História House of Letters - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), TWICE
Personagens Jihyo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin), Sana
Tags Bangtan Boys (BTS), Comedia, Ficção, Jihyo, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Taehyung, Prak Jimin, Romance, Sana, Twice
Visualizações 13
Palavras 2.112
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Volteeeei💙

Capítulo 7 - Não é um pedido é uma ordem


Minha manhã tinha sido como todas as outras. Acordei, tomei banho, me arrumei e fui para o trabalho. Eu estava feliz porque tinha começado a escrever uma parte da minha redação. 

Eu estava no elevador indo para a minha sala e mais uma vez não tinha ninguém lá, com exceção de Park Jimin, que passara a me olhar sério assim que botei os pés naquela sala. 

-Bom dia, Park.-disse meio envergonhada.

-Bom dia.-ele disse num tom bem seco. O mau humor era explícito no seu rosto.-Você começou a redação? 

-Entao... eu comecei...

-Entao o que?

-Ainda está muito abstrata. Estou falando sobre as dificuldades da maternidade e seus pontos positi...

-Não acha que está namorando demais e esquecendo de fazer seu trabalho?-ele me interrompe.

-Como é?-eu engasgo.

Jimin se aproxima mais de mim e só então percebo que a sua respiração está um pouco descompassada. Ele me olha nos olhos e não desvia nem por um segundo. Me deixa nervosa, um arrepio percorre toda a minha espinha e eu coro.

-Não temos todo o tempo do mundo,___. Não pense que vou fazer isso, porque não temos esse tempo.-ele se aproxima mais e posso sentir sua respiração bater na minha bochecha. 

-Eu sei, Park... eu... me desculpe. Isso não vai mais acontecer.-eu desvio o rosto e mordo o lábio inferior, um pouco mais nervosa que antes.

-Eu não espero menos de você. Sei que é boa no que faz, se não, Namjoon não teria lhe dado esse emprego.-sua mão vai até meu queixo e me direciona de volta para o seu olhar.-Olhe para mim enquanto eu estou falando. Você entendeu tudo o que eu disse?

-E-entendi, sim...-Um pingo de suor estava se formando na minha testa, minhas mãos estavam suando e eu estava gaguejando.

-Ótimo...-seu olhar era profundo e ele parecia estar tendo uma guerra interna enquanto me analisava. 

-Eu vou para a biblioteca...

-Pode ir. Mais tarde nos falamos.-ele se afasta.

Saio daquela sala ofegante, e com as pernas um pouco bambas. Era isso que Park Jimin causava em mim? Era certo sentir tesão por ele? Eu fui chamada atenção e mesmo assim fiquei excitada. Ele estava jogando comigo? 

Ando até a biblioteca e dessa consigo ver meus colegas. Resolvo sentar do lado daquela garota coreana, que tinha o vestido florado do meu primeiro dia aqui. Ela estava com um vestido rosa pastel, aberto na costa e um pouco curto. 

-Oi.-me sento e ela vira sua atenção para mim.

-Oi.-ela disse com um sorriso. 

-Eu sentei do seu lado no meu primeiro dia aqui.-digo meio tímida.

-Sim, eu lembro. Qual seu nome?

-_____. E o seu?

-Jihyo. Prazer.-ela mantém um sorriso fofo.

-Prazer, Jihyo.-digo retribuindo o sorriso.-Então, já começou a fazer a redação? Eu estou com dificuldade.

-Já. No início é difícil pensar em algo mesmo. Mas depois você se acostuma.

-E sobre o que você está escrevendo?

-Sobre o dia dos namorados e você? 

-Maternidade.

-Uau começou bem.

-Talvez, mas levei um esporro do Jimin.

-Ah normal, vai se acostumando. Ele é muito exigente. Ainda mais quando se trata de correção. 

-É...

-Não fica assim, ele é uma pessoa legal, só... acontece, é o trabalho dele, sabe?

-Entendi.-digo enquanto abro meu notebook.

-Você fez faculdade de letras também?-ela pergunta. 

-Sim, por que?

-Quase todos aqui fizeram letras.-ela diz dando de ombros.

-Ah entendi... você tem quantos anos?

-Vinte e sete. E você?

-Vinte e cinco.

-Ah sim. Desculpa perguntar, mas foi o Namjoon que te recomendou mesmo? Todos ficaram muito surpresos com isso.

-Sério? Foi ele, sim. Por quê?

-Digamos que isso nunca tinha acontecido, isso não é do feitio dele. 

-Ah...

O cheiro dos livros em cima da mesa dela estava me fazendo espirrar muito e resolvo ir até o banheiro. Que eu não sabia onde ficava. 

-Onde fica o banheiro? 

-Saindo daqui, você entra no corredor e tem duas portas brancas lá. 

