1. Spirit Fanfics >
  2. HYDRA A Tríade Infernal >
  3. Voto de Confiança.

História HYDRA A Tríade Infernal - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Oie gente, voltei!!!!
Nossa poderosa Pecado (Synthia Schmidt) ❤❤

Capítulo 10 - Voto de Confiança.


Fanfic / Fanfiction HYDRA A Tríade Infernal - Capítulo 10 - Voto de Confiança.

[Base da HYDRA]

 

– Como se sente? – Synthia perguntou para a outra que estava deitada e com um dos olhos tapado com um curativo. 
– Com raiva. – Medusa respondeu revoltada. – Eu vou acabar com aquela vaca!
– Por enquanto você vai ficar aqui, deitada e se recuperando.
– Harpia tem razão, seus olhos são a sua arma e você precisa deles. Precisa estar totalmente recuperada.
– Me esclareçam algo, eu ouvi a voz do Rumlow naquele momento ou estava delirando? 

            Syn bufou irritada sentando em uma cadeira e Harpia soltou um pequeno riso. Medusa olhava de uma pra outra sem entender.
– Ele estava lá sim. – a morena respondeu por fim. – Foi disfarçado como um soldado e nos ajudou muito.
– Madame Hidra não deve ter ficado muito feliz com isso. – Medusa disse também rindo.
– Não, e confesso que nem eu. Ele desobedeceu às ordens.
– Synthia qual é? Ele ajudou a gente a escapar, já parou pra pensar no que teria acontecido se ele não estivesse lá?

            As palavras de Harpia ficaram em sua mente, Rumlow realmente tinha ajudado, e em uma situação crítica. Pensou também no que Ophelia tinha dito, tinha deixado explícito que deveriam ter deixado Medusa lá e ter trazido o urânio.     
– Nós ouvimos historias sobre você Synthia Schmidt.

            Medusa lhe trouxe de volta ao presente.
– Que histórias?
– Que você adorava a companhia masculina, que não dispensava ninguém, era uma devoradora de homens. Rumlow não é de se jogar fora e vive aos seus pés, o que nos faz pensar o porquê você vive rejeitando ele.  
– E, por favor... – Harpia continuou. – Se for usar as cicatrizes como pretexto, esqueça, elas já quase nem existem.
– Sabe o que eu acho? Que vocês duas deveriam cuidar de suas próprias vidas.

            Synthia levantou e saiu do pequeno quarto ainda ouvindo as risadas das duas. Tudo que elas tinham dito era a mais pura verdade, ela adorava se divertir, e agora tudo estava diferente, e nem sabia por quê. Já tinha pensado várias vezes em falar com a doutora Müller, mas sempre desistia, algo a impedia.  

            ...

            Em outro canto da base, Barão Strucker e Rumlow conversavam sobre seus planos.
– Então a garota não gostou do que Ophelia disse? – Strucker estava gostando muito daquela informação.
– Nenhuma das duas. A toda poderosa deixou bem claro que a missão delas era o urânio, pouco se importou da Medusa ter sido ferida.
– Isso é ótimo pra nós meu amigo, podemos trazer Synthia Schmidt para o nosso lado. 
– Eu não vejo como. – Rumlow deu um gole em sua cerveja. – Ela odeia você e mal troca algumas palavras comigo, me agradeceu por ter estado lá, mas logo depois foi grossa e arredia como sempre.
– Tenha paciência, tudo tem seu tempo. Por enquanto já temos a semente da discórdia plantada. Ophelia teve um motivo para mandá-las nessa missão, e tenho quase certeza que não foi pelo urânio.
– Pelo que então?
– É isso que precisamos descobrir. Mas temos que ter isso em mente, precisamos da filha do Caveira Vermelha ao nosso lado. Imagine as possibilidades, todo aquele arsenal, aquele poder...

            Rumlow observou enquanto o Barão falava, ele não era tão diferente de Ophelia Sarkissian, dois lunáticos com sede de poder. Resolveu deixar bem claro o seu lado.
– Eu a quero Strucker.

            O homem se voltou olhando para o outro que estava sentado.
– Como?
– Synthia Schmidt, eu a quero e não abro mão disso.
– Ela é toda sua, eu só preciso do seu apoio perante a organização.

            Strucker resolveu ficar calado quanto aos seus desejos íntimos. Desejava a mulher também, mas deixaria isso em segundo plano por enquanto, precisava da ajuda de Rumlow, ele era um aliado poderoso. Porém, quando chegasse a hora, seria descartado.   

