1. Spirit Fanfics >
  2. How to break up a dating >
  3. Introduction: How it started

História How to break up a dating - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii, tudo bom?

Então, essa é uma fic que eu criei com base nos atuais acontecimentos da minha vida ( calma que eu não fiz tudo isso, eu só pensei em fazer). Ela é minha forma de me manter firme nesse momento tão delicado que é, com todo esse lance de quarentena e tals.

Espero que gostem e estou sempre aberta a críticas! (Lembre-se da diferença de uma crítica construtiva e de uma opinião, não me ataque, né guie!)

Capítulo 1 - Introduction: How it started


Fanfic / Fanfiction How to break up a dating - Capítulo 1 - Introduction: How it started

  As seis da manhã em ponto, meu despertador começou a tocar de forma estridente, deixando claro que a temida hora de ir para a escola havia chegado. 

  Particularmente, eu odeio quartas, e hoje não seria diferente. Mas agora você me pergunta, "por que você odeia tanto as quartas?" E com toda a franqueza do mundo, eu lhe respondo:  elas são um meio termo! Não são nem começo nem fim, nem sim, nem não, elas são um talvez e me remetem a incerteza — coisa que eu odeio com todas as minhas forças—.

  Com muito custo eu me levantei e fui até meu guarda roupa atrás do uniforme da minha escola: uma saia lápis preta, uma camisa social branca, uma gravata listrada e por cima um smoking preto com o brasão da Bright Mind School —ou só BMS—. Também havia a meia calça preta transparente e o tênis obrigatoriamente preto. Eu gosto desse uniforme... ele é um terninho, eu amo terninhos!

Já com minha mochila nas costas, eu ajeitei meu cabelo e desci as escadas correndo, passando reto pela cozinha onde meu pai preparava o café da manhã.

 —Ei, ei mocinha, parada aí! Onde pensa que vai sem comer alguma coisa? — disse ele com uma bandeja de torradinhas na mão. Meu pai é um cozinheiro de mão cheia! Ele tem um restaurante muito bem frequentado no centro da cidade, muita gente vem de longe para experimentar o macarrão fantástico que ele prepara. Mas a consequência disso tudo? Ele passa pente fino na alimentação de toda minha família, ninguém escapa nunca!

—Maggie minha filha, você sabe que eu faço isso pelo seu bem— disse depois de notar o visível descontentamento no meu rosto — Se você continuar sem se alimentar desse jeito você nunca vai sair dessa-

—Okay pai, eu já entendi— interrompi o mesmo enquanto pegava uma torradinha e enfiava na boca.

  Não esperei para ver os resultados da minha atitude um tanto quanto arriscada, logo me apressei em sair de casa e ir em direção a escola que era consideravelmente perto da minha casa. Desde que fiz aquele maldito exame de sangue que constatou uma anemia moderada, meu pai ficou duas vezes mais rigoroso com minha alimentação. 

—quebra de tempo—


  Já chegando na porta da minha escola, de de cara com Taylor, minha melhor amiga. Estamos juntas a 11 anos e nossa amizade nunca falhou, era nós duas contra todos. Nosso círculo de amigos era grande, mas no final sempre era eu e ela, sozinhas. Ela me ajudou nos meus piores momentos e eu a apoiei nas suas maiores decisões, eu devo muita coisa Taylor.

—Eu sei que você odeia quartas, mas sua cara diz que aconteceu mais alguma coisa— disse enquanto me puxava pela mão para entra na escola.

—Só meu pai tocando na mesma tecla de sempre.

—Ele faz isso por que te ama, você sabe disso— diz enquanto apoiava o cotovelo na minha cabeça, ela era consideravelmente mais alta do que eu, todo mundo era mais alto do que eu. — você deveria parar de ...Peter.

— Oi? — disse enquanto olhava para ela com minha famosa cara de tacho, logo reparando na figura alta com porte atlético do outro lado do pátio. Peter Jhonson era um menino comum, não era rico nem nada do tipo, mas seu carisma e seu rostinho bonito renderam a ele a fama de mais bonito da escola, o que na minha opinião era errado, pois seu amigo Jhonatan era mil vezes mais bonito que ele, porém ele era um cuzão e isso estragava seu rostinho bonito. 


— Como pode ser tão lindo? — o amor platônico de Taylor durava desde o oitavo ano, quando conversou com ele pela primeira vez. Desde então ela se dedica a criar coragem para tentar alguma coisa com ele.

— Vamos para sala logo, eu não tô afim de atrasar por conta da sua paixãozinha fuleira — dei fim naquela conversa melada enquanto me dirigia para a sala, sentindo minha cabeça começar a doer por conta do sinal estridente que ecoava por todo o corredor.


Notas Finais


Essa é a minha primeira fic e minha escrita é de uma amadora KKKKKKKK
Obrigado por lerem até aqui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...