História HH - partir do enigma do Príncipe - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley, Sirius Black
Tags Harmione
Visualizações 89
Palavras 1.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bloqueio criativo foda

Capítulo 5 - Tentativas


- Como foi o jantar do Slughorn? - Disse Rony

- Chato - Disse Hermione

- É, e vai ter algo parecido hoje, uma festa dele, eu acho, preciso falar com ele - Disse Harry

Passavam-se as horas no desenrolar do dia, assim, Harry esperava Hermione para a festa, próximo à sala de Slughorn, já conseguia ouvir as animadas conversas que dominavam aquele ambiente, alto suficiente para ouvir dali. Estava nervoso demais, tocar nesse assunto com Slughorn seria difícil, afinal, ele havia negado até mesmo a Dumbledore. Decidiu que falaria sobre isso ao fim da festa, pois seria mais fácil assim, a tentativa no jantar da noite anterior foi falha, não conseguiu se aprofundar no assunto, o professor havia ficado bastante incomodado só de ouvir o nome de Tom Riddle.

- Harry, você está bem?? Vamos?! -Disse Hermione, confusa com o amigo perdido em pensamentos 

- Vamos, Estou sim. Você também, pelo que vejo. - Disse Harry, elogiando a amiga bem vestida, arrependendo-se logo em seguida, as palavras saíram no automático.

- Ah, o-obrigada, eu acho, você também está ótimo - disse Hermione, levemente sem jeito.

- Espero que o Córmaco não me faça ter que estuporar ele - Disse Hermione, em meio a risos.

- Se ele merecer, eu mesmo faço isso. Mas espera, pensei que você iria fazer ciúmes no Ron com ele, por causa da Lilá.

- Mas do que que você esta falando, H-harry? - Dizia Hermione, desconcertada e envergonhada com o comentário do amigo.

Entrando na sala, havia uma boa quantidade de pessoas, conversando entre sí. Logo foi puxado por Slughorn para tirar uma foto, e após agradecer, Slughorn se distanciou e foi conversar com outros convidados.

- Oi Harry, quer alguma coisa? - Dizia Neville, enquanto se aproximava, trajado de garçon, com uma bandeija prateada em mãos.

- Olá Neville! Não, não quero nada, estou bem, obrigado amigo.

Apos se despedir rapidamente do amigo, Harry direcionou sua visão para a direita, e percebeu que Hermione acabara de ir para tras de uma cortina no canto da sala.

- Hermione, o que esta fazendo aqui? O que deu em você?

- Eu estou me escondendo do Córmaco, acho que ele queria me beijar, mas eu consehui fugir antes! Já falou com o professor?

- Ele não sabe desistir, né? - Disse Harry em meio a risos - ainda não, vou esperar a festa acabar, quando estiverem se retirando, você me espera do lado de fora da sala, entao irei  falar com ele.

Após Córmaco vomitar aos pés de Snape, a festa já ia acabando, as pessoas iam se retirando, Hermione foi para o lugar combinado, Harry ficou na sala, até Horácio perceber e o chamar.

- Harry, meu rapaz - Exclamou Horacio - algum problema?

- Não exatamente, não consigo imaginar alguém melhor pra falar sobre isso - Dizia Harry, tentando imitar, falhamente a calmaria pavorosa de Riddle - Eu estava na biblioteca, na sessão reservada, e li algo sobre uma magia rara e proibida, imaginei que o senhor poderia me falar algo sobre isso.

- Ah, sim... E qual seria o nome desse feitiço? Não seria melhor tirar sua dúvida com o professor Snape?

- Não me lembro direito do nome, e eu e o professor Snape não nos damos muito bem. Na verdade nem um pouco.

- Sabe, não me vem nada a cabeça. Mafia negra.. - falou para si mesmo - Todos nos temos luz e trevas dentro de nós, Harry, eu mesmo sempre tentei seguir o caminho da luz, sugiro que faça o mesmo.

- Foi isso que disse à Tom Riddle quando ele te fez estas perguntas? - disse Harry, o que imediatamente fez o professor parar de andar e virar em sua direção.

