História I brought you lightBut-Draco Malfoy - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Visualizações 132
Palavras 1.343
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Magia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui está mais um. Boa leitura!

Capítulo 2 - Dragão loiro


Quando os jogos acabaram, cada família foi para sua barraca descansar.—exceto Alessa que roía as unhas olhando o relógio a cada segundo—.

            A morena até tentava se distrair com: livros e xadrez de bruxo (o qual ela era campeã); mas sua ansiedade não deixava. Alessa estava muito agitada para ficar quieta em um canto, então, além de roer suas unhas andava de um lado para o outro. A agitação da menina, tirava a concentração de Agatha a qual estava lendo seu livro tranquilamente. Ela até pediria ajuda a Adamns, mas o esposo estava assando doces de todos os tipos  na fogueira para a família. Agatha perdendo a paciência, fechou o livro com força e disse:

—Alessa! Você quer parar de andar de um lado pro outro? Està me deixando nervosa!—pediu a mãe. Mas alessa não ouviu,  estava  concentrada nos sussurros que ela falava para sí mesma. Agatha largou o livro na cama, indo até o ouvido de sua filha e então gritou:—ALESSA —fazendo a menina dar um gritinho.

—desnecessário gritar no meu ouvido mãe, eu to do seu lado—disse limpando os ouvidos.

—Desculpa mas você não me escuta—Alessa revirou os olhos. A morena sentou no chão, fazendo um desenho invisível com seus dedos no mesmo. —Filha, o que tanto está te incomodando? É hogwarts?—a menina apenas balançou a cabeça positivamente. Agatha então sentou-se do lado da menina, pondo a mão em seu ombro. Antes que Agatha perguntasse os motivos, Alessa já havia desabafado coisas do tipo:

—mâe, eu to com medo! Em que casa irei? Será que vou gostar? Será que as pessoas vão gostar de mim?—Alessa fazia perguntas uma atráz da outra, impedindo que sua mãe as respondessem. Quando finalmente a menina se acalmou, a mãe começou a dizer que tudo iria dar certo, consolava a menina que tremia de ansiedade. Agatha começara a passar as mãos no cabelo de Alessa, em um carinho leve e bom. Tão bom que, a morena adormeceu.

 

:Alessa:

Acordei com uns gritos da mamãe, dizendo que estávamos 1minuto atrasados. É difícil de acreditar, mas sim, ela se desesperou por causa de 1minuto. Saímos o mais rápido possível, ou seja, aparatamos para chegar na estação King's Cross.

 

Ao chegarmos  na mesma, passamos pela parede mágica, a qual deu acesso a  plataforma 9 ¾. Abri a boca surpresa, ao ver o tamanho do trem e ao ver a quantidade de pessoas. Todos ali, estavam com os seus uniformes de hogwarts, ou seja, eu era a única sem o uniforme.

 —Calma Alessa, eles vão gostar de você, é só você ser amigável e gentil com todos —eu repetia isso diversas vezes para mim mesma.

—Alessa, da pra parar de falar sozinha?! Ta todo mundo olhando—sussurrou meu pai em meu ouvido. Ótimo, agora já devem me achar louca, que dia "maravilhoso" —pensei —.

           Quando o trem finalmente abriu suas portas, todos se despediram de seus pais, pegando suas malas e entrando. Abraçei meus pais muito apertado. E então, começou as regras:

—Ve se você se comporte, nada de faltar em aulas ou arrumar brigas—disse minha mãe. Revirei os olhos.

—E nada de namoradinhos!—disse meu pai, torcendo seu nariz grande e fino.

—Eu amo vocês—disse por fim.

—te amamos, não esquece de nos mandar uma coruja!—falou mamãe, apertando-me.

—Sim, te amamos muito, você é nossa garotinha ainda—disse papai, dando-me um beijo na testa

—Pai!!—repreendi, pois odeio que me chamam de garotinha. Adamns apenas abriu um sorriso. 

     Peguei minhas malas acenando para os meus pais. Ao entrar no trem, procurei uma cabine vazia, mas antes que eu encontrasse, o trem começou a andar. Rápidamente fui a janela, acenando.para os meus pais até os perderem de vista.

—Eu...amo vocês—sussurrei para mim mesma. Nem percebi que, eu estava em uma cabine ocupada por uma garota, que me olhava com um olhar de "menina louca". 

—Olá—disse e sai correndo dali. Quando me toquei do que fiz—no caso assustei a menina—fiquei rindo sozinha. 

