História HQ Boy - 2jae - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias CrystaL Clear (CLC), Got7
Personagens BamBam, Elkie, Eunbin, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Seunghee, Seungyeon, Sorn, Yeeun, Yoojin, Youngjae, Yugyeom
Tags Jaebum!bottom Youngjae!top
Visualizações 417
Palavras 1.579
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Postando hoje porque talvez amanhã não dê kahsakha
Eh isto
(Não, não vai ter capítulo novo de Reidorn. Não por hoje nem amanhã, sorry)

Capítulo 11 - 1.1


[...]

— Youngjae você já bebeu muito, chega! — Yugyeom tentava o arrastar para fora da festa, Youngjae estava o chamando de "Baby" desde que começou a ficar extremamente bêbado. O moreno estava agora pendurado em seu pescoço tentando o beijar, se jogou em Yugyeom que caiu para trás num sofá com Youngjae em cima. — Cara, você está me deixando com certos problemas. — Empurrou o mais velho que caiu no chão rindo. — Que droga, se levante! — Choramingou, praticamente implorando para o outro que deu língua o abraçando fazendo certas coisas se pressionarem.

Sem mais opções, Yugyeom pegou o celular do outro discando o número que estava salvo como "Hyung nhonhonho💖" que provavelmente era o de Jinyoung.

O arrastou até o jardim onde estava mais silencioso e colocou o celular na orelha. Depois de alguns toques a chamada foi atendida.

— Alô? Hyung socorro! Youngjae bebeu e agora fica me chamando de Baby, o que eu faço? — No final da frase soltou um "aaaaaaaa" porque Youngjae puxou seu cabelo para trás mordendo seu pescoço.

— Yugyeom? Como assim? O que você está fazendo com o celular dele? — Jaebum disse confuso do outro lado.

— Hã? Jaebum? O que *você* está fazendo com o celular do Jinyoung hyung? — Youngjae puxou o celular da mão do ruivo se afastando. — Baby, estou com saudades. — Fez biquinho por mais que o outro não pudesse ver. Jaebum se engasgou e começou a tossir. O que caralhos estava acontecendo? — Você sentiu falta do seu oppa? Hm?

Jaebum pediu licença a todos na mesa e se levantou, foi para o banheiro e se sentou numa privada.

— Youngjae, o que está acontecendo? Passe o celular para o Yugyeom. — Falou baixinho, tentando não transparecer a raiva que sentia. — Não sou seu baby, e muito menos você meu oppa. Passe já o celular para o Yugyeom, você já está falando coisas sem senti-

— Jaebum-ah...— Youngjae o interrompeu, seu tom estava totalmente diferente. Sua voz parecia mais grossa. Jaebum estremeceu por seu nome ser pronunciado daquele modo pelo outro. — Eu sempre quis fazer você gemer meu nome e gritar de prazer. Puta merda, você é tão gostoso! Já viu como sua bundinha é redondinha e deve ficar linda nas minhas mãos? Já me perdi olhando ela várias vezes, imaginando como seria você cavalgando em mim, ou de quatro...Quem sabe até mesmo em pé, de todo jeito deve ser bom. Não, bom é pouco. — Jaebum ficou boquiaberto, sem querer acabou imaginando o que o mais novo disse, sentiu aquela coisa estranha de novo no meio de suas pernas e a sensação quente se espalhar por sua virilha. — Droga, já fico duro só de pensar. Está vendo o que você faz com seu oppa? — Gemeu do outro lado e o Im cogitou desligar na mesma hora.

— Youngjae, já que você está bêbado não tem problema te contar, certo? — Respirou fundo. — Ontem eu...Eu...Acordei no meio da madrugada, eu tinha tido um sonho estranho com você.

— Um sonho? — Choi perguntou claramente ainda bêbado. Onde estava já não tinha mais barulho.

— Sim, e nele você me jogava na sua cama...— Encostou a cabeça na parede atrás de si. — Judiou do meu pescoço...— Passou seus dedos finos pela sua julgular e pomo de Adão. — Subiu sua mão lentamente pelo meu corpo todo, por dentro da minha roupa. — Percorreu o caminho com sua própria mão se relembrando das sensações absurdamente reais. — Enquanto eu, embaixo de você, gemia loucamente seu nome. — Não gemeu seu nome. Dava para ouvir a respiração pesada do mais novo do outro lado da linha. Sorriu de lado quando ouviu o outro falar um "Gema por favor" se negou a fazê-lo. Teria sua hora para isso. — Depois disso, o oppa apertou sem dó meu pênis por dentro da calça...— Repetiu o ato e acabou gemendo, Youngjae resmungou um palavrão, sorriu parando de provocá-lo já que estava ficando com alguns problemas também. — Vá para casa seu bastardo, boa noite.

Jaebum desligou sem acreditar no que havia feito, tinha contado do sonho para Youngjae! Esperava que o mais novo fosse do tipo bêbado que não se lembra do que aconteceu na noite passada.

Aquela coisa ainda estava ali, de pé e latejando. Respirou fundo e entrou na sua galeria para ver umas fotos de seus gatinhos. Foi totalmente broxante quando pesquisou "mulheres peladas" no Google, quase vomitou, não era possível ser tão nojento assim. Respirou fundo indo até o espelho e se arrumando, sorriu pensando no que fez o Choi passar, faria de conta que aquela ligação nunca aconteceu.

