História How to be an A.R.M.Y? By Jeon Jungkook - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Jikook, Jjk, Kookmin, Namjin, Pjm, Yoonseok
Visualizações 6
Palavras 1.733
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, divirtam-se, partiu jikook~

Capítulo 1 - Intro: Boys Meet Evil


Intro: Boys Meet Evil

Jungkook nem sabia quantas vezes todos eles, os seis, já tinham passado e repassado a coreografia de Blood Sweat & Tears.

Sabia somente que havia sido o suficiente para que a melodia ficasse impregnada na sua cabeça naquele instante, enquanto apoiava as mãos nos joelhos, buscando ter a sua respiração de volta.

Estava cansado, merda, estava muito exausto e queria tanto dormir.

Ou assistir mais um vídeo jikook no youtube depois de um banho, sonhava, de olhos fechados, sentindo algumas gotas de suor escorrer pelo seu rosto e pescoço mesmo que o ar condicionado estivesse ligado. Sua roupa já estava colada, já não sentia que cheirava muito bem às pessoas ao seu redor e se importaria mais se todos os outros não estivessem da mesma forma.

Abriu seus grandes olhos castanhos pra encarar Tae resmungando palavras sem nexo algum, jogado no chão da sala com um braço sobre o rosto, a calça larga, vermelha, que ele sempre usava grudando em puro suor. Ao seu lado, se apoiando nas mãos e com as pernas cruzadas na frente, estava J-hope, talvez o menos cansado e, ainda assim, suava, com a cabeça jogada para trás, ainda se recuperando.

Suga estava morto, de barriga pra baixo no meio da sala, nem se movia mais, uma verdadeira estrela-do-mar colada no chão de madeira.

Deve tá dormindo já, pensou enquanto soltava um sorriso de lado, cansado, aproveitando pra passar o ombro contra o rosto, para que a sua blusa limpasse um pouco o suor. Fez uma careta ao perceber seu cheiro.

Eu preciso urgente de um banho.

E podia ver que Namjoon, sentado contra o espelho, pensava a mesma coisa, porque também fazia uma careta ao lado de Seokjin que, por algum motivo, tinha energia suficiente para estar conversando com o líder mesmo que os dois estivessem visualmente destruídos.

Só havia uma pessoa em pé, só havia uma pessoa que ainda fazia alguns passinhos.

– Jimin, você se mexendo tá me dando raiva – a voz de Taehyung soava cansada ao falar para um suado Jimin que tentava aperfeiçoar seu passo da cena final de Blood Sweat & Tears, jogando a perna pra um lado e o quadril pra outro.

Talvez fosse o cansaço, talvez fosse sua mente finalmente resolvendo não funcionar, talvez fosse a junção disso tudo com sua fascinação com Jimin, mas o que importava era que Jungkook encarava pelo espelho a figura alta e cansada do homem de cabelos prateados, o mochi do BTS, repetindo e repetindo o mesmo passo.

Podia ler a frustração de Jimin em cada detalhe: Os ombros tensos, ele mordendo os lábios grossos, o olhar mais cabisbaixo, a falta de conversa, a seriedade na expressão, e claro, a completa falta de limite dele de continuar treinando após uma sessão de 5 horas seguidas naquela noite.

Era Jimin se destruindo, e Jungkook sabia o porquê.

Podia quase ler de onde estava os pensamentos de Jimin pelas olhadas.

“Não está perfeito”.

“Isso não é suficiente”

“O pé devia estar virando um pouco mais pro lado”

“O olhar não está sexy o suficiente, eu pareço cansado”

“Eu tenho que ficar a poucos centímetros do Hoseok-hyung”

“Não está perfeito, mas vai ficar perfeito”

Jungkook jamais julgaria o perfeccionismo, porque ele mesmo o tinha, em níveis que todos eles tinham, mas reconhecia o porquê Jimin estar assim: tinha errado um passo no dia anterior.

Esse era o problema do comeback.

