História HP - partir do enigma do Príncipe - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley, Sirius Black
Tags Harmione
Visualizações 17
Palavras 2.035
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Comente.

Capítulo 8 - Horcrux


Dumbledore estava há um bom tempo na penseira, e Harry e Hermione aguardavam sentados, muito ansiosos. O diretor de Hogwarts decidiu ver a lembrança, pois segundo ele, ele era "mais sábio, mais velho e mais entendido da situação"

Quando ele finalmente ergueu a cabeça, revelando seu rosto para os dois alunos em sua frente, o ar de preocupação era nítido em sua expressão facial, Harry e Hermione se olharam e em seguida Harry disse:

- E então? Professor?

- Venham, vejam com seus próprios olhos - Disse Dumbledore convidando-os a mergulhar na penseira. 

E então, Harry e a Hermione enfiaam os seus rostos na penseira, e a sala do professor Horácio se materializou na frente deles, e estavam o Professor e Tom Riddle.

- Eu estava na biblioteca outra noite - Dizia Tom Riddle - na sessão reservada, e encontrei algo sobre uma magia rara, acho que se chama horcrux.

- E o que você quer saber sobre isso, Tom? - Disse o  professor, visivelmente incomodado.

- Bem, esperava que você pudesse me explicar melhor o que é, já que não compreendi muito bem.

- Bem Tom, Horcruxes são feitiços proibidos que inserem em objetos, uma parte de sua alma. Tecnicamente, tornaria seu dono Imortal.

- Ah, sim - Dizia Tom, calmamente - e como são feitas?

- Eu acho que você sabe a resposta, Tom - Disse o professor, ainda mais incomodado.

- Matando...

- Matar corrompe a alma..

- Seria possível, fazer, digamos, sete Horcruxes?

- Sete?! - Dizia o professor, espantado -  matar uma vez já não é suficiente?! Você está perguntando isso por pura curiosidade, certo Tom? Questões acadêmicas?

- Mas é claro, professor.

E a memória se esvaiu no ar. Os dois levantaram seus rostos e se encararam rapidamente. Assustados.

- Você acha que ele conseguiu Professor? Fazer todas as sete? - Dizia Hermione se afastando da penseira.

- Infelizmente, creio que sim. - Hermione e Harry se olharam preocupadamente outra vez.

- E o que poderia ser estas Horcruxes? - Disse Harry

- Pode ser qualquer coisa, um diário, ou um anel - Disse Dumbledore, enquanto retirava o Diário de Tom Riddle e o anel da mãe de Tom de dentro da gaveta, Harry e Hermione se olharam mais uma vez, espantados. - Difíceis de encontrar, e também difíceis de destruir - Disse Dumbledore mostrando sua mão, que tinha uma coloração escura e parecia estar mais magra. - Quando você salvou Gina Weasley da Câmara Secreta, você destruiu a primeira Horcrux, Harry, a primeira parte da alma de Voldemort.

- Profess... - Hermione foi interrompida por Dumbledore

- Mas agora, preciso que saiam, preciso pensar agora. Obrigado Harry, Senhorita Granger - Disse Dumbledore indicando a porta - Vocês saberam o necessário na hora certa, tenham uma boa noite.

Harry e Hermione saíram do escritório de Dumbledore contra sua vontade. Voldemort conseguiu fazer as Horcruxes, a situação piorou ainda mais. Os dois andavam pelos frios corredores de Hogwarts, o rumo deles eram seus respectivos dormitórios.

- Mas que ótimo, já estávamos com problemas com a volta de Você-Sabe-Quem, e agora aparecem Horcruxes
 Como Dumbledore espera que tenhamos uma boa noite após uma noite dessas? - Dizia Harry enquanto andavam pelos corredores da escola, visivelmente estressado - o que faremos agora?

- Harry, se acalme! - Disse Hermione firmemente enquanto andava ao seu lado - Dumbledore não é burro, ele sabe o que está fazendo! Temos que obedece-lo, por enquanto. Podemos pesquisar mais sobre Horcruxes.

- Tá bom, tá bom. Já aconteceu coisa demais pra um dia. Estou exausto. - Disse Harry, quando se lembrou - Ah, que ótimo ele não nos disse nem como se destrói e como se identifica uma coisa dessas.

