História Hospício Fairy Tail - Capítulo 15


Escrita por: e jenibsu

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Nalu
Visualizações 191
Palavras 1.206
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Genteeeeee!!!!!! Desculpa pelo atraso do capítulo.
Demorou pra eu postar? Demorou
Tá bom? Não sei, vocês que digam kkkk

Enfim eu só demorei porque eu não estava arranjando muito tempo para escrever, porque as aulas começaram ( férias bem que poderiam voltar né?) e eu não conseguia tempo em meio a tantas atividades que os fessores passavam. Só que agora eu consegui né? Mais ou menos, mas consegui.

Depois dessa saga da Erza vocês vão goatar muito do que vão ver. Ou melhor no próximo cpítulo certo? KKKKK

uma dica: É ALGO QUE TODO MUNDO TÁ ANIMADO PARA ACONTECER

Não vai vir de imediato mas vai se desenvolver mais rápido agora com certeza!!

Enfim, sem mais enrolações porque essa nota tá ficando enorme.

ENJOY!!!

Capítulo 15 - Capítulo 14- O Soldado Destemido (AE) part2 final


A  sala onde faziam os experimentos era branca, escura e fria. Utensílios de metal repousados em uma bandeja e uma grande cadeira com um capacete de chumbo acima na qual, a ruiva se encontrava desacordada.

 

    - Hum? – esfregou as mãos nos olhos lentamente – Onde estou?

 

  Deu uma breve olhada na áreas e pareou seus olhos com o de um homem. Ele era alto, moreno, e possuía olhos verdes. A profundeza de suas pupilas, seus traços faciais... Tudo isso lhe passava um frio na espinha.

 

    - Erza Scarlet, certo? – Perguntou o homem.

 

    - Sim...

 

    - Prazer, Joseph. – Estendeu sua mão que logo foi recusada pelo olhar cortante da mesma. – Tímida? Bem, não importa. Você não vai mais lembrar de mim mesmo.

 

    - Co-como as-

 

  Sem nenhum aviso, uma grande descarga elétrica desceu até a ruiva percorrendo todo o seu corpo e cérebro. O seu grito estridente ecoou por toda a sala, e juntamente com ela, o restante das crianças.

  Foi quando a descarga parou com a ruiva sem alguma reação. O homem se aproximou lentamente de seu corpo e injetou o líquido de controle absoluto, ou seja, o que tornaria ela o soldado perfeito.

 

    - Tudo bem ruivinha? – Perguntou ele deixando um sorriso indescritível escapar pelos seus lábios.

 

  Os olhos de Erza ficaram escuros, como grandes poças de sangue. Escuros e assustadores.

 

    - Que tal fazermos um teste? Faça um “X” em seu ombro. – Disse entregando uma faca nas mãos da mesma.

 

  A ruiva, com suas mãos tremendo lutando contra si mesma, levantou sua mão e fez o primeiro corte.

 

  “O que eu estou fazendo?” Perguntava-se ela em meio a uma mistura de dor e desespero.

 

  Novamente levantou sua mão e fez um corte ainda mais profundo.

 

  “Porque não consigo parar?”

 

  O sangue escorreu por todo o seu braço deslizando sobre suas mãos . Foi então que percebeu que ela já havia perdido o controle de si mesma. Ela não era mais ela. Era só... Um fantoche.

 

    - Bem- vinda Erza Scarlet.

 

 

 

                       .

                        ....

               ........

 

No dia seguinte.....

 

  As luzes atravessavam as poucas janelas que haviam naquele pequeno quarto de cimento. Passaram-se cerca de dois dias desde que Erza havia sido “transformada” e então sido enviada para o quarto militar.

 

  Jellal e uma menina chamada Kagura dividiam o quarto com ela, porém nada falavam um com o outro. Pareciam sem vida...

  A ruiva notava tudo aquilo mas também não tinha coragem de falar nada.

  Neste horário, seria a hora de treinamento dos soldados, então a ruiva seguiu rapidamente o caminho até o pátio.

 

    - Ei você! – Gritou uma garota ao longe. – Eu falei com você nya!!

 

    - O que deseja? – Perguntou a ruiva.

 

    - Falar com você nya!! Você não lembra de mim Er-chan? – Falou a garota semelhante a uma gata.

 

  Apesar de não poder ter nenhum sentimento, naquele momento, ela conseguiu ter. Lembrou-se de sua amada prima Milliana que sempre brincava com ela nos tempos livres.

 

    - Milliana? – Falou deixando um fino sorriso escapar sobre seus lábios animando a morena de imediato. – O que faz aqui?

 

    - Bem eu sou um soldado daqui...

 

    - Que incrível!!! Você vai treinar agora?

 

    - Sim, eu irei treinar com os novatos.