-Okay. Obrigada.

Sigo seu conselho e ando até o local que ela tinha me falado. Entro na porta que tinha um símbolo feminino estampado. 

Era bem grande e limpo, tinha um espelho enorme e várias torneiras em uma pia enorme. 

Lavo meu rosto e volto a retocar a maquiagem. Prendo meu cabelo num rabo-de-cavalo e ajeito minha roupa. Eu estava com uma blusa preta, gola alta e manga longa, com uma saia curta, bege e um sapato vermelho. 

Saio do banheiro com pressa mas logo sou puxada para trás por uma mão em meu pulso. A pessoa me vira, me trazendo para perto de si e eu me assusto ao ver Jimin colado comigo em frente do banheiro.

-J-Jimin...? O que você está fazendo?

-Eu não gosto de falta de compromisso.-seu tom era sério e ao mesmo tempo exalava tensão.

Nossos corpos estavam tão colados que podia sentir sua respiração quente nos meus lábios. Um arrepio percorreu minha espinha, e uma onda de excitação cresceu no meu corpo deixando o tecido da minha calcinha úmido. Ele aproximou mais seu rosto do meu e deu um selinho no canto da minha boca descendo até a nuca, fazendo-me suspirar. É mordaz, me instiga e eu apenas me deixo levar. Sua língua passa pelo meu pescoço e eu solto um gemido baixinho. Queria mais, mais, mais...

-Você quer isso...?-Jimin pergunta entre os beijos no lóbulo da minha orelha. 

-Quero...-suspiro.-continua...

-Sabe...-seus beijos sobem novamente para a minha bochecha.-Por algum motivo, senti um desconforto quando vi você entrando no carro do Namjoon, ontem... passei a tarde toda pensando nisso.-suas mãos deslizam até a parte interna da minha coxa.-Oh... você está muito quente...

-Você está me deixando assim, Jimin...-Digo entre gemidos quando sua mão entra por debaixo da minha saia e alcança a minha calcinha molhada. 

-Molhada, também?-ele morde os lábios e logo em seguida dá um sorriso cí

Eu já não estava aguentando esse joguinho dele. Precisava provar, nem que fosse só por uma vez. Necessitava mais disso. Num movimento rápido, Jimin e eu entramos no banheiro e ele tranca a porta. Suas mãos ágeis apertam minha bunda e logo em seguida seguram minha cintura me impulsionando para cima da pia. Eu sento, ele abre as minhas pernas e para. Ele para, me observa, me seca e morde o lábio inferior. Ele se aproxima mais, ficando entre as minhas pernas e antes que eu notasse seus lábios já estavam nos meus. Nosso beijo era urgente, nossas línguas já se tocavam, ele segurava minha nuca com as duas mãos, era firme.

Os beijos ficavam cada vez mais intensos e já estávamos suados. Eu estava ofegante e Park, também. Ele pausa o beijo. 

-Só temos quinze minutos. Tenho uma reunião depois.-ele diz ainda me analisando.

-Não é melhor fazermos isso dep...

-Ajoelha.-ele diz. Sua voz é rouca, porém precisa. 

-Aqui...?-eu o olho confusa. 

-Não é um pedido, é uma ordem.

Eu engulo em seco e outro arrepio me percorre. Park Jimin era a perfeita definição de dualidade. Eu ignoro qualquer pensamento moral da minha cabeça e me ajoelho. Ele me olhava de cima, seus lábios estavam levemente vermelhos e mais inchados do que de costume. Minhas mãos correm pelo seu cinto, tirando-o, e logo em seguida desabotoando a calça, abaixando-a deixando a mostra sua cueca preta da Calvin Klein. Mesmo com ela por cima, era perceptível seu membro duro. Passo a língua entre os lábios e olho para cima, provocando ele apenas com um olhar. 

-Chupa. 

Eu abaixo sua box e seu membro, praticamente salta para fora e eu salivo. Levo meu lábios até a glande e dou beijinhos, alternando com língua. Vejo ele suspirar várias vezes e resolvo passar a língua por toda a extensão do pênis antes de colocar inteiro na boca, o que fez Park soltar um gemido um pouco mais alto.

-Caralho,____...

Vou aumentando a velocidade e luto contra a ansia que aparece toda vez que seu membro bate na minha garganta com força. A cada movimento, mais do líquido de pré gozo saia e eu sugava com mais vontade. Sua mão foi direto ao meu cabelo preso e segurou com força, controlando meus movimentos, fazendo eles ficarem mais intensos a cada estocada na minha boca. Mesmo engasgado, eu não paro, ele geme alto e eu sinto a lubrificação da minha intimidade escorrer pelas minhas pernas. Seu membro pulsava na minha boca e Park Jimin jogava a cabeça para trás, constantemente.

