História Hot Winter - Capítulo 1


Escrita por: e Yu_Cookie

Postado
Categorias (G)I-DLE
Personagens Shuhua, Yuqi
Tags (g)i-dle, Shuhua, Yuqi, Yuri
Visualizações 112
Palavras 2.250
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Droubble, Ficção, Fluffy, LGBT, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Leiam as notas finais!

Capítulo 1 - Capítulo Único;


Fanfic / Fanfiction Hot Winter - Capítulo 1 - Capítulo Único;

SHUHUA

E lá estava eu, mais uma vez, escondida a observando cantar, aquela era minha rotina todos os dias e eu não me importava em chegar uma hora mais tarde em casa, para mim a única coisa que importava era ouvir sua doce voz. Falando desse jeito me faz parecer uma stalker, e bom, essa é a verdade.

YuQi era o nome dela, informação que consegui depois de muito esforço, já que parecia que ninguém daquela escola a conhecia. Essa era mais uma coisa que me instigava, como ninguém conhecia alguém com tamanho talento?!

Olhei a hora e saí de lá apressadamente. Era assim todos os dias, eu saia da minha sala e corria para a sala de música - que aliás era bem longe da minha -, lá eu a observava admirada, ela era perfeita, tanto sua voz quanto seus traços delicados, acabei me lembrando do dia em que ouvi sua voz pela primeira vez, totalmente pelo acaso.

1 mês atrás

Era uma terça-feira, um dia frio de inverno, que aliás era minha estação preferida do ano e justamente nesse dia eu tive que ir a uma reunião do clube ao qual eu participava, pensei que demoraríamos já que teríamos que debater sobre o que iríamos fazer para o festival de inverno, mas conseguimos resolver tudo antes do tempo previsto. Eu não tinha nenhuma vontade de voltar para casa cedo devido à minha tia Eunbin estar passando uns dias lá, eu não gostava nada dela e nem ela de mim.

Depois de me despedir dos meus colegas, comecei a andar pela escola, enrolando. Enquanto eu passava por um dos corredores ouvi uma voz melodiosa, fiquei encantada e resolvi seguir aquele som até perto da sala de música, quando eu vi uma garota, nunca a havia visto no refeitório ou pelos corredores. Por longos minutos fiquei hipnotizada por aquela desconhecida, mesmo naquele dia frio de inverno um calor calmo me acolheu. Meu coração começou a bater rapidamente, me sentia nervosa como nunca antes, o que era aquela sensação? Era tão quente, gostosa e aconchegante, era a primeira vez que me sentia assim, mas toda aquela sensação esfriou quando a desconhecida fez menção de virar o seu rosto em minha direção, naquele momento senti meu coração parar e agachei no chão na velocidade da luz, comecei a pedir para todos os deuses existentes para que eu não tivesse sido pega no flagra. Esperei um pouco e sua voz voltou a ressoar pela sala, soltei o ar que eu nem sabia que tinha prendido, depois disso saí tentando não fazer nenhum barulho e quando já estava fora da escola fui direto para casa, ainda podia sentir minhas bochechas queimando de vergonha e meu coração acelerado, desculpa a linguagem, mas o que caralhos era isso que eu estava sentindo? 

Cheguei em casa abrindo a porta apressadamente, joguei meus sapatos do lados dos outros pares que estavam ali e tentei passar despercebida pelas duas figuras presentes na sala, mas infelizmente não deu muito certo.

– Filha, que bom que você chegou. – falou minha mãe animadamente, deixando a xícara que estava em suas mãos na mesinha e depois olhou para mim arqueando as sobrancelhas. – Ué, por que você está vermelha desse jeito, Shuhua? – perguntou com uma cara confusa. Vermelha? Eu ainda estava corada?

 Então, é que eu vim correndo? Quer dizer, é foi isso mesmo, eu vim correndo. – comecei a me embolar com as palavras, tenho certeza de que não fui nada convincente.

 Shuhua, sobrinha querida, assim você não engana ninguém. – titia me olhou de forma acusatória, eu já falei que a odeio?

 Que isso titia, não estou enganando ninguém, depois conversamos certo, mãe? Agora eu tenho que estudar para as provas. – falei rindo de nervoso e fui direto para o meu quarto.

Pelo menos o que eu falei não era uma total mentira, eu realmente precisava estudar, a semana de provas já estava próxima e mesmo todos falando que eu sou muito inteligente e passo sem esforço, sempre achei melhor estudar para não ser pega de surpresa.

Já fazia mais ou menos uma hora que comecei a estudar, mas havia algo que não me deixava ficar concentrada, toda vez que eu tentava resolver uma daquelas equações ou problemas, a voz daquela desconhecida vinha em minha mente. Já cansada daquilo, larguei meus livros em cima da minha escrivaninha e me joguei na cama. O teto me pareceu bem interessante naquele momento mas eu achei algo mais interessante para fazer, alcancei meu celular, que estava do meu lado, e abri no chat da minha amiga Soojin.

