História Hybrid Love - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Os Estagiários (Filme), Teen Wolf, The Maze Runner
Personagens Derek Hale, Stiles Stilinski
Tags Abo, Jeter, Sterek
Visualizações 178
Palavras 4.034
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Incident


- e então? – indagou Thomas vendo o irmão mais novo provar do doce verde que se encontrava na taça cristalina do estabelecimento

- é estranho – respondeu Stiles vendo o sorvete a sua frente liberar uma pequena neblina de frio.

- não gostou? É um dos favoritos do seu irmão aqui no shopping – afirmou Derek vendo o castanho francês menear positivamente.

- sorvete de menta é estranho – comentou o Stilinski de sotaque estrangeiro, enquanto empurrava a taça na direção do seu irmão mais velho, que lhe fitou indignado.

- você não é o meu irmão! – exclamou Thomas tomando a taça em sua mão e a levando para o lado, como se a protegesse.

- ele não quis dizer isso, meu amor – brincou o castanho sem capuz levando uma colherada do doce aos lábios. Derek riu, enquanto levava uma colherada do seu sorvete a boca, se deliciando com a mistura do limão do sorvete com o caramelo da cobertura.

- qual é o seu favorito? – questionou o Hale vendo o “novo” gêmeo do seu melhor amigo parar um minuto para pensar.

- eu tenho dois, na verdade. Mas acho que o Noci di Cocco ganha para o Violeta – respondeu o Stilinski mais novo vendo os outros dois se entre olharem e rirem.

- você quis dizer morango? – indagou Thomas vendo o mais novo lhes fitar confuso.

- o que é esse outro aí que você disse? – perguntou Derek vendo o outro lhe fitar ainda perdido.

- Noci de Cocco é coco em italiano. E não, eu quis dizer violeta, mesmo – respondeu Stiles olhando especificamente para cada um durante a resposta para suas perguntas.

- existe um sabor chamado violeta? – indagou Thomas vendo o irmão menear positivamente.

- na França? Sim. Tem uma sorveteria que criou esse sabor – respondeu levando mais uma colherada do doce a boca.

- eu não acredito nisso! Mano! Como se cria um sabor de cor? De Cor?! – exclamou Derek indignado com a descoberta.

- o que querem fazer depois daqui? – questionou Thomas vendo o ômega ficar pensativo, enquanto o gama apenas finalizava o sorvete em silêncio, esperando que o alfa e o ômega escolhessem o próximo destino.

- eu não sei. Ainda falta muito para o filme acabar? – indagou Derek vendo Stiles olhar para o relógio de pulso, assim como Thomas, o que foi engraçado, já que o ato fora exatamente igual, como se um fosse um reflexo no espelho.

- faltam vinte minutos – responderam em uníssono fazendo Derek rir nasalado. Aquilo era muito comum entre os gêmeos Stilinski, o que meio que irritava o grupo quando se repetia muito.

- maldita hora em que a Lydia sugeriu aquele filme dramático depois que a gente saiu da sessão – resmungou Derek olhando para a sua taça já vazia, enquanto Thomas concordava consigo.

- por que não quis ir? – indagou Thomas para o irmão vendo o mesmo dar de ombros.

- é um remake de um filme que eu assisti com a Sônia lá na França – respondeu o castanho de casaco vendo os dois franzirem o cenho em sua direção.

- sério? – indagaram os dois ao mesmo tempo.

- é sério. Tipo, a história fala de uma mulher que perdeu o marido na guerra. Ela começa a perder tudo. A casa para o banco. O emprego para o seu alcoolismo. Aí, devido ao luto e aos problemas que estava arranjando por causa dele, ela decide trabalhar num colégio interno para garotas. Lá ela encontra uma outra mulher e se tornam melhores amigas. Mas, devido a uma desgraçada de uma das alunas, elas são acusadas de homossexualismo, que na época ainda era um tabu enorme na sociedade. Aí a amiga se suicida por ser excluída da sociedade e ser expulsa do colégio. A personagem principal encontra o corpo no banheiro e começa a chorar por perder a amiga daquele jeito trágico. Ela também é expulsa do colégio, começa a trabalhar me um bar, encontra um cara, começa a gostar dele. Eles se casam e depois ele morre. Depressiva, ela tira a própria vida, deixando um vídeo de despedida para a sua filha de oito anos, para quando ela tivesse dezoito anos – respondeu Stiles vendo os dois híbridos a sua frente lhe fitarem com o cenho franzido.

