1. Spirit Fanfics >
  2. Humanos Irracionais >
  3. O Prólogo do Fim

História Humanos Irracionais - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - O Prólogo do Fim


Fanfic / Fanfiction Humanos Irracionais - Capítulo 1 - O Prólogo do Fim

Após o experimento Russo fugir ao controle, o Cientista responsável pela execução veio as redes sociais e disse...

"Este é o fim para a humanidade como conhecemos, minha equipe e eu desenvolvemos uma arma que fugiu de controle, se trata de um nano parasita geneticamente modificado, através do estudo de ameba e outras larvas que atacam a região cerebral, desenvolvemos este que ao invés de destruir aloja-se no cérebro, o intuito era fazer um parasita capaz de se espalhar rapidamente e transformar qualquer vida inteligente em um símio, assim aniquilariamos facilmente nossos inimigos, isso para os que sobrevivessem ao choque neural causado pelo parasita, mas acontece que ele está se espalhando muito rápido e não só entre nossos inimigos mas aliados, não conseguiremos controlar... É o fim."

Estranhamente ele cometeu suicídio logo após espalhar publicamente o fato. A China e a Rússia se renderam, estranhamente a tão especulada "Terceira Guerra Mundial" não durou mais que alguns dias, e eu sequer tive de me apresentar ao exército...

O mundo festejou o fim da guerra, enquanto a Rússia tentava abafar o caso levantado pelo cientista... Porém não demorou muito para aparecer...

"Um homem transtornado atacou pessoas no Shopping, e teve de ser abatido pela polícia."

"Mãe de família mata filha que seu marido teve com ex-mulher e em seguida o mata."

Até então tudo bem parecido com a triste realidade que já estávamos habituados, porém os casos foram aumentando, mais pessoas internadas em clínicas psiquiátricas, e em escala mundial.

Minha vó me diz que está chegando o dia do Julgamento Final, Novamente as pessoas são postas em quarentena...

Se passaram alguns dias, as ruas desertas porém as vezes escutamos maçanetas de portas sendo violentamente acionadas, portões recebendo pancadas e gritos oriundos da rua.

As emissoras de Tv começam a se extinguir, a comida está ficando escassa, batalhões de infantaria passam pela rua, e só ouço tiros e gritos.

Um mês se passou, A Austrália não existe mais, ou melhor sua população civilizada acabou, assim como na França e na Espanha...

A comida está acabando, a está altura já havia perdido minha vó e meu pai, mas não vou entrar em questões pessoais...

Me resta de família duas irmãs pequenas e minha mãe, a população brasileira foi reduzida para 05 Milhões.

O governo então anuncia que está construindo uma base, cercada e protegida, mas com capacidade máxima para 50 mil pessoas.

E divulgaram que não haveria mais patrulhamento, os militares só protegeriam a "Memphis" nome dado a base de resistência.

Isso era claramente um veredicto, apenas 50 mil estariam seguros, o restante seria abandonado, os outros 6 países restantes, Estados Unidos, Itália, Argentina, Japão , Chile e Canadá, tomaram as mesmas medidas... É claramente uma pretensão de salvar pelo menos o mínimo, mas seria justo ? Ou moralmente correto ? A essa altura pouco importa... Na verdade nunca importou.

"A população mundial está abaixo de 50 milhões, foi anunciado onde está localizado a sede do Banker Memphis... No Distrito Federal."

E pra quem mora no Rio Grande do Sul, Acre, Ceará ? Aeroportos não funcionam, não tem gasolina nos postos... 2000 Km me separam deste destino, pra mim está claro que é impossível chegar.

Então chegou o último dia que a patrulha estaria nas ruas e eles anunciaram que levariam os sobreviventes para o destino...

Todos festejaram e arrumaram suas coisas, eu estava no segundo andar com meu binóculo então vi dois militares que faziam a patrulha conversando e por meio de leitura labial me deparei com a seguinte fala.

"As ordens são para matar todos, por que quanto menos deles vivos, menor o número de possíveis hospedeiros."

Como assim deles ? Não seria nós ? Também somos humanos, eles simplesmente vão erradicar todos fora desse seleto grupo ?

Falei com a minha mãe e implorei pra ela não ir, mas ela não deu ouvidos e levou minhas irmãs, era visível que não estava em seu estado normal, mesmo chorando e me ajoelhando ela foi e então eu a vi indo com os militares e mais uma centena de pessoas...

Eu estava sozinho, na verdade com meu cachorro, decidi por longe observar oq aconteceria com as pessoas. Adentraram em um estabelecimento, e em seguida todos foram alvejados por incontáveis projéteis.

Estava aterrorizado, apenas observei de longe, quando os militares foram, adentrei e me deparei com sangue e estilhaços de corpos, uma verdadeira carnificina, dentre eles o de minha mãe, sai desatordoado em direção a minha casa, esperando chegar e ver que tudo não passou de uma epifania.

Então diversos Helicópteros Cortaram o Céu, já se aproximava das 18 horas, logo todas as luzes dos postes apagaram, não havia mais energia... Não havia mais nada...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...