História Hot Girl. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Blackpink
Personagens Jennie, Jisoo, Lisa, Personagens Originais, Rosé
Tags Blackpink, Camgirl, Drama, Jenlisa, Romance
Visualizações 160
Palavras 2.048
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Balada, sexo e drogas.


Jennie está deitada na minha cama, tão linda  como sempre, a luz do sol que bate em sua pela a fazendo brilhar como se fosse um anjo reluzente. Seu corpo é lindo, suas curvas perfeitas. Apenas de lingerie, com os cabelos soltos, lendo um livro com os fones de ouvido.

Caminho até ela deitando-me ao seu lado, dando-lhe um beijinho em sua bochecha. A mais velha sempre fica sem graça quando eu faço isso, então procuro sempre fazer por adorar o seu jeitinho meigo de ficar envergonhada. Passo a mão em seus cabelos e a puxo para um beijo, logo a mais velha tira os fones de ouvido e joga o livro para o lado, começa a tirar as minhas roupas, deixando apenas a calcinha já que eu não estava de sutiã. Beija meu pescoço, barriga, e para perto da minha intimidade, sinto sua respiração acelerada. Ah, Jennie, se você soubesse o quão me deixa louca. Ela começa a beijar minhas coxas, enquanto arranca minha calcinha para longe do meu corpo, em seguida beija minha intimidade. Ela me olha e diz “você gosta?”, apenas balanço a cabeça e então ela volta a me torturar, beijando e fazendo movimentos circulares com a língua em meu clitóris.

― Ah, Jennie.

Cada toque da boca da mais velha em minha intimidade me fazia arfar de desejo, eu estava delirando. Queria muito mais, só Jennie podia dar isso e mais ninguém, apenas Jennie. Ela estava me torturando, colocando seus dedos, e os enfiando fundo enquanto me lambia com fervor.

São apenas 6h da manhã quando acordo, eu poderia voltar a dormir e tentar continuar com o sonho maravilhoso que estava tendo, mas não consigo, levanto-me da cama e vou direto ao banheiro.

Olho-me no espelho, até quando eu acordo eu sou linda, até mesmo com o cabelo bagunçado e cara de sono, olhos inchados, eu sou maravilhosa. E é incrível como minha autoestima melhorou depois de virar camgirl. Penteio os cabelos com o pente, abro o armarinho, pego a escova de dente e pasta, escovo fazendo movimentos circulares, a imagem de Jennie fazendo um oral em mim vem em minha mente. Sinto um gosto de sangue horrível na boca.

MAS QUE DROGA! ― Grito. Cortei a porra da minha gengiva.

Tenho que parar de ficar pensando nessas coisas, tiro minha roupa e pego o notebook, logo em seguida pego o banquinho e posiciono em um lugar onde pegue bem a minha imagem dentro da banheira. Depois de arrumar, entro na mesma colocando-a para encher com água quente espuma. Logo de manha fazendo um chat privado para um seguidor, eu vou ganhar bem por isso.

Espero ansiosamente a banheira encher, me sentando sobre a água quentinha. Então ligo o computador.

5... 4... 3... 2... 1.

“Ligação de @ronald569_- atender

Atendo a chamada.

― Oi gracinha.

― Oi. ― Digo, começo a exibir minhas pernas cheias de espuma.

O homem no webcam não mostra o rosto, apenas sua barriga e seu membro duro, no qual o mesmo está segurando.

― Vai me fazer gozar hoje docinho? ― Diz o homem do outro lado da tela, seu corpo era maravilhosamente esculturado, cheio de curvas, digamos que em boa forma. Eu estava mais acostumada em receber chamadas de vídeos de homens velhos, casados e feios, mas esse era diferente.

― Vamos gozar juntos, gosta da ideia?

Ele começa a fazer movimentos de vai e vem enquanto eu abro delicadamente minhas pernas, coloco minha mão pra agir começando com um ritmo lento assim como o homem por trás do webcam.

― Gostaria de ouvir você gemendo meu nome. ― Diz o homem, ele começa a aumentar o ritmo em que se masturba olhando para os meus seios, faço o mesmo, aumentando o ritmo junto com ele.

― E qual seria seu nome? ― Começo a gemer, coloco um dedo dentro de mim e com a outra mão começo a massagear meu mamilo o deixando durinho, eu estou muito excitada.

