História House of Cards (Imagine Jimin) - Capítulo 49


Escrita por: e AmaLLe

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Colegial, Diversão, Máfia, Romance
Visualizações 217
Palavras 3.195
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Estou recompensando vocês por toda demora, então resolvi que postaria mais um.

Música para leitura: You Don't Do It For Me Anymore - Demi Lovato.

Desculpem os erros.
Boa leitura📚❤

Capítulo 49 - Twenty-Eight- Firist Date, Reenconter?


Fanfic / Fanfiction House of Cards (Imagine Jimin) - Capítulo 49 - Twenty-Eight- Firist Date, Reenconter?

Olhando para o plano em minhas mãos, percebo o tamanho da missão que me foi dada, sou agente do destino? Sim. Mas, não sou abrigado a fazer tudo aquilo que me mandam.


Apesar da idéia ser boa, eu estou me divertindo bastante, ao ver tudo o que está acontecendo.


No começo, o tal do "Firist Date" mostrou o quanto a imaturidade e os sentimentos inexperientes podem levar alguém, causando todo um reboliço em meio,  dos que se dizer apaixonados.


E hoje, simplesmente após o "Reeconter", tudo teve uma reviravolta, causando emoção e trazendo várias revelações. Isso sim, que é bom! 


Estou preso as consequências, e não pretendo parar com elas. Pelo menos, agora não.


Vamos... Deixar as coisas acontecerem...


E seguir o plano? Talvez.



Um jardim cheio de flores, contemplando o céu azul, simplesmente foi trocado, pela vasta escuridão, dando tons acinzentados e trazendo o medo constante.


Estava outra vez naquele lugar, de longe podia ver a casa, mas não,  dessa vez não iria parar lá. Correria e mesmo que não houvessem forças, eu jamais iria permitir parar naquela lugar.


Assustada, chorosa, com medo e correndo bastante, fui para o mais longe possível, mas algo, quer dizer, uma voz chamou totalmente minha atenção.


- Jessica!


Parei no mesmo momento, virei direção e lá estava ela, em frente a casa que tanto me atormenta. Parecia um anjo, em meio a toda essa tempestade, aquela que me salvaria e me tiraria disso tudo, me cobrindo em seus braços e afastando toda maldade de mim.


- Mamãe? - gritei e mesmo ao longe, vi seu sorriso brotar.


Acabei por sorrir também e corri, aliás com sua presença eu estava segura, ao me aproximar de onde estava, vi ela simplesmente sumir, não havia mais sua silhueta e não era possível vê-la.


Olhei ao redor e por todos os lados.


- Jessica! - sua voz ecoava por toda parte.


- Mamãe? Onde está? - perguntei assustada.


- Jessica! - chamou-me outra vez.


- Mamãe? - quando dei por mim, já estava em frente a casa. Engoli em seco.


Vi uma espécie de abismo, quando a porta de abriu, e praticamente fui empurrada, mas, não vi quem havia feito isso, minha única escolha foi gritar.


- Mamãe!!!!!!!


Sentei na cama e notei o suor na minha testa, outra vez o mesmo pesadelo. E seria sempre assim, nunca teria uma noite sequer, em que não tivesse esses malditos me perturbando. Mas, dessa vez foi diferente, ela estava lá e pensei que me tiraria dali e diria que era apenas mais um sonho ruim.


Aliás, foi apenas um pesadelo.


Abracei meu corpo ao sentir o vento frio, pairar sobre ele. Olhei para o lado e a janela estava aberta, obviamente por conta do cansaço da viagem, apenas me joguei para tentar descansar, o que sempre é falho.


Me pus de pé, indo em direção a janela e a fechei, suspirando por sentir o quarto aquecer novamente. Seul tem um dos invernos mais rigorosos, principalmente nessa época do ano.


Resolvi sair do quarto, e caminhei lentamente até a cozinha, olhei ao redor do meu apartamento e estava tudo no seu devido lugar. Era bom está em casa novamente.


- Puxa que susto, garoto! - coloquei a mão no coração, ao ver Jeongguk ali. Sua cara fechada e semblante pensativo, me trouxe a plena idéia de que algo estaria lhe incomodando.


