1. Spirit Fanfics >
  2. Hóspede Temporário >
  3. Visita inesperada

História Hóspede Temporário - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei!

Queria avisar vocês que vou espaçar um pouco mais as datas de atualização porque minhas aulas na faculdade voltam essa semana e apesar de não querer deixar vocês sem capítulo novo, não há garantia de que eu consiga tempo disponível para escrever/revisar com a mesma frequência de antes, mas fiquem calmos que eu não vou sumir!

Esse capítulo e o próximo serão na versão do Sasuke porque ficou com mais de cinco mil palavras e tive que dividir.

Capítulo 9 - Visita inesperada






Era só o que me faltava! Esperei tanto por um sinal de que deveria me abrir com a Sakura e quando finalmente nos entregamos um pro outro esse cabeça oca aparece!

Será que se ele soubesse dos meus sentimentos sobre a irmã dele apareceria justo nesse momento?

Alguém lá em cima só podia estar testando meu autocontrole ou tentando me pregar uma peça, não é possível, ainda estou de pau duro e tendo que lidar com isso.



— O que faz aqui? - Sakura pergunta abraçando o irmão - E a essa hora...? Aconteceu alguma coisa?

— Aconteceu, me desculpa vir de repente, mas se eu aparecesse lá na nossa mãe era capaz dela me mandar para casa no mesmo pé.

— Céus, está me preocupando! - o puxou para sentar no sofá - O que houve?

— A Hinata terminou comigo.

— O que? - pergunto arregalando os olhos - Como assim?

— Bem, ela não terminou comigo, só me pôs para fora de casa.

— Diz logo tudo!

— Tudo bem! - ele suspira ao dizer - Ela me viu na rua com uma mulher e...

— Naruto, não acredito que você traiu a Hinata! - Sakura dá um tapa ardido no ombro dele

— Claro que não! Eu quero pedi-la em casamento e a família da Tenten trabalha com essas coisas, achei que conseguiria uma ajuda com ela. Só que quando a Hinata nos viu conversando eu não consegui pensar em nenhuma desculpa suficientemente boa e nós brigamos.

— Por que não diz a verdade a ela?

— Se eu disser estraga a surpresa. Sakura-chan, posso ficar aqui pelo menos por hoje? Amanhã eu volto para casa e resolvo isso.

— Nem precisa pedir, Naruto. - o abraçou - Vou pegar umas coisas pra você dormir. - se retirou nos deixando sozinhos

— Ei, vai mesmo prosseguir com essa surpresa?

— Claro.

— Se dissesse logo a verdade te pouparia dessa situação que está passando agora.

Quero que seja especial, do jeito que ela merece.

— Como você... - coço a nuca nervosamente - como soube o momento de se declarar para ela?

— Ah! Simplesmente aconteceu, acho que me apaixonei por ela assim que nos reencontramos na faculdade, eu só estava adiando o inevitável porque não conseguia parar de pensar nela um segundo. - riu

— Hm.

— Vai me dizer que ainda não se declarou para ela?

— Não sei como fazer isso. Tenho medo de não ser correspondido.

— Por que acha que não seria correspondido? Quem é a felizarda?

— Bom... - por um segundo cogito dizer a verdade, mas sou interrompido

— Aqui, Naruto, pode ficar no sofá se quiser.

— Obrigado, Sakura-chan. Ei, já que estou aqui podíamos ver um filme, o que acham?

— Por mim tudo bem. - dou de ombros

— Vou fazer uma pipoca. - ela diz indo em direção a cozinha

— Eu te ajudo.



Pego a panela e fico ao lado dela enquanto prepara tudo. Estou nervoso pra caralho, não esperava que Naruto fosse aparecer justamente quando estava transando com a irmã dele.



— Sakura.

— Nem fala nada. - diz sem nem me olhar

— Não podemos ficar assim.

— Podemos e vamos. Talvez isso tenha sido um sinal para não prosseguirmos.

— Não comece com isso outra vez.

— Já percebeu que somos sempre interrompidos? Acho que estamos ignorando a realidade.

— Que realidade, Sakura? Estávamos fodendo há poucos minutos e você age como se não fosse nada. - digo com raiva

— Acha que eu não queria continuar? Minha boceta ainda está melada e meu irmão, seu melhor amigo, está sentado no meu sofá impedindo isso! O que sugere? Darmos uma rapidinha no banheiro?

— Se tivesse como. - sorrio ao vê-la revirar os olhos

— Estou tão envolvida na situação quanto você, só não vejo solução. - dá de ombros suspirando

— Mas tem solução é só...

— Já escolhi o filme, cadê essa pipoca? - o loiro diz alto



Com um sorriso triste ela se afasta junto da enorme tigela de pipoca.
Me sento na ponta do sofá frustrado pela interrupção recente e confuso.