[SooJin Chat]

Preciso de um favor.

Visualizado 16:12

[SooJin] Aish, é aquele ditado, só procuram quando precisam. Mas vai, pode mandar.

Visualizado 16:14

Credo, Soojin, até parece que eu sou assim, mas eu precisava de uma informação e como você sabe de tudo.

Visualizado 16:15

[SooJin] Para de enrolar e pergunta logo, antes que a minha paciência se esgote.

Visualizado 16:15

Você sabe se alguém pode usar a sala de música?

Visualizado 16:16

[SooJin] Não, os alunos estão proibidos de entrar lá depois do acidente do ano passado, meio que uma punição.

Visualizado 16:18

Obrigada amiga, a gente se vê amanhã na escola.

Visualizado 16:19

[SooJin] Okay, até amanhã.

Visualizada 16:20

Bufei e coloquei meu celular de volta no mesmo lugar que estava antes, rolei pela cama e fiquei agarrada com o meu travesseiro, tenho certeza de que eu devia estar com uma cara emburrada. Também, se nem Soojin sabia sobre a garota da sala de música (e olha que Soojin consegue qualquer tipo de informação, as garotas do nosso colégio, e até mesmo garotos, vão atrás dela pedindo informações de seus crushes) ninguém saberia, então a única maneira de eu descobrir alguma coisa sobre ela seria conversar com ela como qualquer pessoa normal faria, mas esse era o problema, eu nunca soube ser uma pessoa normal.

Dias atuais

Aquele não era o meu dia, acordei com uma baita dor de cabeça que nem um banho e remédios fizeram efeito, cogitei a ideia de faltar a aula, porém hoje tinha a apresentação dos trabalhos de biologia e meu professor não é nem um pouco flexível, mas é claro que isso era só uma mentira que inventei para mim e para convencer minha mãe de que eu não podia faltar, o real motivo era: eu queria vê-la, queria ouvi-la, mesmo que eu não estivesse bem, era como que sua presença fosse o único remédio que eu precisasse.

Assim que cheguei na escola encontrei Soojin e ficamos conversando sobre assuntos banais até o primeiro período começar. Não consegui me concentrar nem um pouco nas aulas e tenho certeza de que não tirei uma nota muito boa naquela apresentação, nunca fui boa em falar na frente de muitas pessoas, no máximo era com os meus colegas do clube e Soojin. Logo que fomos liberados para o intervalo corri direto pra comprar algum lanche e depois me sentei em frente à Soojin em uma das mesas do refeitório.

 Você está bem? Parece um pouco pálida e ficou viajando durante as aulas. – perguntou a garota preocupada, dei uma mordida em meu lanche antes de respondê-la.

 Sim, só uma dor de cabeça, nada demais. – falei depois de engolir o pedaço do lanche.

 Certo, mas se você não estiver bem é só falar. – disse Soojin e começou a falar sobre outros assuntos, que no momento não eram nada interessantes comparados aos meus pensamentos sobre YuQi. – Shuhua, você está me ouvindo? – perguntou estalando os dedos perto do meu rosto, me tirando dos meus pensamentos.

 Desculpa, você pode repetir? Acabei viajando sem querer. – falei.

 É aquela garota não é? – perguntou me encarando seriamente, abaixei a cabeça concordando. – Shuhua, eu sou sua amiga e é por esse motivo que vou te dizer isso, você tem parar de ficar perseguindo essa garota, se você está gostando dela vai e fala com ela, isso que você está fazendo não é saudável. Agora, se você não tem coragem, desista de uma vez e a esqueça. – falou Soojin, ela se levantou e saiu me deixando sozinha com todo o estrago que suas palavras duras e verdadeiras me causaram.

Naquele dia não fui ver YuQi, eu passei mal e tive que ir embora. Naquele dia eu chorei a noite inteira, descobri que não queria desistir, mas também descobri que eu conseguia ser a maior covarde. Naquele dia o inverno me pareceu muito mais frio.

***

Uma semana, esse era o tempo desde que eu fui até a sala de música pela última vez. É, eu escolhi o caminho mais fácil e desisti, não consegui falar com Soojin, não tinha coragem nem pra isso. Agora eu estava sentada debaixo de uma árvore no fundo da escola, sentindo o vento gelado batendo contra o meu rosto, ótimo, eu agora estava chorando, eu odiava chorar, odiava me sentir fraca, mesmo sabendo que isso era exatamente o que eu era. Me encolhi quando senti o vento parecer mais gelado, porém minhas lágrimas mornas desciam pelas minhas bochechas, tratei de enxugá-las rapidamente repetindo para mim mesma não chore e comecei a encarar os meu pés quando algo intrigante aconteceu, vi dois pés se aproximando de mim e se agachando, ficando cara a cara comigo enquanto me estendia um copo de café do Starbucks, dava pra ver uma fumaça saindo dele mas, quando eu encarei quem era a pessoa que estava ali, meu olhos se arregalaram, minha boca ficou aberta em um perfeito ``O´´, enquanto ela tinha um sorriso doce em seus lábios.

