1. Spirit Fanfics >
  2. How Are You True? >
  3. 03 - te agradeço, papai, mamãe e irmão.

História How Are You True? - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


e vamos de capítulo novo. ✊🤪

Capítulo 4 - 03 - te agradeço, papai, mamãe e irmão.


“Eu acredito que, o que quer que aconteça, quando a tristeza vier, é melhor ter amado e perdido, do que nunca ter amado.” 

— Alfred Lord Tennyson. 

Naruto não sabia descrever o quão bem estava se sentindo ao se olhar no espelho naquela noite. Seus olhos azuis brilhavam em turquesa ao sentir seu coração calmo como há muito tempo não esteve. Seus cabelos amarelados — herdados de seu pai — estavam arrumados com um pote de gel que sua mãe tinha lhe trazido mais cedo e ele sabia que aquela noite era muito especial.  

 Olhou no espelho mais uma vez antes de passar seu perfume e pegar o embrulho que seria de Minato no final da noite. Naruto tinha uma pequena surpresa para seu velho e sentia seu estômago virar em ansiedade e expectativa. 

 Desceu as escadas ouvindo barulho de risadas e conversas pela sala. Sua mãe tinha preparado uma pequena festa em comemoração ao aniversário de Minato e tinha chamado alguns amigos da família para se juntar a eles, bem poucos, em torno de oito conhecidos.

 Naruto guardou o presente de seu pai em um lugar em que Minato não veria e caminhou em direção as pessoas para cumprimentar e usar a educação que Kushina Uzumaki lhe deu a muito custo. 

 Avistou seu irmão mais velho sentado no sofá com uma cara de tédio e caminhou em direção ao ruivo Uzumaki. 

— Não enche, seu porre. — Kurama resmungou antes que seu irmão abrisse a boca. 

— Mas eu não falei nada. — protestou antes de se jogar ao lado do mais velho. 

— Mas você ia. — sorriu atrevido. — Ficou legal os riscos que fiz no seu cabelo, ‘tava na hora de mudar esse ninho de rato. — deu risada da cara emburrada do loiro.  

 Kurama passou os braços pelos ombros do irmão e o deixou descansando ali. 

— O que eu perdi até agora? — perguntou enquanto avistava algumas pessoas bebendo pela sala.  

— Sakura bebeu alguns ponches e saiu arrastando a Hinata para o jardim. — abriu um sorriso malicioso. — O Nagato sumiu com o Yahiko e a Konan está ouvindo Paramore na porta de casa. — comentou a última parte como se fosse interessante. 

— Konan brigou com esses dois? — perguntei. 

— ‘Tá ignorando eles desde que chegou. — comentou. — Eu acho é pouco.  

— Você não presta, Nii-san. — sorriu.  

— É bom te ver sorrir como antes. — desviou o olhar. 

— Oi? — perguntou enquanto piscava os olhos. 

— Faz tempo que não te vejo sorrir como antigamente, fico feliz em te ver feliz. — sentiu as bochechas corarem. — Mas chega dessa porra. — resmungou e alguns segundos depois sentiu um tapa ardido em sua nuca. — O que rolou? — levantou os olhos e encontrou dois pares raivosos parecidos com os seus. 

— Olha a boca, seu menino. — Kushina adventiu e sorriu logo depois para o Naruto. — Oi, querido. — beijou os cabelos dele e aspirou o cheiro gostoso de seu filho caçula.  

— Oi, mamãe. — Naruto sorriu e beijou as mãos macias da ruiva. 

— Eu apanho e ele recebe carinho, irmãos caçulas. — resmungou emburrado, sentia ciúmes de toda aquela demonstração de carinho para o loiro.

— Não fica assim, neném. — Kushina riu do ciúmes de seu primogênito e beijou seus cabelos vermelhos.  

— Não faz isso na frente das pessoas, mamãe.  

 Naruto riu da vergonha de seu irmão mais velho. 

— Já vamos entregar o presente para seu pai, é bom vocês pegarem o de vocês. — sorriu maldosa antes de bagunçar o cabelo dos dois e ir em direção ao marido. 

