História How to save a life - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Karin, Naruto Uzumaki, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, Tsunade Senju
Tags Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 232
Palavras 3.857
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Maaaisss uuumm!!!

Capítulo 11 - Você o encara educadamente.


Quando as portas do elevador se abriram Naruto e Sasuke puderam ver o caos e milagre formando um só. A alegria ao ver a esposa com o filho recém nascido no colo tirou toda aflição que sentia enquanto ouvia os gritos de dor dela. Hinata estava apoiada em Ino com o pequeno Boruto nos braços que nem ao menos tinha o cordão umbilical cortado e em meio a sangue e líquido amniótico estava Sakura.

Os cabelos grudados na testa por causa do suor, o vestido branco daquela manhã estava manchado e rasgado. Todo o ar dos pulmões de Sasuke foram roubados quando ele, com toda agilidade, se aproximou do corpo inerte. Pegou-a no colo tirando-a de toda aquele cenário que antes era chamado de elevador. Seu corpo estava mole e os lábios antes tão rosados estavam brancos. Seguiu as ordens dos paramédicos e a colocou na maca que foi levada até a ambulância. Hinata teve a assistência de outros paramédicos presentes e seguiu, também , para uma segunda ambulância. Ino como pessoa conhecedora dos problemas de saúde de Sakura adiantou-se nos primeiros socorros.

-O que foi isso na testa dela? - Sasuke perguntou exaltado quando, na mais pura demonstração de carinho, acariciou a testa da rosada.

-Ela bateu a cabeça na parede do elevador, provavelmente no painel quando a energia foi embora.- A loira colocava o respirador da face pálida de Sakura, que abriu os olhos.- Sakura?

Sasuke observou a mulher olhar ao redor desorientada.

-Sakura, você está bem, estamos indo pro Hospital pra verificar o seu estado.- A loira verificava o pulso fino.- Acabamos caindo por cima de você isso pode ter provocado algum dano.

-Eu..- Tirou o respirador com dificuldade.- Eu me joguei pra amortecer a queda de Hinata...só não contava com mais o seu peso... porca.- Falou com uma risada fraca.

-Por que você fez isso?- Sasuke tinha um tom de reprovação, no estado em que ela se encontrava passar por situações de perigo estava fora de questão.

-Hinata não poderia sofrer uma lesão, podia acabar prejudicando o bebê.- Como um reflexo altruísta ela apenas se moveu por impulso, salvando a nova amiga de qualquer lesão, mesmo que isso significasse sofrer no lugar dela.

-Sempre pensando nos outros...- Ino não poderia estar mais orgulhosa. Estudou tudo sobre medicina, mas nunca seria como Sakura, quando se tratava do bem-estar do paciente.- Vamos fazer alguns exames apenas, você está muito fraca e bradicárdica.

Sasuke acenou em concordância enquanto tinha os olhos fixos na esposa. Sakura virou encarando aquela imensidão negra ao seu lado.

-Eu não comi. Desculpa.- Confessou.- Estou com fome, por isso desmaie.

-Você disse que tinha almoçado.- O tom sério e preocupado na voz.

-Você não pode fazer isso Sakura!- Ino a repreendeu como sua mãe costumava fazer.- Você não pode brincar com sua saúde desse jeito! Que teimosa!

-Depois você briga com ela, agora não é hora.

-Relate seu estado atual pra mim.- Ino cruzou os braços. Era uma brincadeira que costumavam fazer quando saíam para alguma festa e exageravam no álcool. Sakura riu da nostalgia.

-Bradicardia, tontura, dormência nos membros inferiores, fadiga e um estômago querendo comer meu fígado. Fora isso tudo bem.

-O que significa bradicardia?- Não era médico pra saber sobre termos. E não seria orgulhoso o suficiente para não perguntar.

-O coração está batendo em um ritmo lento. Taquicardia é ao contrário.- Ino explicou.

A ambulância parou indicando que haviam chegado ao seu destino. As portas foram abertas e Ino, Sakura e Sasuke saíram do veículo. A rosada estava acordada e se encontrava sentada na maca.

-Sério Ino, eu to bem.- Tentou mais uma vez convencer a amiga que nem se quer a ouviu.