 Você não foi mais até a sala de música. – falou se sentando ao meu lado, eu ainda estava muito surpresa, tanto que eu nem conseguia fechar a boca e falar alguma coisa coerente para a garota por quem eu estava apaixonada, mas logo voltei a raciocinar, COMO ASSIM? Ela sabia? Senti meu rosto corar por completo. – Você é adorável,Shuhua. – falou deixando uma risada melodiosa escapar, eu ainda estava travada, mas ouvir meu nome sair de sua boca me causou um arrepio enorme.

 C-como você sabia? – não pude não gaguejar, tentei olhar a garota nos olhos, mas a vergonha me impediu.

 Melhor, como eu não saberia? – falou rindo novamente, me deixando ainda mais corada. – É pra você. – me estendeu o copo e, com a mão trêmula, o peguei fazendo nossas mãos se tocarem de leve. As famosas borboletas no estômago, foi isso que senti naquele momento.

 O-obrigada. – falei e bebi um pouco do líquido, um pouco do frio que eu sentia foi embora, deixando até que eu me sentisse mais calma, aquela era a oportunidade perfeita. – E-eu gosto de você, YuQi. – falei morrendo de vergonha e fechei meus olhos com força, com medo de sua reação.

 Eu sei disso. – falou calmamente, mais uma vez meus olhos se arregalaram e pela primeira vez eu a olhei nos olhos, ainda estava corada mas aquilo me pegou de surpresa, estava tão na cara assim? – Não me olhe assim! Não tinha como não perceber. Sabe, no começo achei estranho, já que todos os dias eu te via me observando escondida, mas eu sempre fingia não te notar, parecia um tipo de stalker já que uns dias depois uma colega de classe minha me disse que uma garota estava perguntando sobre mim, na hora eu a associei com você. – falou soltando uma risada baixa, mas logo continuou a falar. – Então depois disso eu descobri quem era você, Shuhua, e claro, supus que você gostava de mim, mas por incrível que pareça saber disso me deixou feliz. – YuQi agora olhava para o céu e um sorriso casto estava em seu rosto. – Durante todos esses dias você estava lá, me ouvindo cantar, isso me deixou curiosa e me fez pesquisar sobre você.  – naquela hora eu a interrompi.

– Você pesquisou sobre mim? – perguntei surpresa e tenho certeza de que eu aparentei estar muito feliz com essa descoberta.

 Sim, a ponto de algumas pessoas da minha sala começarem a tirar sarro da minha cara. – riu, ela parecia se lembrar dos ocorridos. – Mas aí você não foi mais lá, durante toda essa semana eu me senti estranha, como se algo estivesse errado e então eu procurei você pela escola, parecia estar sem rumo e sempre com um olhar perdido. – direcionou seu olhar para mim, eu coloquei o copo, agora vazio, ao lado da árvore para depois jogá-lo no lixo.

 - Digamos que eu tenha recebido um choque de realidade que não me deixou nada bem. – falei quase que em sussurro. – Eu gosto de você, você já sabia disso, então por que veio falar comigo? – finalmente criei coragem e perguntei aquilo que já estava me corroendo.

 - Você ainda não entendeu, Shuhua? – perguntou e eu neguei com a cabeça. – Então vou ter que te mostrar. – falou e, sem me dar tempo de entender, a garota me empurrou, não com muita força mas me fazendo deitar no chão.

 - O-o quê? – foi a única coisa que consegui falar antes de ter seus lábios macios colados nos meus, meus olhos ainda estavam abertos, eu estava muito surpresa, não era unilateral, meus olhos foram se fechando e me permiti aproveitar daquela sensação tão acolhedora.

  Devagar, ela foi separando nossos lábios, mas apenas aquele selar não me deixou satisfeita, antes que ela se afastasse mais eu a puxei pela nuca a beijando novamente, mas dessa vez eu não deixaria ser apenas um selar, pedi passagem com a língua, que logo foi cedida pela garota. Foi um beijo lento, calmo, doce, o beijo mais clichê que você pode imaginar, mas nada poderia ser melhor. Quando o ar nos faltou tivemos que nos separar, estávamos ambas com sorrisos estampados na cara e ofegantes, mas o que veio a seguir me deixou ainda mais sem fôlego.

 - Namora comigo, Shuhua?


Notas Finais


Muito obrigada mesmo @I-DLEWorld pela capa, eu adorei de coração, ficou perfeita. E muito, muito obrigado @Starswithjeon por ter feito a betagem da história.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...