1. Spirit Fanfics >
  2. Hospício >
  3. Prólogo

História Hospício - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Mano ontem eu estava de boas pensando na vida quando eu comecei a procurar estórias de terror de nnt e adivinha...eu achei somente uma (a que eu coloquei na sinopse que por acaso e ótima e eu aconselho a lerem se gostam desse estilo de fic)

Aí eu pensei por que não tentar escrever uma né e bem aqui está o primeiro cap dela e eu espero que gostem.

Boa leitura

Capítulo 1 - Prólogo


Luxemburgo - Larochett - 2009.

Hospital psiquiatrico - CHC.









--- como estão os garotos?--- o senhor Demon perguntou para o homem já idoso que abaixou a cabeça negando.

--- eles estão como sempre, sempre dizem que eles estão vindo.--- o homem disse e suspirou assim como o casal a sua frente.

--- eles estão loucos.--- o demon afirmou se levantando e sentiu sua mão ser segurada pela da esposa.--- querida..--- disse baixo para a mulher que tinha um sorriso triste no rosto.

--- eles não estão loucos,e apenas um distúrbio, provavelmente esquisofrenia.--- a moça disse olhando para o outro.--- eles vão ficar bem Carlos.--- a moça disse tentando tranquilizar o marido mas na verdade ela mesma queria acreditar naquelas palavras.

--- querida e se eles não ficarem? Aquilo começou tem cinco anos e até hoje eles não mostraram melhora.--- o homem disse nervoso e a mulher fechou os olhos suspirando.

Quando os gêmeos demons - Meliodas e zeldris - completaram cinco anos eles começaram a falar que estavam vendo coisas que chamavam por eles.

De começo apenas acharam que era coisa da cabeça dos pequenos mas infelizmente aquela fase não passou.

Como a família era dona de um centro de ajuda resolveram colocar os garotos lá,mas parecia que a cada segundo as coisas pioravam.

--- eu queria tanto poder cuidar deles.--- a moça disse e suspirou melancólica já que não tinha coragem de cuidar de seus próprios filhos mesmo sendo psicóloga.

--- a senhora pode ir velos se quiser.--- o homem de jaleco branco disse e a mulher sorriu se levantando.--- e se puder,de os remédios para os dois,eles não dormem sem.--- disse para a moça e entregou os comprimidos coloridos.

--- certo,acho que vou la,já faz alguns dias desde que os vi pela última vez.--- disse e começou a andar lentamente.--- você não quer vim querido?--- ela perguntou virando para o de cabelos negros que sorriu e concordou começando a andar até a mulher.

Pelos corredores brancos o casal andava e logo pararam em frente a porta branca de ferro e abriram a mesma tendo a visão dos gêmeos que tremiam enquanto se abraçavam

--- meninos.--- o homem chamou vendo apenas o loiro lhe encarar.

Os cabelos bagunçados e os olhos perdidos do garoto quebraram os corações do casal que deram um sorriso tentando descontrair o clima pesado que tinha no local.

--- vocês realmente não ficam na cama.--- a moça disse dando uma risada já que ambos estavam sentados no chão enquanto as camas continuavam arrumadas.

--- eles não deixam,se deitarmos lá eles vão nos pegar.--- o moreno disse com a voz chorosa e se afastou um pouco do mais velho.

--- ninguém vai pegar ninguém.--- o homem disse e pegou o garotinho no colo o colocando na cama assim como a mulher fez com o loiro que assim como o outro rapidamente saíram da cama.

--- meninos fiquem na cama.--- a mulher disse para os garotos que negaram e as lágrimas começaram a cair.

As luzes do lugar logo se apagaram e os gritos de agonia puderam ser ouvidos pelos corredores do lugar assim como os de pavor.

Os dois garotinhos se agarraram um no outro e fecharam os olhos com força.

--- fica aqui querida,eu vou ver oque ouve.--- o homem disse e saiu do lugar deixando a mulher sozinha junto dos garotinhos.

--- ei,ei vai ficar tudo bem, a energia logo vai voltar.--- a moça disse para os pequenos que negaram.

--- você tem que sair daqui.--- o loiro disse desesperado e o moreno concordou vendo a mulher negar.

--- não eu nunca iria deixar vocês aqui sozinhos.--- a moça disse e se virou logo caindo no chão ao sentir algo bater em sua cabeça.

--- desculpa mamãe mas e melhor assim.--- a moça pode ouvir a voz de um dos garotos.

Sua cabeça doía e sua visão era embaçada e a última coisa que ela pode ouvir foi os gritos agonizantes dos seus filhos e então apagou.








Continua?


Notas Finais


Er..sei lá

Espero que tenham gostado e desculpa os erros.

Fui


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...