 Naruto levantou do sofá logo após Kurama e saiu em direção ao seu presente de aniversário.  

 — Eu queria agradecer por todos estarem aqui hoje, é realmente muito especial e gratificante para mim. — Minato fez um pequeno discurso. — Eu quero que curtem a noite e sejam felizes. — sorriu no final. 

— Vamos a entrega dos presentes. — Kushina bateu palminhas felizes. — O primeiro é o meu. — pegou um embrulho pequeno nas mãos e foi em direção ao loiro mais velho. — Eu te amo, minha vida, feliz aniversário.  

Minato sorriu para a esposa e pegou a pequena caixa nas mãos. Desfez o laço gentilmente e tirou de lá um pequeno colar de prata.  

— Uau, minha vida, é muito bonito. — elogiou. — Só não tanto quanto você. — se aproximou e deixou um beijo nos lábios da esposa. 

Todo mundo fez um som fofo na sala. 

— Você não perde esse costume, não é? — a ruiva o beijou rápido.

— Nunca, é sempre bom te enaltecer, mulher. 

— Nossa, que boiola. — seu irmão falou em seu ouvido e Naruto pisou em seu pé. — Vai ter volta, otouto. — resmungou. 

— Quem é o próximo? — Kushina perguntou olhando para Naruto. Ela sabia do presente dele e ficou toda orgulhosa. 

— Pode ser eu. — Naruto sorriu tímido para seu pai. — Feliz aniversário, Oto-san. — se aproximou e abraçou Minato. — Eu escrevi algumas coisas ‘pra você, ‘ttebayo. — coçou a cabeça envergonhado. 

— Que fofo, estamos na quinta série de novo. — Kurama fez uma piadinha. 

— Cala a boca, seu estrume. — Naruto xingou o irmão e voltou para seu pai que tinha os olhos cheio de lágrimas. 

 Kushina resolveu ignorar aqueles dois por hora, depois os pegariam de jeito.

— Obrigado, meu filho, eu amo você. — limpou os olhos. — Eu posso ler? — Naruto assentiu. 

 Kushina se aproximou e passou seu braço pela cintura do marido, em um abraço amoroso. 

‘’Eu gosto de observar você e a mamãe dançando no meio da noite, ouvindo um disco qualquer e sorrindo um para o outro. Vocês parecem dois recém apaixonados e um dia eu gostaria de ser assim com alguém. 

Acho que nunca tive chance de agradecer aos dois por me proporcionar essa bela imagem, eu a carregarei para todo o sempre junto de mim.

Também nunca agradeci diretamente a você, papai, por ser o meu grande herói e por sempre carregar eu e Kurama quando dormimos no sofá depois de maratonas alguma série juntos, mesmo estando velhos demais para sua coluna aguentar. Também não te agradeci por ter me levado para o show do Coldplay quando eu ainda não tinha noção da vida, fomos apenas eu e você naquela noite, aquele dia foi mágico e eu gostaria de repetir qualquer dia desses, mas prometo que dessa vez pago tudo. 

Toda vez que eu me olho no espelho, mesmo estando insatisfeito com o que vejo, agradeço por ter puxado os seus cabelos amarelados e seus olhos tão azuis quanto o oceano, eles me trazem paz. Você é ainda mais bonito que eu, papai, mas os meus cabelos são mais brilhantes que os seus. 

 Esse presente não é grande coisa, foi apenas uma lembrança de todas as noites ouvindo suas músicas favoritas, eu poderia ouvi-las por toda eternidade que nunca me cansaria. Espero que goste, de coração. 

 Obrigado por me deixar ser seu filho, por me acobertar das rebeldias que fazia com a mamãe e por não dizer ao Kurama que eu quebrei sem querer sua guitarra favorita, ele fez um grande esforço para comprar outra. 

Você sabe ser duro quando é necessário, agradeço também por nunca exagerar nos castigos.

