1. Spirit Fanfics >
  2. Hot Hell >
  3. Nossas Férias.

História Hot Hell - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


Hahahaha, olha eu aqui.
Só passei por que tava com saudades, e por causa da quarentena, to atoa. Esse capítulo é so pq tava afim de escrever alguma coisa e pq não da um presente pra vcs né. Enfim,
Espero que gostem.

Capítulo 31 - Nossas Férias.


Fanfic / Fanfiction Hot Hell - Capítulo 31 - Nossas Férias.

Mia Bieber.

Fazia um calor absurdo hoje, por conta do calor eu resolvi me sentar em umas das cadeiras na praia, Justin e eu estavamos de férias.
Fazíamos hoje 16 anos juntos, e tantas coisas acontecerem ao longo desse tempo, olhar pra trás e pensar em tudo que passamos juntos, tantas desavenças, brigas bobas, mas felizmente passamos por cima disso tudo, e hoje, depois de 16 anos, parece que eu amo ele mais a cada dia que passa.

Olhei pra frente e tive o deslumbre de ver meu lindo e gostoso marido saindo da água, parecia que ele não envelhecia nunca, o homem delicioso.

Perdi os lábios, ele vinha na minha direção mexendo no cabelo, parecia um ator de filme, tava todo molhado, e eu só pensava em uma coisa: Lamber ele todo.

- A água tá muito boa, vai entrar ? - Justin parou na minha frente. Soltei um suspiro só olhando pra sua barriga definida. - Mia ?

- Uhum, vou entrar depois. - passei a língua entre os lábios, admirando a paisagem.

Justin me olhou e logo riu, ele sabia que eu tava secando ele.

- Quer passar a mão, querida ? - dei um sorrisinho de lado, negando. Ele era tão sinico.

- Não, querido. - virei a cara e dei uma olhada ao redor, não tinha nada, até por que...

Justin resolveu alugar uma ilha só pra nós dois, segundo ele, me queria andando nua por ai. Ele continuava um safado e a convivência me fez igual.

- Acho que a gente deveria está transando... - ele soltou uma das suas frases maravilhosa. Acabei rindo, por que sim, eu achava engraçado.

- Você só pensa em sexo, já percebeu ?

Olhei pra ele que deu um sorriso safado, me deixava molhada.

- Quer falar de vício? Até porquê ontem mesmo você me acordou pra transar. - olhei indignidade pra ele, eu jamais faria isso, foi ele que me acordou pra isso.

- Como você é falso, foi você que me acordou. - Me levantei da cadeira indo na sua direção. - Seu sonso.

Dei -lhe um tapo no ombro, o fazendo rir. Justin me puxou com força fazendo meu corpo bater com força contra ele, senti as pernas bambas. Podia passar anos, mas eu sentia as mesmas emoções quando ele chegava perto, o amor que eu sentia por ele, era tão grande. Não conseguia imaginar minha vida sem ele nunca, acordava todo dia ao seu lado, e quando ele não estava eu logo levantava, amava brigar com ele por causa do controle da TV ou por que ele aumentou o ar e ficava gelado demais ou quando ele deixava a toalha jogada no chão do banheiro, era coisas simples que as vezes me fazia querer bater nele com força, ou da muitos beijos. Era amor e ódio nítido aqui, mas o amor sempre ganhava.

- Gostosa, tá gostosa demais hoje. - ele deu um tapa na minha bunda, me fazendo rir. Justin enfiou a cara no meu pescoço mordendo com força, me fez soltar um gritinho.

- Idiota, vou ficar toda marcada. - resmunguei, tentando me soltar dele. Suas mãos me apertavam mais e mais, a aproximação estava fazendo ele ficar super animado. - já ta duro fofo, e eu nem fiz nada ainda..

Ele riu, mordendo meu queixo.

- Deixa de enrolação, vamo transar logo. - revirei os olhos, tão impaciente.

- Não, não quero. - Sai de perto dele rápido, se ele me pegasse não teria como fugir. Justin riu, vindo na minha direção, tão rápido que eu só pensei em correr pra água. - NÃO JUSTIN, SAI.

- VOU TE PEGAR. - corri pra água muito rápido, mergulhei indo pro fundo, mas Justin me pegou pelo pé. Ele me puxou me tirando da água. - Peguei.

- Não, me solta. - ele começou a me apertar, me puxando cada vez mais. - amor, não.

Eu não conseguia parar de rir, pareciamos duas crianças brincando, era bom as vezes ter só um tempo pra gente, sentia falta de ser nós dois. Não que eu não amasse meus filhos, mas as vezes eu queria um pouco de espaço, e estar aqui com ele, só nós, era tão bom.

Justin me virou e eu o abracei, apertando seu corpo contra o meu, beijei seus lábios e sorri.

- Chatinho. - dei beijinhos por todo seu rosto. Ele riu. Justin enfiou a língua na minha boca, eu gargalhei. - NOJENTO.