Quero dizer a ela como me sinto, mas será que é o momento correto?
Estamos morando juntos há meses e tudo que eu menos queria era me mudar.
Nosso convívio é muito bom, gosto de estar com ela, do seu jeito, sorriso, perfume, gosto...

Nossa, eu ia enlouquecer desse jeito.
Precisava realmente falar, mas como?
Nunca fiz isso, sou completamente leigo no assunto.

Puxo um cobertor sobre meu corpo incomodado com o vento frio que vem através das janelas.



— Sakura-chan, senta no meio, quero esticar minhas costas.

— Como você é folgado, Naruto.

— Obrigado, maninha. - debocha se recostando no braço do sofá



Luzes apagadas, o filme rodando na tela e um cobertor para cada um.
Parecia muito com alguns anos atrás quando éramos crianças e eu dormia na casa dos Uzumaki.

Se eu soubesse naquela época como me sentiria agora talvez tivesse passado mais tempo com Sakura antes dela viajar para o exterior.

As possibilidades eram tantas que minha cabeça começava a doer.

De repente sinto algo em minha perna e olho para baixo apenas para ver a mão de Sakura subir até o cós da minha calça.
Deixo que ela adentre o tecido e abro involuntariamente as pernas quando ela massageia meu pau.

Reprimo meus gemidos ao sentí-la apertar a ponta e passar o dedo no líquido pré gozo na glande como uma carícia.
A sensação de estar fazendo algo proibido somada a interrupção do nosso sexo anteriormente só me deixaram ainda mais excitado, meu pau parecia que explodiria na mão dela.

Seus movimentos eram cadenciados, lentos, para cima e para baixo e eu mordia o lábio com força para reprimir meus gemidos.

Estava chegando no meu limite com aquela tortura silenciosa quando ela fez um formato de concha com a mão e estimulou só a cabeça do meu pau em movimentos circulares e rápidos.

Me encostei em seu ombro para disfarçar minha feição de prazer enquanto gozava melando sua mão.

Com a respiração descompassada observei embasbacado ela espalhar a evidência do meu orgasmo na minha barriga ainda desnuda.

Safada. Dois poderiam jogar esse jogo.



— Minha vez de brincar. - sussurro dando uma lambida em seu lóbulo



Faço um carinho na coxa dela com as pontas dos dedos percorrendo devagar o caminho até sua boceta.

Pressiono o clitóris ainda por cima do tecido do short e ouço-a suspirar.



— Shhhh, não quer que seu irmão te ouça, né? - pergunto enfiando a mão por dentro do seu short



Ela ainda estava molhadinha, precisei de pouco esforço para que meus dedos deslizassem em seu interior quente e apertado.

Pelo receio do barulho gosmento que aquela penetração faria, acabei retirando meus dedos e passei a estimulá-la apenas no clitóris.

Movi o médio devagar pelo contorno dele e depois uni ao indicador e circulei até senti-lo enrigecer.
Sabia que ela não ia demorar a se derramar e o que mais queria era sentir a pulsação de sua boceta quando ela gozasse em meus dedos.


— Queria tanto que você gozasse no meu pau... - sussurro e mantenho a boca próxima ao seu pescoço



Sinto os espasmos anunciando seu orgasmo e continuo a masturbando para prolongar o efeito.
Queria continuar essa brincadeira no meu quarto e de preferência sem esses cobertores e roupas, mas não podia e aquilo estava me deixando louco.

Sakura se afasta sem pesar, consigo ver a excitação e o medo em sua feição quando ela se levanta ainda enrolada no cobertor.



— Desculpem meninos, estou muito cansada, vou para cama, ok?

— Sakura-chan não está nem na metade do filme ainda.

— Eu sei Naruto, mas vou acabar dormindo no meio dele. - diz se afastando - Vejo vocês amanhã.



Aposto que ela foi tomar banho, queria estar indo pro banho com ela e quem sabe terminar o que começamos no quarto.

Agora eu entendo o que dizem sobre sexo com quem a gente ama ser mais gostoso, meu pau ainda estava duro só pela mera presença dela no cômodo ao lado, isso porque eu nem havia conversado com ela ainda sobre como me sentia.

Vai ser agora, tem que ser.



— Naruto, também estou cansado, acho que vou dormir, mas você pode ficar aí vendo filme sem problemas. - me levanto pronto para voltar ao meu quarto. Esperaria o Naruto dormir e com sorte Sakura estaria acordada e poderíamos conversar e esclarecer de vez as coisas

— Ah, eu não vou ficar aqui sozinho não, deixa o filme pra lá. - ele diz se pondo de pé ao meu lado

— O que está fazendo?

— Vou dormir contigo, sua cama não é de casal?

— Sim, mas...

