História Horrivelmente maravilhoso - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bissexualidade, Drama, Gay, Homofobia, Lésbica, Lgbt, Pansexulidade, Transexualidade, Violencia, Yaoi, Yuri
Visualizações 49
Palavras 1.186
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ahhhhh, eu atualizei rápidoooooo.



Booaa leiituuraaa.

Capítulo 2 - Capítulo 2


Mateus estava nervoso, não pelo trabalho de Biologia que havia esquecido de fazer, e sim, porquê ia pedir desculpa para o menino mais bonito de toda a sala, ou melhor, de toda a escola.

Ele não pedia desculpa nem para a própria irmã, e teria que pedir desculpa por algo que não havia se arrependido. Mas, nem sempre o certo a se fazer é legal.

O plano em sua cabeça estava totalmente formado, na hora do intervalo ele chamaria o menino, o levaria para um lugar um pouco afastado e finalmente pediria desculpas. Tudo teria dado certo, se ele não tivesse que ficar na sala para fazer o maldito trabalho.

- Mellia, bem que você podia ter me lembrado, né? - Reclamou Mateus manhoso.

- Como se eu fosse saber que você tinha esquecido! Não lembro nem das minhas obrigações e agora vou ter que lembrar das suas?! - Respondeu áspera.

- Puta merda, que humor horrível! - Eles ficaram em silêncio, ele a encarou por um tempo, analisando a melhor amiga. Ela parecia levemente abatida, o menino entendeu o que estava acontecendo em uma velocidade incrível - Foram elas de novo? - Mellia concordou.

- Acho que elas nunca vão me deixar livre - Sorriu tristemente.

- Eu…Ah…Da próxima vez que ela fizerem qualquer coisa ruim com você, eu vou lá e coloco elas no fundo do abismo, juro! - Mateus estendeu seu dedinho, a menina apertou seu dedinho junto com o dedo de Mateus, era uma promessa. A garota pulou da mesa que estava sentada.

- Acho difícil você conseguir fazer isso, mas obrigada pela intenção - Ela sorriu, dessa vez, de uma forma sincera - Mas agora, vamos terminar logo esse trabalho, sorte a sua que eu estudo e lembro o que escrevi.

Os dois sorriram, ela se aproximou e o ajudou a terminar o dever antes do intervalo acabar. Por sorte era algo fácil e pequeno, pelo menos para ela.

Depois das aulas acabarem eles foram para a biblioteca, era como um ritual, em todos os finais de aula eles iam até a biblioteca e só saiam por volta das 19:00 horas. Não que eles não tivessem amigos, os dois tinham, um grupo enorme, era composto por umas dez pessoas, dificilmente o grupo ficava todo reunido, mas mesmo assim, todos eram amigos. Normalmente eles ficavam juntos no intervalo, mas com o imprevisto, Mellia ficou fazendo companhia para Mateus na sala de aula.

Mateus não era fã de ler, então as vezes fazia as tarefas ou ficava descobrindo qualquer palavra nova ou a tradução de uma, tudo pelos dicionários e enciclopédias que a escola fornecia. Em falar de escola, o sino para as aulas noturnas tinha acabado de bater, faltavam aproximadamente uma hora para eles sairem dali.

Olhando para um dos livros, Mateus viu uma palavra gigantesca, é claro que tentou ficar falando ela, mas era tão comprida e estranha!

- Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiótico - Mellia o olhou, ele a encarou abismado - É a maior palavra da Língua Portuguesa, ela tem quarenta e seis letras. É uma doença que ataca os pulmões quando você inala cinzas de um vulcão.

- Pensei que fosse Oftalmotorrinolaringologista.

- Essa tem vinte e oito, é um número bem diferente e tem outra que tem vinte e nove.

- Que loucura - Mateus estava surpreso, nem sequer sabia que aquela palavra existia - Como você consegue falar essa palavra afinal ?

- Eu fiz curso de como falar palavras gigantesca que eu não irei usar - Mellia brincou, logo os dois estavam tentando não rir muito alto, a bibliotecária tem ótimos sermões e uma pontaria de mestre, isso Mateus pode garantir - Ah, você pediu desculpas para o tiago?