 

 

[Quinjet, em algum lugar sobre o Oceano Atlântico]

– Agente Monroe, aqui é Steve Rogers.
– Estou ouvindo Capitão.
– Estamos voltando.
– Certo, senhor, a agente Collins pediu para avisar que precisa falar urgentemente com qualquer um de vocês.

            Estranhando, Steve franziu a testa.
– Ela está aí agora?
– Está no arsenal Stark senhor.
– Agente Monroe você pode chamá-la, por favor?
– É claro, só um minuto.   
– Aí pessoal, a Maddie pediu pra falar com a gente com urgência. – Steve avisou olhando para os outros.
– Aconteceu alguma coisa? – Bucky perguntou preocupado e Wanda e Hope olharam uma pra outra trocando um risinho.
– Não sei, a agente Monroe foi chamá-la.  
– Oie Steve.

            O rosto de Maddie apareceu na tela, ela parecia aflita com algo.
– Maddie, está tudo bem? 
– Eu descobri.
– Descobriu o que? – Bucky perguntou atrás de Steve e ela tentou não se distrair com aqueles olhos azuis.

            A garota olhou disfarçadamente por sobre o ombro pra ver se não tinha ninguém na sala e voltou a olhar tela. 
– Eu descobri o que era a esfera que a HYDRA levou daqui.
– É sério Maddie?
– É sim Capitão.
– Garota eu nunca duvidei de você. – Hope comentou fazendo os colegas rirem e deixando-a encabulada.
– A Maddie é incrível, e aí de quem dizer o contrário. – Wanda disse olhando pra Bucky que fingiu não perceber que era com ele. 
– Que isso gente, eu só fiz o meu trabalho. – envergonhada, Maddie ajeitou os óculos e colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha. Bucky achou aquele gesto fofo.
– Meus parabéns Maddie, mas o que era esse objeto? – Steve perguntou curioso.
– Uma esfera de teletransporte.

            O choque passou pelos rostos de todos eles.
– Como é?! O cara descobriu um jeito de se teletransportar?!     
– Isso mesmo Sam. Uma pequena esfera que cabia na palma da mão, ela estava dentro de uma caixa pequena, eu me lembrei que a vi no arsenal quando cheguei aqui e fiz alguns esboços e mandei para Pepper Potts, ela já tinha visto o marido com essa esfera na mão.
– Pra quem mais você contou isso Maddie?
– Pra ninguém Steve, por isso eu pedi pra agente Monroe me avisar quando vocês entrassem em contato.
– Você fez bem e continue quieta, não conte a ninguém.

            A menina assentiu balançando a cabeça.
– Rhodes deu notícias?
– Um Quinjet acaba de pousar no complexo, creio que seja ele.
– Ok, não fale nada, nós já estamos a caminho.

 

 

            [Base dos Vingadores]    

 

A última coisa que Maddie viu antes da tela ser desligada, foram os olhos de Bucky mirando-a de volta.

Tentou disfarçar o nervosismo e foi receber o visitante. Encontrou-o no corredor acompanhado da agente Monroe que se afastou ao vê-la.
– Olá Rhodes.
– Olá Maddie.

Eles trocaram um abraço rápido.
– Eles ainda não voltaram?
– Não, mas acabaram de dar notícias, estão a caminho.
– Ótimo, que acha de um café enquanto esperamos?

Maddie pensou em recusar e se refugiar em seu quarto até eles chegarem, mas seria uma tremenda falta de educação.   
– É claro, vamos sim.

Rhodes pegou as duas canecas e foi para a mesa onde ela já estava sentada. Precisava ficar calma, repetia para si mesma. Só mais alguns minutos.
– Você está bem? – o homem perguntou a olhando e ela quase teve um sobressalto. 
– Sim, por quê? – perguntou de volta bebendo o café.
– Parece nervosa, preocupada com algo.
– Impressão sua. – tentou sorrir para disfarçar enquanto continuava tomando pequenos goles da bebida quente.
– Eles disseram o que a HYDRA queria na Alemanha?
– Não, só avisaram que estavam voltando.
– Entendi

Rhodes tamborilava os dedos na mesa, o que deixava a garota ainda mais nervosa.
– Rhodes se não se importa, eu vou até o meu quarto fazer uma ligação pra minha mãe, nós já tínhamos combinado há alguns dias.      
– É claro.

Ela praticamente correu para o seu quarto e se trancou lá dentro.

...