- Gostosa. - ele me apertou com força, eu o correspondia apertando ele mais. - Te amo.

Ele falou baixinho só pra mim escutar. Olhei pra ele e sorri, amava tanto esse homem.

- Te amo, muito. Mas não vou transar com você. - seu sorriso morreu e ele fechou a cara, o que me fez cair na gargalhada, ele só pensava em sexo.

- Chatona. - ele resmungou. - vamo sair da água logo.

Ele saiu me puxando e eu fui obrigada a sair junto. Tão impaciente esse homem, era sempre assim, quando não fazia o que ele queria ele surtava, as vezes parecia uma criança de 6 anos. Mas eu amava tanto, por isso fazia tudo por ele, e fazia feliz sem me importar, eu amava agradar ele e fazer tudo o que ele quisesse. Podem falar que sou uma mulher machista, mas eu não via problema em cuidar e mimar dele, Justin fazia tudo por mim, ele me dava tudo sem eu se quer pedir alguma coisa, sempre me dava presentes e me levava pra jantar toda semana, ele me mimava tanto que as vezes me sentia sufocada, mas eu nunca reclama, por que sabia que esse era sei jeito de demonstrar amor, e eu amava tudo isso demais.

...
Justin Bieber.

Mia tava sentada no sofá da sala, as cortinas estavam abertas e a maresia do mar entrava, o por do sol tava lindo, e daqui com minha mulher ficava ainda mais bonito. Mia tava deitada no meu peito, como sempre fazendo linhas imaginárias, as coisas nunca mudam, mas parece que com ela cada dia é novo.

Eu larguei tudo, sem pensar duas vezes, por ela e nossos filhos e não me arrependi, fazia tanto tempo que as vezes eu me sentia mais velho que o normal. Era engraçado, eu achava que nunca ia encontrar o amor, mas foi só eu bater meus olhos nela pra saber que ela ia ser tudo na minha vida, passamos por tanta coisa juntos e eu só pensava em como vai ser amanhã, será que ela vai me amar mais ? Por que era assim que eu pensava, eu a amava tanto que não conseguia pensar na hipótese de um dia ela me deixar.

As vezes, a gente faz besteiras na vida, e escolhas erradas na maioria das vezes, mas eu, eu escolhi certo, escolhi amar ela todo dia e faço isso a 16 anos.

- To com saudades das crianças. - sua voz saiu baixa, o que me fez rir. Era sempre assim, ela não conseguia ficar longe.

- Tenho certeza que eles estão bem. O Jack deve ter dado uma festa agora, e Julie e Jessy devem ta junto. - Mia levantou a cabeça na hora.

- A Julie eu creio que sim, mas agora o Jack ? Eu acho que não. - e como sempre ela passando a mão na cabeça do Jack.

- Você e essa sua mania de achar que ele é um santo. - eu ri, o que fez ela cruzar os braços, seus peitos pularam pra cima. Essas roupa dela me fez querer agarra ela e rasgar.

- Eu sei muito bem que ele não é santo, mas não acho que ele daria uma festa, isso tem cara de Julie, sua cópia. - ela virou a cara fazendo bico. - aquela garota só faz merda.

Eu ri, era verdade, Julie só sabia fazer merda, ela sempre aprontava uma, eu já tava cansada de resolver as merda dela sem Mia saber, até por que se Mia soubesse da metade ela tava era lascada, Julie tinha mais medo da Mia do que de mim.

- Ela é adolescente, adolescente faz merda. - eu a puxei pra cima de mim, beijando sua cabeça e apertando sua bunda. - ela ta na idade de fazer besteiras.

Não que eu passasse a mão na cabeça dela, mas eu entendia, claro que eu brigava, colocava de castigo, proibia de sair, cortava mesada, mas mesmo assim Julie não tinha medo de mim, as vezes era frustante.

- Como sempre você passando pano pras merda dela. - eu ri. Achava engraçado o jeito como ela falava. - Quero ve o dia que ela começar a namorar..

- Ela sabe que se começar a namorar vai pro colégio interno onde só tem mulher. - Mia riu e se afastou um pouco.

- Quero vê se ela vira lésbica, querido. - levantei uma sobrancelha.

- Fazer o que né, jamais diria pra minha filha que ela não pode namorar uma menina, afinal, mulher é bom demais. - dei um tapa na sua bunda.

- Ain, idiota. - puxei ela com força fazendo ele deitar no chão, subi por cima começando a beijar sua boca.

Mia passou as mãos pela meu pescoço e as pernas na minha cintura. Enfiei minha língua na sua boca, explorando cada canto, ela tinha um gosto tão doce, era viciado nessa mulher, em cada parte do seu corpo.
Eu fazia tudo por ela, se ela quisessem o mundo todo, eu dava feliz, só pra ver um sorriso nos seus lábios, Mia era minha vida.
...

Mia Bieber.

