História I can not take it anymore (Imagine Chanyeol) - Capítulo 24


Escrita por: e P_D_X

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, EXO, Got7, Huang Zitao "Z.Tao", Kris Wu, Lee Sunmi, Lu Han, Wanna One
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, G-Dragon, Guanlin, Huang Zitao "Z.Tao", Jackson, JB, Kai, Kim Taehyung (V), Kris Wu, Lay, Lee Sunmi, Lu Han, Min Yoongi (Suga), Personagens Originais, Sehun, Suho, T.O.P, Xiumin
Tags Exo
Visualizações 461
Palavras 2.738
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 24 - Em quem devo confiar? ( 20 mil? )


Fanfic / Fanfiction I can not take it anymore (Imagine Chanyeol) - Capítulo 24 - Em quem devo confiar? ( 20 mil? )


Fazia dois dias que eu estava no hospital, não poderia sair para lugar algo, minha pressão não ficava normal de nenhuma forma. Sempre que a médica dizia que eu poderia sair, minha pressão caia novamente. Estou tomando remédios, me alimentando ainda melhor, e mesmo assim não consigo ficar boa.

Eu já estava irritada, não aguentava mais ficar naquele quarto. Era um tédio, e quase nunca tinha alguém para ficar comigo, apenas a infermeira que vinha me olhar de vez em quando.

-Olá S/n! -Fui despertada dos meus pensamentos pela voz da enfermeira, que não era tão jovem. -Como está se sentindo? -Ela sentou ao meu lado, sorrindo.

-Melhor do que ontem eu diria, me sinto menos cansada... mas ainda não me sinto totalmente bem, me sinto meio tonta... -Falei um pouco triste, queria ir para casa.

-Olhei para o chão, por favor. -Olhei e senti minha cabeça girar, senti meu corpo pesar para a frente, mas a enfermeira me segurou e me colocou de volta na cama. -Sua pressão ainda está baixa... -Ela suspirou. -Sabe, os médicos dizem não saber exatamente o que você tem, já que isso pode estar acontecendo por vários motivos, mas...

-Mas...?

-Mas eu tenho um palpite. A saudade pode causar danos a saúde, e reuniões agora que esse é o seu problema! Tem saudades de alguém, não tem? -Ela me olhou.

-Bom, acho que não dá pra esconder não é mesmo... eu estou aqui há muito tempo, para se mais exata, dois anos e oito meses, e no meu primeiro mês aqui minha família cortou contato comigo... -Olhei para a janela do quarto e segurei minhas lágrimas.

-Você acha mesmo que eles cortaram contato com você? -Ela segurou minha mão.

-Ao que tudo indica sim, mas minha família não é do tipo que faz isso, eu passei todo esse tempo mandando cartas, já que não posso me comunicar com eles por aplicativos de mensagens e-

-Você não pode?! -Ela me interrompeu.

-Não... quando assinei meu contrato na agência eu permiti que eles controlasse o meu uso das redes sociais, então todo mês a Sara olha meu celular para ter certeza de que eu não estou fazendo nada de errado.

-Isso está estranho, é só a sua família afinal! -Ela segurou meu rosto e me deu um beijo na testa. -É melhor investigar essa história direito querida! Eu vou te contar um segredo. -Ela me olhou nos olhos. -As vezes até a criança com a aparência mais doce e angelical é capaz de cometer barbaridades para conseguir o que quer! -Ela se afastou e foi até a porta. -Tenha cuidado com as pessoas a sua volta. -Falou e saiu do quarto.

-O que será que ela estava querendo dizer com isso ?


(...)


Fazia horas que eu estava no meu quarto, ainda pensando sobre o que a enfermeira tinha me dito. E só depois de muito pensar cheguei a uma conclusão.

-Ela estava me falando para tomar cuidado com as pessoas há minha volta, pois mesmo que elas sejam sempre legais comigo, eu posso não conhecer elas de verdade! -Falei e sorrindo por ter conseguido entender. -Como eu demorei tanto tempo para entender isso? Acho que a pressão baixa está interferindo nos meus pensamentos. -Peguei meu celular e liguei para JB.


* Ligação on *

JB: Oi S/n! Tudo bem?

S/n: Oi JB! Estou bem, e você?

JB: Também estou bem, aconteceu alguma coisa?

S/n: Bom, eu queria te perguntar uma coisa.

JB: Pode perguntar!

S/n: O que você acha sobre minha família parar de se comunicar comigo?

JB: Eu acho isso muito estranho, acho que algo deve ter acontecido, pelo que você fala da sua família eu acho que eles não fariam tão coisa.  Você não fala muito deles, mas pelo que fala, é isso que eu acho!

