História How can i say - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Tags Day6, Honeybabe, Jaemin, Jeno, Nct, Nct 2018, Nct Dream, Nomin, Songfic
Visualizações 53
Palavras 1.312
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção Adolescente, LGBT, Musical (Songfic), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá gente turu bom?
CARA EU TO FELIZ
EU TO TRAZENDO UMA FANFIC NOMIN ISSO É UM MILAGRE

Leiam essa fanfic escutando How can i say do day6 Beleza? beleza

Bom capitulo :3

Capítulo 1 - Capitulo único;


Como eu posso dizer

Que meu coração já te abandonou?

Estava sentado no sofá, junto com Jeno, atualmente, meu namorado, enquanto assistíamos um filme qualquer que passava na televisão esta hora da noite.

Eu me sentia bem assistindo o filme, porém outra coisa estava me incomodava: O fato de estar com Jeno, a companhia dele, essa já não me agradava mais. Sentia-me mal, odiava-me a cada dia por fazer isso com ele.

O fato de não me sentir mais feliz ao lado dele, isso me incomodava. Eu queria poder olhar para o garoto e dizer “eu amo você", mas há muito tempo, meu coração não sentia mais isso. Ele não queria dizer isso, mas minha mente não obedecia e tudo que eu conseguia fazer era forçar um sorriso.

Entende como me sinto? Parece que meu coração vai rasgar toda vez que ele me olha, que sorri para mim. Eu peço a todos os Deuses possíveis para que esse amor acabe, que ele deixe de me amar e entenda que nosso relacionamento não existe mais, porém parece que isso nunca irá acontecer.

Uma agulha parece perfurar meu corpo toda vez que ele diz me amar. Eu não me sinto digno de ser amado por Jeno, não mais. Quando nos conhecemos, eu olhei o garoto e pensei que o mesmo era minha alma gêmea. Agora percebo que isso tudo não passa de invenção.

Um ano.

Um ano foi o suficiente para viver coisas boas com o Jeno, agora eu só vivo momentos forçados. Toda vez que estamos juntos ele está feliz, já eu? Nunca consigo entender como ainda estou com ele.

Me sinto mal por prendê-lo. Por deixá-lo comigo mesmo não o amando. Me sinto egoísta de não terminar logo com tudo isso e deixá-lo viver.

Olhei para o lado vendo que o mais velho me encarava sorrindo pequeno, seus olhos brilhavam e eu senti a angústia invadir meu corpo. Eu sentia que aquilo não era bom, eu sentia que novamente eu teria que ser forçado em todos os meus atos.

Ele olhou bem no fundo dos meus olhos e disse, brilhantemente, com todas as letras, “eu te amo”. Então foi como se o mundo tivesse parado, tudo ao meu redor pareceu ficar em órbita. Minha cabeça girou e tudo ficou escuro. Uma sensação estranha percorreu meu corpo.

Quando abri meus olhos novamente eu estava no meio da rua, na cidade onde eu moro, mas tinha algo estranho. Havia pessoas andando por ali, normalmente, vivendo suas vidas normalmente.

Cruzei o cenho meio angustiado com aquele lugar e comecei a andar. A medida que eu pisava na calçada, era como se ninguém me visse, muitas pessoas vinham em minha direção e quase passavam por cima de mim se eu não desviasse. Elas nem ao menos pedia desculpa, apenas continuavam seus caminhos.

Tentei falar com um senhor que passou ao meu lado, mas ele nem me deu bola. Nem ao menos me olhou. Novamente a sensação estranha me atingiu, era como se eu não estivesse ali. As pessoas viviam normalmente e eu ali no meio, sem ser visto. Elas não me enxergavam.

Suspirei olhando ao redor continuando a andar, havia um parque ali perto, então decidi ir em sua direção. Quando me aproximei totalmente dali, enxerguei ao longe meu namorado. Jeno andando sozinho por ali, com a mão no bolso, ouvindo música em seu fone como de costume e de cabeça baixa. Segui seus passos com o olhar, até ver o mais velho esbarrar em um garoto, um pouco mais alto que ele. O garoto moreno sorriu para ele e falou algo, mas Lee não ouviu, pois estava de fone.