Te carregarei comigo até depois da minha morte. Obrigado pela família que me deu, espero estar aqui sempre para trazer luz para essa casa. 

 De seu pequeno relâmpago amarelo, Uzumaki Naruto.’’ 

Naruto sentia as bochechas corarem após seu pai terminar de ler seu pequeno bilhete. Sua família chorava baixinho e Kurama tentava fingir que aquilo não o afetava, mas seus olhos estavam tão vermelhos quanto seus cabelos. 

— Então foi você que quebrou minha guitarra, é? — Kurama perguntou enquanto olhava fingindo estar bravo para o irmão mais novo. 

— Eu não contava que o papai iria ler isso em voz alta, ‘ttebayo. — sorriu sem graça. 

— Eu amo você, meu filho, obrigada por essa carta e pelo presente. — Minato abraçou com força o filho caçula. — Você é minha pequena luzinha e eu sou tão grato por ser seu pai. — Naruto sentiu novos braços os rodeando em um abraço em família. — Acertou em cheio no presente, filhão. Eu amo The Smiths. 

— Eu sei, papai.

— Eu te amo, Otouto. — Kurama falou baixinho. — Obrigada por me deixarem fazer parte dessa família. 

— Eu poderia morrer agora que morreria feliz. — Naruto comentou. 

— Vira essa boca ‘pra lá, ‘ttebane. — Kushina beliscou seu braço. 

— Aí, quem me beliscou? — Minato resmungou enquanto massageava o braço sem cortar o abraço, ou pelo menos tentava, já que estava um pouco difícil. 

— Desculpe querido, pensei que fosse o Naruto. — riu sem graça. — Eu amo vocês três, vocês são os homens da minha vida.  

 Aquele pequeno momento família acabou alguns segundos depois. Kakashi fez questão de fazer um barulho com a garganta fingindo ciúmes e ficou logo vermelho após Kushina deixar um beijo em sua bochecha e puxar ele para o abraço dos Uzumaki. 

 Naruto não podia ficar mais feliz do que estava, ele só tinha que fazer uma pequena coisa naquela noite. 

 Após todos irem embora, Naruto foi em direção a cozinha, onde sua mãe arrumava as coisas.  

— Pode juntar algumas coisas salgadas para mim, mamãe? — perguntou como quem não quer nada. 

— Vai levar para alguém, meu amor? — abriu um sorriso malicioso. 

— Para um amigo só, 'ttebayo. — se encostou na bancada da cozinha. 

— Eu conheço? — perguntou enquanto fazia o que seu filho pediu.  

— Não, mamãe. — deu de ombros. — Qualquer dia eu te apresento. 

— É lógico que vai me apresentar, quero conhecer o garoto que está fazendo meu filho sorrir para o nada de novo.  

— Ora, mamãe, não é nada disso. — ficou vermelho. 

— É sim, mamãe. — Kurama entrou na cozinha com os cabelos molhados pós banho. — Hoje ele estava cantando no banheiro e acredita que ele arrumou o cabelo? Duas vezes ainda? — fez uma cara chocada. 

— Vocês são muito maliciosos, não tem nada demais entre eu e o Sasuke, tá bom? — resmungou enquanto cruzava os braços. 

— Sasuke, é? — Kurama pensou por um momento. — Uchiha? 

— Como sabe? — perguntou curioso. 

— Conheço o irmão mais velho, ah, Itachi. — abriu um sorriso bobo, mas logo desmanchou para ninguém perceber. 

— Ih, passaram mel nesses Uchiha’s, hein. — sua mãe deu risada. — Aqui, bebê. — entregou os salgados para Naruto. 

— Bebê. — Kurama fez sons de beijo com a boca. 

— Cala a boca, neném. — Kushina bateu no ombro do filho mais velho. 

— Tchau, mãe. — beijou a bochecha da Uzumaki. — Volto rapidinho. — caminhou até a porta. — Tchau, neném. — o imitou com sons de beijo e saiu rindo após ver a cara emburrada de Kurama. 