S/n: E se eu, por acaso, deixasse meus compromissos aqui para ir até eles, o que você pensaria?

JB: Que você tem total direito de fazer isso! Do mesmo jeito que eu tenho total direito de ir com você para te ajudar a resolver essa situação!

S/n: Obrigada!

JB: Mas, por que a pergunta?

S/n: Nada em especial! Agora eu preciso desligar, tenho que descansar.

JB: Tudo bem então, se precisar de mim vou estar aqui! Tchau!

S/n: Tchau!


* Ligação off *

-Eu não quero desconfiar do JB, a resposta dele foi muito boa, não acho que ele faria algo assim tão ruim, mas tenho que tomar cuidado! -Falei e liguei para a outra pessoa com quem precisava falar.



* Ligação on *


Sara: Oi S/n! Aconteceu alguma coisa?

S/n: Oi Sara, preciso te perguntar uma coisa!

Sara: O que?

S/n: O que você acha sobre minha família parar de se comunicar comigo?

Sara: Mesmo que você não fale muito sobre eles, eu acho que isso foi extremamente idiota da parte deles! Não consigo entender como eles tiveram a coragem de fazer isso.

S/n: Hum, entendo. E se eu, por acaso, deixasse meus compromissos aqui para ir até eles, o que você pensaria?

Sara: Que isso é uma grande perda de tempo! Eles pararam de falar com você! Te deixaram sozinha aqui, e você ainda vai perder tudo que conquistou para ir até eles?! Desculpa falar desse jeito, mas seria muita idiotice deixar sua carreira de modelo aqui por eles.

S/n: Seria idiotice deixar a minha carreira de modelo...? De todas as coisas que eu consegui aqui, essa é a mais importante?

Sara: Claro que é! Não é?!

S/n: Hum. Preciso desligar agora, vou descansar.

Sara: Tudo bem! Tchau!

S/n: Tchau.

* Ligação off *


-Não me diga que logo você faria algo de ruim para mim, Sara? -Falei em voz alto, me ajuda a pensar.

[ Três dias depois ]

Já tinha recebido alta do hospital, e estava voltando para a universidade, porque infelizmente minhas férias haviam acabado.

Entrei no quarto e tive um pequeno susto, pois não havia nada da Alison nele, nas minha fixa logo caiu. Alison tinha se formado pouco antes da minha viagem para Nova York. Agora eu estava mesmo sozinha na universidade.

Analisei o quarto por alguns segundos, respirei fundo e comecei a arrumar minhas coisas. Pela primeira vez eu consegui colocar todas as minhas roupas no armário, e agora eu também tenho espaço para ter meu vaso com flores para poder cuidar, mas eu estava triste, porque eu estava mesmo sozinha, estou sozinha com as primas de Alison, e não tenho um pressentimento bom quanto a isso.

Estava colocando as roupas nos cabides quando um deles caiu para baixo da cama. Me abaixei, estiquei meu braço e o peguei, coloquei em cima da cama e voltei a olhar para baixo, pois tinha visto algo estranho lá. Era uma caixa vermelha, não era muito grande, era bonita, me lembrava a Alison. Peguei a caixa, sentei no chão, a coloquei em minha frente e a abri.

Tinha algumas fotos nossas, pude perceber o quanto eu mudei, pelo menos foi para melhor. Tinha algumas coisas que lembravam nossos momentos juntas, como a foto do recorde dela num jogo de corrida, ela ficou em último. Tinha também uma foto nossa no karaoke, nesse dia cantamos várias músicas e nos divertimos bastante, mas eu tive que sair na metade por causa de uma sessão se fotos.

Mas o que mais me supreendeu na caixa foi que, tinha uma foto minha com o Chanyeol, atrás da foto estava escrito: "Eu não sei exatamente quem é esse homem, mas acho que você gosta muito dele, deveria ir até ele, não acha?".

-Sim, eu vou até ele Ali! -Falei limpando as lágrimas que desciam em meu rosto. Peguei um vestido que tinha na caixa (foto de capa) e no fundo da caixa , tinha um bilhete escrito: " Feliz aniversário S/n, você faz o que parecia ser uma eternidade passar mais rápido. Você é uma amiga maravilhosa, e eu agradeço por ter você em minha vida! 나는 너를 사랑해 (Eu te amo). -Ela até escreveu em coreano, idiota! -Falei sorrindo, enquanto as lágrimas escorriam sobre meu rosto. 

