História House Of Cards - Capítulo 5


Escrita por:

Visualizações 113
Palavras 1.874
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Slash, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sinceramente, eu deveria ganhar um prêmio de nome de capítulo mais estranho, mas okay, vida que segue hehehe
Olha eu aqui com mais um capítulo!! ^^
Estou sem sono, mas amanhã tem aquela triste e macabra prova que é o enem, então torçam por mim hehehe quis deixar esse capítulo antes pq escrever ele me ajudou a tranquilizar um pouco, espero que gostem!!!

Capítulo 5 - Fogos De Artifício, Porque Vamos Investigar!


Fanfic / Fanfiction House Of Cards - Capítulo 5 - Fogos De Artifício, Porque Vamos Investigar!

"Como não houvesse amanhã

Como não houvesse próxima vez

Na minha visão se você não está aqui."

 

Na visão da maioria das pessoas Jeon JeongGuk não passava de um jovem estudante e estagiário no departamento de transito. Fizera o concurso a um ano atrás e passara, seu contrato era de dois anos e logo que encerrasse teria que o fazer novamente, dessa vez para trabalhar fixamente na agência. Qualquer um que passava pelo rapaz diria sem pensar duas vezes no quão ele era gentil e hábil, fazia o trabalho direito  e era sempre muito educado, diferente da maioria das pessoas que trabalhavam ali também.

Mas o que poucos sabiam é que o garoto tinha suas vidas nas palmas das mãos, não existia uma única pessoa que tivesse uma carteira de motorista que o Jeon não pudesse encontrar e ele com certeza encontraria. Era por isso que Jung HoSeok havia contratado seus serviços, enquanto a maioria das pessoas via Jeon como o rapaz de sorriso fofo do departamento de transito, Jung o enxergava como o rapaz de sorriso fofo que poderia encontrar qualquer pessoa que o Jung quisesse encontrar.

Dois dias anteriores a todo o acontecimento já narrado, Jung havia entrado em contato com Jeon, pedido para que o mesmo encontrasse algumas pessoas. Foram nesses mesmos dois dias atrás que o Jung havia invadido o sistema da policia federal e encontrado alguns nomes e algumas fotos de suspeitos de contrabando, parecia bom, mas não suficiente para o rosado, sempre querendo mais decidiu que encontraria aqueles contrabandistas e desvendaria aquele caso, porque assim que batera os olhos nos documentos vira que havia bem mais do que poderia imaginar. Jeon era a cartada certa.

Não foi muito trabalhoso para o rapaz, assim que recebera os nomes e começou suas pesquisas foi tendo em seu computador rostos, localizações e ocupações, mas foi em meio a essas pesquisas que descobrira a grande furada que tanto ele quanto o Jung estava se metendo, meteria o pé a correr daquele caso se não achasse que o Jung ao menos tinha que saber do que se tratava, daria as informações e se livraria de uma vez, por isso pedira uma boa quantia de dinheiro pelo trabalho bem executado e marcou o encontro no shopping por ser movimentado e mais seguro.

De nada adiantou de fato. Ao chegar no estacionamento do shopping ficou esperando o Jung, estava um pouco adiantado, mas esperava que o rosado aparecesse o quanto antes, pois estava com um péssimo pressentimento sobre tudo, ainda mais com tudo que sabia. Pouco havia ficado ali e percebeu uma movimentação estranha, dois homens que passaram duas vezes seguidas por seu carro, cada um em momentos diferentes, mas ambos de modo suspeito, foi por isso que pegara o envelope que daria ao Jung e o guardara no porta-luvas, queria pensar em um lugar melhor, mas o nervosismo não o deixou pensar sobre, alguns minutos depois foi surpreendido por uma pancada forte em sua janela, olhou rapidamente estendendo as mãos para cima mostrando estar limpo e sem armas, um dos homens que passara foi o que acertara sua janela, pensou que tudo ficaria bem se mostrasse não ter nada, mas enganara-se, sentiu o mesmo acertar-lhe uma pancada na cabeça, nem soube com o que, apenas apagara em tempo de ouvir a porta sendo destravada e aberta e sentir seu corpo ser tirado de seu carro.

 

...

 

— Você é o pior policial que eu já vi na vida.

