História I am incomplete - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias G.I. Joe, Metroid, Os Vingadores (The Avengers), Resident Evil, X-Men
Visualizações 10
Palavras 1.364
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Capítulo 6 - Confusa


 O jato pousa no meio daquela destruição e corro até ele, que abre e revela um Logan mal-humorado e um Deadpool super animado:

-Vocês sobreviveram! –berro e corro até eles, os abraçando:

-Também pensamos nisso. –Logan abraça de volta:

-Mas o carequinha ali conseguiu te achar pelo capacete dele. –Wade aponta para o professor, que me encarava com um sorriso:

-Elise, vejo que está bem. –ele ala:

-Sim, graças aos Joes. –olho os dito cujo, que estavam totalmente confusos. Rio e os chamo para mais perto –Professor, Logan, Deadpool, esses são Duke, Scarlet, Tunnel Rat, Roadblock e Snake Eyes. –os apresento:

-Hei, eu me lembro da fuça de vocês, estavam no armazém! –Wade aponta para eles, Tunnel o olha de cara feia:

-Sim, eu lembro desse “tagarela”. –ele rebate –Achei que tu tinha morrido na explosão.

-Não é uma explosão que vai me matar. –eles se encaram, eu podia ver as faíscas saindo dos olhos deles:

-Gente, parem. –Falo:

-Obrigado por cuidarem da nossa Elise, ela é alguém muito importante para nós. –o Professor nos faz olhá-lo:

-Tao importante que um maluco explodiu nossa base... –Roadblock murmura, nos fazendo olhá-lo, ele olha para os lados –Falei isso muito alto?

-Sim. –rio:

-De fato, jamais imaginaria que algo assim pudesse ocorrer. –Xavier fala –Parece que você ainda está sendo monitorada.

-O que quer dizer com “monitorada”? –Duke toma a frente.

-Eu sou um experimento incompleto criado por sei lá quem e provavelmente eles estavam me monitorando, ou o que quer que seu general deve ter acessado, porque pelo que o Hector falou, não sabiam que eu estava viva. –encaro os Joes:

-Eu lembro de ver algo nos computadores sobre um experimento envolvendo o governo e uma empresa farmacêutica antes do ataque –Scarlet fala:

-Farmacêutica? O que isso teria a ver com um experimento de uma arma humana? –pergunto:

-Se não tivessem atacado, saberíamos de tudo.

-Pelo jeito se quisermos respostas, teremos que lidar com malucos querendo nos explodir. –suspiro:

-Professor, recebi um chamado do Scott, era sério. –Jean Grey aparece, a olho de cara feia, nossos santos nunca bateram:

-Então devemos partir imediatamente... –o Professor me olha –Elise vai vir conosco?

-E-eu... –só agora me caiu a ficha. Se o Professor me encontrasse, eu teria que escolher entre eles e os Joes, e apesar da treta com o Duke, aqueles dias que passei na casa do Snake me fizeram começar a gostar deles...

-Eu entendo que esteja dividida, se quiser ficar com eles, tudo bem. –Xavier sorri, vendo meu impasse:

-Vá com eles. –Tunnel fala, me fazendo encará-lo –São eles que a criaram né? Sei que a gente teve um começo meio conturbado, só prometa que irá nos visita depois. –ele afaga minha cabeça:

-Obrigada Tunnel. –sorrio e olho o Professor:

-Esperaremos lá dentro, pode levar seu novo amiguinho também. –ele indica o bichinho no meu ombro, que encarava tudo em silêncio. Encaro os Joes:

-Bem, acho que é hora de me despedir de vocês... –falo. Roadblock vai até meu lado e dá um tapão em minhas costas:

-Não faça isso parecer um adeus, podemos te visitar, e vice versa! –ele ri:

-É, e se quiser, pode me ligar, aqui está meu número. –Tunnel me estende um papel –Sabe, caso esteja disponível, solteira...

-Tunnel! –Scarlet dá um tapa na cabeça dele –Mas ele está certo, vamos manter contato.

-Pode crer. –sorrio e a abraço. Ao me desvencilhar, foi a vez de Snake Eyes me dar (outro) abraço –Vou sentir sua falta Ninja Caladão.

-Eu também. –ele fala.

