1. Spirit Fanfics >
  2. House Shuffle >
  3. Capítulo 2

História House Shuffle - Capítulo 2


Escrita por: An_celes

Notas do Autor


Demorou mais do que eu esperava para lançar isso, mas está aqui.

Capítulo 2 - Capítulo 2


-Não é tão ruim assim Popsey. -Falou Sasha com um sorriso no rosto enquanto eles passavam por um deserto.

-Mas não foi assim que eu me lembro que aconteceu. -Falou a rã com um rosto carrancudo enquanto dirigia seu caracol. -Essas histórias não respeitam os mais velhos.

Sasha ri da fala de Hop Pop, por um lado ele estava certo, algumas histórias não respeitavam ninguém. Mas ele não tinha feito muita coisa, nenhum dos Plantars, apenas ela.

Apenas ela e Marcy agiram uma contra a outra. Ela logicamente se lembrava das bombas que a Polly espalhou, mas sua mente só conseguia focar nesse momento. A memória ainda a atormentava a cada momento de paz que tinha, ela ainda podia sentir cada sensação. O choque das lâminas, os golpes contra seu corpo e principalmente as palavras de Marcy.

Bondade falsa. Sasha escutou a voz de Marcy em sua cabeça.

Essas palavras mexiam com o seu interior de um jeito que todas as palavras da terra não faziam. Sasha tinha mudado, ou ao menos ela estava tentando. Ela iria conseguir mudar, não iria voltar a ser aquela pessoa que botou os Plantars em perigo apenas por acreditar que suas ações não tinham consequências.

E o fato dos perigos de Amphibia estarem em literalmente todo lugar não ajudava em nada, ela se lembra da vez que eles foram atacados por insetos gigantes flamejantes. E o pior era saber que isso era real, mas a doce lembrança de lutar pela sua vida com a sua família de rã favorita a animou levemente.

-Olha uma cidadezinha! -Grita Polly pulando no colo de Sasha.

A loira levanta sua cabeça e olha para a intitulada "cidadezinha", e a Polly estava certa. Ela realmente merecia aquele "inha". Eles descem da saperua e entram na pequena cidade que abrigava uma espécie de anfíbios pequenos. Ela tinha que admitir, alguns deles eram fofinhos.

Ela estava próxima ao Hop Pop enquanto ele comprava algumas coisas que seriam necessárias na viagem, ela aguardava sentada na areia junto aos dois Plantars menores, até que é escutado uma comoção não muito longe deles. Levantando em conta o tamanho dela somente ficar em pé já seria o necessário pra saber o que estava acontecendo.

Se tratava de um sapo com roupas de faroeste, ele estava extorquindo os pequenos sapos, aparentemente era por uma teórica proteção. Uma proteção contra eles mesmos.

Sprig e Polly estavam falando alguma coisa, mas sua mente estava em outra coisa, em uma lembrança.

Bondade falsa. Sua mente repete.

Não era falsidade, e ela iria mostrar isso agora. Sasha dá alguns passos para se aproximar do sapo, ela ignora o passo que Hop Pop ia dar, ele possivelmente iria impedir ela.

-Ei feioso! -Gritou Sasha ganhando a atenção que queria, o sapo solta um dos pequenos sapos e olha pra ela. -Vaza daqui antes que eu te expulse!

Não é uma surpresa dizer que ele não foi embora, o sapo tinha levantado seus punhos e tentado Sasha. Mas tudo o que ela fez foi chutar sua cara que o fez sair rolando até alguns metros fora da cidade. Ele se levantou e falou que isso não iria ficar assim. Sasha se vira e se depara com vários daqueles pequenos sapos, possivelmente era a população da cidade toda.

Eles tentaram a erguer com seus braços curtos e fracos, mas logicamente não conseguiram. Eles a chamavam de heroína e diziam como estavam admirados com sua bravura e afins, o que ela gostou de ouvir foi o "heroína". Se eles a viam assim, ela que não iria mudar o pensamento deles. Quanto mais eles pensavam isso, mais ela podia acreditar que era verdade.

-Sasha se você já acabou nós temos que pegar a estrada. -Falou Hop Pop a poucos metros de distância junto a Polly e Sprig. Sasha é tirada de seu êxtase mental.

-Oh sim, desculpa já... -Sasha para de falar quando um dos sapos pula em sua perna. Ela o coloca na palma de sua mão e o põe na altura do seu rosto. Era um garoto com roupas que lembravam um marinheiro.