— Coe, teme, já dormimos juntos outras vezes, não vou comer seu cu não. - ele ri e eu reviro os olhos - É que esse sofá é desconfortável pra dormir.

— Tudo bem. - suspiro pesado pensando em mais uma vez ter meus planos adiados



                                         ○




Eu ainda esperava que o Naruto dormisse para ir até o quarto da Sakura, precisava dizer a verdade a ela, mais que isso, precisava saber se ela me correspondia.

Ela provavelmente ainda estava acordada, só tinha que esperar até o loiro adormecer e eu poder sair dali de fininho.



— Sasuke, está acordado?

— Não. - caralho que inferno!

— Estou falando sério. - pude ouvir sua risada - Como se sentiu quando comecei a namorar a Hinata?

— Fiquei preocupado com alguém da minha família nas mãos de um sem noção como você.

— Sério?

Suspirei pesado antes de responder — Não. Fiquei feliz pela Hinata, ela sempre gostou de você e sei que você a faria feliz. Não é a toa que vão se casar.

— ...

— Por que a pergunta?

— Quero que saiba que eu não me importo que você e a Sakura-chan namorem.

— Do que está falando? - tento parecer despreocupado, mas sei que minha voz de nervosismo me condena

— Te conheço desde a barriga, mano. Sei que é por ela que está apaixonado, percebi isso quando vi os dois juntos hoje.

— Naruto eu queria te contar, mas...

— Não precisa se justificar, sei que a sua posição é delicada. Ela não é qualquer pessoa, é minha irmã. E se um dos problemas que disse outro dia para ficarem juntos for eu, saiba que aprovo a relação de vocês, nunca te vi apaixonado por alguém antes e entendo seus motivos pra isso, ela é realmente maravilhosa.

— Eu não sei se ela sente o mesmo por mim. - digo suspirando

— Sasuke, a Sakura-chan é a pessoa mais transparente do mundo, ela ficou vermelha só de estar perto de você, com certeza ela lhe corresponde.

— Acha mesmo isso?

— Eu não brincaria com os seus sentimentos, ou com os dela.

— Obrigado, Naruto.

— Uma última coisa: se magoá-la eu arranco seu braço.

— Mais fácil eu arrancar o seu. - respondo rindo



Aquele era o aval que eu precisava para seguir em frente, contaria tudo para Sakura na primeira oportunidade.



                                        ○



Acordo ainda meio zonzo, minhas bolas doíam como nunca. Vou até o banheiro e faço minha higiene matinal pensando em como ajudar meu melhor amigo a solucionar aquele problema com a namorada.

Ele não só permitiu como incentivou que eu fosse atrás da Sakura, era o mínimo que eu poderia fazer por ele.

Faço um café pensando na possibilidade de resolver tudo isso de modo amigável e não revelar a surpresa do casamento.

Antes eu aproveitaria que o Uzumaki ainda dormia na minha cama e iria resolver uma pendência que já estava me perturbando por tempo demais.

Adentro o quarto de Sakura com uma caneca de café em mãos para ela e outra para mim.
Deposito uma delas na mesa de cabeceira e me sento na cama balançando seu corpo de leve para que desperte.



— Bom dia. -  sorrio ao perceber que ela vestia um pijama diferente da noite anterior e estico a caneca para ela

— Bom dia. - observo ela beber o líquido quase que aliviada - Naruto já acordou?

— Não. Vim aqui justamente por isso, seria um bom momento para conversar.

— Se for sobre ontem, Sasuke, eu não devia ter... - a interrompo com um beijo e acaricio seu rosto com os polegares enquanto nossas línguas se esfregam na boca um do outro. Quando o fôlego acaba mordo seu lábio inferior e dou vários selinhos antes de me afastar.

— Não é sobre ontem. Tem a ver, mas não é sobre isso, queria conversar com você sobre o que vem acontecendo há algum tempo entre nós dois e, por favor, pare de dizer que não devia ter feito isso ou aquilo. Você é uma mulher adulta, fez o que tinha vontade e não tem nada de errado nisso. Eu também queria e gostei. - me aproximo de seu rosto roçando o lábio no dela - Inclusive eu queria continuar o que começamos.

— Você é um safado. - diz rindo

— Não posso discordar. - sorrio de lado - Mas agora preciso falar com Naruto sobre uma ideia que tive, com certeza minha prima irá perdoá-lo.

— O que é?

— Vamos acordá-lo e eu conto o que pensei. - digo me levantando e pegando minha caneca da mesinha

— Espera! - ela diz me seguindo e eu a olho confuso



Cruzando os braços atrás do meu pescoço Sakura me beija. Voluntariamente. Sem que eu tome qualquer atitude ou pelo calor do momento.

Retribuo abraçando sua cintura e apalpando seu traseiro enquanto tentava controlar o sorriso idiota que queria brotar em meu rosto.