 Naruto pegou o celular de seu bolso e resolveu mandar uma mensagem para o moreno. 

[22:54] Naruto: Boa noite. Você está na loja? 

 Aguardou alguns segundos e logo Sasuke estava online. 

[22:55] Sasuke: Estou sim, bebê. Estou arrumando as mercadorias que chegou hoje, quer me ajudar?  

O Uzumaki sentiu as bochechas corarem pelo apelido que ouviu alguns minutos antes e não conseguiu conter o sorriso ao imaginar Sasuke o chamando assim mais vezes. 

[22:55] Naruto: Estou virando a esquina, te trouxe algo. 

[22:55] Sasuke: Vou acabar ficando mal-acostumada ao receber tantos presentes, gatinho. 

Guardou o aparelho ao estar em frente da loja. Sasuke abriu um sorriso lindo ao ver o loiro parado na entrada. 

— Boa noite, Uzumaki. — se aproximou e beijou a bochecha dele. 

— B-boa noite, Sasuke. — sorriu tímido. — Eu te trouxe isso.  

— Você realmente levou a sério esse lance de conquistar pela barriga, não é? — deu risada. — Obrigada, minha vida. — sorriu. 

 Sasuke puxou Naruto pela mão até dentro da loja e colocou o presente no balcão. Pegou um dos salgados e comeu e depois deu outro para o loiro.  

— Está gostoso, obrigada de novo, Naruto-kun. — sorriu.  

Naruto avistou um moreno quase idêntico ao Sasuke descer as escadas do fundo da loja e arregalou levemente seus olhos azuis. 

— Otouto, eu já arrumei lá ‘pra você e... — parou de falar ao ver o Uzumaki. — Olá, tudo bem? — limpou as mãos na roupa e se aproximou para o cumprimentar. — Sou Uchiha Itachi. — sorriu. 

— Uzumaki Naruto. — apertou a mão do mais velho e sorriu também. 

— É o garoto que você tanto fala, Sasuke? — se virou para o irmão. 

— Itachi! — Sasuke sentiu suas bochechas corarem. — Não ligue para meu irmão, Naruto. 

— Ora, ligue sim, Naruto-kun. — deu risada. — Você é parente de Uzumaki Kurama? — perguntou enquanto olhava atentamente o rosto do loiro. 

— Ele é meu irmão mais velho. — segurou um sorriso malicioso por dentro. 

— Vocês são tão diferente, só os riscos nas bochechas que são iguais.  

— Eu puxei o meu pai e Kurama a nossa mãe. — sorriu. — Ele fala bastante de você. — comentou fingindo desinteresse. 

— É sério, Naruto-kun? — Itachi sentiu as bochechas corarem.  

— Meu irmão é boiola pelo seu. — Sasuke comentou rindo da cara idiota de Itachi. 

— Não é verdade. — resmungou. — Eu tenho que ir, boa noite ‘pra vocês dois.  

 Itachi beijou o cabelo de seu irmão e sorriu para o outro antes de partir. 

— Eu não sabia que eles se conheciam. — Naruto comentou. 

— Também não. — Sasuke sorriu. — Gostei do seu cabelo, você fica bonito com um corte estiloso. 

— Obrigado, Sasuke-kun.

 O Uzumaki ficou olhando para o rosto bem desenhado do moreno e sorriu bobo. Ela estava usando um batom vermelho e os cabelos arrumados com algumas presilhas. Usava um vestido escuro e uma meia arrastão, Naruto a achou tão bonita e sexy vestida assim. 

— Você gosta mesmo de me olhar, não é? — Sasuke sentiu suas bochechas corarem, aquilo se tornou tão comum quando estava ao lado do outro.

— Gosto de apreciar o que é bonito.  

O loiro ficou olhando mais um tempo para a mais velha e suspirou para tomar coragem  antes de perguntar. 

— Quer ir em um encontro comigo, Sasuke-kun?


Notas Finais


acho que esse é um dos meus capítulos favoritos até agora.
espero que tenham gostado e kurama como irmão do naruto é tudo p mim.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...