Minutos depois, o Quinjet dos Vingadores pousava no hangar. Steve estava ansioso para falar com Maddie e trocou algumas palavras rápidas com Rhodes usando o pretexto que precisava de um banho, mas na verdade ia vê-la, Bucky o acompanhou. Hope ficou explicando para o amigo os detalhes do que aconteceu na Alemanha.

Collins tinha ouvido a pequena aeronave pousar e saiu do quarto a fim de falar com eles, mas deu de cara com Steve e Bucky na escada.
– Até que enfim, eu tava quase abrindo um buraco no chão!

Os dois amigos deram risada.
– Por quê? – Steve quis saber enquanto eles andavam lado a lado, Maddie entre os dois. 
– Rhodes tava me encarando como se soubesse que eu tava escondendo algo, eu já tava surtando. Aliás, porque eu não podia contar pra ele?

Ela olhou de um para o outro querendo respostas e os dois amigos também se entreolharam.
– Aqui não, vamos para o meu quarto. – Steve disse e ela anuiu o seguindo, tendo Bucky logo atrás. – Entrem, Hope e Scott estão distraindo Rhodes.

Maddie olhou ao redor e com certeza nunca tinha visto um quarto de homem tão arrumado em toda a sua vida. Era a primeira vez que entrava ali e definitivamente, o quarto de Steve combinava com ele, tudo limpo e perfeitamente organizado.   
– Pode falar Maddie. – Steve disse sentando na cama e Bucky se jogou em uma poltrona. Os dois pares de olhos azuis fitando-a.
– Melhor mostrar.

A garota pegou o celular e mostrou a eles a mensagem que Pepper tinha mandado.
– Um material tão perigoso e nas mãos da HYDRA.
– Não se esqueça que eles podem já ter usado, e não tem como recarregar.
– Ela tem razão Steve, se já foi usado, não é mais um perigo. – Bucky lhe devolveu o celular e seus dedos se tocaram de leve na ação.
– Mas não temos certeza quanto a isso. Eu gostaria de saber o que eles estão tramando. – pensativo, o Capitão não percebia as trocas de olhares entre os dois.

Maddie colocou as mãos nos bolsos traseiros da calça jeans e andou pelo quarto.
– Não tem um padrão pra gente seguir. – comentou entrando na mesma linha de raciocínio de Steve. – Primeiro eles aparecem do nada e atacam o Memorial, depois vão até a Fossa das Marianas no meio do mar, e agora uma usina desativada na Alemanha. Esses lugares não têm nada em comum um com o outro.
– Estão atrás de alguma coisa, mas do que?

Bateram na porta e os três se entreolharam. Steve usou sua digital para abrir e Wanda apareceu sorrindo.
– Festinha particular e ninguém me chamou? Rhodes quer falar com você Steve, ordens do secretário Ross. Eu vou tomar banho.

Ela saiu e Steve fechou a porta novamente.
– Por isso eu não quero que o Rhodes saiba de nada por enquanto Maddie, ele é nosso amigo, mas é um espião do governo, temos que tomar cuidado com ele por perto.
– Certo.
– Agora, se os dois me dão licença, eu preciso de um banho.
– É claro! – Maddie tinha ficado ligeiramente envergonhada enquanto Bucky dava risada. – Por favor. – apontou para a porta esperando que ele abrisse.

Os dois saíram e caminhavam juntos pelo corredor.
– Fez um ótimo trabalho Collins, Wanda e Hope têm razão.
– Obrigada. – ela agradeceu um pouco encabulada ao ser elogiada por ele.  
– Eu também vou tomar banho, nos vemos depois.

Maddie assentiu e continuou caminhando enquanto Bucky parou em frente à porta do seu quarto e ficou olhando pra ela. O que tinha de tão especial naquela garota que mexia com ele? Talvez fosse o seu sorriso doce e gentil, ou o seu jeito de menina sapeca. Quando chegou aqui ela era um bichinho indefeso que mal saía da carapaça, agora brincava e cumprimentava a todos com um sorriso no rosto. Ainda era a mesma menina tímida que ficava ruborizada com facilidade, mas que também contava piadas e fechava a cara quando não gostava de alguma coisa.

Ele tinha tido muitas mulheres em sua vida, mas nunca um amor, não era um cara que se apegava, gostava de sua liberdade. Mas depois de tanto tempo sozinho, seu coração estava cansado de ser solitário e queria um lugar pra chamar de seu, uma companhia pra chamar de sua. Mas como se aproximar dela e tentar conquistá-la? Como deixar pra trás o assassino frio que tinha se tornado e trazer de volta o rapaz simpático que conquistava as pessoas?   