       Depois de tanto andar,andar e andar, finalmente encontro uma cabine vazia no fundo do trem, era lá que eu iria me sentar. Bem...pelo menos eu achava que estava vazia, havia lá uma garota lendo um livro, que me olhou assustada. Ela era, digamos que albina. Cabelos brancos e seus olhos eram violetas.

—Oh, desculpe eu não sabia que... —começei, mas ela me interrompeu.

—Tudo bem, senta ai—abri um sorriso e sentei de frente para ela. Peguei Serena no colo—minha gata — e fiquei a acariciando, ficamos assim uns belos e longos minutos, quando a garota diz:

—Então.,, —começou—Você é nova por aqui? —Perguntou fechando o seu livro,

—Sim, e você?—era óbivio que ela não era nova, estava com uniforme. Ah, mas eu queria puxar assunto!. Ela riu e disse:

—Bem, suponho que você já saiba a resposta mas responderei mesmo assim—disse—estudo aqui desde  os meus dez anos.

—de que casa você é?—perguntei.

—Sonserina—disse sorrindo de lado—oh, que falta de educação eu sou Rose, Rose Mazon—disse estendendo-me a mão, a qual apertei.

—sou Alessa, Alessa Ivanov Makarov—Julie arregalou os olhos, sinceramente, não entendi—o que foi?

—Você é da Rússia?—perguntou desconfiada.

—Sim—falei sem ao menos entender nada.

—puro sangue?—perguntou.

—Bem—pigarreei—meus pais adotivos são puro-sangue, os meus pais biológicos nunca os conheci.

—fica em paz—sorrio—mesmo adotada, isso te faz um puro-sangue agora—falou. Pude apenas, sorrir.

        As horas passaram voando, pois eu e Rose conversamos muito, mas ela dormiu. Eu até dormiria, mas eu estava morrendo de fome!. Eu soube pelas minhas amigas que estudaram em hogwarts que no trem, passava uma moça vendendo doces, então, fui procura-lá. Andei por aquele trem e vi um rosto que eu não queria ver, era aquele loiro na minha frente! Só que com dois capangas ao seu lado.

—Vai a algum lugar?—perguntou o loiro idiota.

—Vou comprar doces, agora, se me derem licença...—tentei passar, mas o loiro filho da mãe empurrou-me de leve para tráz.

—Não —falou. Dei uma gargalhada raivosa.

—Não?—gargalhei mais.

—Não antes de eu me vingar do que fez comigo—revirei os olhos.

—você já se vingou, me empurrando também querido! —falei já irritada.

—pelo tapa garota—disse chegando mais perto.—eu até teria te esquecido, mas ao ver você no expresso para hogwarts me deu uma sede de vingança. Torça para não cair em sonserina, pois farei tua vida um inferno—eu dei um chute em suas partes intímas, o que o fez se ajoelhar. Os capangas dele não vieram atráz de mim, por sorte, ficaram ajudando aquele idiota. Bom, tirando isso minha viagem foi tranquila, comprei meus doces—com os galeõs que peguei na bolsa da minha mãe—e voltei para a cabine de Rose, que ainda dormia.

         Quando o trem finalmente parou, todos saímos do mesmo, ficando em filas. O "dono" da fila, era um homem gorducho com barbas crespas e enormes, assim como os teus cabelo. Ele se apresentou como Hagrid, o guarda-caças de hogwarts. Enfim, o seguimos até o salão principal—que eu não pude entrar pelo fato de não ter nenhuma casa—fiquei apenas escorada na porta, ao lado de Hagrid. Lá na frente, tinha uma cadeira com um chápeu meio velho em cima, suponho que seja para...ta,não sei. Ali na frente um velho barbudo—e põe barbudo nisso—começou a dar recados e avisos. Mas eu não esperava que o último aviso, seria meu nome completo!. 

    Fui lá na frente devagar, sentindo o olhar de todos sobre mim. Minhas pernas estavam trêmulas e bambas, parecia que eu ia cair!. Mas toda a ansiedade foi embora quando me sentei e, colocaram o chapéu em minha cabeça, o mesmo começou...a falar!!!!!!.

—Hummm, olha o que temos aqui—o chapéu disse feliz. Não sei como, mas quando ele parou de ler minha "personalidade, apenas falou: —SONSERINA! 

 

Me levantei vendo todos de sonserina me aplaudirem. O lado bom é que, ficarei com Rose. O ruim? Bom, vou ficar na casa do...DRAGÃO LOIRO.

 

Continua?

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...