1. Spirit Fanfics >
  2. I am Billsexual >
  3. IV: Giving in

História I am Billsexual - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um!

Capítulo 4 - IV: Giving in


Fanfic / Fanfiction I am Billsexual - Capítulo 4 - IV: Giving in

 -Ainda está ansioso? - Bill sussurrou no meio dos nossos beijos.

Estávamos beijando há um tempo, eu tinha esquecido até de respirar, e minha mente estava nublada. E aquela pergunta era a mais retórica que alguém podia fazer. Eu estava pegando meu irmão lindo e gostoso, como não ficar ansioso?!

- É, estou. - Minha voz estava grave e baixa.

Ele em cima de mim, e os cobertores estavam do outro lado da cama porque estávamos ligeiramente suados. Estava quente. Ele estáva.

- Por que? - Um sorriso daqueles bem sugestivos estampava em seu rosto. - você ja quer dormir?

- Não, não agora. - Sorri acompanhando-o

- Não agora? - Sussurrou com a boca colada na minha - O quê quer fazer agora?

Seus olhos penetrantes, faiscavam sobre mim, pareciam saber o que eu pensava.

- Nao sei. Só quero ficar com você. - Sorri, sentindo me corar.

Eu tinha certeza que eu estava parecendo uma garota com seu primeiro namorado, sorrindo como um retardado.

Bill sorria, distribuindo selinhos por todo meu rosto, me fazendo rir. Ele era muito fofo.

- Entao, posso te fazer uma pergunta bem íntima?

- Claro. - falei tranquilo.

Bill exitou mas continuou bem calmo.

- Você ainda é virgem?

Então eu paralisei. Eu ainda era, claro. Niguem era digno suficiente pra mim, com exceção do Bill. Mas o que me deixou inerte foi o interesse dele em relação à isso. Será que não era mais necessário convence-lo?

- S-sim, sou.

- De frente ou de trás? - Bill tinha um tom levemente provocador em sua voz. E seus olhos me analisavam atentamente. Ele parecia adivinhar cada fala minha.

- Dos dois. - respondi um pouco envergonhado.

- Quer mudar isso? - Com isso, estranhei mais ainda.

- Tá falando sério Bill? Achei que você tinha dito q- seu indicador pouso no meio dos meus lábios, me impedindo de terminar de falar.

- Sh, esqueci o que eu disse. - Agora ele estava sério - Me dei conta de que não temos nada há perder.

- Não? - Eu estava surpreso.

- Não, Tom. O que não era pra fazer, fizemos. Não vai fazer diferença uma coisa a mais ou a menos, entende?

Eu entendi mas não disse nada. Então estava tudo bem pra ele. Respirei fundo. Foi ótimo ele ter falado sobre aquilo, me senti aliviado.

- Sim, entendo.

Bill suspirou aliviado.

- Então...

-Então, você quer tentar? - seu rosto se afogou no meu pescoço, beijando tão suavemente que me sentia relaxar. E suas mãos apalpavam meu peito. Ficava difícil manter uma respiração calma.

Eu queria aquilo, só não sabia se tava preparado, afinal eu era muito novo pra pensar em relacionamentos e sexo. Mas era quase impossível negar com Bill me incentivando daquela maneira. Me deixei levar e assenti, de olhos fechados:

- Sim, Bill.

Então ele parou:

- Tom, eu não quero que faça isso só por que estou pedindo.

- Bill, eu que comecei isso. Você acha que eu tô fazendo isso só por você?

- Não sei, Tom. Me diz você!

- Tô fazendo por nós dois, porque te quero muito.

Bill parecia surpreso, como se não esperasse que eu disse aquilo.

- Qual é Bill, não é nada que você não saiba.

- Eu sei, Tom. Mas é que não tô acostumado te ver sendo tão romântico. - Ele riu me beijando - Somos irmãos, lembra?

- Lembro, mas quero esquecer.

- Quer que eu te faça esquecer, Tomy? - sussurrou no meu ouvido em tom baixo e provocante, me fazendo arrepiar e entrar em transe.

- Por favor!

Foi aí que Bill me beijou de modo urgente, rápido e quente. Seus lábios grossos e vermelhos sugavam os meus, principalmente onde ficava meu piercing. Retribui, contagiado pela afobação. O beijei tanto que sentia minha boca durmente. Me afastei, tirei minha blusa e fiz o mesmo com ele. Bill sorria de um jeito safado e eu fiz o mesmo enquanto tocava seu abdômen, subia as mãos até seu peito e me inclinava pra beijar seu pescoço. Sua pele alva era uma delícia! Beijava e mordia levemente, e quando ele segurou minha nuca pra mim não me afastar, lambi e mordi com força, beijando em seguida. Ele gostava, pois gemia rouco, de olhos fechados, jogando a cabeça pra trás. Foi incrível ver ele entregue por uns minutos.