- qual é o sentido de assistir um filme desses? – perguntou Derek apoiando queixo na mão.

- é bom. Mostras que a vida não é perfeita como na maioria dos filmes e traz a gente mais para a realidade. A mensagem que eles querem passar se divide em várias partes. Primeiro, procurar ajuda quando se tem problemas emocionais e psicológicos, tipo depressão. Coisa que ela negou o filme inteiro. Segundo, é uma crítica a sociedade da época, revelando muitos aspectos que vemos ainda hoje, como a homofobia e o machismo no mercado de trabalho. E terceiro, a vida é difícil para muitos, mas que não se deve desistir dela. Mesmo que você chore agora, lá para frente você vai sorrir, é só lutar para sair do túnel e chegar a luz no fim dele para encontrar a felicidade que lhe espera lá – respondeu Stiles pegando um guardanapo, enquanto os outros dois lhe fitavam boquiabertos.

- é sério isso? – questionou Thomas e o irmão meneou positivamente.

- adoro drama. Todos eles existem para fazer críticas e ensinar algo – respondeu Stiles amaçando o guardanapo e o colocando dentro da taça vazia.

- nunca parei para pensar nisso – comentou Derek cruzando os braços e olhando para Stiles que deu de ombros.

- é um bom gênero, se escolher os filmes certos – argumentou o Stilinski mais novo.

- vamos no fliperama? – indagou Thomas vendo o Hale se animar.

- pô, era uma boa! – exclamou Derek enquanto Stiles dava de ombros.

- por que não? – indagou o castanho já se erguendo assim como os outros dois.

O trio saiu da sorveteria e começou a caminhar pelo shopping, indo na direção do fliperama. Eles haviam marcado de assistir um filme naquele sábado. Stiles, meio receoso de sair com o grupo de amigos sem o outro gama, acabou indo por livre e espontânea pressão dos seus irmãos, que cismaram que não o deixariam mofando em casa num sábado. Ele temia que os outros poucos que não sabia a sua classe fossem o tipo de pessoa que ele e Matt tanto temiam. Até o fim do filme fora tudo tranquilo. Ninguém ousou colocar a mão em suas costas.

O filme acabou e foi na saída da sessão que Lydia e Stuart notaram o cartaz do filme do gênero drama. Os dois sugeriram assistir ao filme naquele momento, mesmo. Alguns aderiram a ideia, acharam a ideia do filme interessante. Restando apenas Stiles, Thomas e Derek, o trio deu uma volta pelo shopping. Stiles comprou dois livros na livraria, Thomas comprou uma pizza em cone e Derek um jogo do seu console portátil que ele ainda não havia visto em sua loja favorita. Derek sugeriu um sorvete e fora assim que eles pararam ali, com um Thomas animado para fazer o seu irmão provar do seu sorvete favorito do shopping, o que acabou sendo uma experiência frustrante, já que Stiles rejeitou o sabor do doce. Assim que eles chegaram ao fliperama. Primeiro eles foram no hóquei de mesa. Derek ganhou dos irmãos naquele jogo, mas fora massacrado pelos mesmos no tiro ao alvo, jogo em que Thomas ficou em primeiro.

- ser filho de agente tem suas vantagens – pontuou o alfa apoiando a arma no ombro.

- vamos num árcade, então. Desempatar – desafiou o Hale vendo o Stilinski mais velho sorrir ladino em sua direção.

- demorou – respondeu o alfa e os dois se dirigiram para uma máquina que possuía as letras KOF, seguidas do número 97 brilhando na tela.

- querem mesmo ir nessa máquina? – indagou Stiles vendo os dois colocarem suas fichas na máquina e apertarem o Start em seus controles.

- com certeza. A gente tem o mesmo nível nessa máquina – respondeu Derek já selecionando o seu trio.