-A senhora vai nos proteger da gangue deles, não vai? -Perguntava o sapinho, se ela estivesse certa ele se chamava Billy. Os olhos de Sasha viajavam entre os de Billy e dos Plantars.

-Eeeehhh...bem... -Ela não sabia como responder por um tempo, ela queria ficar para os ajudar, mas não queria correr o risco de perder pistas sobre o paradeiro de Anne e de como voltar pra casa. Até que novamente aquela frase é falada novamente em sua cabeça, então Sasha finalmente faz sua escolha. -É claro que eu vou. Enquanto eu estiver aqui vocês não tem que se preocupar com eles.

Os pequenos comemoravam felizes, mas a família de rãs a sua frente não parecia muito bem com isso, uma velha rã em específico.

-Sasha, podemos conversar? -Falou Hop Pop ganhando a atenção da loira novamente, ela deixou os pequenos juntos a Sprig e Polly, se algo acontecesse eles iriam gritar por ajuda. Sasha e Hop Pop estavam ao lado da saperua.

-Eu quero fazer uma simples pergunta. -A rã limpa a sua garganta. -VOCÊ ESTÁ LOUCA MULHER?!

Sasha coloca a mão na boca da rã a calando, mas seu grito já tinha chamado a atenção dos outros.

-Tudo normal por aqui. -Ela fala com um sorriso forçado, mas ninguém pareceu se importar com isso. Ela tira a mão da boca de Hop Pop e volta a falar com seu tom normal. -Não entendi o seu chilique Popsey, eu vou ajudar eles, aqueles sapos nunca mais vão voltar e podemos seguir viagem.

-Não é assim tão fácil, nem tudo pode ser resolvido tão fácil igual na vez com os sapos da torre ou na torre dos sapos. Assim que eles souberem que você não está mais aqui, eles vão voltar e vai tudo recomeçar, isso se não piorar ainda mais. -Falava Hop Pop. Ela sabia que ele estava certo, só queria se apegar a ilusão que seria fácil.

-Eu sei disso, mas eu não posso deixar eles agora que eu causei isso. -Sasha fala e olha para a animação daqueles pequenos sapos com um olhar carregado de pesar.

-Eu conheço esse olhar, quer falar sobre isso? -Oferece Hop Pop com um sorriso gentil, Sasha o olha por alguns instantes. E ela chega a pensar sobre isso.

-Não, não é nada demais. -Fala Sasha se afastando da rã e indo onde os sapinhos se divertiam. Ela toma a frente deles e chama a atenção de todos. -Escutem aqui sapinhos! Eu vou proteger vocês hoje, mas eu irei embora assim que me livrar daqueles patetas! É por isso que eu vou ensinar vocês a se defender!

Não demorou muito pra Sasha se arrepender do que tinha falado, ela pode ver em primeira mão do porque eles nunca revidaram até agora. Seu tamanho não colaborava e sua aptidão a qualquer tipo de violência parecia ser nula. Quando ela fosse embora eles estariam perdidos.

-Sasha, acho que não tem nada que possamos fazer. -Falou Sprig ao lado dela se sentando na areia. -Sasha suspira, ele possivelmente estava certo.

-Esses carinhas são pacíficos demais, eu mesma poderei conquistar esse lugar em dois instantes. -Falou Polly colocando a cabeça pra fora do seu balde.

-Eu sei que isso possivelmente não vai dar em nada, mas eles precisavam de alguém. Sabe, aquela coisa de se tem alguém precisando de ajuda você ajuda, proteger alguém que precise e blá blá blá. -Essas palavras sempre soavam de uma maneira estranha quando vinha da boca de Sasha, porém agora elas pareciam estar ficando mais normais, e mesmo assim ela ainda parecia ser horrível nisso. Sasha dá um suspiro forte. -Será que eu não piorei tudo pra eles?

-Bobagem. -Eles se surpreendem com a voz de Hop Pop atrás deles. -Sasha, ajudar os outros não é fácil, na verdade é mais difícil e muita gente desiste no meio. E é por isso que eu estou orgulhoso que você não desistiu até agora.

-E se você desistir nós vamos fazer você comer o ensopado de vermes podres do Hop Pop! -Falou Sprig pulando em sua cabeça, mas a rã não gostou de ter sua comida insultada.

-A minha comida não é ruim assim, e aqueles vermes estavam ótimos! -Hop Pop se defende com orgulho.

