História Hwarang - The Guardian - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Hwarang: The Poet Warrior Youth
Personagens Kim Taehyung (V), Personagens Originais
Tags Baseado, Hwarang, Romance
Visualizações 132
Palavras 2.439
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 31 - Uma Reviravolta de Queimar a Cabeça


Fanfic / Fanfiction Hwarang - The Guardian - Capítulo 31 - Uma Reviravolta de Queimar a Cabeça

(Tae)

 

Saí perambulando pelo reino, todos os cidadãos me olhavam assustados por causa das minhas mãos sujas com o sangue do rei. Minha cabeça girava, eu estava atordoado o bastante para ter a vontade de sumir para sempre, minhas pernas estavam bambas e minha respiração acelerada, parecia que em alguns minutos teria um limite. Entrei numa trilha para o bosque, estava tentando fugir dali o mais rápido possível! Eu tinha! Se a rainha descobrir que fui eu... morrerei e Nabi também.

Cansado, me sentei encostado à uma árvore na frente de um pequeno riacho que corria colinas abaixo. Comecei a olhar para o topo daquela árvore, observando as folhas que caiam e os fios de luzes do luar que atravessavam elas, eu pensava “qual é o sentido?”.

O sentido de eu ainda estar vivo depois de cometer um assassinato... dois. Agora o rei.

A brisa fria estava leve e eu apenas fechei meus olhos ainda ofegante. A imagem de Nabi apareceu em minha mente, perfeitamente... tão perfeitamente que repentinamente os abri assustado. Comecei a ficar confuso, lendas, outros mundos, caderno da morte, tudo isso se acumulou na minha cabeça! A morte de Banryu, o mestre, o rei, perseguição da rainha...! Eu vou enlouquecer!

 

- AAAAH! – Gritei angustiado com o que estava lidando. – Que droga! Merda...!

 

Comecei a chorar muito e levei as mãos aos olhos, não era possível impedir essas lágrimas que estavam sendo guardadas à tempos em parar de descer pelo meu rosto cansado. O que eu vou fazer? Meus pés estavam inquietos, eu cavava com meus calcanhares de tanta irritação. Era como se eu estivesse com dor, mas por dentro. Meu coração e mente estavam pesados. Olhei para minhas mãos e senti agora minha face suja com sangue, chorava mais e mais.

 

- Tae! – Uma voz familiar soava pelo bosque... por que ela veio? – Taehyung! Cadê você?!

 

Rapidamente comecei a lavar minhas mãos no lago em desespero, não queria ver aquilo novamente! Eu soluçava enquanto olhava meu reflexo na água, agora turbulenta com meu desespero. Parei, me observei nessa imagem refletida...aquele sangue no meu rosto, transformava a minha figura...na de um assassino. Eu me odeio. Soltei um grito e comecei a bater na água querendo matar aquele que via!

 

- MALDITO ASSASSINO! ASSASSINO! MORRA!

- TAEHYUNG! – Meus braços eram segurados, mas soltei continuando a atacar a água. – Está machucando suas mãos!

- MORRA! Morra...! – Desmoronei em choro novamente e me deitei de lado sentindo minhas mãos pulsarem... nem valeu a pena tirar aquele sangue. – Assassino...!

 

Senti a mão em meus cabelos que eram acariciados pela mesma.

 

- Por que? – Eu soluçava ainda com raiva, mas não gritava – Por que está aqui...?!

- Por que? – Sua voz era doce e calma, porém angustiada. – Porque... você é a única coisa que me resta. Sempre foi. Não vou te perder também.

- Eu matei...! Fui...eu!

- Taehyung, você me salvou...de novo. A culpa é toda minha. Se eu não estivesse aqui, você seria feliz como antes.

- Não...! Eu quero você aqui! – Eu me sentei a olhando. – Nabi...! Você! É o que me resta!

- Taehyung... eu deveria ir embora. – Paralisei na hora. O que ela disse?– Eu vou embora daqui, Tae. Os príncipes ainda estão cuidando do príncipe, caso ele entrar em óbito... vão inventar algo para te salvar.

- Eu devia ser punido...

- Não. – Sua face franziu. – Não! Você se protegeu!