Guardei tudo de volta na caixa, e voltei a arrumar minhas coisas. Amanhã será  dia difícil, pois tenho que começar a me alimentar melhor, mas também estou cheia de coisas para fazer, e quanto mais coisas eu tenho para fazer no dia, menos eu como.

-Vai ser difícil para você, S/n! -Falei me olhando no espelho. -Mas você vai conseguir!

Deitei na cama e fui dormir, pois eram duas da manhã.


* Chanyeol Pov *


-Chanyeol! Aonde você está? -Ouvi Sook chamando meu nome no andar de baixo. Escondi tudo dentro do armário e desci para a sala.

-Oi Sook! O que faz aqui a essa hora?! -Peguntei tentando disfarçar meu nervosismo.

-A essa hora?! Nem é tão tarde assim, são sete horas! E o que me trás aqui é, sou portadora de boas noticias! -Ela falava animada.

-E o que é? -Falei sentando no sofá, Sook continuou de pé.

-Meu pai irá viajar por dois dias, nesse meio tempo podemos descobrir porquê ele quer tanto nosso casamento, e até mesmo descobrir um jeito de acabar com isso de uma vez! -Sook falou e senti uma euforia dentro de mim, senti minha esperança aumenta. Respirei fundo enquanto fechado os olhos. A imagem do sorriso da S/n veio em minha cabeça me fazendo sorrir. "Vamos nos ver logo meu amor! ".

-Quando ele vai viajar? -Perguntei e ela olhou o celular.

-O vôo dele deve ter saído aos dez minutos! -Ela falou.

-Maravilha! -Falei e meu celular tocou.


* Ligação on *

Chanyeol: Alô?

Xxx: Olá Sr. Park, sou a secretária do Sr. Hwang, Hye.

Chanyeol: Ah, olá Hye! Aconteceu alguma coisa?

Hye: O senhor Hwang ficará fora por dois dias, e quer que você fique no lugar dele. Então amanhã quando vier trabalhar venha para a sala da presidência.

Chanyeol: Tudo bem, obrigado por avisar.

Hye: Por nada, tenha uma boa noite.

Chanyeol: Você também.


* Ligação off *


-O que a Hye queria?

-Me avisar que eu irei ficar no lugar do seu pai nesses dias que ele não vai está. -Falei ligando a televisão.

-Isso é ótimo! Você terá livre acesso a tudo naquela sala! Provavelmente a algo escondido lá! -Sook falou ainda mais animada.

-Tem razão! Podemos terminar de resolver isso amanhã? Eu estou muito ocupado agora, tenho coisas importantes para fazer! -Falei empurrando Sook até a entrada.

-Tá, tudo bem, não precisa me empurrar, eu sei andar! Também sei porque está assim! Hoje aniversário da S/n, eu entendo que queira ficar sozinho. -Sook andou até seu carro e acenou para mim antes de entrar no carro, que foi em direção a casa do Jackson.

-Ela tem muita coragem! Coragem essa que eu também deveria ter. -Falei para mim mesmo fechando a porta e subindo novamente para meu quarto.

Peguei as coisas que havia escondido no armário e as coloquei em cima da cama. Eram várias fotos, varias cartas e bilhetes, vários presentes, todos que a S/n já tinha me dado.

Eu estava colando todas as fotos em um quadro para que formassem um coração, muito brega? Sim, mas eu quero guarda todas essas coisas com carinho. As cartas eu coloquei em uma caixa, em cima do meu armário, e os presentes coloquei em uma parte do armário que eu havia preparado para eles. Quando terminei o quadro, o coloquei na parede, atrás da cortina.

Depois de quase uma hora eu finamente tinha terminado. Rever todas as coisas que a S/n já havia me dado era muito bom, mas era também doloroso, esse é o terceiro aniversário dela desde que está longe de casa, e o que me deixa ainda mais triste é que, ela pode estar passando essa data sozinha, uma data que. comemoramos juntos por quase oito anos.


[ Dois dias depois ]


-Então! O que descobriu nesse tempo? -Sook perguntava enquanto eu sentava no sofá, ao lado dela.

-Nada, não consegui descobrir nada! -Falei bagunçando os cabelos nervoso. -Como é possível que não tenha nada sobre o porquê do nosso casamento! Eu sei que você pode ficar triste com isso, mas eu odeio seu pai!

-Eu também o odeio!


* S/n Pov *


Sábado, dia em que eu posso sair da universidade, e para onde eu fui? Para o hotel que fiquei hospedada quando estava com meus irmãos e meu pai. A saudade deles estava me consumindo cada dia mais, era cada dia mais difícil levantar da cama e saber que eu não iria escutar a voz deles, que eu não poderia ver o sorriso deles.