Se em dias normais, Jimin já se esforçava e dava o máximo de si e chorava quando algo errado acontecia, em comebacks, o prateado não chorava, apenas entrava em modo autodestrutivo, de overworking.

– Jiminie-ah, se você não parar agora – a voz profunda e ameaçadora de Suga soou pelo estúdio onde só se ouvia a respiração deles e o ar condicionado – Eu vou te prender dentro do meu estúdio e você vai ficar três dias sem fazer nada.

A risada alta de Jin, bastante característica, e Hoseok se fez presente.

– Eu odeio concordar, mas eles estão certo, Jiminie – Namjoon dava um olhar triste para o Mochi, que fingia não ouvir ao que diziam e continuava dançando. Ao perceber que o mais baixo do grupo estava o ignorando, decidiu falar com um pouco mais de intensidade no tom de voz – Jimin! Isso não é bom para o seu corpo, e se você se machucar? Você sabe que vai se sentir muito pior se você acabar não podendo participar dos shows e sabe que te obrigaríamos a descansar por mais que você não queira. Pense um pouco mais em si mesmo, não acha que seria a hora de usar um pouco de amor próprio? Jimminie, todo mundo erra, por isso treinamos juntos para nos aperfeiçoarmos juntos. Mas também precisa do momento de descanso e saber os limites do próprio corpo…

Jimin suspirou, mas não fez menção em parar os movimentos da dança.

Jungkook podia até ver a briga se formando e sua cabeça doeu por antecipação por imaginar como Jin logo entraria em modo Hyung Coruja e o drama se instalaria e já eram nove da noite, tinham passado o dia entre entrevistas e fotos. Não queria ter que lidar com isso.

Então, o jeito era usar sua arma secreta.

Sua jogada de ouro.

Jungkook se aproximou de Jimin, sem se importar que atrapalharia o passo, e se jogou em cima dele, algo que jamais faria se estivessem em frente às câmeras, e que, no entanto, todos ali estavam acostumados de ver em horários críticos.

– Jiminie-aaaaaaaaaaaaahhh – alongou o “A”, usando a sua melhor voz manhosa e cansada, contra o pescoço suado do outro. Ao ver que Jungkook cairia caso não o segurasse, os braços de Jimin se envolveram em sua cintura, um baixo bufar saindo dos lábios do mochi – Aaaaaaaaaish, Jiminie-aaaaah, vamos comer. Chega de dançar. A gente não aguenta mais dançar…

E claro que o efeito tinha funcionado.

A risada divertida e alta do menor soando pelo local, a risada mais gostosa que Jungkook já tinha escutado na vida e que o fazia fechar os olhos naquele momento, sorrindo.

Se sabia que tinha um enorme crush/amor por Jimin?

Não era surpresa alguma.

– AAAA JUNGKOOKIE-AAAA! Você tá suado, desgruda – disse Jimin entre as risadas que foram cessando.

– Jiminie-aaaaaaaaaaa…

– Jungkookie, eu tenho que conseguir fazer essa parte…

Não, ia conseguir o que queria.

Não era o Golden Maknae à toa.

Olhou com seus grandes olhos castanhos no fundo dos olhos de Jimin, que pareceu um pouco surpreso pela proximidade (não podia culpar, não era sempre), e que ainda assim pareciam afetuosos em sua direção, começou a fazer bico e fez a coisa mais humilhante da sua vida: aegyo.

– Por favor, Jiminie-aaaah!

A risada de todos os membros foram escutadas, não era sempre que o mais novo fazia isso de bom grado, e sabiam que era pra fazer Jimin sorrir. Jungkook segurou o peso do menor quando o mesmo se jogou contra si, rindo alto, alguns tapinhas sendo descontados em seu peito. E só aquilo fez Jungkook sorrir.

Fazer Jimin rir e tirar aquela sombra de cansaço dele era a melhor sensação do mundo.

– Eu devia ter filmado isso – reclamou Tae, a se levantar – Faz de novo, Jungkook-ah! – disse enfatizando o ''ah'' imitando a forma como Jimin chamava Jungkook.