― Ronald!

Aumento cada vez mais o ritmo, enfiando agora dois dedos em minha intimidade, começo a gemer seu nome, e, então depois de uns cinco minutos ele goza.

― Você é muito gostosa sabia? Eu queria foder essa sua bucetinha nesse exato momento. Mas tenho que ir, falou gracinha ―, ele desliga a chamada. Desliga na minha cara!

O lado bom de ser uma camgirl garotas, é que você ganha uma boa grana. O lado horrível dessa história é que a maioria dos homens não liga se você gozou ou não, mas cá entre nós, isso não é nenhuma novidade, né meninas? E por incrível que pareça eu simplesmente acabei me acostumando com isso, eles nunca vão ter respeito por nós, nem mesmo daqui a mil anos, então temos que superar, e para os meninos/homens que não são assim, eu sinto muito, mas a grande maioria de vocês homens são.

Depois do desastre com Jean, não consegui mais responder nenhuma de suas mensagens. Posso estar sendo bem babaca, mas não ligo. Estou envergonhada demais para lhe responder qualquer coisa e, não queria lhe dar mais esperanças de ter algo comigo, até por que isso nunca iria acontecer. Também não iria bloquear o coitado, isso seria muito ridículo de minha parte, seria muita criancice fazer tal crueldade com o garoto, por que o conheço desde pequeno. Jennie, eu e as meninas havíamos combinado de jantar fora hoje, mas eu recusei de ultima hora, hoje eu iria tirar uma folga de tudo, das amigas, e principalmente, do site em que eu sou muito "querida", ia ter uma noite só para mim. Seco meus cabelos, passo chapinha, faço uma maquiagem bem produzida e visto uma roupa bem sexy, pareço uma vadia, argh. Hoje eu iria me divertir sozinha em uma balada e talvez ficar com uns caras e garotas, beber muito e esquecer todos os meus problemas. É claro que só os esqueceria durante uma noite, mas o que há de errado nisso?

Chamo um táxi, ainda são 22h da noite, quero começar a farra bem cedo, passo na casa de um amigo antigo, sempre que quero esquecer meus problemas eu venho a casa dele, ele é o melhor fornecedor de quaisquer substâncias que eu já conheci. Compro algumas coisinhas e volto ao táxi que me leva direto para a boate onde eu iria fazer o que eu bem queria a noite inteira.

Vou direto ao banheiro, pego meu celular e preparo uma carreirinha. Hoje eu vou ficar loucona. Saio do banheiro e vou direto para o lugar onde tem a maior concentração de pessoas, a pista de dança, mas antes pego um drink e um doce em minha bolsa, bebo junto com o drink rosa em minha frente. Começo a sentir meu coração acelerar, minha mente está em outro mundo, encontro uma garota dançando na pista, faço amizade e começamos a dançar loucamente.

― Quer um doce? ― Pergunto gritando em seu ouvido, é o único meio de se comunicar.

― Quero!

― Vamos ao banheiro. ― Pisco, e começo a caminhar em direção ao banheiro segurando a mão da garota. Ao chegar no banheiro lhe pergunto: ― Qual seu nome?

― Verônica.

― Você cheira? ― Ela balança a cabeça dizendo que sim. ― Quer?

― Hm, pode ser, quero ficar muito louca hoje.

Finalmente achei alguém parecido comigo. Entramos em uma das portas, pego o doce e o pó na bolça, preparo duas carreirinhas, depois de usar ficamos nos encarando ela coloca o doce na boca, faço o mesmo, logo estávamos nos agarrando, beijando ferozmente.

― Você é muito linda, cara! ― Ela diz, depois volta a me beijar e puxar meu cabelo.

Viro-a de costas para mim, abaixo sua calça enquanto deposito beijinhos em seu pescoço. Crianças, se vocês estiverem lendo isso, por favor, se retirem! Com uma das mãos eu começo a massagear seu mamilo por baixo da blusa e com a outra, começo a colocar meus dedos dentro da intimidade da garota, ela começa a gemer, aumento a velocidade sentindo ela se contrair de tanto desejo. Depois de poucos minutos a garota goza, então a viro para mim e começo a tirar sua camisa, a mesma estava sem sutiã então foi bem fácil, apenas direciono meus lábios até seu mamilo e começo a mordisca-los e chupo com vontade. Os peitos da garota eram perfeitos.