 

    - Ah eu também sou um no-

 

 

 

 “DING DONG”

                         “BING BONG”

 

 

 

  “SOLDADOS!! SE DIRIJAM ATÉ O PÁTIO POR FAVOR.”

 

   Os olhos da ruiva lentamente começaram a ficar escuros de pouco a pouco, e suas pupilas diminuindo de tamanho, fazendo com que ela voltasse para seus estado inerte de tempos atrás.

  Ela seguiu seu caminho até que finalmente chegou ao pátio, onde os diversos soldados já se encontravam. Se alinhou-se ao lado de seus companheiros e ali ficou.

 

    - Soldados!! Hoje eu quero que vocês me demonstrem a força de vocês. – Gritou o comandante Faraday. – Quero que vocês, nova geração, lutem com seus veteranos.

 

    - Para isso foram decididas as pessoas que iriam lutar entre si. – Um loiro levantou o papel lentamente e mostrou para os soldados a frente.

 

BATALHAS:

JELLAL VS JACKAL

KAGURA VS JAKE

FINN VS ANNE

RONALD VS RILEY

ERZA VS MILLIANA

ETC.

 

 

  As diversas lutas haviam sido bem. A última havia chegado que seria Erza contra sua prima Milliana.

  Os olhos de Faraday cruzaram diretamente como os de Erza que continuavam sem emoção, enquanto o mesmo sorriu ao pensar um modo de deixar as coisas mais interessantes.

 

  Milliana sabia usar chutes muito bem, enquanto Erza manuseava sua adaga com uma maestria incrível. Foi quando Erza desequilibrou Milliana e ela caiu no chão, que a adaga encostou lentamente no pescoço da gata.

 

    - Que incrível Er-chan!! Você sabe lutar muito bem- nya!! – Falou a morena olhando diretamente para a ruiva sorrindo.

 

    - ...

 

    - Er-chan?

 

    - Mate-a Scarlet. Mate-a e me prove que você é um soldado de verdade. – Falou Faraday encarando as duas. – Se não matá-la, então... Não poderá mais ficar aqui e nem viver.

 

    - Er-chan? Você não vai me matar mesmo né? – Falou sua prima a olhando com os olhos já cheios de lágrimas.

 

  “Milliana... Não... Eu não quero matar ela.... Por favor.... NÃO!”

 

  “Você não tem como evitar Erza... Você vai matá- la de qualquer modo.”

 

  “Não.... NÃO!!! POR FAVOR KNIGHTWALKER NÃO !!”

 

  “Desculpe...”

 

  A adaga atravessou rapidamento o pescoço da morena respingando sangue no rosto da ruiva. O sangue descia pela adaga e pelas suas mão que já não estavam quentes e sem reação , estavam geladas e tremendo. Ela havia recuperado os poucos sentidos que a haviam retirado , porém tarde demais.

 

    - Mi...Milliana... – Falou ela com um rosto sombrio

 

    - Droga ela recuperou os sentidos.... – O homem que estava cuidando da segurança de Faraday tentou a pegar mas sua mão fora cortada rapidamente pela mesma.

 

  Foi assim que começou a matança.

  Todos estavam mortos, menos um azulado que por algum motivo não estava mais presente no pátio. Alguns gritos eram ouvidos de dentro dos dormitórios. Era um militar que estava espancando o mesmo e enfiou uma pequena adaga em seu peito.

 

    - Karma seu trouxa! – Falou a ruiva repetindo a ação do soldado fazendo que o mesmo caisse no chão sem reação.

 

  Ajudou o azulado a se levantar no chão e apoiou seu braço em seu ombro.

 

    - Me deixe aqui Erza. Eu vou ser só um peso morto vá em frente.

 

    - O que você tá falando? CLARO QUE NÃO!

 

    - Pare de negar!! Isso está parecendo aquelas cenas de filme clichê. - Soltou um suspiro - Só vá logo!! Eu prometo que eu vou ficar bem.

 

    - Eu não posso...

 

    - Vai logo Erza!! Eles vão te pegar novamente se você não for. Então vai! – Falou ele empurrando ela para frente – Eu vou ficar bem. - Tocou na bochecha dela delicadamente e depois retirou sua mão fazendo um sinal de "vai logo".

 

  Hesitante a ruiva seguiu o caminho a fora sem olhar para trás. Apesar de não querer deixar o azulado lá, ele não iria deixar que ela ficasse com ele de modo algum.

 

“Jellal... Você prometeu. Fique bem.”

 

  Passou-se um tempo e procurou um lugar onde nunca a encontrasse. Um lugar que se chamava, Hospício Fairy Tail. Onde guardaria seu desespero e onde seria auxiliada.

  Pelo menos ao seu ver, ninguém iria suspeitar de uma militar em um hospício....

 

  Ao menos era isso que ela pensava.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...