História Hyung! - Oneshot Híbridos (Yoonmin) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga
Tags Cute, Drama, Gato, Hibridos, Inverno, Jimin, Min, Neve, Oneshot, Park, Primeira, Romance, Yoongi, Yoonmin
Visualizações 114
Palavras 2.357
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Trilha Sonora no Spotify:
https://open.spotify.com/user/a5qtwzhcusgo9eu6xb387m84j/playlist/6SLBqEfXJE9ieMtaW4kLFY?si=kEB0xqeJSee7lNQhdKUliA

Trilha Sonora no Youtube:
http://www.youtube.com/playlist?list=PLa_LyOSD3sfNlTfi_Q7xg-x4GjRNTYGIq

Trilha Sonora só para dar um arzinho mais gostoso né?

Não tem Lemon porque eu não sei escrever Lemon.

Espero que gostem ♡
Boa leitura ♡

Capítulo 1 - Único - Hyung!


Fanfic / Fanfiction Hyung! - Oneshot Híbridos (Yoonmin) - Capítulo 1 - Único - Hyung!

"HYUNG! 'ME AJUDA!"

Assutei-me derrubando a colher dentro da panela fazendo o caldo quente espirrar na minha mão.

- Porra... - Resmunguei lambendo o caldo e depois fui lavar minha mão.

"YOONGI-IH!"

- Já 'tô indo! - Gritei de volta enquanto tirava o sabão da minha mão.

"HYUNG! SOCORRO! EU 'TÔ PRESO"

- Calma! - Gritei secando minha mão rapidamente e corri até o quarto.

Quando cheguei na porta, encontrei um híbrido de gatinho de cabelo rosa enrolado nos fios de luzinha de natal. Comecei a rir e me apoiei no batente da porta com a mão na barriga.

- Hyung! Para de rir! 'Me ajuda-ah! - Jimin gritou desesperado com os olhinhos fechados.

- Ok, ok. - Abaixei-me do seu lado e comecei a desenrolar o fio com cuidado para não machucá-lo nem estragar as luzinhas.

Quando terminei, ele se sentou emburrado do meu lado com os braços cruzados e fazendo um biquinho muito fofo.

- O que foi? - Perguntei me arrastando até ele e apoiei minha cabeça no ombro dele.

- Sai. - Empurrou-me - Você ficou rindo de mim. - Virou-se de costas para mim e abaixou orelhinhas com os braços ainda cruzados.

Puxei-o devagar pelo rabo e ele miou alto colocando a mão no pé do rabinho branquinho.

Virou-se para mim e puxou o próprio rabo da minha mão, ainda emburrado, ainda fazendo bico e de orelha abaixada. Agarrou-se ao próprio rabinho e eu engatinhei até ele.

Abracei-o por trás e deixei um beijinho em sua bochecha.

- Para de birra. - Disse e fiz carinho em seu pescoço com a ponta do meu nariz.

- Para, faz cócegas. - Empurrou-me rindo.

Continuei e ele começou a gargalhar enquanto tentava me empurrar.

- P-Para, H-Hyung! - Gritou em meio a gargalhadas.

Coloquei minhas mãos por dentro do moletom azul pastel dele e comecei a fazer cócegas em sua barriga e costela.

Ele gargalhava e se retorcia todo enquanro ria alto.

- P-Para! - Gritou e segurou minhas mãos contra seu abdômen. Parei e ele riu mais um pouco até sua respiração voltar ao normal.

Ele segurava minhas mãos perto do estômago dele e mesmo assim eu pude sentir o coração dele bater forte. Dei risada e o encarei, ele estava com os olhos fechados e um sorriso pequeno no rosto. Eu estava em cima dele, sentado em suas pernas as prendendo.

Deixei um beijo em sua testa e levantei.

- Vem. - Estendi a mão para ele, que abaixou o moletom escondendo a barriguinha fofa dele, a qual em outra ocasião não seria tão fofa. Segurou a minha mão e se levantou.

Entrelaçou os dedinhos nos meus e caminhamos de volta para a cozinha.

- Como você se enrolou nos fios? - Perguntei quando ele se sentou enquanto eu fui pegar a comida para colocar na mesa.

- Eu 'tava esticando o fia e comecei a brincar com ele. - Sentou-se com perninhas de índio e o rabinho ficava balançando de um lado para o outro, sem parar.