― Agora é a sua vez! ― Diz ela.

Ela me empurra contra a parede, levanta meu vestido e abaixa minha calcinha de renda preta, então a mesma se ajoelha e sinto sua respiração ofegante em minha intimidade, ela coloca minha perna em um de seus ombros, o que me deixa meio desiquilibrada. Então ela começa a tortura. Enquanto a mesmo o fazia, eu me pegava pensando em Jennie, queria que fosse ela no lugar da Verônica, me beijando, me chupando, me amando. Podia ser Jennie, mas nem tudo nada vida é do jeito que queremos.

Quando percebo eu estou tendo um puta orgasmo, arfo. Puta merda, por que eu tinha que pensar nela, por que raios eu estou sentindo tudo isso? Simplesmente dou um beijo na garota depois da mesma se levantar lambendo os próprios lábios satisfeita com o resultado, ela veste sua roupa, arruma seus cabelos e logo se retira me deixando sozinha no banheiro, preparo mais uma carreira, já que é pra ficar louca, que seja para ter uma overdose.

Mas que puta dor de cabeça, não sei o que fiz na noite passada, acordo deitada no chão da cozinha de minha casa. Que porra aconteceu ontem? Minha cabeça está girando por conta da ressaca, me sinto enjoada e tonta, eu devo ter feito muita bosta. Pego meu celular. Minhas amigas me ligaram várias vezes, principalmente Jennie. Começo a ler as mensagens.

Jisoo: Cara, que história é essa de que você ligou chapada pra Jennie?

Tu disse que ama ela... Cara eu estou rindo muito. A Jennie não para de mandar mensagens.

O que tu usou menina?

Me responde agora sua idiota!

FODEU!

Mas que puta bosta eu fiz, procuro em todas as mensagens uma pista das besteiras que fiz na noite passada, entro no grupo das “panterinhas" onde havia o maior numero de mensagens, nem preciso ler muito para descobrir a bosta que eu havia feito.

Jennie: Panterinhas?

Rosé: que houve Jen?

Jennie: Aconteceu uma coisa muito esquisita.

Jisoo: Fala desgraça!

Rosé: hm...?

Jennie: Lisa me ligou e disse que me ama, ela estava completamente chapada. Alguém sabe o que aconteceu? Ela ligou para vocês tambem?

Olho as mensagens, eu estou completamente fodida. Tenho que começar a pensar mais nas coisas que eu faço, eu estou só me fodendo. Como é que vou encarar minhas amigas depois de uma dessas? Como vou sair de casa, eu só faço cagada. Simplesmente minha vida acabou nunca mais vou sair de casa, nunca mais vou usar drogas, nunca mais falarei com minhas amigas. Agora é só eu, o webcam, meus seguidores e pura solidão. Jogada no chão da cozinha começo a chorar, por que eu fiz isso? Será que elas vão continuar gostando de mim do mesmo jeito? Será que Jennie vai me ver como a mesma Lisa de sempre? Será que elas ainda seriam minhas grandes amigas? Isso eu só iria saber se eu tomasse vergonha na cara e falasse com elas, mas eu de jeito nenhum o faria. Meu ego é maior do que o mundo babys, maior até que o universo inteiro.

Ouço a campainha tocar, continuo imóvel, chorando, soluçando. Ouço a porta se abrir, ouço passos, ouço vozes. Vozes das minhas amigas sinto-me tão envergonhada, encolho-me no chão escondendo meu rosto. Sinto uma mão no meu cabelo, e simplesmente caio no sono mais uma vez.

Quando acordo novamente, Jennie e as outras estão dormindo junto a mim, Jennie estava ao meu lado me abraçando, Jisoo e Rosé estavam na outra parte da cama abraçadas também. Jennie abre os olhos.

― Como você esta? ― Pergunta com a voz sonolenta. Ela é linda com carinha de sono, quando foi que eu me apaixonei por ela, não consigo me lembrar, olho para ela com cara de choro.

― Horrível...

Apoio minha cabeça em seu peito, a mais velha começa a massagear meus cabelos até que eu durma novamente. Jennie, eu te amo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...