História Hurt Him. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, Mark
Tags Bdsm, Got7, Jackson, Mark, Markson, Pwp, Yaoi
Visualizações 449
Palavras 1.324
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aí babies.
Nem acredito que trouxe uma fic Markson bicho, meu otp :(((( E bom, é uma pwp.
E escrever bdsm seria meu sonho??????? Então né. Esse projeto de one acabou se dividindo em dois.

E eu espero que vocês gostem aaaa. Boa leitura<3

Capítulo 1 - Hurt Me.


Na calada da noite, Jackson adorava aparecer de “surpresa” para Mark em sua casa. Na realidade não se tratava de uma surpresa, afinal quando sua campainha tocava às 22 horas, sabia quem era do outro lado da porta. Era seu ex-namorado, no qual terminou a relação em um curto período de tempo. Os dois perceberam que aquela relação não tinha futuro a partir do momento em que as brigas chegaram em um ponto crítico. Eles se ofendiam constantemente, precisavam descontar a fúria quando se agrediam, e Mark decidiu dar um ponto final naquele relacionamento que se tornava cada vez mais problemático. Jackson aceitou quase de imediato, pois sabia que aquilo não estava dando certo para nenhum dos dois.

Porém, após algumas semanas, eles sentiram falta um do outro. Não sentimentalmente falando. Sentiam falta dos toques nada castos, da respiração que tocava gentilmente suas peles e os gemidos que ecoavam no quarto. Não era difícil chegar à conclusão de que eles davam certo somente na cama. Eles eram completamente opostos: Um era sol e o outro lua, Jackson era extrovertido e popular, enquanto Mark era introvertido e caseiro. O mais velho era sedentário e muito magro, Jackson era atlético, seus músculos destacavam o corpo muito bem definido. Então qual era a razão para terem se atraído? Ora, a tensão sexual que envolvia ambos. O Tuan achava que a chave para uma relação dar certo era se submeter às regras antigas, aceitar que o ativo pagasse os encontros, que lhe desse rosas nos fins de semana. Jackson não era assim. 

Na verdade, o mais novo sequer acreditava em uma relação duradoura, mas gostava de Mark. Gostava de seu sorriso que adornava o rosto delicado, e também se atraía facilmente por twinks – garotos muito magros – então não foi difícil para ele começar a investir no rapaz. Quando conseguiu que Mark aceitasse suas investidas, avançou mais um passo, partindo para o primeiro beijo para provar os lábios que desejou por meses. O outro retribuiu com devoção, quase os levando para a cama logo no primeiro encontro, mas o maior impediu que mais um passo fosse dado quando ele lhe disse que aquilo não era certo. Precisava conhece-lo melhor.

E assim que se conheceram apropriadamente, assumiram um namoro apenas por constatarem o desejo que sentiam um pelo outro. O que não sabiam era que aquele desejo se resumia a um desejo carnal, pois mentalmente eles não estavam conectados. As diferenças entre eles passaram a afetá-los mais cedo que o esperado, desencadeando discussões que se tornavam cada vez mais severas, levando então ao fim do namoro que iniciou e terminou igualmente rápido. 

Tanto tempo separados lhes renderam saudades, pensamentos que não conseguiam evitar e os auto toques que vinham nas madrugadas, até Jackson ter coragem o suficiente para procurá-lo novamente e tentar puxar algum assunto, qualquer coisa que justificasse sua presença na casa dele mais uma vez. Ele enchia o outro de perguntas previsíveis, “como você está?”, “como vai a faculdade?”, até seu repertório de assuntos encerrar e constranger-se de uma vez. Ficaram em silêncio por poucos minutos, pois Mark tinha uma idéia melhor. Aproximou-se do corpo másculo do loiro, envolveu o lóbulo em sua língua e disse que não precisava de desculpas, sabia o real motivo de sua presença, iniciando então o ciclo de relações sexuais que mantiveram por semanas. 

E este ciclo perdurou até aquela noite, onde Jackson apareceu de supetão em sua casa. Quando Mark o atendeu, o loiro sequer esperou por alguma reação sua, carregou de imediato o rapaz frágil em seus braços, este entrelaçando as pernas finas nas costas do menor, iniciando um beijo quente o suficiente para acabar com o fôlego dos dois em instantes. Esticou um dos pés para fechar a porta atrás deles, sem se importar se a mesma estava trancada ou não. Jackson movia-se com dificuldade, tendo de agarrar com força o corpo magro em si, por vezes perdendo a direção de onde ia e esbarrando nos móveis. Os lábios doces do mais velho mexia com todos seus sentidos.

