História I Can Be The One Tonight - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais, V
Tags Drama, Jikook, Jimin, Jungkook
Visualizações 172
Palavras 1.456
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei kkkkk
boa leitura ♥

Capítulo 7 - You Can Stay With Me


O que você quer dizer com ‘foi expulso de casa’? E é claro que você tem chances, porque você tem a mim e eu não vou desistir de você.”

Por que você se preocupa tanto comigo? Eu não mereço nada disso...” – O moreno disse ainda chorando.

Vem aqui para a minha casa agora, Jungkook. Por favor. Você sabe onde eu moro, sabe até como entrar no meu quarto. Vou ficar te esperando e não aceito um não como resposta.”

Jimin desligou o telefone antes que Jungkook pudesse protestar ou fazer qualquer outra coisa. O moreno se sentiu ainda mais perdido. Por que Jimin precisava ser aquele doce de pessoa e por que Jungkook estava tão tentado a aceitar sua proposta? Ele não podia ir para a casa de Jimin naquela hora da noite. Não podia.

Mas era justamente isso que ele já estava fazendo, andando com seu casaco amarrado na cintura, sua mochila nas costas e um cigarro entre os lábios. Ele sabia que não era o certo a se fazer, sabia que não devia ir para a casa de Jimin, sabia que devia simplesmente se afastar, mas era tudo tão impossível. Ele não conseguia apenas ignorar a existência do ruivo e seguir sua vida desse jeito.

Ele chegou na casa de Jimin após bons minutos caminhando. Entrou direto na parte de trás e subiu na árvore para poder entrar pela janela do quarto do ruivo.

Entrou e viu Jimin sentado na beirada da cama. Quando o viu, Jimin abriu um sorriso para ele, que sentiu-se como uma criança cheia de medos sendo obrigada a encarar seus traumas. Se sentiu mais sozinho do que nunca, ainda mais destruído e desolado do que normalmente sentia.

Sentiu-se se acabar em lágrimas ao ser abraçado por Jimin e ser levado até a cama. O ruivo o abraçava delicadamente, o apertava de maneira protetora e carinhosa e o passava uma segurança e tranquilidade como nenhuma outra pessoa conseguia fazer.

- Fica calmo, estou aqui com você. – Jimin o abraçou ainda mais forte, fazendo ele se escorar em seu peito.

- Eu não mereço você, não mereço sua amizade, não mereço nada disso. Não mereço nem viver. Meu irmão está certo, eu compro minha própria morte. Eu me odeio.

- Para, Jungkook, para com isso. Isso só vai fazer você ficar pior. – Jimin levantou da cama e pegou a mochila de Jungkook a colocando na cadeira de sua escrivaninha.

Voltou até Jungkook, se abaixou e tirou os calçados do moreno, que o olhava sem entender nada do que estava acontecendo.

- O que você está fazendo?

- Tira o seu casaco. – Pediu Jimin, o olhando com um pequeno sorriso.

- Vai abusar de mim agora? – Jungkook fez piada, mas Jimin ficou sério.

- Vai dizer que você não quer isso? – Jimin fez cara de safado, levando Jungkook a arregalar os olhos. – Eu estou brincando. Só quero que tire o casaco para deitar mais confortável.

- Obrigado...

Jimin apenas sorriu e arrumou Jungkook na cama, deitando ao seu lado em seguida, logo puxando as cobertas para cima deles.

O moreno custou a dormir, ainda chorou por um bom tempo e Jimin ficou praticamente a noite inteira acordado, apenas afagando os cabelos de Jungkook e o abraçando forte, tentando pelo menos lhe passar um pouco de conforto e segurança.

Na manhã seguinte, Jimin levantou bem cedo e encontrou seu pai já tomando café da manhã. Respirou fundo, pensando em como chegaria em seu pai para dizer que tinha um garoto em sua cama e chegar dizendo “pai, tem um garoto de dezoito anos deitado na minha cama e eu dormi junto com ele, porque ele foi expulso de casa e ele entrou aqui na calada da noite pela minha janela” parecia não ser a melhor ideia.

- Bom dia, pai. Dormiu bem? – Jimin foi até a cafeteira para passar um café e nem olhou para seu pai.

- Dormi sim e você filho? O que você quer? Está estranho...

- Não há como dizer isso de outra forma, então... – Jimin sentou de frente para seu pai e respirou fundo novamente. – Meu amigo Jungkook está nesse momento dormindo na minha cama...

- E por que tem um garoto na sua cama? – Chin perguntou tentando manter a calma.

