1. Spirit Fanfics >
  2. Hyuckil - (Dusk Till Dawn) >
  3. Cap. 46

História Hyuckil - (Dusk Till Dawn) - Capítulo 46


Escrita por:


Capítulo 46 - Cap. 46


Fanfic / Fanfiction Hyuckil - (Dusk Till Dawn) - Capítulo 46 - Cap. 46

 • Segunda-feira •

O dia seguinte se iniciou e Jongin foi para a sua casa, afinal, tinha que se arrumar para o trabalho aquela manhã. Taeil ao se levantar e fazer sua higiene matinal, desceu para o cômodo de baixo. Por lá, tomou uns goles de café que seu irmão havia preparado e na sequência, saiu para fazer exercícios aquela manhã com o seu filhotinho de cachorro.

O mais velho correu até a esquina e do lado de fora deu um tchauzinho para seu irmão mais velho no qual estava dentro da cafeteria, voltando na sequência correndo até a sua casa. Fez isso por pelo menos duas vezes, na terceira vez notou que seu cachorrinho havia se distraído com alguma coisa, ou melhor com alguém.

Taeil viu Donghyuck chamar o filhotinho de cachorro no qual correu animado em sua direção. O rapaz encheu o pequeno filhotinho de carinhos e na sequência se levantou do chão com o mesmo em seu colo. Donghyuck deu meia volta e entrou para dentro de sua casa.

_ Não tô acreditando que ele sequestrou meu cachorro. - Taeil soltou um bufar e andou a passos rápidos até a casa de Donghyuck.

O mais velho tocou a campainha sendo ele atendido no primeiro toque pela anfitriã da casa.

_ Com licença, Sra. Bom dia.. - Se curvou levemente. _ Donghyuck levou meu cachorrinho pra dentro de sua casa..

_ Entre Taeil. - Indagou a mulher dando passagem.

_ Obrigado, mas não. Eu estou me exercitando e preciso do meu cachorrinho como companhia.

_ Vocês brigaram? - Indagou um tanto confusa.

_ É, acho que podemos dizer que sim.

_ O pouco que você conhece do meu filho, sabe que ele tem uma personalidade forte. - Taeil acabou por concordar. _ Se vocês brigaram, ele não vai vir aqui devolver seu cachorro. Você vai ter que ir lá falar com ele, Taeil.

_ Posso entrar? - Taeil recebeu um acentir e na sequência passagem para dentro da casa.

_ Espero que tudo se resolva. - Indagou a mulher fechando a porta atrás de si.

_ Obrigado, sra. - Ao se curvar levemente, Taeil saiu em direção ao quarto de Donghyuck.

Sem mesmo bater contra a porta, entrou no quarto do mais novo já cruzando seus braços o vendo brincar com o filhote de cachorrinho em cima de sua cama.

_ Me devolve o peixe, ele precisa se exercitar. - Taeil cruzou seus braços, tinha em seu rosto uma expressão bem fechada.

_ Porquê?! Deixe ele aqui comigo um pouquinho. - Donghyuck parecia animado com a presença do filhote.

_ Não! Ele tá muito obeso pra um filhotinho, são ordens do veterinário.

Donghyuck deixou o pequeno filhote em cima de sua cama e se levantou da mesma. Andou em direção a Taeil o prensando contra a porta de seu quarto.

_ Meu da um beijo, que eu devolvo o filhote. - Sem que Taeil percebesse, o mais novo trancou a porta de seu quarto.

_ Não vou te beijar, não estamos mais juntos.

Donghyuck permanecia com seu biquinho em direção ao mais velho no qual se recusava a beijar, mas que não tirava os olhos de sua boca.

_ Me perdoa por ter mentido, fiquei com medo da sua reação quando soubesse a verdade.

_ Eu não quero mais saber, quero o meu filhotinho só isso.

Donghyuck levou sua mão diretamente pro meio das pernas de Taeil e ali começava a massagear o pau do mais velho por cima de sua calça.

_ Vamos resolver nosso problema na cama. - indagou num tom malicioso.

Taeil tinha que assumir ainda que pra si mesmo o quanto aquele estímulo estava mechendo consigo. Donghyuck já podia sentir o pau do mais velho endurecer em meios aos seus toques.

_ Não vamos transar.

_ Você quer, você tá de pau duro..

_ Tira a mão do que não é seu, por favor..

Donghyuck por ousadia, enfiou sua mão por dentro da calça e peça íntima de Taeil, lhe arrancando um gemido baixo por sentir a mão gelada do mais novo encostar em sua pele quente.

_ Me perdoa.. - Donghyuck viu Taeil fechar seus olhos encostando sua cabeça contra a porta.

O mais velho estava começando a se entregar aos toques do mais novo, no qual o estimulava sem pausas.

_ Prometo nunca mais fazer isso..

Taeil soltou um gemido arrastado, Donghyuck havia aumentado a velocidade de seus estímulos.

_ Eu te amo, meu amor. Me perdoa, hã?

Donghyuck tinha seus olhos fixos nas expressões em que Taeil fazia, o rapaz mordia seu lábio inferior estava muito excitado e a qualquer momento iria chegar ao seu ápice.

_ Taeil.. - Donghyuck mantinha seus olhos fixos no mais velho.

O mais velho se manteve calado, reprimiu seu gemido no qual indicaria que o seu ápice havia chegado. Donghyuck tirou sua mão de dentro da calça do mais velho já lambendo sua mão por estar melada com o gozo do mais velho.

_ Gostou?! Como eu vou ir pra casa agora todo sujo?! - Indagou Taeil em tom repreensão. _ Sua mãe tá na sala.

_ Eu gostei sim, mas e você? - Donghyuck tinha em sua voz um tom de deboche.

Taeil tinha seu rosto fechado, encarava Donghyuck no qual agora apertava a sua bunda.

_ Vai me perdoar, amor?

Taeil sem responder se desviou do mais novo e foi até a cama do mesmo pegando seu cachorrinho em mãos. Caminhou em direção a saída do quarto, mas não conseguiu abrir a porta.

_ Abre a porta, engraçadinho. - Voltou sua atenção para o mais novo.

_ Vai me perdoar por ter mentido?

_ Só por ter mentido?! Eu estou todo sujo de gozo, você me deve desculpas.

_ Não devo nada. - Donghyuck se opôs. _ Você tava gostando.

_ Abre a porta. - Respirou profundamente tentando manter sua calma.

Donghyuck se aproximou do mais velho lhe roubando um beijo de seus lábios.

_ Me perdoa, gostoso! - indagou num tom todo manhosinho tentando novamente comprar o mais velho com uma nova insistência.

_ Eu vou perdoar, mas não quero te ver hoje o resto do dia.

_ Não, você vai me ver o resto do dia sim. - Donghyuck se mostrava insistente.

_ Abre a porta pra mim, por favor..

_ Veste uma roupa minha.

_ Não, abre a porta.

_ Então me chama de amor

_ Amor.. - Taeil viu Donghyuck abrir um sorriso para si. _ Abre a porta pra mim.

Donghyuck novamente se aproximou do mais velho com seu biquinho pedindo e recebendo um beijo ali.

_ Daqui a pouco eu vou lá pra sua casa.

O mais novo por fim, abriu a porta para Taeil no qual pode finalmente sair com seu cachorrinho em mãos. 


Notas Finais


E foi nesse cú doce dos dois que eu nasci, ♡

Reta final.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...