O garoto mais alto sorriu levando a mão até o fone do mais novo e o tirou de seu ouvido com calma. Estendeu-lhe a mão em um comprimento enquanto eu estava ali, apenas observando tudo. Jeno parecia meio envergonhado com a atitude do outro, mas sorriu ao dizer seu nome.

Estranho era que eu não conseguia ouvir o que o desconhecido dizia, apenas o que Lee dizia. Era estranho demais.

Confesso que toda aquela cena me fez pensar em várias coisas e eu me sentia feliz com a ideia de que Lee poderia estar feliz com outra pessoa além de mim.

Quando não estou com você

Me sinto confortável.

De repente, quando os dois saíram andando conversando. O mundo entrou em câmera lenta e apenas em um piscar de olhos eu já estava em outro lugar. Especificamente na casa de Jeno.

Ouvi sua voz vindo da cozinha, juntamente com uma risada, então me aproximei daquele cômodo devagar, onde o encontrei cozinhando com o desconhecido do parque.

Ambos pareciam feliz juntos.

Novamente eu me senti vazio e completo ao mesmo tempo.

A cada passo que eu dava por ali, sentia a felicidade de Jeno me encher. Sentia que ele precisava disso, mais do que ninguém.

Ele precisava conhecer outra pessoa, ser feliz com outra pessoa, alguém que pudesse dizer que lhe ama de verdade. Porém eu o prendia, impedindo o mais novo de ser feliz com outro alguém.

O garoto mais alto puxou o corpo de Jeno contra o seu, então juntou seus lábios em um beijo demorado. Foi nesse ato que eu senti minha cabeça confusa e várias cenas começaram a passar, uma atrás da outra. Cenas onde os dois estavam juntos, se divertindo, se amando, Jeno sorria e dizia que amava o desconhecido.

Algumas passavam mais lentas, como a do pedido de namoro. Onde o garoto alto se ajoelhou em uma reunião com os amigos deles e o pediu em namoro em frente a todos. Óbvio que Jeno aceitou e puxou o garoto pra cima dizendo estar envergonhado, então o abraçou sussurrando que amava o moreno.

Outra cena passou logo após essa, era uma que Lee estava sentado em sua cama mexendo no celular. Então olhou em direção ao banheiro que se abria revelando o corpo definido de seu namorado.

Levantou-se alegando que o garoto ficava bonito apenas de toalha, então passou para o banheiro começando a tirar sua roupa, então foi impedido de continuar o ato, colocado contra a parede com as costas nuas encostando no peito nu do moreno.

Eram cenas que faziam o meu peito apertar, sentindo que de alguma forma eu poderia estar impedindo Jeno de viver sua vida.

Meu coração estava quebrado. Não conseguia dizer o que sentia, não conseguia formular palavras, mas eu sei que eu teria que tomar uma decisão.

Não poderia viver nisso para sempre, fingir que amo alguém sem amar, impedir que ele seja feliz, querer que esse alguém fique comigo mesmo não querendo que ele fique. Isso é desumano e egoísta da minha parte, então por isso terei que tomar uma decisão e dessa vez fazer o que eu tinha que ter feito há muito tempo.

Pisquei algumas vezes quando percebi que havia voltado para minha casa, onde estava eu e Jeno assistindo filme. Olhei para o lado vendo a expressão confusa do mais velho. — Está tudo bem? — Sua voz rouca me causou arrepios.

Respirei fundo como se tomasse coragem. Como se juntasse as palavras dentro de mim. Como se agora tudo fizesse sentido. Eu não podia continuar o prendendo a mim se não o amo mais, se não me sinto mais confortável com a relação, se não aproveito mais sua companhia, não posso fazer isso consigo.

Mesmo que eu quisesse ama-lo, não iria conseguir.

Meu coração não se sente mais o mesmo, ele não quer, nem eu quero.

 

Você percebe que tudo está acabado?

O garoto continuava me olhar confuso, sem entender o que estava acontecendo.

Meu coração já te abandonou.

 

Me arrumei no sofá, me afastando um pouco do corpo dele enquanto olhava em seus olhos intensos.

Eu não consigo te amar mais.

Lee, precisamos conversar.

Quando estamos juntos

Você continua feliz

Como eu posso te dizer

Que meu coração já te abandonou?

 


Notas Finais


É isto gente, beijos meus amores <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...