1. Spirit Fanfics >
  2. I am number two >
  3. Viva como você!

História I am number two - Capítulo 9


Escrita por: GayaBlackBull

Notas do Autor


•Fanfic baseada no anime Jujutsu Kaisen, todos os personagens não originais são de total autoria de Gege Akutami.
•Darin assim como todo e qualquer personagem original que surgir ao longo da história é de minha autoria, tal como o enredo secundário.
•Capa da fanfic editada por mim, mas não possuo direito das imagens tiradas da internet.
•Plagio é crime.

Capítulo 9 - Viva como você!


Fanfic / Fanfiction I am number two - Capítulo 9 - Viva como você!


Não julguem alguém porque aparentemente ela é fraca, por exemplo os gatos eles mantem uma aparência fofa e frágil, mas sempre por trás de suas lindas caras macias existe garras e presas que podem cortar sua pele. Agora aplique isso em cada pessoa existente, por traz sempre de um sorriso meigo e doce sempre existe a probabilidade de existir garras que podem facilmente te matar. 
 
Já ouviram a expressão sonho compartilhado? Provável que sim, então, quando duas pessoas dividem sonhos e desejos elas acabam se respeitando de certa forma, mas quando esse laço é rompido seja pela falta de algum ingrediente que forma essa química nas pessoas ou o destino, aquele tal respeito vai ser rompido. Nesse caso o destino foi bem cruel, quando se causa um trauma emocional ou físico em alguém principalmente crianças, elas tendem a relacionar tudo que pode atrair esse trauma de volta pra elas e dessa forma fugindo dos problemas ou até mesmo o oposto, morrendo tentando supera-las. Ao perder a única coisa que nos mantem de pé, o que nós fazemos? Desistimos por não ter mais motivos para viver? Bem, talvez uma pessoa fraca ou medrosa faria isso mais não ela. 
 Darin não desistiria de tudo para ser deixada levar pela correnteza, ela remaria o suficiente para não se afogar e carregaria esse sonho e não só por ela, por Sawarumi também. Superaria seus limites e passaria por qualquer parede para que isso fosse realizado, morrer antes que isso acontecesse não fazia parte plano, ela não poderia morrer sem realizar seu sonho. 
 
Satouro ficaria fora por algumas semanas, os alunos derrotados de Kyoto voltaram para sua escola assim que o intercambio acabou, a menina de cabelos brancos se recuperou com antibióticos e deliciosos xaropes, se é que você me entende. Yuuji a ajudou fazendo algumas comprar com Nobara e Fushiguro, eles trouxeram presentinhos e muitos doces, para que a menina se recuperasse mais feliz e, é claro mais rápido, mas a parte de doces foi meio que ideia de Itadori e dessa forma o menino entrava todas as tardes para entregar guloseimas pela janela, sem que ninguém visse. 
Bem eles precisavam que ela se recuperasse logo, pois planos entre os quatro já foram feitos. Antes dá menina e seus amigos serem mandados para outra missão, a mesma os levaria em um templo onde foi treinada durante alguns anos, Gojo acertou em cheio com essa aluna e os outros calouros e até veteranos reconheceram pedindo para que a mesma ensinasse os seus truques, mas eram alunos de mais para a novata nesse assunto de veterana de alguém. Com o ataque que ocorreu no intercâmbio foi possível ver as grandes qualidades que a menina escondia, ela poderia ser muito boa com espações de domínio e melhor ainda na espada, mas nada superava seus instintos de mamãe leoa e rápido tempo de ataque que ela demostrou protegendo alguns alunos, por mais que eles poderiam ser considerados “inimigos” nesse intercâmbio, mas a mesma ignorou os jogos colocando a saúde de todos em primeiro lugar. Kyoto demostrou total agradecimento a menina quando isso tudo acabou dando total confiança de que se eles fossem necessários para qualquer coisa eles estariam lá, os mesmos deviam mais do que um favor, deviam suas vidas a ela. Assim deixando Kamo e Inumaki em mãos seguras a menina cuidou para que Miwa não ficasse na floresta, e não deixando nem Mai e Nobara ir junto com a menina para o meio do fogo cruzado, se preocupando com Maki e Megumi que lutaram forte a contra a maldição e ajudando Todou e Yuuji na luta contra aquele mostro. Ela dedicou tanto sangue e suor para proteger todos mesmos sendo de outra escola ou não, mesmo por que todos lutavam pela mesma causa, além de todos serem humanos e merecerem ser salvos. 
 
Os dias se passavam um pouco lento, mas as visitas de Tóquio sempre era bem vindas, minutos se passaram como horas e horas como dias, dias como semanas e parecia que isso nunca teria fim. Com tudo o atestado foi dado a menina, ela estava mais do que pronta para sair daquela sala triste e fria, ela queria calor, queria ver o mundo com todas as suas cores, fazer coisas e conhecer pessoas. Tudo bem que ela pode estar exagerando na emoção mais isso era sua essência, não é dela sentar triste no banheiro, talvez ela seja mais como sair com os amigos todos os dias, sempre andando com diferentes companhias e aprendendo mais coisas. Deixando sua marca, dando sua opinião.  
Como cantar alto em quanto toma banho, ou no carro com os amigos. Como sentir emoções novas por alguém e se apaixonar quantas vezes fossem necessárias para conhecer a pessoa perfeita. 
 Ansiosamente ela esperou cada segundo para a porta ser aberta e aquele cara entrar, para ela o abraçar e disser como ela poderia sair com eles. Esperar sua amiga com as mãos tremendo ou abrindo pequenos sorrisos para ver o rosto de seu amigo rival. Ela queria que o sol nascesse logo e a hora de visita chegasse, ela diria que agora eles podem treinar juntos, mas talvez o que ela não admitiria seria que ela está animada para poder passar mais tempo com eles, com ele.  
O sol nascia, o cheiro de chuva da noite subia do jardim, os pássaros começaram a cantar, de sua janela ela poderia ver nuvens acima das montanhas, uma grande floresta cheia de cor, de alegria, parecia que o mundo fora do mudo da escola estava a chamar ela, convidando para as aventuras entrarem e preencherem seu coração, talvez isso fosse dela. Se manter ocupada, cheia de aventuras e missões para serem feitas, crescer e se tornar uma adulta fria e triste não era para ela, fazer coisas loucas e imprudentes talvez. Mas nada como fazer isso com amigos, uma companhia, ela poderia até viver sua vida como ela sempre quis, mas, se eles não estivessem lá nos seus dias de fracassos ou de gloria, isso não significaria nada. Não poder ter alguém com quem conversar, confiar, rir, chorar ou até para cuidar de você quando estiver doente.
Isso sim não era vida
 


Notas Finais


sumi mais voltei, antes tarde do que nunca!
Link da pleylist...
Obs:feita por mim.

https://open.spotify.com/playlist/09GFbnbONMbi9CFC3diS7G?si=f5n-fRpQQLqZESunkEn9SQ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...