Adentraram em uma pequena sala, conhecida como sala de trauma. Ino chamou umas das enfermeiras.

-Quero que você providencie um eletrocardiograma e um soro. E por favor não informe a doutora Senju, que Sakura Uchiha deu entrada no hospital.- A mulher acenou e saiu do cômodo. A rosada encostou o corpo na cama improvisada e pôs a mão na face, tentando cobrir a cara de tédio.

-É melhor você fazer o eletro, não custa nada.- Sasuke retirou a mão que cobria o rosto e colocou entre as suas dando um beijo. Sakura sorriu com gesto carinhoso e ficou feliz por ter Sasuke perto.

-Tudo bem.-Apertou a mão do moreno.- Depois você me leva pra comer? Um Donuts seria muito bom agora.

-Tsc, você sabe que horas são? Não tem Donuts agora.

-Se tivesse você compraria pra mim?- O rosto pidão e ar brincalhão que emanava na sala deixava toda a situação mais leve.

-Claro que não. Você tem que comer algo descente.

-Você é muito chato, sabia?

-Você que é uma irritante que não come direito.

Sorriram juntos, eram poucas as vezes que Sasuke permitia brincar. Ino apenas observava a interação entre eles. Pelo jeito as coisas haviam mudado bastante entre ela e o moreno. Certamente pra algo muito melhor que amizade.

-Eu vou ver como está Hinata.- O moreno declarou ao se levantar.

-Por favor, depois me diga como ela está. Ela sofreu um pouquinho.

Sasuke acenou e deixou a sala. Ino virou em direção a amiga com uma cara de “Já sei de tudo.”

-Você gosta dele.

-O que? NÃO.

-Viu!- Apontou pra face ruborizada da amiga.- Você tá com aquela cara!

-Não to não.- Cobriu o rosto na tentativa de esconder “aquela cara”.

-Gosta sim! E ele também gosta de você!- A loira dava pulinhos de alegria enquanto tentava colocar o soro.

-Cuidado com o meu braço, porca!

-Eu to muito feliz que você esqueceu o estupido do Itachi e o estranho do Sasori.

-Sasori já é passado e põe passado nisso.- Estalava os dedos como forma de esclarecimento.- E com relação a Itachi, não tinha futuro gostar dele.

-É né, mas você gostou.

-Que seja.- Deu de ombros.-Não significou tanto, nem chorei.

-Olhando por esse lado.- Ino lembrou do dia em que a rosada chorou, como se não houvesse amanhã, após descobrir que Sasori não tinha interesse nela.

-Sasori agora é só um amigo, até contei pra ele sobre mim e Sasuke.

-Você contou? Quando?

-Foi depois da última vez que estive aqui. Ele estranhou o fato de Sasuke não ter ficado no quarto comigo enquanto eu me trocava. Então ele me perguntou no WhatsApp e eu contei, fim.

-Será que não corre o risco dele contar pra alguém?

-Não, não. Eu confio plenamente no meu ruivinho.

Ino revirou os olhos com o apelido chatinho que Sakura insistia em chamar o Akasuna.

A porta foi aberta e Sasuke pôs metade do corpo pra dentro.

-Sakura, os Uzumaki querem falar com você.

-Naruto e Hinata?

-Não, os Uzumaki.- Abriu a porta mostrando Kushina, Minato, Naruto e Hinata. Todos entraram na sala como um furacão. Além dos pais de Sasuke estarem presentes também.

-Minha querida, eu não sei como agradecer você.- Kushina dizia entre lágrimas enquanto dava um verdadeiro abraço de urso na rosada.- Você é a heroína do meu netinho.

-Muito obrigada, Kushina-Sama.- Tentava respirar.- Mas não fiz nada demais.

-Amor, solte-a. A pobre moça não está respirando.-Minato chamou a esposa que se afastou, para logo fazer a mesma coisa.

-Você é um anjo, salvou nosso Boruto.-Sakura mais uma vez tentava respirar.

-Obrigada... mas só fiz o meu dever como médica.- Minato a soltou.- Além do mais, tive ajuda da doutora Yamanaka.

Apontou para amiga que estava no canto. Ino teve o mesmo destino de Sakura, ser abraçada pelos avós babões. Hinata se aproximou com o seu pequeno nos braços tendo Naruto logo atrás.

