História House of the Sun - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, Got7
Visualizações 5
Palavras 1.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Esporte, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente. Bom dia, tarde ou noite!
Então essa é a minha primeira história da vida e eu não tenho muita pratica. mas eu estou muito animada com isso e espero que gostem bastante.
Boa leitura e desculpem os erros de ortografia.
:-)

Capítulo 1 - Introdução


 

P.O. V. Hae

 Chamo-me Kim Hae e sou brasileira. Estranho? Muito. Bullying? Às vezes. Agora voltando à explicação.  Como já disse me chamo Kim Hae e “sou” brasileira. O motivo das aspas? Bom meu pai é Coreano e minha mãe Australiana. Mas minha avó por parte de mãe é brasileira e meu avô por parte de pai também. Engraçado não é? Bom meus pais se conheceram em uma viajem para aqui no Brasil, para conhecer a terra natal de seus pais. Desde então sempre amaram o pais e decidiram vir morar aqui. Assim eu nasci e vivi no Brasil durante a maior parte da minha infância.

Quando completei nove anos descobri que meu pai e minha mãe haviam conseguido um emprego um pouco diferente. Funcionava basicamente assim: eles eram um dos chefões, iam para cada filial da empresa, descobriam tudo o que estava errado e endireitavam todas as coisas por lá. Porém nunca demorava muito para arrumar tudo de uma filial para a outra, normalmente um ano, ou menos quando tinha pouca coisa, então eles mudavam. No começo foi bem de boas por que tinham umas três filiais na nossa cidade. Nesses eles trabalharam ao mesmo tempo em todas, então demorou por volta de um ano e meio.  Mas a partir daí começaram as mudanças. Primeiro foi pelo país então foi um pouco mais tranquilo, mas então após quase dois anos começamos a viajar para outros países.

México, Estados Unidos e Espanha. Todos aturáveis. Eu tinha um amigo ou outro, mas de quem eu sinto mais saudade é de Veronica. Uma menina muito sem noção que era minha vizinha nos Estados Unidos.

Bom, no meu aniversário de 15 anos na Espanha eu ganhei a melhor noticia da minha vida. Eu finalmente poderia passar bastante tempo em um “mesmo lugar”. Meus país puseram o meu nome em meio que uma lista de espera de um programa que era basicamente uma casa compartilhada por um monte de adolescentes em que nos só bancamos a metade das contas e nossa alimentação. Adivinha só eu passei! E não só eu como a Veronica também.

Então aqui estou eu, pulando feito louca por ter descoberto a melhor noticia do mundo. Já ate liguei para Veronica e descobri que ela estava escondendo isso de mim por um fucking mês.

Estamos em setembro (meu aniversario é dia 10), e com a noticia veio um monte de afazeres. Dentre eles estavam à renovação da minha carteira de dupla nacionalidade. Por que não sei se contei, mas eu irei estudar na Coreia do Sul. Além dessa parte de documentos eu e meus pais estávamos começando a arrumar a casa para a mudança, por que eles também se mudariam, mas para a África.

Em dezembro, um mês antes da minha partida, Veronica veio para minha casa aqui na Espanha para eu poder fazer um intensivo com ela de coreano, já que ela só falava inglês e eu era fluente em inglês, português e coreano.

 

 

_Quebra de tempo_

 

 

Já era de madrugada e eu e os meus pais fomos pegar a Veronica no aeroporto. Assim que eu vejo aquela louca e muito descabelada passando pela porta de entrada meus olhos enchem de lagrimas, mas são lagrimas de alegria. Ela vem correndo em minha direção e eu vou à direção dela. Após um grande e forte abraço ela cumprimenta meus pais.

 

V: TIO! TIA!- ela da um grito e os abraça, que ficam um momento sem reação, mas logo retribuem.

Veronica aprendeu a falar português comigo, eu queria tanto um amigo brasileiro para poder conversar com ele normalmente que ela se esforçou muito e aprendeu. Além de muito bonita ela era também muito inteligente.

Sra.Kim: Oi querida, tudo bem? Como foi o seu voo?- minha mãe diz quando o abraço finaliza.

V: Meio cansativo tia, mas estou muito empolgada de estar aqui! – ela diz com um grande sorriso no rosto.

Sr.Kim: Que bom que está empolgada querida. – diz meu pai meio dormindo, meio acordado– mas que tal vocês irem pegar as malas para que possamos voltar para a casa e irmos dormir. Afinal você pode estar temporariamente sem aula, mas a Hae não está.

Quando meu pai me lembra dessa terrível realidade me sorriso chega até a diminuir. Mas aí eu olho a cara de interrogação da V (como chamo ela de vez em quando) e caio na gargalhada.

Pego o braço dela, entrelaço no meu e vou em direção à parte das bagagens em quanto meus pais vão para o carro nos esperar lá.

Hae: Então pequena criança – digo brincando, pois ela era mais alta que eu – eu ainda terei uma semana de aula pois a bendita da diretora diminuiu os nossos horários para que não ficássemos tanto na escola mas, em contra partida aumento os dias de aula.

V: Mds. Então você esta falando que eu vou ficar uma semana inteira, todas as manhãs, trancada em uma casa ou indo para fora e me perdendo, pois eu não sei falar espanhol?! – ela diz fazendo bico.

Hae: Ai meu deus, para de drama ô criança birrenta, - digo dando um pequeno empurrão nela, mas que a faz quase cair, pois estava carregando um carrinho cheio de malas – É só uma semana, e o espanhol é bem parecido com o português.

V: Criança birrenta é o caralho! – fala ela já irritada por quase cair e por eu estar zoando com a cara dela – Ou você já se esqueceu de que eu não sei falar nem o português direito?

Hae: Para de ser perfeccionista Veronica. – digo rindo – seu português é perfeito. E outra eu não vou todos os dias para a escola por que eles só vão entregar o boletim, e eu já sei as notas que eu tirei. – quando termino de falar isso nos chegamos ao carro.

Após eu nem sei quanto tempo nós finalmente conseguimos enfiar todas as coisas da Veronica dentro do carro. Meu pai deu a partida e fomos para a casa. Chegando lá eu ajudei a V e fui mostrar o quarto dela, que antes era o quarto de hospedes. Quando chegamos todos aos seus quartos todos foram dormir, pois amanhã todos acordariam cedo, mesmo que não quisessem.

 

 

 

 

 

Continua ...?

 

 

 

 

 


Notas Finais


Então povo, espero que tenham gostado.
Beijos e tchau <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...