- Acabou não dando, meio que eu esqueci de fazer algumas coisas sabe, tipo, um trabalho - Mellia apertou os lábios para não rir novamente.

- Quando pretende fazer isso?

- Amanhã talvez.

- Talvez?

- Ok, amanhã eu faço.

- Bem melhor - Ficaram em silêncio até perceberem ser a hora de ir embora. Eles sempre se acompanhavam na voltar e ir para a escola, já que a casa de Mellia ficava no mesmo caminho que a de Mateus - Até amanhã Matt.

Eles se despediram com um abraço e Mateus continuou a caminhar para casa, chegando lá viu sua mãe fazendo a janta, ela se virou rapidamente, com um sorriso doce nos lábios e uma colher de madeira na mão esquerda.

- Já são quase oito horas mocinho, poderia ter avisado que demoraria mais hoje! - Se aproximou e bateu o cabo da colher na cabeça da criança - Vai tomar banho, daqui a pouco a janta está pronta.

- Ok, senhorita Júlia - Ele sorriu para a mãe e foi correndo para o quarto, pegou o pijama de ursinho e foi para o banheiro.

Depois de um delicioso banho quente em um dia tão cansativo como aquele, se sentiu renovado. Quando desceu as escadas, o pai e a irmã já estavam na cozinha, colocando os pratos e a comida na mesa.

- Finalmente nós já estávamos comendo sem você - A irmã brincou, já que a comida nem tinha sido totalmente colocada na mesa. Ele sorriu e mostrou a língua.

Os quatro se sentaram, começaram a comer a comida maravilhosa que a mulher mais velha tinha feito. O silêncio como sempre, estava ali. Quando terminaram, ficaram ali, falando sobre coisas aleatórias, como sempre.

- Daí a Letícia comprou colares de casal, para mim e para ela - Disse Roberta mostrando o colar, a corente era preta e o "pingente" era uma pedra azul claro.

- Isso é uma pedra de casal? - O pai perguntou desconfiado.

- Não exatamente, é uma pedra Água Marinha, ela significa amor verdadeiro - Disse contente - Bem, ela que disse essa última parte - Os pais sorriram, estavam felizes com o relacionamento da filha, Letícia também era uma boa menina.

- E você filho? O que aconteceu hoje? - A mãe perguntou.

- Bem, eu ia pedir desculpas pro Tiago, mas acabei ficando preso na sala, fazendo uma tarefa.

- Você tinha esquecido de fazer ela, não é? - O pai perguntou desconfiado.

- Esqueci, mas veja pelo lado bom, o professor deixou eu fazer e entregar pra ele, valendo a mesma nota - Os pais o olharam com uma irritação bem aparente, no final não adiantava, Mateus nunca escutava seus sermões - E eu descobri que a maior palavra da Língua Portuguesa tem quarenta e seis letras!

- Hoho, é aquela que é uma doença não é? - O menino concordou com o pai, eles conversaram mais um pouco e não muito tempo depois, Mateus foi arrumar a cozinha, já que hoje tinha sido o dia dele a arrumar.

- Ahh, eu tô morto - Disse deitado na cama, enquanto olhava as redes sociais.

Se deparou com uma foto de Tiago ficando completamente surpreso, de repente toda a energia pareceu ter voltado ao seu corpo. Os olhos e cabelos castanhos pareciam brilhar com os raios do pôr do sol, ele segurava um milk-shake na mão direita, enquanto a outra mão estava localizada nos cabelos que pareciam tão macios. E o sorriso, ahh, o sorriso, fazia Mateus se derreter por completo. Ele deu um sorrisinho bobo. Curtiu a foto e bloqueou o celular, dormindo com o sorriso ainda no rosto.


Notas Finais


Acho que deu para perceber que eu tô focando mais no relacionamento com os parentes e amigos primeiro, pq né, isso é totalmente importante.

Gente quando eu falo long fic, para mim escrever é tipo, 20 mil palavras, agora para mim ler já são umas 60 mil. Parece que eu começo o capítulo com 1000 palavras e a cada minuto que passa 100 palavras somem. Trist

Mas eu vou tentar escrever realmente uma long, tipo, 50 mil ( vou tentar juro ) mas não vão achando que tem aquelas baboseiras não, odeio o tipo de cliché que o personagem fica dividido entre duas pessoas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...