-Quero que você conheça o Boruto.

Sakura olhou o bebê, que era loiro que nem o pai, dormindo plenamente em mantas de verdade.- Olha Boruto, essa é sua madrinha Sakura.

-M-Madrinha?- estava surpresa.

-Claro, Sakura-chan! Nada melhor que você ser a madrinha dele, assim como Ino-chan.

-Naruto abraçou a rosada da mesma forma que os pais.

-Nós queríamos que vocês fossem as madrinhas.- Hinata começou.- Como forma de agradecimento. Claro, se vocês quiserem.

-Seria uma honra, Hinata.

-Com certeza.

Ino e Sakura estavam emocionadas. Era muito gratificante ter essa oportunidade. Mikoto se aproximou da rosada pegando em sua mão.

-Não poderia estar mais feliz por ter você na família.- Beijou, carinhosamente, a face de Sakura. Fugaku, que estava logo atrás, acenou levemente e a rosada pôde entender que ele sentia o mesmo.

 

**

 

Após uma bolsa de soro, eletrocardiograma normal e uma narrativa completa sobre o nascimento de Boruto no elevador, Sakura foi liberada para ir pra casa assim como Hinata. Sasuke deu o seu paletó para que a esposa se cobrisse, já que o vestido estava em um estado deplorável, como o Uchiha era um homem grande a parte do terno pareceu um outro vestido no corpo pequeno de Sakura.

Entraram no saguão do prédio totalmente deserto, já que era madrugada. Foram até o elevador onde o cenário de ação não estava mais presente, pois o mesmo estava totalmente limpo. Ao chegarem no apartamento foram recebidos por Katsuyu, caminharam até o quarto onde Sakura retirou o tecido que cobria o resto do vestido.

-Vai se lavar, vou ver o que faço pra você comer.- Sasuke enlaçou seu braços na cintura fina de Sakura.

-Você vai cozinhar pra mim? Não corre o risco de ter o apartamento incendiado?-Sakura tinha as mãos espalmadas no peitoral do moreno.

-Eu sei cozinhar, senhora Uchiha. Não sou um mauricinho.

-Mas parece um.- Rebateu dando um leve toque, com dedo indicador, na ponta do nariz de Sasuke.

-Pois eu vou lhe mostrar que eu não sou.-Deu um beijo na testa da rosada.- Vai tomar banho, eu vou preparar algo.

Saiu do quarto deixando Sakura com um sorriso bobo nos lábios. Ela dirigiu-se até o banheiro e tomou um banho demorado pra retirar todo o cansaço e estresse daquele dia. Saiu e foi até o guarda-roupa a procura de algo para vestir, optou por um shortinho e uma blusa de manga comprida branca. Deitou na cama e esperou ansiosamente seu jantar chegar.

Não demorou muito para Sasuke aparecer no quarto com uma bandeja prateada nas mãos. Sakura sentou na cama e recebeu o objeto em seu colo. O cheiro estava maravilhoso, o estômago dela dava voltas e voltas com o aroma do prato de...

-Yakisoba?- A rosada estava bastante impressionada.

-Senhora Chiyo deixou alguns ingredientes na geladeira e eu aproveitei. Experimenta.- Entregou um talher.

Sakura levou uma colherada até a boca e degustou o sabor maravilhoso.

-Nossa, isso tá muuuito bom. Realmente você cozinha muito bem.- Disse enquanto levava mais uma colherada até a boca.

-Eu sei.

-Convencido.

-Eu vou tomar banho enquanto você come.

-Não vai comer?- Perguntou com as bochechas cheias.

-Eu já comi, não se preocupe.

Sasuke caminhou até o banheiro onde se trancou. Vinte minutos depois eles estava de banho tomado. Saiu do banheiro com apenas uma toalha na cintura, em busca de algo pra vestir. Sakura já havia terminado seu jantar e aproveitou o momento, que o banheiro estava desocupado, pra escovar os dentes. Ao retornar Sasuke estava terminando de por uma camisa cinza junto com uma calça moletom.

A rosada voltou para o seu lado da cama e tentou focar sua atenção em qualquer coisa que não fosse o bumbum maravilhoso a sua frente. Colocou o respirador e ligou a TV em busca de algo para assistir já que não estava com sono.

