História I Believe You,Boy Kim TaeHyung - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Bts, Depressão, Kim Taehyung, Kpop, Suícidio
Visualizações 27
Palavras 952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Cap 2


Fanfic / Fanfiction I Believe You,Boy Kim TaeHyung - Capítulo 2 - Cap 2

CONTINUAÇÃO...

​Acordei de madrugada estava apenas de sutiã,shorts e uma coberta, a porta do meu quarto estava arrumada, fui ao banheiro e liguei a torneira da banheira e esperei ela encher, depois de alguns minutos tiro a minha roupa e entro na banheira, começo a lembrar dele tocando o meu corpo, eu afundo o meu corpo na banheira até a água cobrir todo o meu corpo.

​Saio da banheira e me seco, escovo os meus dentes e volto para o meu quarto, coloco um pijama, deito na cama e pego o meu celular, começo a mexer no facebook, olho para as fotos das pessoas felizes, garotas e seus namorados, melhores amigos todos sempre sorrindo como se não passassem por momentos difíceis como se a vida fosse maravilhosa, talvez seja para alguns mas para outros a vida não é tão boa como todos querem que seja... Saio do Facebook e guardo o celular, me viro para o outro lado da cama e fecho meus olhos esperando que o sono venha até mim e não demora  muito para ele chegar.

Acordo as 6:00 da manhã levanto e vou para o banheiro tomo uma banho rápido, escovo os meus dentes e volto para o quarto, coloco uma calça legging  uma camisa qualquer e por cima uma blusa da vans e outra blusa xadrez, calço um tênis qualquer pego minha mochila, meu celular e meu fone, faço um coque no cabelo e saio.

Pego uma maçã e saio de casa... Sedo era um dos meus horários favoritos, inclino a cabeça um pouco para cima e sinto a brisa, respiro fundo e solto um sorriso, observo as folhas das árvores acompanharem a brisa, ando sem pressa para chegar na escola queria aproveita aquele momento sozinha pois sabia que não iria ter mas paz pelo resto do dia.

Chego na escola um pouco antes do sinal bate, vou direto para a sala quanto menos eu ficava perto das pessoas melhor eu me sentia, me sento no meu lugar, coloco os fones  e observo os grupinhos de pessoas entrando na sala... Estava tudo bem até entrar o trio de garotas que eu menos gosto, eu não sei porque essas garotas implicam tanto comigo eu nunca fiz nada para elas... Charlotte era a manda chuva as outras duas são como suas escravas ou sei lá... Elas vem em minha direção querer me humilhar como elas sempre fazem só queria saber como elas conseguem ser assim até numa segunda-feira.

Charlotte:​Olha meninas quem esta aqui

Yunna:​O que você que?

Charlotte:​Que você suma

Yunna:​Olha que coincidência eu também quero

​Quando ela ia fala mais alguma coisa o professor entra na sala fazendo com que ela fosse para a o lugar dela e me deixando em paz, as aulas passam rápido... O sinal para o intervalo bate e eu espero todos saírem mas Charlotte vem me perturba novamente, as vezes eu acho que a única coisa que ela sabe fazer é isso.

​Charlotte:​Então isolada vai fica ai?

Yunna:​Se eu for fica aqui ou não o que você tem haver com isso?

Charlotte:Olha o jeito que você fala comigo eu posso ferra com a sua vida em alguns minutos.

​Yunna:Como que você vai ferra algo que já ta ferrado?

​Não do tempo para que ela me respondesse, me levanto e saio de perto dela, essa garota consegue ser insuportável quando que... Vou para quadra e fico sentada na arquibancada, coloco o fone e fico observando as meninas se mostrando para os garotos enquanto eles só davam risada da cara delas... E como se não fosse o suficiente a Charlotte tinha mais o Henrique que era a Charlotte versão masculina.

Henrique:​Dae estranha 

Yunna:Me deixa em paz 

Henrique:​Você quer paz? É só morre

​Yunna:​Você se acha né garoto

Henrique:Eu me acho porque eu posso

Yunna:​Então faz o seguinte vai se acha para aquelas garotas porque elas vão amar

​Quando ele ia fala alguma coisa o sinal bate e eu volto para sala deixando ele sozinho com os amigos dele.

​As aulas começam mas passam rápido e o sinal para ir embora bate, mas eu não queria ir embora não queria ter que olhar na cara do meu padrasto.

​Então como eu tinha dinheiro na mochila eu fui em uma loja e comprei algumas latinhas de spray e fui em um prédio abandonado e fiz alguns desenhos... Voltei para casa tarde, quando eu cheguei em casa o silêncio reinava, aproveitei e fui direto para o meu quarto.

Peguei o meu celular e coloquei em minha play liste favorita até adormecer... Depois de um tempo dormindo acordo com minha mãe me balançando.

Mãe:​Yunna acorda... Vem janta

​Yunna:​Mãe eu preciso conversar com a senhora

​Mãe:​O que foi?

Yunna:Ele abusou de mim ​~Falo muito baixo

​Mãe:Garota fala mais alto

Yunna:​O TEU MARIDO ABUSOU DE MIM ​~Falo com lagrimas nos olhos

Mãe:​Fez mas do que sua obrigação em deixar

Yunna:O que?​ ~Falo para mim mesma

​Ela se levantou da cama e eu não conseguia acreditar no que ela tinha acabado de falar para mim naquele momento ​percebi que estava sozinha, ninguém iria me ajudar eu poderia morrer que ninguém iria ligar a única coisa que eu sentia era que eu simplesmente era uma inútil que não fazia diferença na vida de ninguém.

​Mãe:​Agora para de ser dramática e vem come logo

​Ela sai do meu quarto e eu vou correndo para o banheiro, sento no chão e começo a chorar... Lembro de uma reportagem que eu vi que meninas se cortavam para acabar com a dor sentimental, me levantei e peguei uma lamina que eu tinha no banheiro passei a lamina no braço e percebi que aquilo realmente me ajudou um pouco então adicionei aquilo para a minha vida.

​***Fim do Flashback***



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...