- Mas...!

- Cala essa boca!

 

Engoli seco a olhando, comecei a chorar novamente e Nabi segurou meu rosto, lágrimas começaram a cair em sua face.

 

- Eu preciso ir embora!

- Não...! – Comecei a negar com a cabeça, agora eu estava em pânico e segurei seus braços. – Não não não! Você não vai me abandonar!

- Vá com seu irmão, Tae! Por favor! Se eu não ir...! Você vai sofrer mais!

 

Entrou em prantos novamente e a mesma encostou sua cabeça em meu ombro... ela ainda confiava em mim, como ela não pode me ver como um assassino?

 

- Nabi... por que se importa tanto assim comigo...?

 

Ela olhou para mim e sorria de canto, como se fosse algo óbvio...que eu não sabia.

 

- Porque eu te amo.

 

Meu coração quase saia pela boca. Eu já ouvirá isso antes, mas... agora...parecia uma cura. Eu corei e toda aquela angustia de tristeza se transformou em emoção.

 

- Eu te amo, Taehyung...idiota.

 

Não pensei duas vezes, segurei seu rosto lhe beijando nos lábios apaixonadamente. Se isso for amor verdadeiro... quero viver para experimenta-lo ao lado dela. Sei que era uma péssima hora mais, eu só queria saber dela. Nos afastamos e ela sorria... estava sorrindo lindamente, era tão bonita, preciso vê-la fazer isso mais vezes e eu não consegui segurar o meu. Acariciei as maças de seu rosto com meu polegares observando cada detalhe de seu olhar brilhante, ela realmente poderia ser algo sobrenatural...sobrenaturalmente maravilhosa. Nabi pegou minhas mãos as olhando.

 

- Falei que ia machuca-las... Você socou pedregulhos, bobo. – A mesma pegava um pouco de água em uma de suas mãos molhando as minhas limpando o sangue.

 

Eu apenas a olhava, não tirava os olhos dela. Eu a queria tanto, mais que nunca. Era como uma necessidade tão grande! Ela... não pode ir embora.

 

- Nabi....

- Hm? – Me olhou.

- Não vá. – Ela me dava um sorriso labial. – Eu te imploro, vou continuar lutando por você!

- Taehyung, está se matando aos poucos.

- Irei morrer apenas se for casado com você! E uma família! Irá ser do seu lado! – Eu sorria e ela me olhava surpresa um tanto corada.

- Tae... – Soltou um riso tímido, mas ficava séria novamente. – Tae...

- O que?

- Isso é a mesma coisa que...fazer negócios com a morte.

- Eu irei consertar tudo. – Me levantei e Nabi fez o mesmo. – Vou lutar! Mesmo cansado!

 

Foi nesse momento que notei que realmente havia um fim para tudo aquilo e de como Nabi me fazia viver novamente. Uma hora me odiava e agora com ela, sinto que posso ser feliz ainda. Que loucura é o amor!

 

(NABI)

 

Eu confio em Taehyung, sei que ele pode consertar as coisas, é o homem mais forte que já vi em toda a minha vida. Eu até esqueço que aquele mundo foi criado por mim...Nem eu sei mais o que é isso, vamos apenas esquecer esse detalhe!

Eu vou com Taehyung para onde ele for, preciso ajuda-lo.

 

- Vamos para o palácio. – Sorri para ele que acenava com a cabeça. – Se apoie em mim...parece exausto.

- Eu estou bem... melhor agora. – Sorriu e saia na frente.

 

Eu estava boba por ele, mas...será que temos essa coisa de amor verdadeiro? Eu nunca soube como é.

Ficamos andando na vila em direção ao palácio, tudo estava vazio já que era provavelmente de madrugada. Taehyung segurou minha mão entrelaçando seus dedos aos meus e o olhei corada, ele apenas sorria...maldito sorriso!

 

- Vai cuidar de mim no quarto? – Ele me olhava.

- Ah? Ah sim! Você está exausto!

 

Ele acenou com a cabeça e parecia bem contente. Uau...que coraçãozinho bipolar o dele, antes estava gritando consigo mesmo e agora...uau! Talvez ele finalmente tenha colocado em sua cabeça que o príncipe ainda está vivo.