- é a maior treta, maninho – comentou Thomas selecionando o seu trio e logo apareceu a ordem para que escolhessem a ordem de seus personagens.

- então tá – respondeu o gama com um sorriso contido.

A disputa entre Derek e Thomas realmente fora acirrada. Mas, por pouco, o Hale ganhou do alfa dos irmãos Stilinski. A comemoração fora bastante espontânea, assim como a lamúria pela derrota. Os dois rapazes gritavam um com o outro enquanto discutiam sobre a chance de uma revanche. Thomas insistia que eles deveriam ir no melhor de três, já Derek argumentava que se o jogo era em trio de personagens, não havia motivos para um estilo melhor de três. O Stilinski mais velho, emburrado, se afastou dos controles para deixar o irmão jogar.

- tomara que o meu irmão lhe quebre ao meio – reclamou Thomas de braços cruzados ao lado da máquina.

- deixa de reclamar, Thomas. Foi um jogo limpo – argumentou Derek escolhendo o mesmo trio que usara contra Thomas.

- não existe jogo limpo quando se usa Iori, seu apelão – reclamou o alfa vendo o irmão escolher três personagens que ele, particularmente, evitava escolher.

- não! Se ele lhe pega num canto com qualquer um deles você está ferrado! – exclamou Thomas vendo o trio selecionado pelo irmão.

- ah, não é um time ruim. Chris é bastante apelão, Kula é irritante e K9999 é...bom. Eu acho – argumentou o moreno de olhos verdes vendo o castanho ao seu lado sorrir.

- era para ser um elogio? – indagou Stiles vendo o Hale coçar a nuca.

- bom. Cada um tem o seu jeito de jogar – respondeu o moreno vendo o castanho de casaco sorrir ladino.

- foi uma boa resposta. Vamos ver quem tem mais jeito – falou o Stilinski mais novo já escolhendo a sua ordem.

Thomas ficou surpreso com a velocidade em que Stiles escolhera a ordem. Derek, ao ver que o trio do outro já havia sido selecionado em ordem, viu que aquela não era a primeira vez que Stiles jogava aquele jogo. Mas ele ainda era um bom jogador, e pelo modo como Thomas ficou desapontado com a escolha de personagens do irmão, Stiles não deveria ser lá essas coisas.

“Winner”

A voz masculina gritou no jogo enquanto a imagem do trio vencedor da partida surgia, estando o personagem que vencera o último round em destaque, enquanto a pontuação do jogador vencedor era exibida acima dele. Derek e Thomas olhavam abismados para o castanho, que sorria largo com a expressão dos dois ao verem a sua pontuação no jogo. Nenhum deles parecia esperar que ele fosse bom naquela máquina.

- como diabos você fez isso? – indagou Thomas vendo o irmão dar de ombros.

- quando eu estava na França, era comum ver esse jogo lá. Então eu ia jogar para passar o tempo – explicou o castanho vendo os dois rapazes ainda lhe fitarem com o queixo caído.

- mano, você venceu o trio do Derek usando um só personagem do seu trio! – exclamou Thomas como se o outro já não tivesse essa informação.

- por que não disse que era bom nesse jogo? – perguntou Derek vendo o rapaz de sotaque dar de ombros

- eu perguntei se queriam mesmo usar essa máquina. Vocês disseram que eram bons. Então fiquei na minha – respondeu Stiles vendo os dois americanos permanecerem a lhe fitar boquiabertos.

- parem de me olhar assim! – exclamou o gama vendo o alfa e o ômega rirem, negando com a cabeça.

- agora temos que desempatar em alguma coisa – disse Derek olhando ao redor.

- podemos ir no DDR – sugeriu Thomas vendo o ômega e o gama darem de ombros.

- por mim tudo bem – responderam em uníssono antes de começarem a se dirigir para a máquina enorme e brilhante que passava alguns trechos de vídeo clipes no monitor.