...

– Então elas queriam o urânio? – Rhodes questionou Steve.
– Eu imagino que sim. Depois que Wanda conseguiu derrubar a loira, Rumlow e a morena apareceram de surpresa e todos conseguiram fugir. Vasculhamos a área toda, mas nem sinal, o jato deles deveria estar em modo furtivo e invisível. Voltamos pra usina e achamos um contêiner, quase cheio com urânio enriquecido.
– O que fez com o material?
– Não mexemos, chamei as autoridades alemãs e elas cuidaram disso.
– Fez bem, urânio enriquecido é altamente radioativo.

            Todos estavam na sala de estar. Rhodes sentou em um sofá de dois lugares, ao lado de Wanda.
– Alguma ordem lá de cima? – Sam perguntou de braços cruzados encostado a parede.
– Nada por enquanto, Ross tá mais surtado que o normal querendo respostas. 

            Steve olhou disfarçadamente para Maddie que abaixou a cabeça.
– Alguma novidade sobre o que a HYDRA levou daqui?

            O olhar do Coronel Rhodes foi endereçado a todos, mas a garota loira se sentiu intimidada em particular.
– Até agora nada. – Steve percebendo seu olhar amedrontado, respondeu antes que ela falasse alguma coisa. Bucky também estava atento as reações dela.       

            Já a própria Maddie torcia para que Rhodes não falasse com Pepper Potts e descobrisse a mentira.
– Bom, eu preciso ligar para o Ross e repassar o que vocês me contaram, se me dão licença. – Rhodes levantou e saiu da sala e Maddie inspirou profundamente.

            Bucky levantou e foi até ela para tentar acalmá-la.
– Maddie você tem que ficar fria.
– Eu não sei mentir ta legal, não sei fazer isso! Cada vez que ele olha pra mim, parece que sabe de alguma coisa. É o governo, eu posso ser presa por esconder informações importantes!
– Se você continuar nervosa, aí sim ele vai perceber, Bucky tem razão, você precisa ficar calma.

            Os outros olhavam sem entender.
– Porque eu acho que a gente ta sobrando nessa conversa? 
– Wanda tem razão, o que ta acontecendo? – Sam perguntou se aproximando também.  
– Nós conversamos sobre o que a Maddie descobriu, a esfera que o Tony criou.
– Mas porque ela ta nervosa assim? – Hope questionou sem entender. – E mais importante, porque não contamos ao Rhodes?
– Não podemos, pelo menos por enquanto.     
– E porque não? Ele é nosso amigo.
– Mas ta aqui a serviço do governo Hope. – Sam lembrou olhando pra ela.
– E o governo não é confiável, certo Cap? – Scott perguntou batendo de leve no ombro de Steve.
– A HYDRA cresceu como um parasita dentro da SHIELD depois da Segunda Guerra e ninguém percebeu isso por décadas. Arnin Zola deixou bem claro que quando a historia não cooperava com o que eles queriam, a história era mudada.

            Bucky se lembrou do seu tempo como a arma perfeita da organização, aquele que “mudou a história”. Ainda era doído lembrar-se disso. Maddie percebeu seu olhar angustiado e teve vontade de confortá-lo com um abraço.  
– Alexander Pierce era líder da SHIELD e da HYDRA ao mesmo tempo... – Steve continuou. –... E isso possibilitou a ele manobrar o cenário como bem entendesse. Eles se infiltraram nos mais altos cargos dentro da política, da religião e onde mais conseguissem. O que nos garante que não estão fazendo isso novamente?

            O olhar de todos ali naquela sala deixava bem claro que concordavam com tudo que o Capitão América falava.
– Não podemos confiar em ninguém fora desse grupo.

            Todos assentiram concordando.      
– O que a Maddie descobriu fica entre nós, pelo menos por enquanto e tomem cuidado a partir de agora. É a HYDRA, nós não podemos vacilar.
– Certo, mas e se o Rhodes falar algo com a Pepper? Ela vai contar o que contou pra mim, e mais ainda, dizer que eu já sabia!
– Vamos torcer para que isso não aconteça, não podemos envolver Pepper nisso, não depois de tudo que ela passou.

            Maddie entendia o que Steve queria dizer, mas tremia só de pensar que podia ir pra cadeia por isso. Esconder informações importantes era um crime federal e sem fiança. Fury disse que ela podia ajudar os Vingadores, que se sairia bem, mas se soubesse que a HYDRA entraria nessa história, ela jamais teria aceitado.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Beijinhos 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...