- Não interpreta isso errado, pai. Não é nada do que você está pensando. Olha, ele passou por uns problemas com o irmão dele e foi expulso de casa. Ele não tem para onde ir... ele não estava nada bem quando chegou aqui... – Jimin disse um pouco triste.

- Tudo bem, ele pode ficar aqui, então. Mas vocês não vão dormir na mesma cama de novo, entendido? – Jimin pulou para cima de seu pai e o encheu de beijos e abraços.

- Obrigado, paizinho. Você é o melhor.

Jimin saiu correndo dali e subiu as escadas, encontrando Jungkook todo enrolado nas cobertas, coçando os olhos e bocejando. Ele achou tão adorável ver o moreno acordar... sentiu seu coração palpitar e seu estômago ser invadido por borboletas e mais borboletas.

Droga, Taehyung estava completamente certo. Ele estava perdidamente apaixonado e estava deixando isso transparecer em todas as suas ações. Era difícil manter para si mesmo.

- Bom dia. – Jimin se aproximou da cama e Jungkook o puxou para cima dele.

- Que ótima maneira de acordar. – Jungkook roubou um beijo de Jimin, que sorriu. – Obrigado por ter cuidado de mim nessa noite.

- Meu pai disse que você pode ficar aqui com a gente. Tem um quarto sobrando, você pode ocupar ele. – Jimin disse sorridente, mas Jungkook não possuía a mesma alegria.

- Não posso aceitar, Jimin, me desculpa. Eu bem que queria, mas não é tão simples assim. Nada é tão simples quanto parece... é como se eu fosse um monstro pronto para estragar tudo na minha volta e transformasse tudo que eu toco em algo ruim. Não quero fazer isso com você. – Jungkook sentou na cama, ao lado de Jimin.

- É um risco que vale a pena, Jungkook. Eu já disse que quero te ajudar.

- Não posso aceitar. Meu lugar é na rua, preciso me virar sozinho.

- Você vai acabar se matando na rua, Jungkook. É perigoso demais. – Jungkook levantou e ficou encarando Jimin, rindo fraco em seguida.

- Eu sou perigoso, Jimin, principalmente perto de você. – Jimin também levantou e ficou na frente de Jungkook, com um olhar triste.

- Não entendo o motivo de tudo isso. Você age como se eu fosse uma flor delicada que você não pode nem tocar para que não se despedace.

- Mas é dessa maneira que eu preciso ver, porque se eu não ver desse jeito eu vou deixar que uma coisa leve a outra e eu vou tirar até a pureza que você não tem. – Confessou o moreno, se aproximando do ruivo e o puxando pela cintura. – Se você abrir uma brecha, você vai acabar se arrependendo, porque você sabe bem o que eu quero... e sabe também que não posso te dar nada além disso. Sei que não é isso o que você quer.

- Isso o que?

- Viu como você é ingênuo, Jimin? – Perguntou Jungkook, soltando o ruivo.

- Certeza? – Jimin empurrou Jungkook contra a parede, foi para cima dele e o beijou com vontade e desejo.

- Você não pode fazer isso. – Falou o moreno, se afastando bruscamente do Jimin. – Jimin, eu quero você, ok? Eu realmente quero, mas eu não sou aquele cara que vai te dar presentes, te levar para jantar fora, muito menos serei o cara certo para você apresentar para o seu pai. Eu sou aquele que só vai te fazer sofrer e ainda vai quebrar o seu coração. Eu não sirvo para entrar em um relacionamento e por mais que eu te queira, não posso fazer isso com você.

- Então você se preocupa comigo... – Jimin disse baixo e Jungkook assentiu.

- Pensei que estivesse bem óbvio isso.

- Isso significa que você gosta de mim.

- Gosto, mas não posso fazer isso. Eu não sirvo para fazer as pessoas felizes, eu só sirvo para estragar tudo e todos. Eu só quero uma coisa e quando eu conseguir, você vai lembrar de mim como aquele para quem você deu algo extremamente importante e que depois disso te abandonou. Eu vou embora...

Jungkook amarrou de volta seu casaco na cintura, calçou seus tênis e pegou sua mochila, saindo do quarto de Jimin e descendo as escadas, com o ruivo vindo atrás dele. Quando ele parou na porta, Jimin o puxou para um abraço e sussurrou em seu ouvido:

- Você pode até ir embora, mas saiba que sempre poderá voltar. E não diga que não serve para fazer as pessoas felizes, porque você me faz feliz...


Notas Finais


Ai kkkkk
Espero que tenham gostado ♥ Até o próximo ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...