Duke encarava tudo om uma carranca. Subo na rampa do jato e me viro para ele:

-Aí ó, tô de olho hein! –berro para ele, fazendo uma careta e apontando para meus olhos e em seguida para ele, fazendo-o me olhar com uma careta e depois rir. Aceno para eles e entro no jato, ouvindo Jean bufando:

-Que demora para uma simples despedida. –ela fala:

-Se fosse você a gente poderia ir até a China e voltar que ainda estaria dando tchau para a grama. –bufo para ela, que faz uma careta e decola o jato. Me sento ao lado do Professor:

-Mal voltou e já está comprando briga é? –ele ri:

-Que posso fazer? É o meu charme. –o bichinho desce do meu ombro e deita em meu colo, se enroscando e dormindo –O que acha dele?

-Como todo animal, a mente dele é simples, mas complexa. Porém, ela é mais complexa que o normal.

-Como assim?

-Geralmente, os instintos sobressaem a consciência do animal, só que a desse carinha é diferente. A consciência dele é muito mais avançada, acho que pode até superar a de um humano, mas ainda parece ser influenciado pelos instintos... É quase como se fosse um alien...

-Bem, eu não me surpreenderia, dado que nunca vi um bicho assim. –faço carinho nele –Mas você acha...

-Não, ele não tem intenções de te atacar –ele lê minha preocupação –Na verdade, parece gostar bastante de você.

-Eae, qual é a do bichinho? –Wade pula atrás do meu banco –Novo mascote?

-É, por assim dizer.

-E qual é o nome? –ele fica do meu lado e encara o bichinho, que abre os olhos e o encara de volta:

-Hum... Acho que Birdie combina com ele. –falo e o bichinho me encara, fazendo um barulhinho como se concordasse:

-Bichinho esquisito, nome esquisito... Gostei! –Wade ri.

 

-----

 

Uma semana se passou desde que voltei para o Instituto, e nesses dias eu passava a maior parte de meu tempo no jardim entediada, já que Wade voltou para casa e Logan partiu em uma missão.

Birdie corria de um lado a outro no jardim, até que ouço a cadeira de rodas do Professor:

-Elise, posso ter um minuto?

-Claro. –vou até ele, que me indica o banco ao lado dele. Me sento e Birdie vem atrás, se sentando do meu lado:

-Notei que andou muito distante essa semana, mais pensativa... –ele começa –Gostaria de saber o que vem a incomodando.

-Não leu minha mente?

-Preferi deixa-la ter sua privacidade.

-Estive pensando sobre aquele ataque na base dos Joes, sobre rever meu irmão, ver que ele também sofreu a mesma experiência que eu... –começo –Se os Joes não tivessem procurado naqueles arquivos, nada daquele ataque teria ocorrido, pessoas não teriam morrido... –coloco a mão na cabeça do Birdie, fazendo carinho –Eu sempre me perguntei se eles estavam de olho em mim, em cada passo que dava, e depois de tudo, eles tinham me dado como morta, e nunca me acharam porque você não procurou saber sobre o experimento.

-Eu já sabia o que deveria saber. –Xavier pega minha mão –Mas não deve ficar se culpando por causa disso, ninguém sabia que estariam de olho nos arquivos.

-Isso me fez pensar... E se tudo fosse diferente? E se eu fosse ainda uma garota normal? Talvez a única complicação que eu teria seria qual roupa deveria usar para o primeiro encontro...

-E quem disse que não pode ser normal?

-Hein? Já se esqueceu que eu viro um monstro ensandecido se me deixam com raiva? –ficou doido Leitor de Mentes?

-Apenas se você se deixar levar pelos instintos. –ele sorri –Eu tenho um... “Amigo” que anda precisando de ajuda onde trabalha, quem sabe se você ficar um tempo com ele, longe desses problemas, pode ser “uma garota normal” por um tempo.

-Ou seja, está querendo me dar férias? –ele ri do meu comentário:

-Podemos chamar assim. E não se preocupe acerca do trabalho, ele é perfeito para você. –ele lê minha preocupação:

-Tem certeza que estarão bem sem comigo aqui?

-Elise, o mundo não vai acabar se você ficar for uns tempos. –ele ri:

-Ué, vai que né. –nós dois rimos:

-Então aceita?

Olho o Birdie, que me olha com cara entediada, ok, entendi o recado:

-Sim, desde que eu possa levar o Birdie comigo.

-Nem se preocupe, irei avisá-lo. –ele vira a cadeira de roda e começa a voltar para a mansão –Amanhã ele virá, pode ser?

-Claro. Eu poderia saber quem é?

-Amanhã você saberá.

-Sério, vai me deixar no mistério? –bufo:

-Sim, vou.

-Chato! –ele ri e entra na mansão, me deixando lá, imaginando quem seria esse amigo do Xavier.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...