-Você gostou?-Sasuke sentou em frente à rosada na cama.

-Sim, estava muito bom.

-Que bom.

Sasuke encarou as grandes esmeraldas e admirou a beleza da mulher que chamava de esposa. Quando a conheceu achou a cor de seus olhos ridiculamente estranha, assim como o cabelo róseo. Mas agora ele percebia que tais características a faziam ter uma beleza única, uma beleza digna de uma deusa, uma beleza de Sakura Uchiha.

Acariciou a face ruborizada e se aproximou colocando sua testa na dela. A respiração descompassada de Sakura entregavam que ela estava nervosa. Mas como a maior das surpresas, ela foi a responsável por selar o seus lábios. O beijo era lento e com desejo. O gosto de pasta de dente não o impedia de sentir o sabor dos lábios dela. A maciez que ele intimamente deseja desde de a primeira que vez que sentiu a textura, estava lá provocando os sentimentos mais mundanos no seu interior.

A língua dela pediu passagem e ele concedeu. As mãos de Sakura se perdiam em meio aos seus cabelos negros, os gemidos entre o beijo o faziam sentir um desejo insano. Começaram , lentamente, a se deitarem na cama. Sasuke retirou a cânula e ficou por cima colando seu corpo ao dela, nem se importou em esconder a ereção, que já podia ser sentida. Queria que Sakura soubesse como ela o deixava com um simples contato.

Passou a mão por debaixo do tecido branco  sentindo a pele macia que ela possuía. Sentiu os arrepios, os choques elétricos quando o moreno sem pudor apertou sua nádega direita a fazendo arfar. Quão deliciosos eram seus toques, a sua língua explorando toda sua boca. Que a fazia ficar com falta de ar.

-Sasuke.-Chamou entre o beijo.

O moreno apenas mudou o foco da boca pro pescoço.

-Sasuke...SASUKE.- Puxou a cabeça do marido com brusquidão.

-Ai! O que foi?

-Não consigo respirar.- Estava ofegante, mas não por causa do beijo.

-Oh, tudo bem.- Sasuke levantou-se de cima

de Sakura que mordeu os lábios ao notar o volume bastante perceptível no moletom. O Uchiha pegou a cânula do respirador e colocou no rosto da esposa.- A gente pode terminar isso depois.

-Pode ser.- Sasuke sorriu malicioso e deu um beijo rápido para logo ocupar seu lugar na cama. Sakura se ajeitou ficando de costa para o moreno que, como todas as noites que se seguiram, a puxou para perto do seu corpo formando uma conchinha. Inspirou o perfume doce dela aconchegando-a mais e mais em seu peito. Não demorou muito para ambos dormirem.

 

**

 

Os dias se seguiram tranquilos com a mesma rotinha de sempre. Sasuke saia todas as manhãs para ir trabalhar e Sakura ficava no seu tédio eterno estudando ou conversando com a senhora Chiyo sobre como ela amava o neto Sasori. Hinata e Ino vinham quase todos os dias para falar sobre as decisões da cerimônia como: local, música e ornamentação. A parte boa de tudo isso era que a Uzumaki sempre trazia o pequeno Boruto, que Sakura fazia questão de mimar.

As noites eram uma verdadeira luta no que se refere a autocontrole. Como se a atração entre Sakura e Sasuke tivesse aumentado em uma escala absurda, para não conseguirem ficar por mais de cinco minutos em um local sem sentir o gosto um do outro, mas sem ultrapassar os limites já que Sasuke sempre parava.

-Nós...precisamos dormir.- a rosada disse com dificuldade enquanto Sasuke beijava toda a extensão do seu pescoço. Estavam na cozinha a trinta minutos tentando pegar um simples copo d’água.- Você...tem que...trabalhar amanhã.

Sasuke encarou o rosto vermelho da mulher.

-Eu sou o dono, posso me dar o luxo de chegar mais tarde.

-Você chegou tarde todos os dias dessa semana.

-É que minha esposa é muito tentadora.-Voltou a beijar os lábios inchados de Sakura.