– J-Jackson... Você vai acabar me fazendo cair, está tão fraco assim que não consegue me carregar? – O mais velho dizia entre o beijo, intercalando alguns selares enquanto sorria divertido para o outro que o fitava. 

– Acho que você está mais pesadinho, o que está acontecendo? Andou comendo demais por sentir minha falta? – Recebeu um tapa leve nos ombros, rindo em conjunto com o garoto em seu colo que insistia em retomar o beijo. Aquilo era tão gostoso. Aproveitava a posição de seu ex para passear as mãos pelas suas coxas, apertando-as de leve, arrancando um arfar seu. Não eram mais necessárias as palavras para disfarçar o que queriam fazer realmente, apenas pulavam para a etapa principal. Não queriam ter de prolongar o desejo insuportável cada vez que se encontravam, tão famintos pelo corpo um do outro. 

Jackson retomou as rédeas e caminhou com o corpo grudado no seu, até chegar em seu quarto, este que parecia já avisado de sua presença, pois Mark adorava o organizar da forma que o loiro gostava cada vez que ele lhe visitava. Chegou com dificuldade ao pé da cama espaçosa e jogou o corpo magro com força acima dela, fazendo o garoto rir de sua atitude inesperada. 

– O que houve? Está tão sedento por sexo hoje? – Continuava a rir até seus lábios serem forçados a se fechar pelos dedos grossos de Jackson, que já erguia seu corpo acima do seu e o olhava com luxúria, sem acompanhar nenhuma de suas risadas. 

– Estou, estou bem louco. A culpa é toda sua. – Mark já não precisava dos dedos do outro forçando-o a se calar, ele apenas o olhou sério pela primeira vez naquela noite, fechando quase que completamente sua expressão. Não queria ter de admitir, mas ficava com tanto tesão quando o mais novo usava aquele linguajar, sendo mais rude consigo. Adorava quando ele o fodia com força, com raiva, após terem brigado, Mark sempre procurava algum motivo para arrancar à força toda a fúria de Jackson, mas parece que não seria necessário naquela noite. 

O menor retomou o beijo, parecia desesperado pela forma afoita que o conduzia, intercalando com mordidas e chupões nos lábios tão bem desenhados do outro. As mãos do mais velho já tateavam pelo seu corpo, pulando para a próxima etapa e já levantando a barra da blusa de Jackson, tendo suas mãos seguradas com firmeza contra o colchão. Jackson não queria que eles chegassem àquele ponto, não queria perder as estribeiras, pois tinha um plano muito melhor para aquela noite. 

– E-Espere, espere... Por que não tentamos algo diferente hoje? 

– O que seria? – Arqueou uma das sobrancelhas, não era do feitio de Jackson propor nada além do comum, e Mark estava perfeitamente satisfeito com o sexo que faziam. 

– Qualquer coisa que nos proporcione mais prazer. – O menor agora alcançava a mochila que trouxe consigo, e Mark sequer lembrava de tê-lo visto com uma mochila, tamanha a excitação de vê-lo na noite em que se sentia mais solitário. Estava ansioso para saber o que Jackson iria propor para os dois, mas ele tirou apenas um cigarro da mochila. Imaginava ser qualquer coisa, menos um cigarro, não sabia que efeito aquilo teria para ambos, sendo que ele sequer fumava. 

– Mas eu não fumo. 

– Não é para você. – Acendeu o cigarro com todo o cuidado, e se voltou para o maior, tragando a fumaça para seus pulmões e liberando a fumaça no rosto dele, que a inspirou de leve. – Você sabe por que eu estou tão louco hoje? – Sua voz agora estava mais grave, mas Mark não conseguiu decifrar se a causa era o cigarro ou o tesão que ele sentia. – Porque eu passei a semana inteira ansioso pra foder esse seu rabinho. E você não me ligou uma vez sequer. 

O Tuan não conseguiu responder à altura, porque era excitante demais até para si a forma como Jackson estava conduzindo aquela conversa erótica entre os dois. 


Notas Finais


Terminei abruptamente mas tenho minhas razões :D Vocês gostaram, devo continuar?
Anyways, não demoro a atualizar, assim espero. Kissus anjos. <3 :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...