Eles nem se deram conta de que conseguiram arrancar um sorriso da loira, e muito menos que um pequeno sapo escutou a sua conversa. Sasha agradece ao Hop Pop por acreditar nela, mas o momento não dura muito que logo se escuta a voz daquele sapo de antes.

-Toda a gangue Hasselback está aqui. Ainda acha que pode cuidar de todos nós, criatura? -Ele falava provocativo com um sorriso prepotente no rosto, ele e sua gangue estavam no meio da pequena cidade. Sasha se levantou e virou para eles.

-Sem dúvida. -Fala Sasha sacando sua espada ainda empunhada na bainha.

Seus olhos vagavam entre cada membro, principalmente na matriarca da gangue. Ela puxa um rolo de pizza feito de metal e o bate no chão, o chão tremeu.

Nem um pouco intimidante. Só um rolo de pizza que vai me transformar na pizza mais bonita do mundo. Pensava Sasha com sarcasmo.

Eles se encararam por tempo o suficiente para aparecer uma bola de palha que foi carregada ao vento, e então o primeiro a avançar foi um dos Hasselback. Ele pulou e tentou a acertar com um soco, mas ela desvia e dá um forte golpe em seu rosto que o faz ser jogado em uma das construções da cidade.

Sem tempo para respirar ela se desvia de um corte de uma adaga que a quase atingiu, foi pura sorte. Aquela lagartixa deu um sorriso presunçoso para ela, a próxima coisa que Sasha sentiu foi algo se enrolando em sua perna e seu corpo atingindo o chão logo em seguida. Ela havia caído e ela lutava para impedir que a adaga perfurasse seu peito. Pensando rapidamente, a loira pegou um pouco de areia rapidamente e jogou no rosto da sua agressora. A lagarta então se levanta e começa a esfregar seus olhos furiosamente enquanto cambaleava sem rumo, Sasha aproveita esse tempo para se levantar.

Sua visão ia para os cinco membros da gangue a sua frente, ela só acertou um deles pra valer e ele já estava de pé, apesar de mostrar dificuldades para isso. Ela deveria acabar com eles rápido, se não isso iria bem perigoso.

Antes que pudesse pensar mais, ela vê uma língua se estigando até ela, mas ela usa sua espada para se proteger. Péssima idéia, a língua se enrolou na bainha e puxava a espada com força. Sasha lutava pela sua espada, mas os outros três Hasselback se aproveitaram desse momento para avançar pra cima de Sasha. Por um momento Sasha tinha se visto encurralada sobre o que fazer, mas ela tinha pensado em algo, só esperava que as chances estivessem com ela. Ela puxou sua espada com mais força, os três Hasselback se aproximavam e o tempo de Sasha se esgotava. Então o sapo que estava segurando sua espada é puxado pela força de Sasha, e a loira utiliza do próprio corpo do sapo para o utilizar como arma, assim atingido os outros Hasselback os fazendo atingir as construções e o chão logo em seguida. Eles tentaram se levantar, mas logo desistiram.

-Somos só você e eu, mamãeback. -Falou Sasha retirando sua espada da bainha, não é como se ela quisesse a matar. Mas duvidava que a bainha fosse ajudar em alguma coisa agora.

A loira correu pra cima da sapa e a golpeava rapidamente, mas ela se protegia com aquele rolo sem dificuldades. Sasha diminui o movimento de seus golpes por um momento, e logo é acertado por um soco que quase a faz voar. Agora foi a vez da Hasselback de fazer golpes incessantes, Sasha se desvia deles com certa facilidade. Sasha nota que seus golpes estavam ficando mais lentos, se continuasse assim logo ela teria uma abertura. Mas isso não aconteceu.

-Criatura, pegamos seus amigos! -Falava um dos membros chamando a atenção dela, ela se vira e vê que os Plantars estavam presos em barris. Barris bem grandes para uma cidade daquele tamanho. -Ou você se rende ou eles vão sofrer!

Sasha se enfureceu, podia sentir seu sangue fervendo e o peso de sua espada diminuindo a medida que seu aperto ficava mais forte. Mas ela não tinha outra escolha a não ser fazer o que eles mandaram, ela joga a sua espada no chão ao seu pé, a lâmina entra na areia quase que completamente e ali fica. Ela então é pega pelos braços pela mamãe Hasselback e colocada em um barril do seu tamanho, era impressionante que tivesse tantos barris grandes por aqui.

Agora eu sei como os nerds se sentem, e não é legal. Pensa Sasha.

-Venham ver pequeninos! Sua criatura salvadora está prestes a ser esmagada! -Gritou a matriarca da gangue.