- Você ouviu ele, saberemos o necessário na hora certa - disse Hermione - mas isso não nos impede de ir até a biblioteca amanhã e pesquisar sobre.

- Você está certa, novamente! Eu não imagino a quantidade de besteiras que eu teria feito se você não estivesse aqui pra me aconselhar! 

- Ah, não é pra tanto Harry, você geralmente tem uma boa intuição, que combinado com sua coragem fazem você único - Disse Hermione envergonhada

- Você é incrível sim! Falando em amanhã, temos que falar sobre isso com Rony amanhã.

- Sim. Você esta certo - disse Hermione - foi legal passar o dia só com você Harry, foi divertido, e ainda ajudei com a sua missão.

- Sim, foi divertido mesmo. Deveríamos sair mais vezes - Disse Harry sem perceber o que estava falando

- Verdade! - Disse Hermione com entusiasmo na voz, mas sem jeito. - Bem, amanhã conversamos melhor, fico imaginando a reação do Rony com tudo isso.

- MAS O QUE? - gritou Rony, espantado no outro dia, enquanto estavam na biblioteca recolhendo livros que poderiam ter algo sobre Horcrux.

- Cale a boca, ou sera expulso da biblioteca, idiota. - Disse a senhora que cuidava da biblioteca, furiosamente.

- Desculpa - Disse Rony assustado com a ameaça, que tornou a cochichar para seus dois amigos - e agora o que faremos?

- Pesquisar é claro! - Disse Hermione, como se fosse a coisa mais óbvia do mundo no momento, enquanto largava uma pilha de livros velhos em cima da mesa e sentando-se ao lado de  Rony, e Harry estava em frente aos dois.

- Minha cabeça está doendo só de olhar pra esses livros - Disse Rony em um tom triste, fazendo os dois amigos rir.

- Você não muda né Ron? - Disse Harry rindo - aposto que você esta com fome agora.

- Cala boca - Disse Rony forçando um tom sério, mas meio segundo depois caiu na risada

- Falem baixo! - Exclamou a bibliotecária

- Desculpa - Disseram os três ao mesmo tempo

Hermione em seguida abriu o maior livro que estava na mesa, e abaixou a cabeça e começou a ler atentamente. Estava com o cabelo preso, e cachos de cabelo castanho claro caiam sobre seu pálido rosto, e "clichêmente", Rony colocou o cacho para trás da orelha de Hermione, ela levantou o rosto e os dois se olharam, sorrindo, e ele deu um breve beijo na bochecha dela.

Neste momento Harry que já estava desanimado, ao ver isso sentiu seu estomago explodir por dentro, sentiu seus braços e pernas pesarem, assim como todo seu corpo, sentia-se ainda mais desanimado, e seu nervosismo e tristeza atingiram níveis tão altos que sentiu um enjôo, sentiu suas mãos tremerem de baixo da mesa. Ele esqueceu que Hermione já não estava braba com Rony, afinal, ambos eram solteiros e ele tinha o direito de beijar Lilá, mas anteriormente, ele disse que nunca mais queria ver a cara de Lilá, que achava ela insuportável. E isso deve ter feito a tristeza e raiva dela pasar.
Subitamente, pegou um dos livros que estava na mesa, e levantou-se para ir embora

- Aonde você está indo? - Perguntou Hermione, surpresa.

- Vou ler sozinho - Disse Harry, de forma rápida e seca, o que ele mais queria era sair dali o mais rápido possível

- Mas porque? - Perguntou Rony, mas Harry já havia saído da biblioteca. - o que deu nele, Hermione?

- Não sei. Ele está estranho desde que chegamos em Hogwarts. - disse Hermione, pensou que o amigo estava assim por causa da cena que acabara de ver, mas ela pensou em seguida que não fazia sentido, Harry não demonstraria isso ou sentiria desconforto com isso, ou sentiria? Afinal, era uma coisa nova , afinal, era seus dois melhores amigos.

Harry andava rapidamente pelos corredores e encontrou a professora Minerva andando pelos corredores.

- Olá, Professora, a senhora sabe se o Professor Dumbledore está na sala dele?

- Olá, Potter. O professor Dumbledore não está na escola no momento, ele saiu e não sei ao certo quando irá retornar.

- A senhora sabe onde que ele foi?

- Sinto muito Potter, creio que não posso lhe falar, novamente, sinto muito.