Chegando na escadaria, Hoseok e Yoongi estavam conversando e pareciam nos esperar.

 

- Chegaram! – Hoseok gritou descendo as escadas quase caindo, parecia empolgado. – O príncipe sobreviveu!

- É sério?! – Abri um sorriso enorme junto à Tae que corria até Yoongi acima das escadas. – Como ele está, Hoseok?

- Desacordado, mas está vivo e respirando!

- Mas... e os órgãos? – Me fiz preocupada novamente.

- Eu não sei! Algo aconteceu! – Yoongi gritava e parecia também bem empolgado.

 

Apenas saí correndo para cima para falar com Seokjin.

Pisei dentro do palácio e o mesmo logo apareceu com um sorriso, ele foi até mim segurando em meus ombros.

 

- É um milagre! Venha! – Ele me puxava até o quarto aonde o príncipe descasava. – Está respirando! Está ileso! Olhe!

 

O príncipe mais velho levantava a roupa do rei e não...não havia nada...?! Nenhum ferimento?! Olhei assustada e Taehyung chegava atrás.

 

- Nabi...! O que seria isso? Chamei a rainha e o rei para ver!

- Mas... – Coloquei a mão no abdômen do mesmo. – Mas...! Como isso é possível? Todo aquele sangue!

- Não há nada?! – A rainha chegava ofegante. – Oh meu Deus! É um milagre!

 

Franzi o cenho e saí do quarto indo para o meu, Taehyung me seguiu. Me sentei na cama pensativa e ele fechava a porta ficando em minha frente.

 

- Tae... Isso é impossível! Como?

- Eu não sei. – Ele sorria. – As coisas hoje estão loucas e complexas!

- Estou confusa ...!

 

As coisas acontecem do nada... isso tem nexo? Espere...isso é um livro! Nada disso foi escrito ainda! Espere! Estou em coma! Não é possível coisas do livro estarem realmente acontecendo de acordo com o que eu escrevi! Pois isso nem foi escrito! O que está havendo?!

 

- NABI! PRINCESA! – Yoongi invadia o quarto quase caindo e com papeladas para todos os lados. – NÃO FOI UM MILAGRE!

 

Pulava na cama e espalhava as folhas, eu e Tae nos aproximávamos curiosos.

 

- Este desenho! – Mostrava o desenho meio apagado de um casal se beijando à beira da água. – Vocês se beijaram, não é?!

- Er... – Ri tímida e Tae confirmava. – Sim.

- ISSO! ISSO! – Ele abraçava nós dois. – A LENDA TEM UM FINAL FELIZ!

- O que...?! – Tae dizia sem ar. – Como assim?!

- Cara! Parece sem sentido, mas vem comigo! – Ele voltava aos papéis. – Achei outros textos que coleciono de livros, eu reescrevo todos! Parece que a história da lenda está em vários livros!

- Como assim? – Fiquei mais confusa.

- Assim! Os papeis que eu já tinha e mostrei para Taehyung, são frases de outros livros! A lenda foi escrita para ser uma história de fantasia, mas é real! Então deve haver um final! Olhem! Está folha é algo relacionado à este momento! “A ferida profunda, a morte está à alcança-lo! Esteve amaldiçoado e com um ato de defesa do guerreiro, a alma se apaga, mas com um beijo de amor verdadeiro antes de sua hora, um milagre vai ocorrer”, olha que loucura! Vocês são...como deuses! Eu não sei explicar!

- Espere! Quer dizer o nosso beijo foi o que salvou o rei mesmo estando longe dele? – Taehyung se fazia surpreso. – Isso é loucura! Nabi, o que acha?

 

Eu estava pensativa...fazia algum sentido, mas eu não conseguia ligar os pontos. Ok, na vida real eu estou em coma, meu livro, que é este mundo, é fantasia... talvez eu esteja apenas sonhando, não é mesmo? Ou realmente estou em um mundo paralelo dentro de minha própria cabeça? Ou...do universo? Então, é magia. Magia pode existir como nos contos de fadas da Disney.

 

- Yoongi, me conte essa lenda. – O olhei e ele afirmava.