Ele não me disse nada, bebia um copo de suco, enquanto estava escorado no balcão, e eu peguei um copo e uma garrafa com água, logo me servindo e finalmente me acalmando.


- Deixa eu ver, teve um motivo especial para matar aqueles caras, ou deve ser apenas um surte de gente louca? - disse totalmente irônico, me olhando seriamente. Revirei os olhos e continuei o que estava fazendo.


- Me responda Alex! Por que fez aquilo? - gritou.


- Não tenho que te contar as coisas que faço ou deixo de fazer. - dei de ombros, aquilo não o interessava e não tinha motivos para falar.


- Sou seu irmão, mereço saber! - me confrontou novamente.


- Não era meu irmão, quando estava se atracando na cozinha com a S/N. - disparei o vendo se calar, soltei uma risada e sai dali.

Me sentei no sofá da sala e senti meu celular vibrar, o peguei em minhas mãos e notei que havia uma mensagem.


"Irei chegar na Coréia amanhã de noite, espero que esteja no aeroporto para me ver princesa. Vamos dar continuidade ao nosso plano."


(...)


S/N On.


Após a pequena comemoração do resgate da Sun, fomos avisados que já teríamos que voltar, aliás temos uma vida aqui em Seul, e já faltamos muitos dias na faculdade, então era momento de ter a rotina como antes.


Por termos chegado durante a madrugada, aproveitei e dormi no vôo, então não cheguei muito cansada, e sim bem disposta. Arrumei tudo que seria necessário, para aula no dia seguinte e assim que o sol raiou, corri para me aprontar.


Tomei um longo e relaxante banho, me sentia feliz e com a sensação de trabalho feito, minha amiga estava de volta em casa e todos estavam vivendo normalmente.


Fiz tudo necessário, pela primeira vez escolhi uma roupa e a deixei no meu gosto, fiz uma maquiagem leve e arrumei meus cabelos, os deixando solto. Realmente essa nova cor, realçou bem meu tom de pele e me deixou ainda mais bonita.


Dei uma última olhada no espelho, aprovando meu visual e sai do meu quarto.


- Bom dia, flor do dia! - Sun sorriu, ao me ver animada. Estava praticamente recuperada e mal se notavam as marcas em sua pele, o que me deixava mais tranquila.


- Bom dia, como se sente? - me sentei no sofá e a fitei, ela estava em pé, e tinha acabado de sair do quarto também.


- Estou ótima, vamos esquecer tudo o que houve e pensar somente no futuro. - me admirei com sua determinação, e resolvi que iria fazer o que ela disse, aliás não haveriam motivos para lembrar.


- Tudo bem, assim é bem melhor. - peguei o controle e liguei a TV. Vi ela assentir sorrindo.


- Vou comer algo, se o Tae chegar, diz pra ele não ir sem mim. - concordei e vi ela cantarolando até a cozinha.


Sun sempre doida! 


Logo a porta principal foi aberta, revelando um TaeHyung universitário e despreocupado, seu cabelo estava recentemente tingido, de um castanho um tanto claro, valorizando ainda mais sua beleza máscula e me arrancando alguns suspiros.


Tudo bem, nessas horas precisamos nos valorizar, mas, primeiro preciso consertar as coisas.


Ele caminhou em minha direção, e pude reparar em suas roupas, uma bela calça preta jeans, marcando suas coxas parcialmente grossas, sua blusa ia até o pescoço e se adequava bem ao corpo, e havia um casaco da mesma cor por cima, revelando seu lado sério e ao mesmo tempo sensual.


- Passa a mão aqui. - ele limpou o canto da boca - Tem baba escorrendo. - sorriu provocante.


- Aigoo. - balancei a cabeça algumas vezes, ouvindo sua risada ecoar pela sala.


Ele se aproximou e sentou do meu lado, estava com um jornal na mão e seriamente começou a ler, fiquei o observando por longos segundos.


Ele realmente brincou comigo? Puxa, não poderia imaginar que alguns minutos atrás, Kim TaeHyung simplesmente fez graça e sorriu para mim, e eu não sabia onde por tanta felicidade.


- Vai continuar me olhando? Eu sei, sou muito lindo. Mas, isso já é demais. - me encarou e sorriu de canto, totalmente exibido.