- Não, tudo bem! Obrigado professora. - Disse Harry, e seguiu rapidamente em direção à torre de astronomia, chegando lá, sentou-se encostado na coluna em frente ao lado da barreira de segurança aço, para ter uma bela visão dos campos e do grande rio de Hogwarts, enquanto lia. Ele gostava daquela visão, com o sol refletindo nas águas do rio, enquanto a luz morna do sol aquecia sua pele pálida britânica e a brisa refrescante batendo em seus cabelos castanho-escuros, que ele havia deixado crescer  um pouco, pois a aparência bagunçada de seu cabelo grande o agradava, parecido da mesma época do torneio tribruxo. 

Apos ler uma boa quantidade de páginas, olhou para direção da paisagem em sua frente. Pensou que as coisas seriam mais difíceis agora, que Voldemort estava recrutando ainda mais Comensais da Morte, e havia ainda mais, as Horcruxes para procurar, e destruir, e não fazia ideia de como fazer ambos. Ele temia pela vida de seus amigos, e pela segurança do mundo mágico. 

- Harry? - Disse Hermione se aproximando do amigo - você tá bem? Você saiu do nada, me deixou preocupada, e a Rony também. - Ela sentou a frente do amigo, que não a olhava, e mantinha os olhos fixos na paisagem.

- Eu deveria ter morrido naquela noite. - Disse Harry, ainda sem olha-la, este comentário a deixou completamente perplexa e assustada com seu amigo, com medo que ele pudesse fazer algo grave a ele mesmo.

- Harry, meu Merlin, não fale assim, olha voc.. - Mas Harry a interrompeu

- Se eu tivsse morrido com meus pais, ele não retornaria, ele não teria como, ele precisou do meu sangue pra retornar, o sangue que Rabicho retirou naquela noite no cemitério - disse Harry, e a olhou por alguns segundos, ela não sabia o que dizer. Era uma situação delicada, um assunto delicado para Harry. Ele então continuou - E então as vidas inocentes do mundo mágico não estaria ameaçadas, por minha causa.

- Harry, não diga estas coisas - Disse Hermione, que se sentou ainda mais perto, a frente dele e olhando diretamente em seus olhos - sabe, ele daria outro jeito de voltar. E se você não estivesse aqui, agora. Sendo a primeira pessoa da minha vida que quis ser meu amigo, as pessoas não gostavam de mim, por eu ser estranha ou estudiosa, eu com certeza estaria sozinha até hoje. Você é uma ótima pessoa, e nós daremos um jeito, não se renda Harry! Vamos destruir aquele sem nariz idiota. - Disse Hermione rindo no final

- Ah, eu espero que você esteja certa - Disse Harry rindo, mas com a feição triste.

- Eu sempre estou, lembra?

- Sabe-tudo - Disse Harry rindo

- Eu mesma. - Disse também rindo

- E então, onde está Rony? - Disse Harry após alguns segundos de silêncio.

- Na biblioteca. - Disse Hermione, mas ao perceber a expressão de surpresa de Harry, que arregalou os olhos, destacando ainda mais os olhos verdes bem iluminados pelo sol, acrescentou - Porque eu mandei ele esperar e ficar pesquisando lá, pois eu vinha ver como você estava, e depois voltaria.

- Ah sim, entendi - Disse dando uma breve risada, para descontrair.

- Você quer que eu fique aqui com você? Você não parece bem.. - Perguntou Hermione

- Não precisa - Ele se odiou por um momento por ter que dizer isso, ele temia que seus sentimentos pela amiga estivessem mudando, mas ele não tinha certeza disso ainda, mas preferiu não arriscar, não sabia se só era coisa da cabeça dele, pela quantidade de coisas que estavam acontecendo - Volte para a biblioteca para pesquisar, vou pesquisar aqui também, quando eu terminar este livro, eu irei descer. Aí eu encontro vocês na Sala Comunal, lá discutiremos o que descobrirmos.

- Tem certeza? - Perguntou Hermione se levantando.

- Sim, tudo bem. - Disse dando um sorriso. Novamente, para descontrair - Até mais tarde.

- Até mais tarde, Harry - Disse ela, que ao parar no topo da escada, olhou para trás e deu uma última olhada ao seu amigo, que voltou sua atenção para o livro, enquanto a luz do sol pousava sobre ele, e o vento gelava seu rosto. 


Notas Finais


Comente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...