Jungkook revirou os olhos, ainda com Jimin nos braços.

– Não, passou a chance, uma vez no ano.

– Merda – Suga sorria, agora de barriga pra cima, os olhos fechados – Eu poderia te zoar pelo resto do ano, em todos os Runs. Eu ia colocar em um loop…

Hoseok riu, batendo palma, em seu jeito que parecia muito feliz naquela hora da noite. Jin ria também. Namjoon sorria, se levantando.

– As armys iriam adorar nosso doce Jungkook fazendo aegyo para elas – limpava a sujeira inexistente da calça escura da Puma, cansado – Okay, agora que todos concordamos que não está dando mais, vamos pra casa.

Jin foi o primeiro a se erguer, reclamando das dores nas costas.

– Aaaaa, minhas juntas doem! Será que hoje vai ter peito de frango ou carne?

– Isso que dá ser velho - Tae soltou em tom de deboche.

Sir Worldwide Handsome olhou revoltado para Tae.

– Aaaa, essas crianças de hoje dia, não tem o mínimo respeito com os mais velhos. Espero que seja peito de frango do jeito que você odeia hoje e você venha tentar pegar meu ramen – Jin riu, malvado, mexendo a cabeça – Eu não vou te dar.

Jungkook teria continuado assistindo e rindo de um arrependido Tae indo atrás de um indignado Jin, ouvindo ao fundo a conversa  entre os dois: “Agora vem atrás de mim, vê se pode, Namjoon vem cuidar do TaeTae porque eu não quero essa criança atrás de mim, aaa, eu não vou te dar meu ramen, Tae. Chama de velho e vem de amor, aaaa”. Porém, ao sentir Jimin se afastando de si, a sensação estranha deles se separando trazendo seus olhos para encarar o par de ansiosos e muito belos olhos castanhos de Jimin o fitando de volta.

Havia um sorriso pequeno nos lábios cheios e um pouco pálidos dele.

– Pode ir, Jungkookie-ah – ah, aquela voz não tinha o direito de ser tão angelical... – Eu sei que você odeia ficar suado e deve querer ir tomar um banho. Eu prometo que não vou demorar aqui, só preciso terminar o final. Pode ir na frente, chego em 30 minutinhos.

E, se o mais novo não conhecesse tão bem os sorrisos de Jimin, teria caído naquela.

Mas Jeon Jungkook não tinha entrado ontem para o Bangtan, e sabia bem que se dependesse de Jimin, essa meia hora podia se transformar na madrugada dormindo ali, treinando até a exaustão completa.

Jungkook olhou para trás, assistindo alguns membros pegarem suas bolsas, outros já no corredor, a espera do elevador. Yoongi já estava escorado contra a parede e Hoseok, quase dormindo.

O maknae mordeu o lábio, seus olhos se encontrando com os de Namjoon que pareciam perguntar um “você vem ou não?”. Como ele conseguia ter um olhar paternal de preocupação só com 24 anos? Era um mistério para ele.

Okay, lá ia Jungkook fazer outra merda.

Ia quebrar a duas únicas regras que tinha criado para si mesmo em relação a Jimin:

1) Nunca fique sozinho com ele.

2) Não fique muito próximo quando o Jimin estiver dançando, você não tem o mínimo de controle  em relação a ele.

E ia quebrar as duas de uma só vez.

Sorriu para Namjoon.

– Eu vou ficar.

 


Notas Finais


Um capítulo leve só pra ir aquecendo <3
Agora, a gente vai se apresentar. Oi, nós somos a niv e gab aka @gcfanalysis e tamo ansiosa demais pra postar o resto, espero que tenham gostado desse início. Comentariozinhos são sempre bem vindos, nenenhos, então, sinta-se a vontade.
Ultimas palavras: JIKOOK IS REAL.
beijinhossssssss, proxima att semana que vem, vamos mandar tudo pelo twt
obrigado por ter lido <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...