1. Spirit Fanfics >
  2. I am here - Jikook >
  3. Chin-sun fale comigo!

História I am here - Jikook - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Eu Realmente peço desculpas pela longa demora, gente é tanta coisa acontecendo, e muitas atividades, esperam que me entendam e não me levem a mau pela hora da postagem tá?.

Beijinhos e boa leitura ❣️

Capítulo 3 - Chin-sun fale comigo!


═════ •『𝓘 𝓐𝓜 𝓗𝓔𝓡𝓔』• ═════



Jimin levantou frustado de sua cama, era a quarta vez que Chin-sun acordava naquela noite, Jimin já tinha feito chá, dado remédios e a febre não baixava, já estava ficando com medo, poxa o seu filho estava ali doente e o que conseguia era só ficar pensando no pior?, Não!, hoje não.

– Mais papai... – chin reclamou preguiçoso.

– Mais nada Chin-sun!, Você está queimando de febre meu bem, vai ter que ir ao médico sim!. – Jimin pegou o filho em seu braço e logo o cobriu com um cobertor, colocou algumas coisas que seria importante para levar ao hospital em uma pequena bolsa e logo entrou no carro dando  partida para o hospital.

ao chegar lá, Jimin deu seu nome para a recepcionista do hospital, esperou  um pouco na sala de espera, e logo foi chamado, levantou com seu filho que estava queimando de febre, e foi até a sala do médico.

Depois de algum tempo, Jimin saiu da sala indo até a  uma pequena cafeteria que tinha ali, já que seu filho tinha dito que estava com fome.

– oi, ahm, eu queria um bolo por favor – Jimin pediu a atendente com um sorriso no rosto, a mulher era até que bonita, com seus cabelos pretos e charmosos que não passava dos ombros, sua pele era meio bronzeada e seus olhos eram cor de chocolate,  extremamente bonita.

– de qual sabor?, Temos de cenoura com cobertura de chocolate, temos de laranja, de macaxeira, de morango e de chocolate. 

– não tem de limão? – Jimin perguntou recebendo um não como resposta, Chin realmente gostava muito de bolo de Limão.

– o último pedaço foi parar aquele policial ali – a atendente apontou com o queixo para o policial que enquanto comia conversava e ria com seu amigo que estava ao seu lado, dava realmente para ver que ele estava cansado, mais tinha que continuar o trabalho. 

Jimin reconheceu quem era e logo abriu um sorriso, e sem perceber, o policial olhava para si sorrindo também. O que fez o loirinho desfazer o sorriso por pura vergonha, voltando a olhar para a atendente e sorriu sem jeito e com suas belas bochechas já com uma coloração avermelhada pagar a mesma.

– bem... Pode ser de cenoura com cobertura de chocolate então, pode ser dois pedaços – sorriu vendo a atendente concordar e se afastar para cortar os pedaços de bolo e preparar o suco – ah e... Dois sucos de Laranja por favor.

– claro, não vai demor nem 15 minutos. – a mulher se afastou, Jimin estava se sentindo observado e levou seu olhar para Jungkook novamente, este que estava olhando intensamente para si.

Jimin não achou ruim, gostava de ser observado e elogiado, mais dependia da observação e do elogiou, sentou em uma das mesas da cafeteria, estava muito preocupado com seu filho, e ainda mais com o preço da consulta, não era a primeira vez que Chin-sun tinha essas febres fortes.

Infelizmente o garotinho tinha nascido de 7 meses, já que Jimin tinha escorregado na escada da escola, fazendo assim com que tivesse que ter Chin logo.

Sendo assim, o filho do Park teve muita dificuldades para ter uma ótima saúde. Quer dizer, não era muito normal um homem engravidar, ainda mais ter o filho de sete meses. Chin-sun sofreu muito, e por causa disso, era meio doentinho, mais Jimin sempre cuidava bem da saúde de seu filho.

Mordeu seu lábio inferior e logo despertou de seu transe quando seus pedidos foram posto a mesa que estava.

– nossa! Foi rápido! – Jimin riu pelo susto vendo a mulher sorrir gentil pra si.

– na verdade, o senhor está à bastante tempo aí pensando. – Jimin com vergonha apenas riu, entregou o dinheiro e agradecendo vendo a mulher sair dali.

Decidiu que era melhor comer seu bolo antes, além disso, quando saiu do quarto, Chin-sun estava dormindo, e obviamente o coitado não ia acordar agora.

– oi Jimin. – virou seu rosto assutado e logo pós a mão no coração pelo susto. – nossa me desculpa – riu.

– a não tudo bem – Jimin riu envergonhado – e que... Eu estava submerso demais aos meus pensamentos.

– entendi, pensar faz bem – disse vendo Jimin sorrir concordando com a cabeça. – então... O que você faz aqui?

– a bem... Meio que o Chin-sun ficou com uma forte febre, e eu tive que trazer ele pra cá.

– caramba... Que chato né?

– é.

– bem, espero que ele fique melhor. – com seu lindo sorriso de coelho, Jeon sorriu aberto pra Jimin que não conteve o sorriso e sorriu de volta também esquecendo um pouco as preocupações. – eu realmente gostei muito daquele garotinho. – riu.

– é... Ele não parava de falar de você. – tiram juntos. – então, o que faz aqui?

– a... É que aconteceu umas coisas aqui no hospital, parece que umas 5 pessoas foram assaltadas aqui, e como esse é dos melhores horpitaias de Seul. Decidiram que colocariam políciais para vigiar, pelo menos por umas 2 semanas.

– entendi, eu acho tão chato isso de-...

– senhor Park Jimin?! – gritos ecoaram pelo corredor, uma enfermeira com a roupa melada de sangue apareceu, fazendo o coração de Jimin apertar. Como sabia seu nome? – seu filho!

– o que ar com meu filho?! – Jimin levantou em um pulo da cadeira junto com Jeon. – o que aconteceu!? – perguntou já em desespero.

– o médico saiu por alguns estantes apenas para tomar água, e quando voltou seu filho não estava mais lá, – começaram a andar pelo corredor desesperados – alguns enfermeiros encontraram ele no chão, todo melado de sangue.

– O QUE?! ... A MEU DEUS! – Jimin sentiu seu mundo cair, desabou tudo, seu filho, sangue... A não, de novo não!

Obviamente, quando acordou e viu que estava sozinho, Chin-sun se desesperou e saiu a procura de seu pai no hospital, infelizmente começou a chorar, enquanto corria pelo corredor desesperado, acabou esbarrando em um médico que levava ferramentas de cortes para uma das salas do hospital, fazendo assim, se ferir quando o homem sem querer caiu por cima de si.

Jimin abriu a porta do quarto onde Chin-sun estava chama do pelo filho que tentava chamar pelo seu pai.

– Chin-sun fale comigo! – Jimin já chorando abraçou seu filho, este que ainda estava melado de sangue.

– papai... Eu estou bem... Eu estou.. bem.. estou... Bem...pa...pai... 

Escuro

Choro

Preocupação

Tiros...



Notas Finais


Ia me desculpem pelo vap curtinho e pela hora da postagem, e também pelos erros, um boa noite anjos, amanhã terá mais! Prometo.

Beijinhos da Kim (*^3^)/~♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...