- Você 'tá bravo? - Perguntei colocando a sopa na mesa e me levantando para pegar o filé de peixe.

- Não. - Respondeu me encarando com os enormes olhos cor-de-rosa.

- Então por que o seu rabo 'tá balançando? - Perguntei colocando o peixe na mesa e os olhinhos dele seguiram o prato. Olhei para o peixe e Jimin olhou para mim.

As orelhinhas estavam tendo pequenos espasmos e o rabinho se mexia lentamente de um lado para o outro.

- O que foi? - Perguntei e ele me encarou. Seus olhos ficavam mudando, ora estavam em mim, ora no peixe.

Dei risada.

Peguei o prato e os olhinhos logo se atentaram ao meus movimentos. Comecei a mexer o prato de um lado para o outro e os olhinhos começaram a seguir o prato. Parei o prato no alto e ele me encarou.

- Meu Deus, Jimin... - Dei risada - Tudo isso é fome?

- Hum? - Voltou a me olhar com os olhinhos atentos. O narizinho não parava de mexer sentindo o cheiro da comida, as orelhinhas tinham espasmos conforme o óleo do peixe estralava.

Encarou o peixe no alto impaciente.

- Senta logo para eu poder comer. - Disse encarando o prato na minha mão.

- Ah... 'Tô com vontade agora não. - Eu disse fazendo bico encarando o prato.

- A-ah! Hyung! - Fez uma cara triste e enquanto abaixava as orelhas. - Eu 'tô com fome! - Exclamou - Depois você enche meu saco! Por favo-or!

Passei o prato pelo meu rosto e inalei o cheiro maravilhoso do peixe.

Jimin se jogou no carpete e colocou as mãos no rosto.

- Eu 'tô com fome-eh! - Resmungou manhoso com as mãozinhas no rosto.

Coloquei o prato na mesa e fui engatinhando até ele. Ele fazia um biquinho muito fofo, a boca rosadinha e carnuda dava um ar mais magnífico ao gatinho. Dei um selinho nele e ele ignorou.

- Para de birra-ah! - Sacudi ele devagar, já que ele parecia um boneco e eu morria de medo de acabar quebrando ele sem querer.

- Você não gosta de mim, Hyung. - Choramingou.

Sentei-me ao lado dele e revirei os olhos.

- Não gosto? - Perguntei encarando ele.

- Não. - Choramingou 

- Por que "não"? - Perguntei enquanto colocava comida para ele.

- Porque você só me faz sofrer. - Respondeu manhoso.

- Sério? - Perguntei enquanto colocava o caldo de peixe num potinho.

- É. - Respondeu. - Você me deixa com fome, puxa o cobertor de noite, quando chega do trabalho deita no sofá e morre, faz comida sem mim...

- Hum... O que mais? - Perguntei enquanto colocava arroz em outro potinho.

- Você não me deixa comer na hora, quando eu vou tomar o leite você me atrapalha, você rouba o meu leite e...

- "E..."? - Perguntei colocando um pedaço de cada peixe grelhado no prato dele.

- Você nunca disse que me ama. - Sentei-me e encarei ele. - Faz um ano e meio que estamos juntos. Eu sempre falo que te amo e você nunca fala que me ama.

Fungou o nariz e comecei a colocar comida para mim.

- Não vai falar nada? - Perguntou para mim.

- Não. - Disse baixo.

- Viu? Você nem fala comigo. - Ele fungou o nariz.

- Come, antes que esfrie. - Eu disse e me sentei com perninha de índio esperando ele se sentar também.

Sentou-se e comemos em silêncio. Ele estava morrendo de fome, mas estava comendo muito devagar. Ora fungava o nariz, ora limpava o olhinhos com a manga do moletom.

Boa, Yoongi. Pensei vendo ele daquele jeito. Você é um merda mesmo.

Ele não comeu nem metade da comida e pegou um guardanapo. Limpou a boca e fungou o nariz antes de dizer:

- Já terminei, licença. - Levantou-se e foi para o quarto.

As orelhinhas branquinhas e o rabinho estavam abaixados. Ouvi a porta do quarto bater e suspirei.

Terminei de comer e guardei a comida dele na geladeira, mais tarde ele comeria.