-Eu vou gozar...-ele diz entre gemidos. 

Eu apenas continuo chupando.

-Você quer que eu goze na sua boquinha, é?-ele me lança um olhar que me faz ficar de pernas bambas. 

Eu tiro o pênis da boca para respirar um pouco e respondo.

-Quero...-eu mordo o lábio inferior.

Sem demorar, eu volto a chupá-lo, dessa vez sem a ajuda das mãos, eu deixava ele estocar na minha boca sem que eu o segurasse. Meus olhos lacrimejavam e eu engasgava mais, meu corpo estava quente demais, o suor escorria pelo meu rosto e meu cabelo já estava bagunçado com alguns fios soltos. Jimin deu uma última estocada, com força, e suas pernas vacilaram um pouco quando o gozo jorrou na minha boca. Eu não pensei muito e só engoli. Ele voltou seu olhar para mim e me ajudou a levantar. Limpou o canto dos meus olhos onde eu tinha lagrimado, de uma forma tão gentil que mal parecia o homem que estava fodendo a minha boca há poucos segundos atrás. Ele pegou um papel toalha e levou até a minha boca, limpando o resquício de gozo.

-Desculpa... fui muito grosso com você?-ele para de limpar para me olhar.

-Não, não, foi ótimo...-eu digo com um sorriso tímido no rosto.

-Ah que bom... eu achei que, talvez, tivesse exagerado um pouco.-ele retribui o sorriso.

-Não exagerou. Eu gosto de um sexo mais agressivo?-rio.

-Eu também, mas, infelizmente, não deu para fazer tudo o que eu queria aqui.

podia jurar que um sorriso malicioso tinha se formado em seu rosto, mas com aqueles olhos fechadinhos era impossível saber. Mas chuto que ele estava sendo malicioso.

-Mas, também, seria uma pena se nunca acontecesse.-ele abaixa a cabeça e sorri.

-Realmente.-eu digo.

-Bom, eu tenho que ir, não posso me atrasar.

Ele sobe a cueca e a calça, abotoa e coloca o cinto de volta no lugar. Eu apenas ajeito minha saia que havia subido um pouco.

-Tudo bem.-digo.

-Beijos.-ele beija minha testa e eu coro.

Ele destranca o banheiro mas hesita por um momento.

-Ah... você quer sair mais tarde?-ele parecia um pouco envergonhado, mas seu sorriso era o mais fofo do mundo.

-Pode ser.-digo, animada.

-Okay. Te mando uma mensagem sobre o local e o horário. Eu posso te buscar na sua casa, sem problema.

-Ah... tudo bem, eu vou esperar então.

-Ótimo. beijos.

Ele sai.

Eu respiro fundo sem acreditar no que acabou de acontecer. Lavo meu rosto e retoco a maquiagem, bem rápido para voltar ao trabalho. Eu iria terminar essa redação hoje mesmo, antes do meu encontro com o Park.

Volto para a biblioteca e vejo a Jihyo guardando suas coisas.

-Você já vai?-pergunto.

-Já. Não estou me sentindo muito bem.-ela diz um pouco impaciente e eu franzo o cenho.

-Ah... okay. Até amanhã então, Jihyo.-dou um sorriso.

-Até.-ela simplesmente se vira, sem olhar para mim e sem dar aquele sorriso de ela deu hoje, mais cedo para mim.

Ela deve estar realmente mal.

                        *****

Fico até umas quatro horas da tarde na biblioteca, tinha dado uma pausa apenas para almoçar num restaurante aqui perto. Encontrara Sana andando por lá e eu a chamei para conversamos. Disse a ela o que tinha acontecido entre Namjoon e eu, assim como falei do Jimin. Sua expressão fora uma das melhores. Ela dissera:"Você tem todos os homens doidos por você e eu não tenho nem piolho." Mas logo depois sua expressão mudara, era aquele velho semblante de que ela iria falar algo sério. E foi o que aconteceu. Ela me aconselhara a tomar cuidado com isso, que alguém poderia sair ferido dessa história. Dissera que eu poderia aproveitar, mas que deveria sempre deixar as coisas bem claras. E se eu estivesse gostando de um deles: Hoseok, Namjoon ou Jimin, o melhor seria eu focar em apenas um deles, por quem eu mais gostava. Eu concordei e disse que iria pensar antes de fazer qualquer besteira. Conversamos por uma hora e logo tive que voltar para a SNW.

Eu já havia terminado de digitar a redação inteira e senti orgulho por ter feito o meu melhor. Estava guardando meu material e fui direto para casa. Exausta. E ainda tinha um encontro mais tarde. 


Notas Finais


É isso, meu amores. Desculpa a demora. E para quem vai fazer enem amanhã, eu desejo uma boa prova. Beijos💙 até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...