Nesse jogo, Thomas descobriu que não tinha uma boa coordenação motora nas pernas, apesar de as mesmas correrem bastante. Derek descobriu que pisar em setas no chão no ritmo ditado por uma música era bastante complicado, mais do que ele poderia imaginar. Principalmente quando as batidas eram aceleradas. Já Stiles descobriu que apenas pisar em setas era mais divertido do que parecia. Quando os outros saíram do cinema, o trio estava no mesmo lugar.

- cadê o Stiles? – indagou Stuart ao irmão assim que alcançou o mesmo na máquina de tiro ao alvo.

- está no DDR – respondeu Thomas sem olhar na direção citada.

- quer dizer aquele DDR cheio de pessoas em volta? – indagou Scott apontando para o brinquedo.

- cheio de que? – questionou Derek olhando para a direção do brinquedo.

Para a sua surpresa havia muitas pessoas ao redor do brinquedo. As pessoas aplaudiram e a máquina de Derek e Thomas deu game over para ambos, que só agora notaram que os robôs haviam retornado a tela. Curiosos, os gêmeos seguiram na direção do brinquedo que era cercado por pessoas, assim como o seu grupo. Assim que chegaram na multidão, puderam ver Stiles sobre os controles ao lado de um garoto de mais ou menos doze anos com uma calda branca cumprida, assim como as louras de Jackson e Erica. Um híbrido de felino.

- com licença – pediu Thomas enquanto pedia passagem com a mão.

- o que está acontecendo? – indagou Allison para um homem alto com cauda felina.

- o meu filho está disputando com aquele rapaz desde que chegamos – respondeu o homem cruzando os braços e levando um chiclete a boca.

- há quanto tempo estão nisso? – indagou Lydia vendo a mulher ao lado do homem sorrir para si.

- está é a oitava música. Eles estão suados mas não param por nada – respondeu a mulher vendo as duas garotas lhe fitarem surpresas.

- oitava?! Mas o Stiles está aí há uns dez minutos! – exclamou Derek vendo a mulher de ombros.

- Tim é um pouco competitivo e quando viu o seu record sendo colocado em segundo por aquele rapaz, ele cismou que iria ganhar dele numa disputa – explicou a mulher vendo a música acabar e o círculo de pessoas aplaudir novamente.

- o seu amigo alfa é tão bom com as pernas quanto o nosso filho – comentou o pai do garoto que competia com Stiles.

- Stiles? Ele não é um alfa – disse Scott chamando a atenção de algumas pessoas para si, inclusive Lydia, Matt e Erica.

- não? – indagou Allison vendo o namorado negar com a cabeça. Quando Scott fora abrir a boca, Lydia o golpeou na cabeça com a mão.

- caramba, essa mosca estava me dando muita agonia – afirmou a Lydia vendo o moreno lhe fitar indignado.

- Por que diabos fez isso? – questionou Scott vendo a ruiva lhe lançar um olhar sugestivo. Logo outro tapa fora desferido em sua cabeça, dessa vez por Erica.

- qual foi? – indagou o rapaz, irritado.

- outra. Mosca. Irritante – rosnou Erica exibindo os caninos enquanto fingia limpar a mão na calça que vestia.

- é capaz de ainda estar viva – ditou Lydia já abrindo a mão. Scott finalmente havia entendido o que ocorria com tantos olhares sugestivos em sua direção.

- eu acho que ela morreu – disse alisando a própria cabeça com a mão.

- ótimo – disseram a ruiva e a loura em uníssono antes de voltarem as suas atenções para a máquina, onde Stiles selecionava uma música com atenção.

- essa é difícil. E vai ser mais ainda com o estado deles – afirmou o homem vendo que ambos selecionaram o modo difícil.

- conhece esse jogo? – indagou Boyd vendo o casal menear positivamente.

- nós sempre viemos a esse fliperama no final de semana para o Tim poder jogar e ele sempre passa a maior parte do tempo nesse jogo. Conhecemos essa música até de trás para frente – respondeu a mulher sorrindo para o rapaz.

- é a favorita do nosso filho – afirmou o homem abraçando a mulher pelos ombros.