Fui até o quarto e abri a porta. Encontrei o pequeno gatinho sentado no chão, sem camisa de frente para o espelho. Ele apertava e puxava a pele do abdômen como se tivesse alguma coisa alí que não deveria estar.

De novo isso? Pensei preocupado. Será que ele 'tá assim por causa da brincadeira da comida?

Abaixei atrás dele e me "sentei" de joelhos. Ele abaixou a cabeça quando me viu e pegou a camisa branca para colocar de novo rapidamente.

É, o Jimin tinha vergonha do próprio corpo. Quando eu o conheci ele estava passando por uma crise de anorexia, ele tinha 19 anos na época e as pessoas falavam muito, como o de costume. Diziam que ele era gordo e ele simplesmente foi para o hospital 10 vezes em um mês.

Ele tentava desaveçar a blusa o mais rápido possível, até que eu coloquei a mão em cima da blusa e a segurei. Ele estava de cabeça baixa, levantei a cabeça dele segurando seu queixo e encarei os olhinhos cor-de-rosa.

- Desculpa. - Eu disse baixo.

- Não, você 'tá certo. - Resmungou puxando a camisa. - Eu realmente preciso parar de comer. - Voltou a desaveçar a camisa. - Deve ser por isso que você não me ama, eu só como. Além de gastar sua comida eu não tenho o perfil ideal 'pra você.

Eu a puxei da mão dele e a joguei longe. Ele levantou os olhos confuso para mim. Levantou os joelhos em frente o abdômen, imaginei que fosse para se "esconder". Segurei seus joelhos e os abaixei devagar enquanto eu me rastejava até ele encarando os olhinhos cor-de-rosa dele.

Quando as pernas dele já estavam esticadas, eu me sentei no colo dele e segurei seu rosto para me encarar.

- Você não pense em parar de comer, por favor. - Dei um selinho demorado nele, depois encostei minha testa na dele e fiquei o encarando.

- Mas...

- Eu nunca! Nunca! 'Nuuuunca! - Disse espremendo meus olhos com força enquanto segurava os ombros dele e jogava minha cabeça para trás. - Nunca... - Abri meus olhos para encará-lo - vi ninguém mais lindo, mais fofo, mais sexy, mas maravilhoso, mais manhoso, mais perfeito que você em toda a minha vida. - Pude ver suas bochechas corarem e ele abaixar a cabeça. Levantei seu rosto para me encarar. - Isso aqui... - apontei para o abdômen dele - é mais delicioso que o peixe que estavamos comendo na janta.

- Para. - Empurrou-me fraco enquanto ria. 

- É sério. - Eu disse e passei minhas mãos pelo abdômen dele. Mordi o lábio inferior e fechei os olhos, dramatizando a situação, fazendo-o rir. - Olha essas coxas. - Saí de cima das coxas dele, ajoelhando-me nas canelas. - Olha isso. - passei as mãos pelas coxas dele e mordi o lábio de novo, bati forte nas coxas dele e apertei onde minha mão parou.

Ele deu risada e me encarou. Deitei ele e engatinhei mais para cima, ficando de quatro em cima dele e com o rosto de frente para o dele.

- Mas essa aqui é a minha parte favortia. - Encarei-o nos olhos. Passei a mão por dentro dos cabelos dele, fazendo carinho em sua cabeça, ele começou a ronronar de olhos fechados e eu dei risada. Abriu os olhos quando eu tirei a mão dos cabelos dele e passei as mãos pelo rosto dele. Acariciei a bochecha dele com o polegar e ele segurou minha mão, fechando os olhinhos e sorrindo. - Você é maravilhoso. - Eu sussurrei - Eu te amo do jeito que você é. Desde o seu abdômen maravilhoso até a suas manhas irritantes.

Ele abriu os olhinhos e me encarou. Apoiou-se nos braços e se levantou para me encarar.

Nem prestei atenção que ele estava me encarando, estava ocupado demais focando nos braços maravilhosos dele.

- O que você disse? - Ele perguntou e mordi a parte de dentro do meu lábio inferior olhando os braços dele. - Hyung! - Colocou a mão sobre o meu rabo que estava se mexendo de um lado para o outro.

A culpa não é minha que só de ver o Jimin eu fico excitado.

- 'Quê? - Voltei a olhar para ele.

- O que você disse? - Perguntou.

