História Hunter x Hunter: atarashi densetsu - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Anita, Gon Freecss, Hisoka, Killua Zoldyck, Personagens Originais
Tags Amizade, Aventura, Família, Hunter
Visualizações 22
Palavras 1.143
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Incesto, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - Resgate x devolução x noivado


- Kiru!! Kiru, cade você?! - a morena corria um pouco mais adiante dos outros chamando pelo amigo bem preocupada.

 

- "Em tão pouco tempo e essa mocinha já se cativou pelo jovem mestre" - pensa Canária enquanto a observa correr - " se já ficaram tão próximos assim em tão pouco tempo, imagino o que possa vir no futuro, e eu não ficaria nem um pouco surpresa, creio que ninguém ficaria, agora tenho certeza de que ha motivos pra a dona Kikyo se preocupar. Eles são crianças ainda, vai demorar um pouco mas em  algum tempo vão acabar percebendo" Gina Freecss.

 

- sim senhora Canária?

 

- o quão apressada está pra rever o jovem mestre?

 

- bem, eu gostaria de revê-lo o quanto antes. Eu... realmente estou muito preocupada, não que eu não confie em sua força mas sempre tem a possibilidade dele não voltar e eu não gosto dessa possibilidade nem um pouco, ficarei melhor se eu conseguir pelo menos vê-lo, nem que seja por uns minutos, pra saber que está bem. 

 

Os olhos da menina estavam determinados, ainda que meio tristes ao pensar no destino do amigo, Canária a encara, conhecia aqueles olhos de muito tempo atrás.

 

- entendo... - a mordomo pega em seu paletó um comunicador que mantinha escondido - Amane, Kiriko... estão com o nosso senhor?

 

De dentro da mansão a segunda mordomo e o Kiriko, devidamente disfarçado de Gotoh, estavam com o Silva Zoldyck ao lado que escutou toda a conversa com um meio sorriso.

 

- Tudo bem, então é assim que vai ser mocinha? Não sairá daqui sem vê-lo vivo?

 

- Não senhor - fala Gina sem medo algum.

 

- Kikyo fará tudo que puder pra impedir mas também sei que não posso pará-la de se encontrar com meu neto. Fique tranquila, em breve ele estará com vocês.

 

- Senhor? - Amane.

 

- Vocês mesmos o levarão pra a garota... Gina, correto?

 

- Sim senhor. - fala a morena.

 

- Algum dia no futuro eu gostaria muito que nos encontrássemos pessoalmente, se não houver problemas pra você.

 

A morena parece refletir um pouco sobre isso enquanto era encarada por todos ao seu redor, eles haviam parado de correr. Canária estava apreensiva, Kolulu não poderia sentir menos do que um medo sobre isso e o mesmo se aplicava à Pietro.

 

- Certo senhor, será um prazer lhe encontrar no futuro.

 

Ele sorri e ri com isso.

 

- Ora que mocinha interessante... - ele desliga o bipe e encara-o por um momento. Zeno aparece logo depois das sombras.

 

- acha mesmo que ela é apropriada Silva?

 

- é uma Freecss, filha daquele em especial e neta do Ging, quem sai aos seus não degenera... creio que ela tenha potencial no futuro, se devidamente treinada. Quero esse potencial na família.

 

- e quanto à senhora Kikyo? Ela não vai gostar nada disso.

 

- o que torna tudo mais divertido... - ele se levanta - agora, aos negócios, já dei minha palavra e ela é lei por aqui.

 

 Um tempo depois o casal Killua e Anita chegam à mansão principal, era escura e muito bem camuflada nas pedras, nas folhas e na escuridão; para acessá-la era preciso passar por um extenso e claustrofóbico corredor igualmente escuro. Para se chegar na câmara de tortura, local de onde Kiru estava fadado ao seu destino final, era outra longa caminhada, as passadas deles eram silenciosas e um grande silêncio era instalado.

 

- ei... Se quiser eu posso te carregar de novo.

 

- Não precisa, posso me virar bem a partir daqui, obrigada.

 

- No que está pensando? Está muito quieta aí atrás.

 

- Em várias coisas... acho que as mesmas que você. Bem, nem todas as mesmas que você.

 

- Por exemplo...?

 

- Killua... olha, tem mesmo certeza disso? 

 

- Do que?

 

Ele para e a encara um pouco.

 

- Você sabe muito bem, se tem certeza sobre essa história de querer casar comigo. Você mesmo disse que eu sou uma idiota e fraca.

 

- Mas em relação à mim. E não se preocupe, se  for mais forte ou fraca isso não tem importância contanto que eu te ame, pare de pensar nessas coisas idiotas.

 

A morena sentiu uma imensa vontade de beijá-lo mas uma dor cortante a impediu.

 

- Anita, está tudo bem?

 

- Sim, claro, vamos em frente...

 

- Se procuram por Kiru, ele está a caminho.

 

- Milluki... - fala o platinado.

 

- Quanto tempo irmão... Anita... - Milluki para um pouco antes de continuar - o pai está fazendo o mesmo esquema que fez com você no passado, dessa vez com o meu sobrinho. Acho que será mais difícil, por causa da mãe, você sabe como ela é.

 

- Ainda não aceitou muito bem uh...?

 

- Não mesmo. E Illumi... ele deixou algo com a sua amante.

 

- noiva - corrigiu-o Killua.

 

- ah? E a mãe sabe disso?

 

- Eu pretendia contar pessoalmente, questão de cortesia, mas depois dessa eu creio que ela não tenha realmente mais nada haver com a minha vida.

 

- Entendo... nesse caso, devo passar a te chamar de cunhada? 

 

- É, acho que o mesmo sobre você... - fala a morena.

 

- Finalmente ein - Milluki.

 

- Tsc. Cale a boca... todo esse passeio por nada, agora terei que levar a Anita pra fora daqui e rápido. Sobre o que o Illumi deixou com Anita, o que é?

 

- Eu não sei bem, ele não falou. Acho que ficou desconfiado de eu ter te ajudado durante todo esse tempo, mas se eu fosse você ficaria de olho.

 

- Certo... estamos voltando.

 

- Não vai falar do seu casamento com Anita, vai?

 

- Já disse, não devo mais satisfações da minha vida com ela... somente que... se ela ousar encostar na minha família de novo eu a matarei sem dó. Kiru já não é mais um bebê... - ele olha pra uma câmera muito bem escondida no teto - então sugiro que proteja muito bem sua retaguarda.

 

Do outro lado da tela estava uma senhora apavorada.

 

- C...como ele ousa... 

 

No mesmo minuto Silva entra na sala.

 

- Kiru, venha comigo. Seus amigos vieram te buscar. Especialmente uma mocinha bem anciosa.

 

- O que...? E você vai deixar tudo isso acontecer?!! - fala Kikyo indignada mas ela é ignorada pelo marido que anda com o neto bem machucado pra fora da sala - VOCÊ OUVIU QUE ELE VAI CASAR COM AQUELA RATA?!!

 

- Eu sei, ouvi muito bem... mas você sabe muito bem que quando ele está sério sobre alguma coisa ele vai até o fim.

 

- ELA TIROU O MEU FILHO DE MIM!!

 

- E você tirou o filho deles, por muito tempo. Já tivemos nosso tempo Kikyo, com Killua e com Kiru, é hora deles mesmos tomarem responssabilidade pelo deles... "e um dia perdê-los também"

 

A porta pesada fecha atrás dele.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...