História Humans Idiots. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXID, Monsta X, Seventeen
Personagens Hyung Won, I'M, Jungkook, Ki Hyun, LE, Min Hyuk, Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups", Show Nu, Solji, Soonyoung "Hoshi", Suga, Wen Junhui "JUN", Won Ho, Xu Ming Hao "THE8"
Visualizações 11
Palavras 1.004
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - - 1 -


Fanfic / Fanfiction Humans Idiots. - Capítulo 2 - - 1 -

Introduction


Após acordar mais um dia com os choros de Vitória, Yasmin se levantou e foi ver as causas intermináveis dos choros vindos da pequena, pegou Vitória em seus braços deduzindo que era apenas mais uma de muitas cólicas, então embalou sua filha em uma manta grossa e quentinha logo cessando os choros da menor, colocando-a no berço novamente. Desceu para a cozinha, logo olhando para fora vendo que estava cedo, decidindo então adiantar o café para seu marido que logo acordaria para sair a caçada de alimentos para casa. 

Assim que preparou o café, subiu para o quarto encontrando seu marido ainda dormindo, então o chamou calmamente o acordadando, logo recebendo um lindo sorriso de sua amada.

- Bom dia meu amor - Sorriu Yasmin

- Bom dia - Sorriu Fernando acariciando calmamente a bochecha de sua amada

- Vamos se levante, o café já está pronto 

- Já vou 

Yasmin sorriu pela última vez e se retirou do quarto voltando para o de Vitória, que estava acordada , porém quieta, Yasmin a pegou no colo e se sentou em um sofá ali no quarto da pequena e a deu de mamar. Vitória ainda era um bebê, tinha apenas um ano de vida mas já era muito observadora, sempre que sua mãe a levava na rua, ela olhava tudo a sua volta, não deixava de olhar tudo. Após terminar de dar de mamar a sua filha, se levantou com a mesma no colo e desceu a cozinha encontrando seu marido tomando café, juntou-se a mesa também tomando café junto com Vitória.

- Yasmin tome cuidado hoje, não estou tendo um pressentimento muito bom - Comentou assim que sua esposa se sentou na cadeira

- Pode deixar, irei tomar bastante cuidado 

- Já vou indo, quero chegar cedo hoje - Se levantou e depositou um beijo na testa de Yasmim e de Vitória saindo de casa. 


(...)


Assim que recebeu a notícia voltou rapidamente para casa a procura de Yasmim e da pequena, assim que achou Vitória a pegou em seu colo e a beijou deixando algumas lágrimas rolarem por seu rosto, logo saiu de casa com a pequena em seus braços e foi para a praça central onde podia escutar as pessoas rirem e os gritos de Yasmim assustando Vitória que começou a chorar, o cheiro de queimado e a fumaça do fogo entrando em suas narinas o fizeram derramar mais lágrimas, indo para onde vinham os gritos de sua amada que estava a ser queimada em uma fogueira, se ajoelhou no chão vendo aquela cena perturbadora vendo os choros de Vitória aumentar cada vez mais. Saiu dali rapidamente e voltou para sua casa, tentando acalmar a menor que ainda chorava, um choro ensurdecedor e alto, beijou novamente sua filha ainda tentando acalma-la.

- Vai ficar tudo bem pequena - Disse chorando ainda segurando Vitória - Eu estou aqui e irei te proteger...

Assim que terminou de dizer essas palavras, o choro cessou e ela o olhou profundamente, era como se ela quisesse dizer que já sabia o que aconteceu com sua mãe, queria dizer que ficaria tudo bem caso ele estivesse perto dela. Fernando se sentiu estranho, então deixou sua filha no berço e saiu do quarto de Vitória, caminhou para seu quarto abrindo a porta e adentrando o quarto, se direcionou para o banheiro tomando um banho gelado e rápido, logo saiu do chuveiro se secando vestindo sua roupa de dormir deitando na cama abraçando o travesseiro de Yasmim deixando algumas lágrimas rolarem de seus olhos.

4 anos depois...

- Não vai dizer nada Vitória?... - Perguntou Fernando autoritário, e Vitória apenas negou de cabeça baixa. Queria dizer algo, mas sua voz não saia, ela poderia abrir a boca milhares de vezes, mas nem um som saia de sua boca, e havia um motivo muito estranho para isso acontecer - Certo, vou arrumar isso aqui, enquanto isso vá comer para poder ir pra escola. - Vitória apenas assentiu e foi para a cozinha, pegando o prato que seu pai havia preparado e começou a comer.

Assim que terminou, voltou para a sala onde seu pai ainda estava pegando os pedaços do brinquedo que ela havia quebrado, não sabia como ela havia quebrado, só tinha apenas 5 anos, mas sua força era de um adulto. Seria impossível quebrar aquele brinquedo, pois era feito de madeira grossa, mas nada era impossível para Vitória. Após depois de seu pai recolher os pedaços do brinquedo, ele a ajudou a se vestir e ir para a escola. 


6 anos depois...


- Ela ainda não consegue dizer nada? - Perguntou o médico olhando a garganta de Vitória que não havia nada de errado.

- Não, e isso aconteceu depois que...

- A Yasmim faleceu, é infelizmente. Mas, você já tentou levá-la para o túmulo de Yasmim? Talvez, se ela sentir um sentimento sufocante, ela possa dizer alguma coisa - Disse o médico se sentando em sua cadeira.

- Não, mas pode ser bom - Disse Fernando se levantando acompanhado de Vitória - Eu irei fazer isso, e qualquer novidade irei lhe comunicar

- Certo, até mais ver 

- Até - Saiu do consultório e caminharam lentamente até o lugar onde estava o corpo de Yasmim.

Ao ver a sepultura de Yasmim, Vitória deixou algumas lágrimas rolarem por seu rosto, Fernando a abraçou forte, sabia que era dolorido levar sua filha até o lugar onde sua mãe fora sepultada. E pela primeira vez em um longo tempo, Vitória dizer uma palavra que a fazia chorar, sussurrou um "omma" em meio o abraço de seu pai, seu som baixo fez com que ela aumentasse um pouco mais alto o tom de voz, fazendo com seu pai pudesse escutar sua voz baixa e trêmula. Fernando a olhou com os olhos cheios de lágrimas, e ela sussurrou novamente, ele se assustou um pouco mas a abraçou novamente e a levou dali.

Depois de chegarem em casa, se sentaram no sofá e Fernando tentou se comunicar aos poucos com Vitória, que fala pausadamente e lento. Não tinha capacidade de dizer algo rapidamente, teria que ir se acostumando com essa nova fase...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...