Sorri fraco, eu sabia o que ele queria que eu dissesse. Então me fiz de difícil.

- "Desde o seu abdômen maravilhoso até a suas manhas irritantes". - Repeti.

- Não, antes disso. - Ele parecia desesperado, os olhos cor-de-rosa arregalados. Ele se ajeitou e se sentou. Continuei sentado no colo dele e seus olhos estavam focados nos meus.

- "Você é maravilhoso". - Eu repeti.

- Hyung! - Resmungou alto.

Dei risada e dei um selinho nele.

- Hyung! - Exclamou de novo me sacudindo pela cintura.

- O quê-êh? - Perguntei rindo.

- O que você disse depois de "Você é maravilhoso" e antes de "Desde o seu abdômen maravilhoso até a suas manhas irritantes"? - Perguntou com as mãos no meu quadril.

Tombei a cabeça para o lado e fechei um dos olhos, fiz bico enquanto encarava ele com o olho aberto.

- A-ah! Você só me ilude! - Jogou-se no chão de braços abertos.

Que visão maravilhosa era aquela.

Curvei-me e fiquei com o rosto bem próximo ao dele. Os olhos fechados e as orelhinhas tendo espasmos.

- "Eu te amo..." - Sussurrei no pé da orelha dele. - "...do jeito que você é."

Ele abriu os olhos na mesma hora e se sentou. Colocou uma das mãos nas minhas costas me impedindo de cair.

- Sério? - Perguntou.

- O quê? - Perguntei.

- Que você me ama? - Perguntou me encarando com os olhinhos atentos.

Dei um sorrisinho.

- Eu disse isso? - Perguntei franzindo o nariz.

- Hyung! - Sacudiu-me fraco e eu dei risada.

- É verdade sim, idiota. - Eu disse rindo o empurrando. - Eu te amo.

Vi um sorriso abrir nos lábios dele e não pude não sorrir também.

Ele passou os braços pelas minhas costas e puxou para perto num abraço forte. O abracei de volta e dei risada.

- Você é muito carente, Park Jimin. - Disse fazendo cafuné em seus cabelos cor-de-rosa com a mão esquerda e com a direita eu fazia carinho nas costas nuas dele.

Ele ronronava no meu pescoço e ficava mexendo o nariz na área me fazendo rir fraco já que estava fazendo cócegas.

- Também te amo, Hyung.

Puxei-o para um beijo longo, o único barulho que havia no cômodo era os estralos causados pelo desespero do Jimin e a respiração alta dele causada por eu estar rebolando no colo dele.

Ele forçava o meu quadril contra o membro dele me fazendo respirar pesadamente.

Separamos-nos e nos olhamos nos olhos. Jimin me puxou pela nuca e nos abraçamos. Eu olhei pela janela, já era noite e a neve caia devagar.

Sorri ao lembrar que era a primeira neve do ano.

- 'Tá nevando. - Eu disse.

- É que eu triturei todo o gelo que você tava me dando e mandei alguns aviões soltarem pelo céu de Daegu. - Jimin disse com o rosto no meu pescoço.

Dei um tapa em seu braço e voltei a abraçá-lo.

"Primeiro beijo no mesmo dia da primeira neve, talvez seja um sinal para eu pedí-lo em casamento na primeira neve do ano que vem. Só espero que ele aceite."

Suspirei

- Hyung?

- Hum? - Respondi olhando para a janela.

- Você pensa alto demais. - Disse Jimin - Eu ouvi tudo e sim, eu aceito casar com você.

Olhei para ele com os arregalados.

- 'Quê? - Perguntei por fim. Ele começou a rir alto e eu fiquei parado, confuso.

"Eu acabei de pedir ele em casamento? E ele aceitou?"

- Sim, Hyung.


Notas Finais


Uau, que medo akkaka
É minha primeira OneShot, não sei fazer essas coisas.
Só sei escrever fanfic e demorar 8 anos para atualizar rs ♡

Espero que tenham gostado ♡
Comentem o que acharam, talvez eu faça mais como essa ♡

BEIJOS VOADORES NO KOKORO DE VOCÊS ♡

Mais Yoonmin:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/o-inferno-do-sec-xxi-11204832

AU do Hoseok:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/my-confession-11260112

AU do Yoongi:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/taking-over-you-11396190Jimin

Taekook:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/angel-11876789


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...