1. Spirit Fanfics >
  2. I Believe In a Thing Called Love >
  3. 77

História I Believe In a Thing Called Love - Capítulo 77


Escrita por:


Capítulo 77 - 77


Mais um show fora de casa, dessa vez estamos na Florida, num lugar bem próximo a Orlando então todos estão falando sobre o parque e em tentar passar nem que seja um dia lá, sinceramente não vejo graça.

Continuei fazendo minhas coisas já pensando no fim do ano que estava próximo, eu iria trabalhar normalmente, mas gosto do clima de fim de ano e principalmente das comidas que minha mãe faz.

Não demorou mais que alguns minutos para a porta abrir e duas figuras pequenas entrarem tagarelando. Everly e Sunny já estavam por aqui ou seja a banda chegou mais cedo. De novo!

Não que eu ache ruim, na verdade eu acho um pouco, depois que o Anthony largou a Helena, ele tem tentado falar mais comigo. Eu sei o que ele está tentando fazer e sei que depois de tudo eu deveria aproveitar, mas não. Ele acha que eu vou voltar correndo pra ele? Eu não tenho nem certeza se é isso que eu quero. Eu gostei que ele largou a menina, por mais que não tenha saído em um site ou revista eu acredito que ele fez isso e ele ter vindo atrás de mim foi um jeito de mostrar que ele realmente falou a verdade um outro dia quando nos falamos.

Mas eu ainda não sei, está tudo recente, eu ainda estou chateada pelo que ele fez, esse joguinho foi ridículo e infantil da parte dele. Eu gosto dele disso estou certa fazer o que, mas de resto minha cabeça esta uma bagunça, então por via das duvidas vou trata-lo como sempre tratei também porque, repito estou ainda irritada com o jeito dele nos últimos tempos então ele que aguente.

- Esther?

Everly me chamou e eu me perguntei se ele já havia me chamado antes e eu não havia escutado.

- Sim.

- Você vai pra Disney com a gente?

- Disney? Não eu acho melhor não.

- Por que? A gente pode ir em um monte de brinquedo!

E esse é o porque.

- Ah eu já estou velha pra isso. – sorri

- Mas eles não ligam pra idade. Eles deixam meu pai entrar.

Eu não pude não rir dele falando, não foi maldade, mas entendendo o que eu disse do jeito que ele entendeu foi engraçado.

- Com isso eu não tenho mais argumento. Eu vou pensar ta bom, ai te falo.

- Ta bom.

- E quando vocês vão?

- Amanhã ou depois, vou perguntar pro meu pai. Perai. – ele foi indo em direção a porta.

- Não, não precisa chamar seu pai não...

Tarde demais!

Antes do Everly sair o Anthony já estava entrando ali. Droga! Era o que eu precisava.

- Pai, quando a gente vai no parque do Mickey?

- Amanhã talvez, depende a hora que a gente acordar. Por que?

Não fala, Everly, não, não...

- A tia Esther perguntou.

Hoje é meu dia, eu deveria me dar os parabéns.

Enfim ele levantou o olhar pra mim.

- Quer ir com a gente? – ele perguntou escondendo o sorriso.

Como falar que nem ferrando pra ele já que falei outra coisa para as crianças.

- O Everly me chamou.  Mas acho que não vai dar.

- Por que? – tentou não mostrar interesse

- Muita coisa pra resolver.

- Hm.

Parece que o assunto morreu ali, melhor eu terminar aqui pra sair logo. Ele não podia ter vindo no horário de sempre. Parece que faz de propósito, igual usar essa camisa jeans, maldito dia que eu elogiei ele com essa camisa.

Olhei pra porta como num reflexo e vi a Clara ali parada, pensei que seria minha salvação, mas não foi bem por ai.

- Que tal um sorvete antes do show?

Eu quase gritei SIIIM, mas era com as crianças que ela estava falando então eles logo saíram correndo não sem antes o Anthony permitir. Por falar nele, agora sim que eu precisava sair dali.

- Achei que você ia sair correndo com eles. – brincou

Olhei pra trás e ele estava sentado no braço do sofá me olhando enquanto falava.

