficou um pouco vermelha e eu sorrio vendo ela assim.

   Eu peço alguma coisa para comer enquanto ela briga comigo por não ter nada na geladeira e eu faço a besteira de contar que eu não cozinho, ela da risada e depois se aproxima de mim. Eu estava sentado no banquinho e ela deu no bacão para ficar na do meu lado eu viro para olhar pra ela quando ela põe a mão no meu ombro e pergunta.

  - Como sobreviveu tanto tempo só assim? - Dou risada da observação dela e ela se assusta quando eu levanto e fico com a boca perto da boca dela.

  - Sorte sua que eu sobrevivi se não nunca teria te dado o melhor beijo da sua vida. - Ela riu e se afastou colocando a mão no balcão.

  - Na verdade quem te beijou fui eu. - Eu sei que disse que me comportaria, mas é praticamente impossível.

  Eu me aproximo dela e ela se vira pra mim ficando de costas para o balcão, meu primeiro instinto foi pega-la e colocá-la em cima do mesmo e ficar entre suas pernas. Aproximo minha boca da sua, mas não encosto só para provoca-la e sentir a vontade que ela sente de me beijar assim como eu sinto de sentir de novo sua boca.

  - Então me beija de novo. - Ela me afasta e eu não consigo entender, porque ela não se rende logo.

  - Castiel não. - Ela diz e a campainha soa avisando que a comida chegou, eu prendo o Dragon e nós comemos conversando sobre assuntos diversos.

  Eu a convenci de que não podia dormir daquele jeito e separei uma roupa minha para ela usar, estava sentado no sofá vendo qualquer canal para me distrair e não pensar nela tomando banho no meu chuveiro, o que esta sendo bem difícil. Depois de um tempo ela desse usando uma camisa minha que ficava gigante nela e uma box minha que parecia um shortinho minusculo, tão gostosa que me faz pensar que essa noite será uma tortura.

*Athenas

  Vi como ele me olhou quando desci as escadas, mas eu não podia cair na tentação. Não era certo e eu realmente não acreditava no que eu tinha me metido e como essa noite seria difícil de aguentar, eu me sentei do seu lado no sofá quando ele disse.

  - Não se incomoda de ficar vestida assim na frente de caras tipo eu. - Dou um sorriso e eu realmente me sentia a vontade não por estar acostumada só, mas por que por algum motivo confiava nele.

 - Eu trabalho de biquíni esqueceu? Alem disso posso ser maluca, mas confio em você. - Ele me olha por um momento pensativo e logo se levanta e diz que vai tomar um banho e para mim assistir o que quiser.

  Estava assistindo deitada no sofá quando Castiel desce as escadas, os cabelos dele estavam molhados e ainda tinha algumas gotas pelo seu peito a mostra por ele estar sem camisa. Ele quer me torturar não é possível, eu disse que essa noite não seria fácil e pelo jeito sera uma tortura.

  - Vem vamos dormir. - Eu olho para ele como se ele estivesse realmente falando sério eu dormir na mesma cama com ele, ao perceber como eu o olho ele responde. - Só vamos dormir juro, disse que confia em mim não disse? - Ele estende a mão para mim e eu desligo a tv e logo seguro sua mão sendo levada até o quarto dele.

  Assim que entramos vejo que seu quarto é escuro com paredes tons de chumbo com Posters grudados nelas, seu quarto me dizia seus traços mais do que ele mesmo e gostei do que via. Logo ele vai para um lado da cama de casal e eu para o outro assim que nós deitamos demorou um pouco para mim dormir afinal era difícil parar de pensar no que eu tinha vontade de fazer e em como seria fácil na situação que estávamos, não sei quando consegui dormir.

 

 


Notas Finais


Uauuuuuu gente espero que tenham gostado desse capitulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...