Aos poucos os pequenos sapos começaram a aparecer, mais por medo do que eles fariam se não estivessem ali do que outra coisa. É perceptível os olhares de terror que os olhos deles carregavam, sua tristeza escondida atrás do medo e sua esperanças quebradas escondida atrás do terror. Sasha podia ver aquele sapinho com roupa de marinheiro, ela tentou dar um sorriso forçado para algo, talvez fazer sua morte parecer menos ruim para ele, nem ela sabia, apenas porque parecia o mínimo que ela podia fazer.

-Se arrepende de ajudar esses fracassados? -Provocou a velha sapa rindo logo em seguida. Sasha virou seu rosto irritado para ela.

-Vocês só me tem presa porque pegaram os meus amigos de refém, ao que parece vocês é que são os fracassados aqui. -Sasha tirou a risada da boca dela.

-Já chega, vamos acabar com isso. -A velha sapa ergueu a sua arma e estava preparada para acertar a cabeça da criatura loira a sua frente.

-No rosto não pra não estragar o velório! -Sasha fechou os olhos com força enquanto esperava receber o golpe, mas ele nunca veio. A única coisa que veio foram gritos que atingiram seus ouvidos.

Ela abre os olhos e vê a pequena população de sapos se rebelando contra seus agressores, e pelo sapo eles tinham dentes afiados. Nem mesmo a mama Hasselback pode lidar contra alguns sapos começaram a morder ela. Os membros da gangue corriam enquanto os cidadãos da cidade os perseguiam e mordiam mais. Então um pequeno sapo com roupas de marinheiro apareceu em frente a Sasha, Billy.

-Billy, vocês conseguiram! Finalmente estão enfrentando os caras maus! -Falou Sasha com orgulho tentando se libertar do barril, mas falhando.

-Sim, isso graças a você. Você nos inspirou com o que você disse. -Billy arranca uma parte da madeira do barril com a boca, e isso deixa mais fácil para Sasha se libertar. Mas ela ficou confusa, ela não tinha dito nada de especial. -Aquilo sobre proteger alguém que precise e blá blá blá.

-Ooohhh, isso. Perai, então você escutou a nossa conversa? -Perguntou Sasha retirando os Plantars dos barris.

-É difícil de não escutar com o tamanho de vocês e o tamanho da cidade. -Falou o sapinho como se a resposta fosse óbvia.

-Você nos protegeu antes quando precisávamos, e agora protegemos você quando você precisa. -Ele falava com um sorriso mostrando dentes afiados, então ele se vira para continuar atacando os Hasselback. Mas antes ele vira pra Sasha e fala. -E o meu nome é Bailey.

Logo em seguida os Plantars pegam a estrada e seguem seu caminho, a última coisa que virão antes de pegarem a Bessie foi fogo e eles não podiam arriscar colocar fogo na saperua. Estavam todos sentados na frente enquanto o Hop Pop dirigia.

-Acho que no final acabou tudo bem. -Falou Sprig puxando seu violino, ele estava prestes a começar a tocar mas Sasha o impediu no meio.

-Não, não acabou não. -Eles se viram pra ela. -Se não fosse por mim todos nós estaríamos igual amassados igual a uma pizza agora. Eu...sinto muito por isso.

-Sasha está -Hop Pop é interrompido por ela.

-Não me venha falar que está tudo bem! Por causa de mim e da minha insegurança vocês quase morreram. -Ela falava segurando suas pernas com os braços e enfiando seu rosto no meio, não era uma posição segura, mas eles estavam em baixa velocidade.

Sasha sentiu braços abraçando seu corpo, ela levanta seu rosto levemente apenas o suficiente para olhar e vê que os Plantars a estavam a abraçando.

-Sasha, se não fosse você que tivesse intervido teria sido eu. -Fala Hop Pop quebrando o seu abraço e vendo o pouco de seus olhos que estavam amostra. -Eu ia intervir só pra mostrar que eu não sou um "velho covarde". Provavelmente ia sair pior do que o que você fez...bom eu acho essa rã ainda tem algumas inseguranças.

Hop Pop dá uma risada frouxa e forçada enquanto seus olhos desviavam do de Sasha. A loira desfaz a sua posição e fica sentada normalmente, ela coloca uma mão no ombro da rã e isso chama a sua atenção.

-Acho que nós dois precisamos conversar sobre certas coisas. -A rã concordou com um fraco sorriso. -Então...sobre essa minha insegurança...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...