- É que... - perdi a fala e olhei os lados, nunca iria conseguir dizer coisas com sentido, quando o tivesse me olhando daquela forma.


- Apenas diga, o que está querendo dizer. - permaneceu com seu olhar sobre mim, esperando que eu falasse algo.


- Bem, eu queria me desculpar por tudo. Sabe, os últimos acontecimentos, Tae eu estou realmente disposta a ter sua amizade e queria que tudo pudesse voltar ao normal. - coloquei tudo para fora, de forma rápida, antes que perdesse a coragem.


- Você fala tudo numa facilidade tão grande. Até parece que as coisas são assim... - não o deixei terminar, segurei seu rosto e o beijei.


Louca?! Sim, muito. Mas, ele com esse novo visual, essa roupa, seu perfume tomando conta do ambiente, seus lábios rosados chamando por mim. Não tive outra opção, a não ser matar a saudade que vinha me consumindo todos os dias, precisava disso e sabia que ele também, pois retribuiu no mesmo instante, mas, não prolongamos muito.


Nos separamos e vi ele suspirar.


- Tudo bem, eu desculpo você. Mas, não faça isso novamente. As coisas parecem ser fáceis, mas não são. - disse um tanto relutante, sabia que ele tinha gostado e que foi loucura da minha parte ter feito isso.


- Sério isso? Só precisava ter dito que gostou. - sorri exibida, e quando ele ia protestar, Sun apareceu tagarelando na sala dizendo que nos atrasariamos se não fôssemos para a faculdade logo.


Quando chegamos, cada um foi para um lugar, só tínhamos algumas aulas juntos, então ninguém ficava na mesma sala sempre. Sun logo se desesperou ao lembrar de um trabalho, TaeHyung ficou quieto depois do que eu fiz e tratou de ir cuidar dos estudos. E eu, resolvi parar de pensar demais e fui em direção a biblioteca, precisava pegar alguns livros, e iniciar umas atividades atrasadas, antes que fosse reprovada na matéria.


Assim que entrei, me senti aliviada pelo pouco movimento, aliás todos estavam em aula e eu iria faltar o primeiro tempo, por conta de todas as coisas que tinha de fazer, o que seria mais difícil.


Mas, olhando para o lugar que sempre estava calmo, parei abruptamente, e não acreditei quando vi ele em minha frente. Mesmo de costas, saberia reconhecê-lo em qualquer lugar, me parecia mais forte, os cabelos estavam num tom de castanho mais escuro, o que pra mim, só o deixou ainda mais bonito. 


Pensei em sair dali as pressas, mas, meu corpo não me obedeceu, simplesmente estava feito estátua, e o pior foi quando ele se virou, seu olhar confuso se uniu ao meu e podia notar sua total surpresa e saudade.


Foram tantos momentos, tantas coisas compartilhadas, e eu achando que havia esquecido e poderia passar por cima disso.


O jovem de cabelos quase rosados, que praticamente apareceu para me tirar do tédio, me proporcionando as piores brincadeiras e as mais engraçadas. O primeiro beijo, selado após uma aposta. Nossa noite ilustre, mediante as nossas declarações de amor. O pedido de namoro em meio às lágrimas, a despedida e o todos os dias de saudade.


Puxa vida, eu jamais esqueceria aquilo.


E nosso reencontro... Quando menos esperava, aqui nesse mesmo lugar, alguns anos atrás, estávamos desse mesmo jeito.


'Aquele rapaz ali sentando, era incrivelmente e perdidamente lindo, mesmo que S/N estivesse o vendo de costas, o reconheceria em qualquer lugar. Aquela pele branca, que mais parecia neve, os cabelos que antes eram castanhos agora se encontravam loiros, e devidamente arrumados. Era o seu anjo. Sim era ele, ela tinha certeza.'


Me aproximei para me certificar quem era, só iria dar uma olhada e cair fora. Mas em um ato rápido ele se levanta da mesa, pega suas coisas e se vira pra frete.


'Meu coração parou...'


Nós encaramos por breves e longos segundos, imaginei todo tipo de reencontro, mas jamais pensei que seria assim.


- S-S/N? -me olhou incrédulo.


- J-Jimin? - fiquei imóvel.


- Meu Deus, eu não acredito. - Ele andou rapidamente em minha direção e acabou com nossa distância me dando um abraço.