Justin beijava cada parte do meu pescoço, ele puxou minha calcinha me deixando só com a blusa, e então foi descendo, beijando minha barriga, foi descendo e beijando cada pedacinho da minha pele, chegando a parte interna da minha coxa, e toda vez que estava próximo a minha buceta ele parava.

Mordi os lábios sentindo seus dedos em torno dos meus lábios vaginais, ele sorriu chegando cada vez mais perto. Ele apertou minha coxa com força e passou a língua no meu clitóris pra cima e pra baixo.
Senti meu corpo todo fraquejar, abri a boca deixando meus gemidos saírem bem alto, afinal só tinha eu e ele aqui.
Eu estava desnorteado, queria tanto aquilo que doía cada parte.

A língua dele contornava minha vagina, passando a língua por cima do meu pontinho de prazer, senti ele chupar e morder logo em seguida, enfiando mais e mais a cara no meio das minhas pernas, Justin riu e então ele me olhava enquanto eu gemia e tentava ao máximo deixar os olhos abertos.

- Mais... rapi..do - não conseguia deixar de gemer. - AH, JUSTIN...

Senti minha vagina contrair com forme ele ia aumentando os movimentos com a língua, meu corpo todo tremeu, me fazendo jogar a cabeça para trás, me sentindo fraca, eu amava a forma como ele me chupava, era intenso demais.

Senti seus beijos em minha barriga subindo, Justin me fez tirar a blusa, jogando ela longe, soltei um suspiro, sentindo sua língua nos meus peitos, lambendo e sugando como se estivesse mamando, fazia eu gemer mais alto. Justin se afastou um pouco, ele me admirou, beijando meu rosto, meus lábios e voltou ao meus peitos.

Ele caiu de boca em um dos meus seios os sugando com força, me fazendo arquear as costas, mordi os lábios com força gemendo mais e mais. Ele rodeava com a língua o bico do meu peito e chupava e lambia, então foi para o outro seio, fazendo o mesmo, com força.

Revirei os olhos, porra. Era tão bom.

Minha buceta implorava por atenção, e ele logo o fez, levando os dedos até lá, e enfiando dois dedos, soltei um gritinho.

- Tão molhada bebê, deliciosa. - amava as putaria dele, gostava mais ainda quando ele falava com essa voz, rouca, me deixava com mais tesão. – Eu poderia ficar aqui o dia todo só brincando com sua bocetinha...

Mordi os lábios, queria ele dentro de mim, agora.

- Me fode agora. - Justin riu, tirando o short, ele ficou pelado, seu pau era tão lindo, parecia uma obra de arte, e eu amava sentar nele.

Fechei os olhos sentindo ele se encaixar entre minhas pernas, mordi o lábios sentindo seu pau passar entre minha buceta, fechei os olhos quando senti ele dentro se mim indo fundo, seu pau era tão gostoso, dura e grande, e eu amava ter ele entre minhas pernas.
Ele foi mais fundo me fazendo apertar as pernas contra sua cintura. Mordi o ombro dele tentando controlar a vontade de gritar, era cada vez mais fundo e forte.

Revirei os olhos, aquela sensação era muito boa, eu amava sentir ele, nós.

Ele ia cada vez mais rápido e fundo, era tão bom. Ele pôs os braços de cada lado da minha cabeça começando a ir mais rápido, abri mais as pernas o deixando ir mais fundo, eu precisva dele a cada segundo. Joguei a cabeça pra trás, gemendo mais alto.

- Não par..a ma.is... - queria gritar pra ele não parar, mas eu só sabia gemer.

Cada vez mais rápido, meus peitos pulavam com a rapidez da suas estocadas, eram tão boa, não queria que ele parasse.

Gritei sentindo meu ventre formigar.

Ele gemeu, seus gemidos eram tão gostosos de ouvir, fechei as pernas ao seu redor, revirando os olhos e jogando a cabeça pra trás, Justin me apertou contra seu corpo mais forte. Eu gemi, gritando seu nome bem alto. Era agora, fechei os olhos sentindo meu corpo tremer, eu senti seu corpo junto ao meu e gozei com força, sentindo meu corpo mole e fraco. Minhas pernas estavam bambas, meu peito subia e descia rápido. Soltei um suspiro pesado, eu estava tão bem agora.

Era tão bom sentir essa sensação, e eu amava isso.


- Quero água. - falei manhosa, sentindo a boca seca. Justin só revirou os olhos. - Ta na sua vez...

- Sempre ta na minha vez, é foda. - ele bufou puto, saindo pra pegar água, eu comecei a rir.

- Te amo vida. - gritei alto pra ele escutar na cozinha. Justin voltou com uma garrafa d'água.

- Se me amasse me dava o cu. - Comecei a rir. Ele era tão ridículo.

- Cala a boca idiota.








 


Notas Finais


Então é isso. Amo que amo. ♡ ESPERO QUE TENHAM GOSTADO. SÓ PRA MATAR A SAUDADE.
DESCULPA OS ERROS. Bjks.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...