Eu não estava aguentando mais, estava decidida, quando eu tiver férias novamente irei até eles. Mas enquanto elas não vêm,  eu vou continuar com essa tortura.

-S/n, o que está fazendo?

-Comendo chocolate, não está vendo? -Falei com certa ignorância, não estava afim de ouvir as reclamações de Sara.

-Você não pode! -Ela falou pegando o chocolate da minha mão.

-Posso sim! Você não é minha mãe para mandar em mim! Eu sou adulta, posso fazer minhas próprias escolhas, e eu escolho comer chocolate Sara Williams! -Falei e peguei o chocolate, voltando a comer. Sara me olhava perplexa, era a primeira vez que eu falava dessa forma com ela.

-O que aconteceu com você?! -Ela perguntou e eu apenas ignorei, voltando a assisti meu filme. -Você está tão diferente... -Ela falou e saiu.

-Eu só parei de agir como você gosta. -Falei assim que a porta foi fechada.


[ Cinco meses ]


-S/n, sua maquete está extremamente boa! Vai receber nota máxima! Mas não era de se esperar menos de uma aluna como você! Parabéns! -Meu professor elogiava meu trabalho, e eu apenas sorrir em forma de agradecimento.

Há a dois meses meu professor passou um trabalho. Deveríamos, individualmente ou em grupo, fazer algo relacionado a engenharia civil. Eu fiz a maquete de um prédio, que eu mesma criei, é um modelo de engenharia moderna, ou seja, ele era um pouco complexo. Eu dei duro nele esse tempo todo, tanto que praticamente me isolei no quarto para poder terminar a tempo.

-Você que fez isso? -Um homem alto de pele escura, que parecia ter mais ou menos trinta e cinco anos, me perguntou enquanto analisava meu projeto com atenção.

-Sim, eu que o fiz!

-Com quem? -Ele perguntou sem tirar os olhos da maquete.

-Sozinha.

-Você fez tudo isso sozinha?! -Ele perguntou agora me olhando espantado, eu apenas assenti. -Seu professor me disse que você disse a ele que iria fazer plantas de como o projeto deve ser feito, caso fosse em tamanho real, você fez a planta?

-Sim! Está aqui em algum lugar! -Falei ficando de costas para o homem, para poder procurar a planta em minha mochila. -Achei! -Falei e peguei os papéis, o colocando em frente ao homem, que parecia encantado com tudo aquilo.

-Isso é incrível! Quantos anos você tem?! -Ele perguntou me olhando, olhar esse que transmitia esperança.

-Tenho dezoito! -Falei e ele sorriu.

-Eu estou impressionado! Você é tão nova, mas já conseguiu fazer algo que muitos engenheiros formados não conseguem! Eu quero comprar seu projeto!

-Como?! -Perguntei surpresa, eu tentava conter o sorriso em meu rosto, mas era quase impossível, eu estava muito feliz.

-Eu sou de uma empresa, nós fazemos construções por todo o país, e eu quero comprar o seu projeto para construí-lo! -Ele falou sorridente. -Eu sei que só falando assim será um pouco difícil de acreditar, então vou chamar seu professor. -O homem foi até o outro lado da sala e pegou meu professor pelo braço, o levando até minha bancada.

-Por que me trouxe aqui? Eu já vi o  projeto da S/n! -Meu professor falou, para o homem que ainda estava sorrindo.

-Eu quero comprar o projeto dela, mas ela está em dúvida! -Ele falou e meu professor me olhou surpreso e muito feliz.

-S/n! Você tem que aceitar! Isso vai ser muito bom para sua carreira na área da engenharia! Você vai ganhar muito mais reconhecimento quando começar a trabalhar de verdade! Você precisa aceitar! Pode confiar nele, nós somos amigos a muito tempo, quase dez anos! S/n, por favor aceite! -Meu professor falou, segurando minhas mãos. Ele estava nervoso, com certeza estava com medo que eu não aceitasse.

-Antes disso eu preciso saber o preço. -Falei tentando não surtar junto ao meu professor.

-Podemos fazer em torno de vinte mil dólares!

" Meu Deus! Eu nunca imaginei que isso iria acontecer na minha vida! Eu acho que vou desmaiar! "


Notas Finais


Oiie Dreams! Tudo bom?! Desculpa a demora, eu estou doente, e isso dificulta a minha criatividade.
Estão, gostaram do capítulo?! Espero que sim! Desculpem qualquer erro! E até o próximo capítulo!
Se cuidem! ❤❤❤😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...