Voltou para a mesa como se nada tivesse acontecido -porque não tinha- e se sentou. Já estava tarde, e tudo o que Jaebum queria era chegar em casa, tomar um banho quente e se jogar em sua cama com seu pijama confortável. No dia seguinte já teria aula, ou seja, veria Youngjae. Já estava preparado para rir do rosto de ressaca do outro amanhã. Tomou seu refrigerante ligando a tela do seu celular só para ver se havia mensagens, tinha exatamente 33 mensagens de Youngjae, revirou os olhos olhando aquilo. Que velocidade em digitar era aquela? Nem tinha desligado direito.

— Jaebum-ssi? — Yujin o olhou sorrindo. — Não acha aquela garota bonita? — Perguntou mantendo seu olhar felino na direção de uma garota de cabelos pretos e meio alta. Passou sua língua pelo lábio inferior fitando a garota de cima a baixo, Jaebum arqueou uma sobrancelha achando aquilo estranho.

— Se interessa por garotas? — Jaebum perguntou baixinho num tom divertido. Yujin olhou para os dois homens conversando e logo se voltou para Jaebum novamente, sorriu e começou:

— Você não? — Jaebum negou com a cabeça rindo. — Bom, você é lindo e muito legal. Mas eu realmente não gosto de garotos, enquanto estávamos nos falando aqui eu olhava para o sutiã daquela moça atrás de você. — Indicou com a cabeça, Jaebum discretamente olhou, a mulher estava com um decote enorme. Soltou um "ew" com nojo e começou a rir junto a Yujin.

Seus pais se levantaram se despedindo com um abraço, trocaram seus números no estacionamento e saíram cada um em direção a sua respectiva casa.

No carro, o pai de Jaebum perguntou se havia rolado algum clima entre ele e Yujin. Negou e só disse que ela era legal e que viraram amigos, seu pai assentiu sorrindo.

Jaebum chegou em casa passando por Junhae na sala.

— Oh, olha só quem voltou...E aí, garoto? Deu pro pai dela? — Riu debochadamente no sofá enquanto segurava uma taça de vinho. Jaebum abaixou o olhar meio triste, estava cansado disso.

— Ei, não se meta na vida dele — Hweso disse sério, sem olhar a mulher. — Não tem graça nenhuma implicar com alguém por sua sexualidade. Isso é homofobia, sabia? Você poderia ir presa. Além do mais, ele é meu irmão. Não faça mais nada com ele. — Se retirou da sala deixando Junhae enfurecida. Estourou a taça no chão, Jaebum se assustou recuando alguns passos. Seu pai estava no banho e Minji estava na cozinha. Junhae se aproximou com um olhar furioso, Jaebum teve certeza de que ela poderia o morder a qualquer momento.

Estava com muito medo, não bateria nela, não tinha energia, nem força para isso.

— Está vendo o que você fez?! Jogou meu próprio filho contra mim! — Agarrou forte nos braços do Im, o prensou na parede dando um tapa em seu rosto. Jaebum se agachou por conta da dor tentando segurar as lágrimas. — Agora ele acha que eu sou um monstro, só porque tento fazer você virar homem. — Puxou seus cabelos pretos batendo seu rosto na parede, Minji saiu correndo da cozinha afastando a mulher de Jaebum.

Minji puxou rapidamente Jaebum até o quarto do mesmo, o menino chorava meio alto e soluçava. Tinha um corte considerável um pouco abaixo do olho. O sentou na cama começando a despir o Im. Tirou seu terno e sua calça, colocando seu pijama solto e confortável do M.A.E, deitou Jaebum que chorava baixinho no colchão e o cobriu. Passou seus dedos em seus cabelos e disse que pegaria um band-aid para seu rosto.

Jaebum se pôs a fitar o teto, provavelmente Junhae diria que ele havia caído ou batido o rosto acidentalmente em algum lugar, e ele não desmentiria. Minji logo entrou colocando o band-aid gentilmente o dando um beijinho no local.

— Está doendo. — Jaebum resmungou depois de um tempo.

— O que dói, querido? — Perguntou alisando as costas de sua mão. Jaebum levou sua mão livre até seu peito e a colocou ali. Minji respirou fundo para não chorar de raiva de Junhae, Jaebum era como um filho para ela, e doía muito o ver assim, era um menino tão bom e alegre. — Prometo que ela nunca mais encostará um dedo sequer em você, se não se sentir bem pode ir para o meu quarto. Boa noite. — Beijou sua testa e saiu. Assim que Jaebum viu a porta ser fechada afundou seu rosto no travesseiro que em menos de 14 minutos já estava encharcado por suas lágrimas. Sentia que poderia se afogar nas mesmas que pareciam inacabáveis. Se levantou devagar pela volta das 02:00 e foi até o quarto de Minji no fim do corredor, entrou vendo a mais velha dormindo e se deitou ao seu lado, se aninhou em seus braços que automaticamente o rodearam e finalmente parou de chorar logo dormindo.


Notas Finais


Oppa huehuehuehue


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...