Derek voltou o olhar para a máquina, onde Stiles e o garoto repetiam os mesmos movimentos quase que ao mesmo tempo. Stiles e Tim estavam empatados no quesito pontuação. A música começou a acelerar e as setas começaram a subir com mais velocidade e com menos tempo entre uma e outra. Os dois jogadores passaram então a se apoiarem nas estruturas que se encontravam, estrategicamente, posicionadas atrás de si, para que pudessem mover as suas pernas com mais velocidade.

- misericórdia! – exclamou Erica ao ver os dois moverem os pés com mais agilidade do que ela esperava que fosse exigido pelo jogo.

Em um dado momento, quando as setas dianteiras se estenderam, Stiles acabou deslizando com o pé esquerdo, enquanto o jogo fazia suspense de quando iria liberar as setas que já estavam posicionas na tela para que eles pisassem em seus comandos. Tim sorriu já imaginando que ganharia a vantagem enquanto o outro se levantava. Mas para a sua surpresa, o Perfect também surgiu no lado esquerdo da tela quando ele acertou a nota. Ele olhou para o lado vendo o castanho com o pé na seta vermelha esquerda e a mão na seta azul direita.

- usar a mão não vale! Ganhei! – exclamou o garoto sem deixar de pressionar as setas quando a batida ocorreu, vendo, novamente dois Perfect’s surgirem na tela.

- nada disso! – exclamou o Stilinski

Stiles pressiou a combinação contrária, antes de usar as duas mãos para pressionar as duas setas azuis na nota contínua, conseguindo mais um Perfect, assim como Tim. No meio da nota, o Stilinski ergueu as pernas e as abaixou com força após se impulsionar com os braços, aproveitando para se levantar ao mesmo tempo em que pressionava as setas vermelhas, conseguindo mais um Perfect, o qual Tim também conseguiu, mas com a quebra do seu combo ao abandonar as setas traseiras mais cedo do que o exigido.

- ainda assim ganhei! – exclamou o garoto – nesse jogo se usa apenas os pés! – argumentou voltando a pressionar as setas com velocidade quando o ritmo voltou a aumentar.

- não ganhou, não. Na dança também se usa as mãos. O jogo só manda a gente dançar usando as setas, então eu posso, sim, usar as mãos – argumentou Stiles voltando a se apoiar na estrutura atrás de si.

A música acabou e o resultado fora exibido na tela. A única diferença fora o combo de Stiles, que fora completo, já Tim parou no número mais alto que conseguiu durante toda a música e a pontuação, já que a do castanho saíra vinte pontos maior do que a do garoto albino. Stiles sorriu para o resultado vendo ambos receberem o rank S mesmo no nível Hard. Ele estava suado, cansado e precisava se hidratar.

- isso não é justo! Você colocou a mão no chão! – argumentou o garoto irritado.

- você só é pequeno demais. Quando crescer você vai ficar melhor – disse o castanho já dando as costas e descendo da plataforma e se aproximando dos seus calçados que estavam logo ao lado da mesma.

- VOLTA AQUI! ISSO NÃO VAI FICAR ASSIM! – gritou garoto, irritado, batendo o pé na plataforma.

- não vai dar. Meus amigos já chegaram – falou o castanho se sentando no chão para calçar os sapatos, vendo o garoto se aproximar e puxar o seu casaco para trás, revelando um pouco as suas costas.

No movimento do tecido em suas costas, Stiles arregalou os olhos ao sentir o casaco subir. No mesmo instante ele se virou bruscamente, golpeando os braços do garoto com o seu, os afastando do seu corpo. Aquilo surpreendeu todo mundo que se encontrava ao redor do jogo, gerando um silêncio estranho, no qual se escutava apenas a música do jogo. O que mais chamou a atenção das pessoas não fora o modo como Stiles, um adolescente de quinze anos, se portou com o toque birrento da criança, mas sim a expressão de pavor do castanho, que, agora, segurava as pontas do casaco, onde se encontrava o zíper do mesmo, as puxando para baixo, fazendo o tecido em suas costas as acompanhar. O silêncio continuou reinando antes de Stiles respirar fundo, colocar o capuz e dar as costas para o garoto.

- Désolé – ditou o francês antes de sair apressado do fliperama, chamando a atenção por estar com um calçado no pé e o outro na mão.