- A lenda diz que após a lua vermelha levantar para toda a Coréia, uma criatura bela e sobrenatural de aparência peculiar irá aparecia nas terras do reino de Silla, trazendo grandes problemas, mas um certo homem a protegeria de todo o temor ao redor da Bela, acabando por se apaixonar pela criatura que amaldiçoa aqueles que se aproximam demais dela, mas o grande guerreiro que possui o amor verdadeiro tão forte pela Bela, que ele é o único que pode quebrar qualquer tipo de dano causado pela maldição. Com um beijo verdadeiro, tudo pode ser curado com a ajuda dos Espíritos Guardiões da Bela, que são aqueles que tiveram importância para a criatura, porém suas vidas foram tiradas e esses espíritos tem o dever de seguir a mesma para guia-la. Um caderno misterioso vindo junto com a Bela, é a chave para o fim.

 

- Eu os vi...! Os espirítos! – Na hora Taehyung se assustava. – Sim! Eu vi! Ah Ro e Banryu!

- Banryu?! – Tae se fez inconformado.

- Sim! – Me levantei surpresa. – Espera! Isso não é uma lenda, é real! Pare de chamar de lenda! Liguei os pontos! Isso é magia!

- Parece feliz com isso. – Yoongi sorria. – Espere, mas... a terceira estrela ao lado da de Taehyung...!

- Tem certeza que não é o rei? – Taehyung o olhava e ambos correram para a janela.

- O que há? – Fui junto olhando junto à eles para céu.

- Está vendo aquelas três estrelas? Uma brilha mais forte e à mais duas acima, maiores, porém brilham razoavelmente.

- Espere, aquela sou eu?

- Sim! Uma delas é Taehyung e a outra... – Yoongi me olhava. – Ainda é um mistério.

 

A porta atrás de nós se abria e olhamos para o mesmo que entrava arfando.

 

- Ah... o que fazem em meu quarto? Cheguei do treino agora, então...vou tomar um banho e podem ficar por enquanto.

- Príncipe Namjoon. – Olhei curiosa e andei até ele que me olhava surpreso.

- Sim, senhorita?

- O senhor é comandante de guerra?

- Sim, porque a pergunta?

- O senhor... me permitiria participar?

- Oh?! O que?! Não não! – Ele negava. – Não é que seja mulher! A senhorita é a princesa! Eu sendo um príncipe de outro reino, sinto que devo protege-la sendo comandante!

 

Sorri e olhei os meninos que pareciam surpresos, mas Namjoon...confuso.

 

- Yoongi! Há algo sobre a segunda estrela nos papéis?! – Pulei na cama e Namjoon ficava na porta parado.

- Vamos ver. – O mais velho mexia nas folhas.

- Achei! – Taehyung sorria. – “Um grande coração e força mental, forte o bastante para derrubar uma artilharia. Um segredo admirador está guardado dentro de seu coração, para ele, a Bela é tão pequena e inocente, que sabe a necessidade de protege-la enquanto estiver ao seu lado.”

- Devemos ficar aqui por mais quanto tempo? – Pergunte à Yoongi que se fazia pensativo.

- Alguns dias a mais, até o rei acordar, com certeza.

 

Corri novamente para Namjoon e o abracei forte.

 

- Ah...! – Ele ria sem jeito. – O que isso quer dizer? Que história é essa de estrela?

- Nam! – Yoongi ia até ele. – A lenda que era uma lenda deixou de ser lenda!

- Que?!

- A lenda! A Bela Amaldiçoada! Mamãe lia para nós!

- O...que...?! – Olhei para Namjoon sorrindo e parecia ter caído a ficha dele. – Você é a Bela?!

 

Afirmei com a cabeça e ele olhava Taehyung.

 

- O guerreiro?! E eu o....outro guardião? Mas porquê? Nunca vivi com vocês!

- Nam, você é como um segundo personagem, mas... de muita responsabilidade. – Yoongi dizia ao irmão.

- Hyung...! Isso é loucura...! – Levou as mãos à cabeça e me afastei. – Vou tomar um banho!

 

Ele saia correndo em desespero.

O que será que vai acontecer daqui para a frente? E... e o tal caderno? O meu caderno! Aonde ele está?!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...