— E você continua algemado, posso conviver com isso.

— Tira logo essa algema de mim, eu não irei fugir...

— Igual no hotel não é? — HoSeok corou envergonhado.

— Já pedi desculpas por aquilo, não era minha intenção.

— Ah, claro que não era, seu corpo apenas se virou em momento errado e seu joelho acidentalmente quis conhecer meu estômago. — Min respondeu sarcástico.

— Aish, eu só tinha que me encontrar com meu amigo.

— Qual, o que você tentou roubar o carro? — Provocou, o Jung já havia tentado explicar aquela estória milhares de vezes, mas em todas o Min não deu a minima.

— Eu não tentei roubar o carro de ninguém!! Como você pode ser tão idiota? Eu já disse, ele tinha informações para mim e quando eu cheguei lá ele já não estava!

— Tá, tanto faz, eu só estou esperando NamJoon me ligar novamente com mais informações.

— NamJoon...? — HoSeok indagou mais para si do que para o policial, mas este ouvira.

— Sim, meu chefe e... — Foi interrompido por seu celular tocando.

Enquanto YoonGi atendia a ligação Jung pensava onde já havia visto aquele nome, tinha certeza que não era um nome qualquer em sua cabeça, mas também não lembrava-se de onde o conhecia, provavelmente era um nome em alguma de suas pesquisas, algum nome que passou rapidamente os olhos, mas onde?

— E então, posso leva-lo?

— Receio que não...

— Como não, NamJoon? O que está acontecendo?

— Olha, está acontecendo um monte de coisas, esse jornalista está na mira de muita gente, YoonGi... Só... O mantenha longe das ruas por mais um tempo.

— Eu quero ao menos saber no que ele está metido, vamos, estou esperando.

— Esse jornalista encontrou informações sobre alguns grandes contrabandistas, ele está na mira dos caras, YoonGi, ele cometeu crime federal entrando no sistema, mas o problema maior não é ele ter entrado no sistema e sim as informações que ele tem e o pior é que ninguém nem sabe quais são essas informações.

— Então o que eu faço com ele?

— Só fiquem onde estão até eu resolver o que der pra resolver.

A ligação foi encerrada, Min encarou o rosado que ainda parecia perdido em seus próprios pensamentos, onde havia se metido por causa daquele jornalista?

— Já sei! — Exclamou o jornalista.

— Nós vamos ficar aqui por mais tempo do que o planejado. — Min falou sem dar importância para o seja que o outro sabia.

— Não! Não podemos, eles vão vir atrás de nós.

— Ninguém vai vir atrás de nós, ninguém sabe a nossa localização.

— Nem mesmo Kim NamJoon? — O jornalista falou usando ironia, mas YoonGi não entendia exatamente onde ele queria chegar com aquilo.

— O que está insinuando, Jung?

— Que esse tal Kim NamJoon não é alguém confiável. — YoonGi caminhou até o rosado, estava com raiva, se tinha alguém na sua vida que confiava tudo essa pessoa era NamJoon, não daria o direito de HoSeok falar uma palavra contra ele. Segurou o rosto do maior pelo queixo e o apertou.

— Kim NamJoon não é só o superior mais limpo que eu conheço como também é o meu melhor amigo, a única pessoa que eu tenho certeza que não é confiável aqui é você, rapaz. — Sua raiva de HoSeok só crescia mais e mais, usava força desmedida e tinha certeza que estava o machucando, mas não ligava para isso.

— É mesmo? — Perguntou Jung desafiadoramente. — Engraçado...

— O que é tão engraçado?

— Tem um envelope em meu bolço, o que eu peguei no carro do meu amigo que foi sequestrado e você não deu a minima, enfim, ele deixou um presentinho pra mim, no bolço direito, Min.

YoonGi estava realmente com raiva, mas uma coisa que aprendera na vida é que antes de qualquer atitude deveria estar certo do porque estava fazendo tal coisa, por isso levara a mão livre do rosto do Jung a apalpar o bolço do rosado em busca do que o jornalista tanto falava. Uma vez que conseguira por as mãos no papel afastou-se do maior e abriu o envelope.