Não queria cessar aquele beijo, poderia ficar por horas sentindo a maciez de seus lábios, trocando calor com o corpo dela, mas sabia que se não parassemos agora não íamos resolver nada e eu sequer havia dito o que eu e Naruto conversamos.



— Isso aconteceu mesmo?

— Uhum. - me dá um selinho e se afasta indo em direção ao meu quarto — Acorda cabeça de vento! - ela balança o irmão com violência

— Hmmmm, Sakura-chan, me deixa dormir!

— Não deixo! Ou não quer mais se casar com a Hinata?

— Ok, já acordei. - coça os olhos enquanto se senta

— Ótimo! O Sasuke teve uma ideia para salvar seu possível noivado.

— E qual é?

— Você disse que procurou a Tenten para falar sobre o casamento, não? - digo o encarando

— Sim.

— Então, é só você dizer que conversou com ela por causa do Neji.

— O que o Neji tem a ver com isso? - Sakura pergunta confusa

— Ela é a menina que ele está afim.

— Como sabe disso? - arregala os olhos - A Ino vai morrer se souber que você descobriu antes dela.

— Já vi os dois de papo no hospital. - dou de ombros

— Ela não vai acreditar nisso, Neji não é o tipo de cara que precisa que outro homem arrume uma garota pra ele. - o loiro diz

— Vai se a Sakura confirmar. - me viro para ela - É só dizer que ele quer descobrir mais coisas sobre ela e o Naruto a conhece melhor, simples assim.

— Eu tenho que ir junto falar com ela?

— É melhor você ir do que Kushina descobrir essa história e fazer o Naruto dizer a verdade.

— Tá. - diz revirando os olhos - Vou me arrumar.

— Teme, nem sei como te agradecer.

— Não precisa.

— Considerando que você está pegando a minha irmã, acho que não precisa mesmo.

— Tsc. - resmungo



Observo os dois saírem do apartamento e me despeço de meu melhor amigo com um aceno.

Se eu queria falar de uma vez com Sakura? Sim, o mais depressa possível. Mas ela tinha questões mais importantes para resolver agora e se aguentei até o momento podia esperar mais umas horinhas.

Aproveito para estudar enquanto ela está fora e felizmente o conteúdo entra na minha cabeça com facilidade, acho que estar apaixonado me deixava mais motivado.

Três horas depois ela volta com um sorriso alegre no rosto, pelo visto deu tudo certo com o plano.



— Então? - pergunto vendo-a se aproximar

— Foi uma loucura, minha mãe estava na casa dele o esperando e ele quase apanhou por deixar a Hina achando que ele a traiu.

— Por essa eu não esperava.

— Também fiquei surpresa, sobrou até pra mim. - suspirou pondo a mão no rosto e se debruçando no balcão

— Como?

— Ela reclamou que não apareço mais e que não te levei lá para uma visita já que agora moramos juntos.

— Eu adoraria ir visitá-la.

— Não sei, ela fará um monte de perguntas e... - me levanto sem deixar de fitá-la e ela me acompanha com o olhar

— E...? - me posiciono atrás dela correndo o indicador por suas costas

— Nem eu sei respondê-las.

— Eu acho que sabe sim. - puxo-a pelo pescoço colando suas costas em meu peito e corro os lábios por sua bochecha



Nos beijamos com força e eu baixo as mãos para a barra da blusa dela subindo até que seus seios ficassem a mostra.
Acaricio-os e contorno os polegares nos mamilos.

Meu pau já estava muito duro quando ela enfiou uma mão por dentro da minha calça e o agarrou.

A virei de frente para mim e baixei a boca para seu pescoço passando a língua por toda extensão até seus lábios.

Era agora, não podia transar com ela sem antes dizer que estava apaixonado, precisava ser sincero.

Queria que ela se entregasse a mim sabendo dos meus sentimentos e não apenas pelo tesão do momento.



— Sakura, preciso te dizer uma coisa. - sussurro praticamente gemendo enquanto ela continua me masturbando

— Agora?

— Sim. Eu... - sou interrompido pelo som dos nossos celulares tocando ao mesmo tempo - Só pode ser brincadeira. - digo indignado quando ela me solta e olha o visor do telefone

— Sasuke, é do hospital. - ela pisca freneticamente - Alô?


Me afasto frutrado e atendo o meu aparelho recebendo um chamado urgente do hospital.
Algum acidente sério ocorreu e todos os residentes foram solicitados para ajudar, nem penso ao correr para o quarto e me vestir.

Agora minha cabeça só focava em conseguir chegar até lá o mais rápido possível. 





Notas Finais


Sem querer matar a autora, hein?

Olha o ódio no coração! hehehe

Até a próxima! ( ͡° ͜ʖ ͡°)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...