A parte de cima do seu “pijama”estava jogada no chão da cozinha assim como o vestidinho que Sakura usava pra dormir, a rosada estava apenas com suas roupas íntimas. O Uchiha a levantou tendo as pernas dela enroladas em sua cintura e caminhou até o quarto deitando-a na cama. Iniciou mais uma série de beijos, mas parou repentinamente, quando percebeu que talvez não pudesse se controlar.

-Eu acho melhor irmos dormir.- Sakura o olhou tentando esconder sua decepção. Quando estavam no melhor momento ele simplesmente parava.

-Tudo bem.

O Uchiha se acomodou na cama enquanto Sakura ficava com a expressão reflexiva. “Será que ela não era tão interessante assim, pra ele não cruzar a linha do limite?”. Bufou de irritação e pegou o respirador colocando-o no nariz. Cobriu o corpo quase nu e dormiu.

O barulho irritante do toque do celular foi o que a tirou do seu mundo de sonhos. O aparelho estava em cima do criado mudo e insistia em importuna-lá. Tentou se levantar mais o corpo de Sasuke a impedia de realizar tal ação. Deslizou pelos lençóis pegou o celular antes de sair vestiu uma blusa de Sasuke para cobrir o corpo.

-Alô?

-Bom dia, senhora Uchiha. Queria saber se a documentação da casa já está pronta.

Pensou um pouco antes de reconhecer a voz de Shion.

-Oh, sim! Eu iria entrar em contato hoje mesmo, para que assinemos os papéis.

-Que ótimo. Que horas nós poderíamos nos encontrar?

-As 10:00? Pra você esta bom?

-Perfeito.

-Passarei o endereço do meu apartamento, via WhatsApp.

-Ok. Estou no aguardo.

Desligou a ligação e voltou pro quarto se deparando com Sasuke já acordado.

-Quem estava ligando?

-Ninguém de importante.- Não queria que o moreno soubesse sobre seu plano de venda, pelo menos não agora.

-Hum. Eu vou me arrumar pra ir pro trabalho.-Rumou até o banheiro parando na porta.- Quer tomar banho comigo?

-Não, obrigada.- Sorriu amarelo e voltou a deitar. Tentou esconder a chateação da madrugada passada.

Sasuke não disse nada e entrou. Ao sair Sakura já dormira, cobriu a bunda exposta que era uma verdadeira tentação. Ao chegar na cozinha Chiyo já preparava o café da manhã. Comeu rapidamente e foi pra empresa. Por todo trajeto, pensou em Sakura. Em como sua relação com ela estava maravilhosa, deixando tudo muito mais leve e picante no apartamento. Parou na vaga destinada ao presidente, logo ao lado do carro de Naruto, e seguiu até o seu escritório.

-Bom dia, Teme!- Naruto adentrava na sala com a animação de sempre.

-Bom dia, Naruto.- O Uzumaki estranhou o tom alegre do amigo naquela manhã.

-O que deu em você?

-Como assim? Só desejei um Bom dia também.

-Tá animadinho demais. Sakura-chan deu um trato em você?- Indagou malicioso.- Vocês já foram pros finalmente?

-Isso não é da sua conta.

-Qual é! Vocês estão se pegando que nem dois coelhos no cio, e nem se quer rolou nada?

Sasuke bufou, se arrependeu amargamente por conta sobre as pegações dele com Sakura.

-Sakura é cardíaca, não posso simplesmente transar com ela.

-Poor queee não?

-Ela pode passar mal ou sofrer um infarto ou desmaiar. Existe muitas possibilidades, então prefiro ir com calma.

-Sasuke você é um homem bonito mas não precisa exagerar né.- Disse brincalhão.

-Baka! To falando sério.

-Preocupação extrema, na minha opinião, caso ela sinta alguma coisa ela vai te avisar.

Respirou fundo e meio relutante concordou.

-Chegaram os convites em comemoração ao aniversário das Nara comunicações. Shikamaru Nara fará um baile beneficente e todo o dinheiro arrecado será doado.-Entregou um envelope dourado para o Uchiha.- Eu e você e nossas respectivas esposas fomos convidados.

-Ele nos convidou? Que surpresa.

-Menos de um mês para termos uma parceria, seria ultrajante caso não nos convidássemos.

-Realmente. E quando será o evento? Temos que deixar tudo pronto pra podermos ir pra Osaka.