- é o quê? – indagou o garoto confuso, mas ainda irritado.

- ele pediu desculpas – ditou Stuart, seco, antes de correr atrás do irmão.

- eu estou um pouco perdido – disse Isaac olhando para os gêmeos, que trataram de ir atrás de Stiles.

- a gente não deveria ir atrás? – questionou Derek vendo Lydia e Erica menearem positivamente.

Erica fora a primeira a sair do fliperama, em disparada, tendo um pouco de dificuldade ao fazer a curva devido ao seu sapato, que derrapava no azulejo do chão do shopping, o que fez a loura deslizar até atingir o corrimão do andar de cima, chamando a atenção das pessoas que a viram deslizar. O grupo procurou seguir os gêmeos, mas nem mesmo os dois conseguiam encontrar Stiles na multidão. Demorou para que Thomas encontrasse um capuz vermelho num banco de madeira, com uma caixinha com alguma coisa colorida em mãos.

- hey – chamou Stuart, já se aproximando do encapuzado, que se encolheu ao ouvir a voz do castanho.

- está tudo bem, Stiles – disse Thomas ao colocar a mão no ombro do encapuzado.

- eu fiz de novo – falou o mais novo dos trigêmeos, cabisbaixo, levando um pequeno cilindro da cor verde a boca e o mordendo.

- foi automático, Stiles. Você só se defendeu – argumentou Stuart se sentando ao lado do irmão, vendo o mesmo finalizar com o macaron que estava pela metade em sua mão.

- cara, você está bem? – indagou Scott assim que o grupo se aproximou. Stuart e Thomas olharam para os amigos, os vendo preocupados, e alguns curiosos com o ocorrido no fliperama.

- mano, o que foi aquilo? – questionou Jackson, estranhando a atitude do francês.

- é que o Stiles não gosta de mostrar as suas... – Thomas começou a falar, mas fora calado por Stuart com um chute na perna. Um golpe discreto que se passou despercebido pelo grupo.

- ele não gosta de mostrar as suas costas. Por isso que ele está sempre de casaco – ditou Lydia, tentando contornar a burrada que seu amigo iria fazer com o próprio irmão.

- sério?! Eu sempre achei que você apenas gostava de usar casaco! – exclamou o Hale colocando as mãos nos bolsos, sem saber direito o que fazer para ajudar o irmão do melhor amigo.

- é, é sério, sim. Agora, vamos parar de falar disso, porque é um assunto pessoal do lindinho. Vamos falar ou fazer outra coisa. Precisamos distrair ele daquela peste de garoto mimado dos infernos. – ditou Erica batendo as mãos numa palma e se aproximando de Stiles, que colocou um macaron inteiro na boca apenas para não precisar dizer nada.

- já sei! Vamos fazer compras! – exclamou Lydia animada.

Erica e Allison ergueram as mãos, animadas, enquanto soltavam um gritinho agudo ao mesmo tempo em que balançavam as mãos. Os garotos reviraram os olhos, entediados com a ideia. Vernon, Jackson e Scott, como namorados das três garotas, já sabiam do fim trágico que os esperava: carregar as bolsas e opinar sobre as roupas que as garotas iriam experimentar, apenas para suas opiniões serem descartadas assim que as outras garotas expressassem as suas. Já Isaac, Derek, Stuart e Thomas franziram o cenho para a ideia, após revirarem os olhos.

- a gente vai procurar outra coisa para fazer. Se divirtam nas roupas – ditou Isaac já se afastando dos casais.

- aí, não quer ir com a gente na loja de artigos esportivos? Aposto que eles tem algumas coisas que você gosta – indagou Thomas vendo Stiles finalizar a caixinha de macarons e negar com a cabeça, a amassando.

- não. Eu acho que vou para casa. Estou cansado do jogo de dança – falou o Stilinski mais novo, se levantando do banco e se aproximando do lixeiro ao lado do mesmo.

- ah, qual é? Não precisa ir agora! – exclamou Derek vendo o outro erguer a mão em um aceno.

- não, eu estou realmente cansado. Vou para casa. Se divirtam – disse o rapaz de sotaque francês já se afastando do grupo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...