1. Spirit Fanfics >
  2. I Believe In a Thing Called Love >
  3. Capítulo 62

História I Believe In a Thing Called Love - Capítulo 62


Escrita por:


Capítulo 62 - Capítulo 62


De volta a Los Angeles, eu já estou em casa á uma semana, ou melhor um pouco mais de uma semana. É o meu nono dia em casa e eu estou muito bem, é uma sensação muito boa estar de volta. Acho que por isso não estou mais tão incomodada com a minha situação com o Anthony.

Eu não sei o que me deu nessa viagem pra pensar tanto nas coisas, mas enfim agora estou aqui e acho que tudo volta aos trilhos. Tudo bem que depois daquele “Bom voo” o Anthony não disse uma palavra, não apareceu aqui e nem nada.

Está claro que ele sabe que eu estou em casa, mas não quis saber de vir, mas eu conheço a figura, ele já fez isso. Na verdade eu sempre arrumei uma desculpa para ele pensar que eu ficaria ocupada por uma semana, mas acho que no fim da no mesmo. Amanhã a noite eu volto a trabalhar e ai eu vejo no que vai dar essa história toda.

Está um belo dia de sol por aqui e eu resolvi dar umas voltas em Malibu, não pense que estou atrás do Anthony, mas aqui é um bom lugar. Acontece que eu pretendia passar na casa do Flea. Ver as crianças, saber das novidades, tomar um chá, saber das novidades, entregar as lembrancinhas e quem sabe até saber das novidades.

Assim que eu cheguei na casa dele não demorou a me atender.

- Nossa, eu nem lembro a ultima vez que você apareceu por aqui.

- Não faz tanto tempo, vai.

- Entra, conta da viagem.

E realmente ele me fez contar cada detalhe do que aconteceu na viagem, eu tive que fazer a história parecer ser bem mais legal do que foi no meu ponto de vista e consegui arrancar algumas risadas dele enquanto eu falava.

- E claro que lembrei de trazer algumas coisas.

- Não é uma Hello Kitty né?

- Não – respondi rindo

Lembrei do Anthony fazendo a mesma piada, na verdade ele estava nervoso comigo quando “pediu” uma Hello Kitty, a lembrança me fez rir, porque falar algo engraçado durante uma discussão?

Entreguei o dele que era algo mais da cultura oriental e o da Sunny que era um desses brinquedos super bem bolados que faz de tudo um pouco, esses que quebram até com o vento, mas que são legais.

- Flea, eu fui chegando sem falar nada, eu to atrapalhando? Não sei se você ia sair.

- Não, fica tranquila, não tenho nada hoje, alias o Anthony acabou de sair daqui, ficamos apenas conversando.

- Ele veio aqui? Droga, por pouco eu acertava. – comentei comigo mesmo.

- Tá atrás dele?

Merda não acredito que eu falei alto.

- Não, de jeito nenhum. Mas por pouco eu não via ele e realmente ainda estou em clima de viagem, não precisa estragar assim – ri e ele me acompanhou

- Então tirando que você vai ter que suportar ele amanhã, animada para o trabalho?

- Bastante, eu gosto do que faço. To com saudade do pessoal.

- É, eles perguntaram bastante de você por lá.

- Como foram as coisas nesses dias que eu estive fora?

- Tudo no ritmo que você conhece, mas os shows na Europa foram incríveis.

- Eu imagino Flea, fui pegar férias bem nessa época.

- E o Chad, as crianças? Vieram aqui também.

- O Chad esses dias tava em NY com a Nancy, acho que já devem estar em casa agora. As crianças estão bem.

- A Sunny não está aqui?

- Tá, mas saiu com a Clara e ela deixou o celular. – apontou para a mesa de centro.

- Que chato, ma amanhã vejo elas.

- É, de resto ta a mesma coisa. O Josh cada vez melhor o Mauro sempre com aquele humor e o Anthony – rolou os olhos – Nem falo nada... – resmungou e eu não entendi. – A menos que você queria que eu te conte.

Quero! Quero! Quero!

- Não...

- Achei que não iria querer saber mesmo.

Ê, Flea! Por que será que ele falou assim, agora fiquei mais curiosa ainda.

- Quer uma água um suco alguma coisa?

- Um suco seria ótimo Flea.

- Pra já então.

Ele se levantou e eu fiquei ali olhando para a janela da sala, dava para ver a praia, isso que eu chamo de casa...

Meu celular começou a vibrar no meu bolso e eu logo peguei sabendo quem era.

- Oi mãe.

- Oi querida, onde você está?

 - To na casa de um amigo.

- Ah, é que eu liguei na sua casa não tinha ninguém.

- Mas você precisa de algo, mãe?

- Não, eu ia só passar lá para a gente botar a fofoca em dia – é novidade do meu irmão que ela quer contar, certeza.

- Daqui a pouco eu vou pra casa, vai lá mais tarde.

- Mas o Anthony não vai para lá?

Ai que pergunta mãe.

- Não, mãe, hoje o Anthony não vai em casa.

 Ah então está bem.

- E mesmo se fosse, qual seria o problema, ele conhece o irmão que eu tenho.

- Como sabe que a fofoca é mais uma burrada dele?

- Já não é mais novidade.

- Mas essa você vai morrer de rir. Mais tarde a gente se fala. Beijos.

Desliguei e quando vi o Flea já estava de volta, mas que rápido.

- Obrigada – agradeci enquanto pegava o copo.

- Hm – disse depois de um gole. – Por que o Anthony vai na sua casa?

- Vai? Que horas?

- Não, eu quero saber se ele vai.

Nossa como o Flea é direto, ou melhor, eu é que não percebo o que eu falo no telefone.

- Ah, não é esse Anthony. É outro, meu primo. Que susto Flea!

Conversamos mais um pouco, mas ao final eu não consegui ficar sabendo de nada, se eu tivesse uma pista pelo menos não estaria tão curiosa e não chegaria tão perdida amanhã. Enfim, também, não sei por que tanta curiosidade. Parece até que a viagem me fez esquecer como eu sou. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...