Aquele abraço, mas que saudades...seus braços ainda eram fortes e aconchegantes. Meu corpo inteiro se arrepiou...como é bom está com ele.


-Me diga eu estou sonhando?-me olhou e voltou a me abraçar.


- Isso é real. -sussurrei quase sem força por conta do aperto.


- Minha S/N está aqui! -voltou a me olhar ele sorria escandalosamente.


Percebi uma lágrima escorrer dos seus olhos e a limpei com meu polegar, sorri ladino e olhei aqueles olhos que brilhavam mais que estrelas, durante a noite.


Ele acariciava meu rosto com sua mão gordinha, e me olhava sereno, ainda era o meu Jimin aquele por quem me apaixonei há três anos. Meu primeiro e único amor.


Nos aproximamos um do outro e colamos nossos rostos, inclinei meu rosto para frente e ele o segurou assim dando início a um beijo. Um beijo calmo e sem nenhum tipo de pressa, apesar de estamos com muita saudade, queríamos apenas relembrar tudo.


Sua boca ainda era doce como da última vez que havia beijado, seus lábios carnudos só me dava ainda mais vontade de beijá-lo. Coloquei minha mão em seu rosto e a outra na sua nuca, ele levou as suas até minhas costas e começou a acariciá-las, desfrutamos ao máximo naquele momento até a falta de ar se fazer presente.


Jimin sorria bobo, mantínhamos nossas testas coladas, ele fez um biquinho e eu mordi assim arrancando um suspiro do mesmo. Nos separamos e continuamos calados por um tempo.


Mas, agora nesse exato momento, tudo era diferente. Não havia mais sentimentos, quer dizer, nos amávamos ainda e eu podia ver isso em seu olhar. 


O que ele fez foi grave demais, não poderia esquecer tudo, e correr para seus braços. Não, isso jamais iria acontecer.


- S/N... Eu... - ele tentou dizer algo, mas, as palavras não saíram. Estava tão surpreso que nem conseguia falar.


- Vai dizer que sente muito? - sorri sarcástica.


- Você nunca me deixou explicar. - tomou uma posição seria e me olhou, sabia que havia um turbilhão de sentimentos reprimidos. Conhecendo Park Jimin, ele tinha muita coisa para falar, mas já não acreditava em nenhuma palavra dele.


- Explicar o que Jimin? - gritei - Enquanto você transava com outra, a idiota aqui, fez de tudo para vir pra Coréia. - despejei tudo o que estava sentido - Enquanto estava nos braços de outra, eu lutei para esta contigo. Mas, ao invés de ser sincero comigo, não você simplesmente fingiu que nada tinha acontecido e me enganou. - demonstrei toda minha raiva.


Nesse momento algumas pessoas estavam olhando, por perceberem que se tratava de uma discussão, claro ninguém perde uma.


- Vai me acusar assim? Sem saber da verdade? Não pensei que se tornaria assim. - disse irritado e com lágrimas nos olhos, mas obviamente não choraria ali e isso não iria me comover.


- Essa é a verdade! - gritei totalmente fria.


- O que você faz aqui? - TaeHyung surgiu atrás de mim, estava com sangue nos olhos praticamente.


- Ah não, era só o que me faltava... - Jimin riu nervoso e passou a mão pelos cabelos.


- Você é um idiota, Park Jimin! - praguejou TaeHyung e me puxou para fora da biblioteca.


Foi então que notei que Sun Hee estava ali sem entender nada, juntamente com Alex que parecia não se importar com a situação.


Fui levada para um corredor, muito distante e onde não tinha nenhuma movimentação.


- Você não pode ser aproximar dele. - Tae disse assim que paramos, estava inquieto e irritado.


- Concordo! E estou feliz, por ainda se preocupar comigo. - sorri e acariciei sua bochecha, para que se acalmasse.


Vi TaeHyung mudar sua expressão, e notei suas bochechas um tanto rubirizadas e ele desviou o olhar, completamente sem jeito. Isso me fez sorrir ainda mais.


- Aceita sair comigo? - pronunciei-me e ele me olhou.


- O que?! - arregalou os olhos, fazendo-se de desentendido.


- Quer sair comigo para algum lugar? - perguntei novamente.