- Vontade não faltou.

- Então tem chances de você ir ao parque com a gente?

- De jeito nenhum.

- Qual é? Você não disse isso pro Everly.

- Você sabe que eu não sei dizer não pra ele e ainda assim eu não disse sim.

- Mas porque não? Não vai só eu e ele, vamos todos nós.

- Não to afim não.

- Aproveita. Você se lembra qual foi a ultima vez que esteve aqui?

Ai que ta. Dei de ombros fazendo como quem não se lembrava. Se eu falar que nunca vim ai que ele não vai me deixar em paz.

- Você era tão nova que não lembra?

- Talvez. Para de me perguntar.

Ele cruzou os braços e ficou me olhando com a cabeça de lado.

- Você já veio a Disney alguma vez? – ele se levantou e começou a me rodear.

- Não – disse rapidamente.

- É sério? Você nunca esteve aqui? Como você cresceu e nunca veio a Disney?

- Qual o problema disso? Eu deveria ter colocado no meu currículo? Agora é lei todos devem ir a Disney?

- Para de exagerar. Mas por que? Quando criança entendo que depende dos pais, mas e depois, nunca teve curiosidade?

- Não.

- Me fala o porque??? – insistiu

- Ain Anthony! Eu fui uma vez lá na California não gostei e não quis mais voltar.

- Como assim não gostou? Que ser não gosta de um parque?

- Os que têm medo.

- Você tem medo? Eu não to ouvindo isso – ele estava ao meu lado.

- Olha, eu sei que é um parque incrível que tem muito pra ver lá dentro, mas eu tenho medo de montanhas russas e brinquedos que viram de ponta cabeça e giram e tudo mais. Fui uma vez e quase morri.

Ele tava se segurando pra não rir.

- Mas porque você não vai só pra andar?

- Por que seria ridículo. Todos indo, até o Everly indo e eu com medo? Pra ficar andando lá eu teria que ir só e qual a graça?

- Vem comigo!

- Você estava procurando a oportunidade né.

- Eu sempre estou. Mas é serio, vem comigo. Eu posso deixar o Everly ir com o Flea.

- Não de jeito nenhum.

- Você não tem cara de quem tem medo de montanha russa.

- Vindo de você ‘senhor eu não julgo antes de conhecer” me impressiona muito.

- Para com isso.

- Já disse que não vou.

- E um dia quando a gente estiver em casa, a gente pode ir na de lá mesmo?

- Para de fazer esses planos. Você largou a fulana lá e fica falando comigo como se nada tivesse acontecido. Você lembra como a gente começou? Contra minha vontade não é? Você resolveu “terminar” e eu achei uma ótima ideia, agora você sabendo da dificuldade que foi porque insiste?  - joguei tudo isso aproveitando para mudar o assunto

- Porque indiferente disso eu quero você de volta. Ao contrario de você eu sempre deixei isso claro.  

- Ao contrario de mim??

- E mesmo você discutindo, brigando e me evitando eu ainda vou ficar aqui.

- Já te adianto que não vai dar em nada.

- Acho que já ouvi isso antes. – ele sorriu – Eu sei as merdas que eu faço, não pense que eu não percebo.  Eu to tentando concertar e mesmo que você diga não, eu só quero continuar sendo 50% do que éramos. Mesmo com as patadas e por causa das patadas eu sempre gostei de ficar com você.

- Esse então é seu jeito de dizer que vai ficar na minha cola?

- Talvez, mas não vou fazer como eu fazia. Só quero um clima bom entre a gente.

Da pra entender? Ele diz que me quer de volta e eu tenho aquele mini ataque do coração e então ele diz que quer minha companhia? Só espero que a parte que ele disse das merdas que faz ele esteja falando da Helena. Melhor eu parar de falar com ele por hoje.

- Tanto faz – dei de ombros – Chega de papo que um de nos aqui trabalha né.

Dei um jeito de sair dali rapidamente, nem pensei que poderia até ter entrado alguém no meio daquela conversa. Sorte que ninguém apareceu. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...