- Tom!- ofegou

Então quando eu achei que tinha ganhado, ele me deitou na cama de novo e segurou meus pulsos em cima da minha cabeça. Me beijou lento, sua língua me fazendo ceder ainda mais, desceu por meu pescoço e se apossou, espalhou beijos e mordidas pelo meu peito. Quando paro no meu mamilo esquerdo, usou a língua, me fazendo desmanchar de prazer. Eu lembro que gemi como uma atriz porno, e adorei a sensação. Era diferente e viciante. Jurei que podia sentir aquilo pra sempre e morreria feliz.

Bill...- Gemi totalmente inebriado - Aah

Puxei seus cabelos com força, não deixando ele se afastar. Colando sua boca no meu peito. E nisso ele mordeu algumas vezes e eu gemi alto pedindo por mais. Ele continuo sugando enquanto suas mãos apertavam meu

quadril e minhas coxas. Eu não tinha condições pra lutar contra isso, Niguem nunca me tocou assim, e sentir aquelas coisas me fazia me sentir desejável e amado. Ele beijou minha boca com tanta vontade que eu jurei poder sentir tudo que ele sentia.

- Você é gostoso! - Ele gruniu na minha boca, mordendo e puxando com os dentes.

Suas mãos grandes acariciavam minha virilha até tocar no meu membro duro e automaticamente eu gemi. Só quem tocava lá era eu, mas Bill tocava melhor. Ele tirou minha calça junto com a box preta e quase morri de vergonha, tapei os olhos com o braço.

- O que foi, Tomy? - Bill pareceu levar a sério.

- É constrangedor Bill.

- No começo é, mas vou te fazer esquecer isso.

Quando ia responder sentir seus dedos ao meu redor, num aperto firme e ver aquela cena me deixou com muito tesão. Vacilei no começo e achei que não ia gostar mas quando Bill me masturbou num ritimo frenético eu me rendi; me permiti sentir e foquei nisso.

- Olha pra mim Tom. - Obedeci

Os olhos dele queimavam em mim, firmes e intensos. Sua boca estava muito próxima e diretamente ele me segurou pela base e abriu a boca, estendendo a língua e lambendo minha extensão. Eu quase desfaleci com aquela cena, foi perfeito demais, excitante demais e, gemi sôfrego quando ele abocanhou com vontade. Fechei os olhos apreciando, e minhas mãos tocou seus cabelos, puxando levemente. Senti que ia explodir a qualquer momento.

- Oh Bill, mais rápido - gemi com a voz descontrolada.

Ele passou a ir mais rápido. Chupava com força, lambia, beijava minha glande, me deixando louco. Até que eu perdi o controle: segurei sua cabeça, e me empurrei contra sua boca. Estocando rápido e gemendo alto e rouco, com a voz arrastada.

Bill gemia com meu pau na sua boca, me causando vibrações, que foi o suficiente pra me desfazer. Sem avisar, gozei na boca dele, e so tirei quando ele engoliu.

- Bill! - me joguei na cama, me recuperando.

Ele veio até mim sorrindo daquele jeito e beijou minha boca, me fez sentir meu próprio gosto e continuamos beijando como animais no cio.

- Tom, você foi incrível! - beijou meu rosto. - Você fodeu minha boca.

- Você gostou? - Eu achei meio rude pra alguém tão maravilhoso como Bill.

- Sim- abraçou minha cintura, sorrindo como um princípe.

- E você? Eu posso fazer também...- apontei pra sua ereção que não estava tão evidente quanto a minha.

- Ah, não é necessário.

- Não?

- Não. Eu fiz em você por que gosto de te agradar. E por que você mereceu! - Por quê ele tinha que ser tão bom?!

Amava isso.

Nos deitamos devidamente cobertos com o ar ligado e o calor sumindo. Ele parecia cansado, deitado de bruços e olhos fechados, provavelmente já estava dormindo.

- Não tens ideia do quanto eu te amo Billy! - Sussurrei apenas pra mim, mas ele sorriu no mesmo instante.

- Eu te amo mais Tomy!

Sorri tão feliz com aquela frase, apaguei , devo ter sonhado com nós dois em alguma aventura de amor, tipo aqueles filmes clichês.

Eu não sabia que tudo que eu pensava podia se torna verdade.

Eu quis e consegui!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...