- Tudo bem. - assentiu, dando um sorriso.


- Preciso ir no banheiro agora. Obrigada pelo que fez. - lhe dei um abraço e sai corredor a fora.


TaeHyung On.


Ver que S/N e Jimin se reencontraram, trouxe a mim vários sentimentos, por mais que tente negar, é nítido o que eu sinto por ela e vê-la com meu ex-melhor amigo, me deixou completamente irritado e a única coisa que fiz, foi tirar ela de uma vez por todas de lá.


Realmente Alex sempre esteve certa...


Flashback On.


- Vejo vocês daqui a meia hora no  escritório. - dei de ombros, tendo Alex em meu encalço.


Apertei sua cintura com força, a provocando e sabia muito bem que S/N iria ser afetada com a minha atitude, não só essa, mas, como a de mais cedo também.


Subimos as escadas em meio a provocações, Alex sabia muito bem como me deixar louco, sua voz rente ao meu ouvido, dizendo coisas audaciosas enquanto mordia o lóbulo, suas mãos em minha nuca, puxando meus cabelos de leve, isso me fazia querer tê-la o quanto antes.


Sempre que estou com ela, posso ser eu mesmo, sei que se demonstrar todas as minhas fraquezas, ela estará ali para me dar força e me servir de apoio, como tem feito desde que nos conhecemos. Realmente Namjoon, estava certo quando disse que somos a "dupla perfeita".


Assim que adentramos o escritório, fechei a porta e a puxei, sorri antes de tomar seus lábios, aquilo era puro vício, onde queria me embriagar cada vez mais. Nossos movimentos em pura sincronia, as línguas que se enroscavam uma na outra, simplesmente deram espaço, para que uma batalha se iniciasse, enquanto dávamos cada vez mais impulso em um só beijo.


Agarrei sua cintura, dando alguns apertos e sendo retribuindo por suas mordidas em meu lábio inferior, me fazendo arfar durante o beijo. Andamos sem nos separar, até a mesa, a peguei no colo agarrando suas coxas bem preenchidas, o que me deixava ainda mais excitado. A puxei para mais perto, causando um choque entre nossas intimidades pulsantes, fazendo com ela soltasse um gemido, senti necessidade de respirar e mordisquei seus lábios e dei alguns selinhos. 


Desci pela clavícula e pescoço, dando beijos e chupões, fazendo ela arranhar meus ombros. Aquilo sim era bom, tê-la completamente pra mim, me fazia querer fazer cada vez mais, subi novamente e distribuir alguns beijos por seu rosto, até chegar na boca novamente, onde não pude ficar por muito tempo, pois ela me afastou, arrancando um resmungo de reprovação meu.


- Precisamos conversar! - disse tentando se recompor e ainda ofegante.


- Estamos conversando. - tentei me aproximar, mas, ela me empurrou.


- Eu já sei o que está fazendo, TaeHyung. - se levantou da mesa, me olhando seriamente.


- Do que está falando? - perguntei ainda sem entender.


- Sei que esta me usando, para esquecer a S/N, e a provocar também. - disse olhando fixa em meus olhos, e isso me fez sentir-me culpado.


- Alex... - tentei falar, mas ela não permitiu.


- Tudo bem, vamos nos concentrar no resgate. - mudou o assunto, e fiquei sem jeito.


Flashback Off.


O que a Alex é realmente pra mim?


Simplesmente não sei... Mas, ela não merece de forma alguma ser usada, e depois jogada de lado.


Você é um idiota, Kim TaeHyung.


Ela sempre te ajudou e esteve do seu lado. 


E mesmo que já tenha sido usado, não deve fazer isso com alguém. E principalmente sendo uma pessoa tão especial, como a Alex. 


Idiota, idiota!


Notas Finais


Para quem estava esperando pelo reencontro...
TaeHyung sentido, talvez?
De quem será a mensagem que a Alex recebeu?
Jeongguk com raiva.

Gostaram do Globo Repórter de hoje? Kakakaka

Outra fanfic para leitura:

~Antes que termine o tempo:https://www.spiritfanfiction.com/historia/antes-que-termine-o-tempo-jimin-10706853

Sigam os perfis: @Amalle @EsterAndJimin

Beijooooooooooos❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...