As primeiras fotos eram de pessoas que nunca sequer havia visto, mas os nomes lhe eram reconhecíveis, Chan, D.O, ChanYeol e Xiumin, quatro dos mais procurados contrabandistas, seus rostos? Até o momento desconhecidos para o Min e certamente a maior parte da população não faziam ideia. Olhou para o Jung que mantinha um sorriso de lado,  jornalista tinha mais informações do que ele mesmo que era da policia.

— Não acabou, tem mais fotos. — Falou com deboche.

YoonGi passou mais algumas fotos que continham mais alguns rostos, esses que ele realmente não conhecia e nem o nome sabia, provavelmente apenas alguns capangas dos grandes. No entanto, já em meio as últimas fotos, estava lá, uma foto de NamJoon. O moreno arregalou os olhos, a foto só tinha o nome de NamJoon, mas a julgar pelos outros aquilo sugeria algum envolvimento.

— O que isso significa? — Perguntou ao Jung, sua indignação e surpresa se convertendo em ainda mais raiva para com o rosado.

— Podem significar muitas coisas, policial Min, era o que eu estava tentando descobrir, até você me prender e destruir meus planos.

— Quer saber? Tanto faz, eu vou ligar para NamJoon e perguntar.

— Você é burro ou demente? — HoSeok revirou os olhos e YoonGi o olhou como se fosse o matar ali naquele instante. — Acha que se ele estiver envolvido vai simplesmente lhe dizer: "Ah, sim meu amigo do peito, eu estou envolvido com contrabandistas da pesada, não quer entrar pra turma?" — HoSeok fazia uma voz engraçada, um tanto esganiçada tentando enfatizar debochadamente o momento.

— Olha aqui seu filho da puta, NamJoon é uma das únicas pessoas que eu confio, não vai ser uma foto misturada com a de alguns contrabandistas que me fará pensar o contrário. — Min exaltou-se.

— Ora, mas eu não estou mandando você acreditar, estou? — HoSeok sorriu, estava chegando exatamente no ponto em que queria. — Porque não investigamos? Meu trabalho assim como o seu não é decidir quem é o culpado ou não, apenas descobrir se alguém tem envolvimento com algo ou não, você quer provar que seu amigo é inocente e eu quero desmascarar qualquer um que esteja envolvido.

— Não vamos sair daqui.

— Porque não? Porque seu amigo que pode... — Min lhe olhou ameaçadoramente. — Ou não, estar envolvido nesse bolo mandou?

— Não, porque meu dever é apenas leva-lo ao tribunal amanhã e não siar por aí investigando sei lá o que.

— Então vai deixar seu amigo, inocente, ser acusado de algo?

— Agora ele é inocente para você?

— Já disse, não importa o que eu acho, eu descubro as coisas, só isso e, nesse momento eu preciso de você. Qual é, sabemos que você não vai me liberar então eu não posso fazer isso sozinho, só precisamos ir até a casa de Jeon, ele deve ter mais alguma informação, talvez seja suficiente, talvez não, mas é nossa única chance, a minha de ter um grande furo e a sua de judar seu amigo.

YoonGi respirou fundo, não sabia como proceder a tal situação, estaria quebrando sua palavra se não mantesse o Jung ali em segurança como o Kim pedira, mas por outro lado, não queria acreditar na possibilidade de seu melhor amigo estar fazendo negócios com contrabandistas, queria descobrir a verdade, tanto por si quanto pelo amigo. Passou as mãos pelos cabelos negros, iria fazer aquilo e o sorriso que Jung deu denunciava que ele sabia que havia convencido o mais velho.

— Okay, nós iremos até a casa de seu amigo, mas você permanece algemado!

HoSeok abriu a boca em indignação, iria reclamar, mas a conversa claramente havia sido encerrada ali.

 

...

 

— O que faremos com ele?  — Um moreno perguntou enquanto olhava para o corpo de Jeon JeongGuk desacordado em uma cadeira de madeira no meio do que parecia ser um armazém.

— É bem simples, faremos ele falar... — O loiro falou com um sorriso malicioso. 


Notas Finais


Quem som esses dues aí do finale?
Ainda não sei, então não e perguntem também hahah
Espero que tenham gostado do capítulo e rido com esse yoonseok que brigam mais que cão e gato huahua
Deixem um comentário, irá me ajudar bastante, beijões!! ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...