- Dumbledore mandou fazer isso não foi? Não foi? - Dizia Horário claramente nervoso - Sugiro que saia da minha sala, agora - disse apontando pra porta.

Harry saia da sala, nervoso, pensando que havia estragado tudo, foi andando lentamente em direção à saída, cabisbaixo. 

- Harry, eu consegui ouvir tudo, você está bem? - Dizia Hermione enquanto andava ao lado do amigo, em rumo à sala comunal

- Estou. Tirando o fato que eu Estraguei o plano todo de Dumbledore.

- Relaxa, a gente vai dar um jeito, vamos conseguir.

- Eu não teria tanta certeza, boa noite Mione. 

- Boa.. Espera ai, me chamou do que? - virou-se Hermione - Mione? Não lembro de você já ter me chamado assim antes?

- Ah, desculpa, saiu sem perceber.

- Não tem problema, eu até que gostei. Boa noite Harry.

Ambos foram ao seus respectivos dormitórios. Ao entrar no quarto, Harry se deparou com Rony sentado no chão em frente à janela, com papéis de doce espalhados pelo quarto todo.

- Ela é linda não e? - Dizia Rony, da forma mais aérea e estranha possível - a lua.

- Divina, o que aconteceu aqui?

- Esta caixa de doces estava em cima da sua cama, ai eu resolvi comer um.

- Ou vinte. - Dizia Harry enquanto se sentava em sua cama

- Acho que estou apaixonado Harry - dizia Rony enquanto se sentava na cama em que Harry estava, este súbito movimento fez Harry cair da cama, assustado. - Será que ela sabe que eu existo?

-  Espero que sim, ela não larga do seu pé a três meses, e ainda fazendo a Hermione ficar chateada. - Disse Harry indignado por ter caído da cama.

- o que? De quem você está falando?

- De quem VOCÊ está falando?

- Romilda, é claro!

- Tá bom - Disse Harry sarcásticamente

- Ei! - Disse Rony jogando a caixa de doces já vazia na cabeça de Harry - eu to falando sério!

- Ta bom, ta bom! Vocês ao menos se conhecem?

- Não, você poderia apresentar a gente -disse Rony retornando ao seu lugar inicial.

Harry ao olhar com mais atenção para a caixa, e para Rony, percebeu que ele havia sido vitima da poção do amor.

- Venha, vou leva-lo até Romilda - Disse Rony enquanto levantava o amigo. Era uma boa oportunidade de falar com o professor Horácio novamente.

- Senhor, eu não incomodaria se não fosse necessário - dizia Harry em frente a porta da sala de Slughorn.

- O que aconteceu com ele? - dizia apontando para Rony

- Poção do amor muito poderosa - Cochichou Harry.

- Ta bom, é melhor entrar.

Apos conversar com o professor, que não estava mais irritado, e curar Ron, iam brindar, Ron deu um grande gole antes dos dois, e caiu estatelado no chão, Harry rapidamente soltou a bebida dizendo - "Não beba isso" - Rony engasgava no chão, após Harry salva-lo, no dia seguinte, estava na ala hospitalar junto com Hermione, Dumbledore, Minerva, Snape e Slughorn. Hermione, após Lilá sair correndo chorando dali, sentou-se ao lado de Rony segurando-lhe a mão.

- Não fala nada, tá? -Dizia Hermione, enquanto só restavam três no recinto.

- Não sei do que estou falando é? - Disse Harry, que em seguida tentou com todas as forças forçar o breve riso mais próximo de um verdadeiro possível, mas falhou miseravelmente. Após perceber isso. Saiu rapidamente dali. Lembrou que ainda tinha consigo a poção de sorte que ganhara aquele dia, e decidiu usala na próxima ocasião em que encontrar Slughorn.

 

 

 


Notas Finais


Ta uma merda
Bloqueio criativo FOTA..
Sim eu mudei e vou mudar várias coisas
Pq?
Pq eu posso


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...