-Vai ser no fim de semana.

-Ótimo, vai dar pra nos organizarmos direitinho.

Guardou os envelopes na gaveta da mesa do escritório e começou a trabalhar.

 

**

 

O aperto de mão entre as mulheres indicava que o acordo estava feito. Assinou as últimas linhas do documento de venda da casa e fim. A mulher loira de olhos claros saiu sorridente do apartamento de Sasuke, oficialmente Sakura não era mais dona da casa. Fechou a porta, por qual Shion passara, e suspirou. Nem mesmo o cheque gordinho a animava, a casa fora vendida por um valor excepcional, mas nem se comparava com o valor sentimental que ela tinha. Uma lágrima escorreu por sua face, Não! Não poderia chorar, estava fazendo isso por um bom motivo.

Rumou até o escritório onde tinha intenções de ocupar a mente estudando, mas lembrou que Hinata chegaria em poucos minutos para continuar o planejamento do casamento. Mal se sentara quando a campainha tocou. As vozes de Hinata e Ino foram ouvidas, Chiyo havia aberto a porta.

-Olá, Testuda.- Ino cumprimentou a amiga que aparecera.

-Você aqui? Achei que teria plantão.

-Eu deu um jeitinho.- Sorriu maquiavelicamente provavelmente colocou algum interno pra fazer seu trabalho.

-E como vai o meu coisa fofa?- Sakura pegou o bebê do colo de Hinata, adorava mimar o afilhado.-Ele tem olhos azuis que nem o pai.- Declarou quando o pequeno Boruto abriu os olhos.

-Sim, provavelmente será a cópia de Naruto.- Hinata espalhava varias revistas, como todas as vezes que ia ao apartamento, em cima da mesinha central.- Vamos começar? Prometi que almoçaria com Kushina-sama hoje.

As duas mulheres se sentaram perto da Uzumaki, que começou a explicar sua ideia sobre o jantar de noivado. Foi decidido que seria em um espaço aberto com varias flores e luzes enfeitando todo o local. Era algo simples porem bastante sofisticado.

-Então tá decidido!- Ino levantou e começou a ditar as anotações.- O jantar será daqui a três semanas e o casamento na semana seguinte. Perfeito!

-Finalmente acabamos com toda essa chatice, não é meu lindão?!- Sakura tinha Boruto nos braços.

-Sim, mas ainda resta o principaaaaal- Ino dava pulinho.- O vestido de noooivaaa.

-E os das madrinhas.- Hinata completou.

-Podemos ver isso amanhã, não é? Já que precisamos ir nas lojas.

-Ai, ainda é cedo! Podemos ver agora.

-Hinata disse que iria almoçar com Kushina-sama, e madrinha tem que ajudar a escolher o vestido.

-Perdão?- Os olhos perolados brilharam.- eu serei sua madrinha?

-Mas é claro! Você participou de tudo isso, seria muito ingratidão você não ser a madrinha como eu.

-Hinata sim, você ainda to pensando se aceito como madrinha.- Sakura disse num tom brincalhão. A loira jogou uma almofada na amiga.-Cuidado com o bebê, porca!

-Ouse não me chamar, engraçadinha. Pra vê se eu não arranco fio por fio desse seu cabelinho rosa.-Ameaçou apontando uma almofada pra Sakura.

As mulheres riram da atitude infantil-agressiva na Yamanaka. Hinata arrumou as revistas dentro de uma bolsa e antes de partir deixou claro que providenciaria para que tudo ficasse pronto na data escolhida. Ino foi embora em seguida, já que tecnicamente estava “matando” o plantão, se Tsunade descobrisse que Kami a ajudasse. Fechou a porta tendo a presença apenas de Chiyo, que por ordens de Sasuke, sempre preparava algo para comer, Sakura estando em casa ou não. Sorriu ao lembrar do marido, o Uchiha estava demonstrando ser uma ÓTIMA companhia. Entrou no quarto tomou um banho e vestiu uma camisa, que Sasuke usara para dormir, inalando o cheiro impregnado nela. Não podia negar, mesmo que negasse seria fácil de perceber que estava mentindo. Com toda certeza ela estava apaixonada por Sasuke.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...