História I can't love you... - Capítulo 56


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Lila Rossi (Volpina), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Sabrina
Tags Drama, Romance
Visualizações 361
Palavras 2.280
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


⚠AVISO IMPORTANTE⚠: EU NÃO ME RESPOSABILIZO PELOS DANOS QUE ESSE CAPÍTULO PODE CAUSAR EM VOCÊ QUANDO FOR LER.

OBRIGADA PELA ATENÇÃO AGORA:

Boa Leitura 📖

Capítulo 56 - Capítulo 56


Fanfic / Fanfiction I can't love you... - Capítulo 56 - Capítulo 56


               P.O.V. Adrien 


Momentos antes...


 Acabei pegando no sono com meus filhos, enquanto assistia aqueles desenhos com eles.


 Despertei com alguém tocando em meu ombro e assim que olhei, vi que era Chloé.


 — Oi...vem jantar — Sussurrou Olhei pra o lado oposto que minha irmã estava, vi meus dois anjinhos dormindo tranquilos. 


— Acho que só acordam amanhã — Sussurrei me levantando. 


Chloé assentiu sorrindo.


 Cobri os dois novamente e sai do quarto acompanhado de Chloé.


 Fui até a sala de jantar e minha mãe, meu pai e Nathnael estavam já sentados.


 Chloé caminhou até a mesa e sentou ao lado de Nathanael. 


 Sentei em frente ao lado da minha mãe, enquanto meu pai estava na ponta da mesa. 


— Os meninos estão dormindo? — Minha mãe perguntou com a voz tranquila. 


Assenti 


— Eles, assim como eu... Pegaram no sono — ri.


 Todos riram e depois começamos a nos servir. 


                ¤¤¤¤¤¤¤¤


— Será que Marinette não vem buscar Emma? — Minha mãe perguntou olhando pra o relógio. 


Suspirei. 


— Hoje não é dia de Emma... Acho que aconteceu alguma coisa — Cocei minha nuca. 


— Ela não te avisou? — Meu pai Perguntou com a testa franzida.


— Não... Vou olhar se ela deixou alguma coisa no meu celular que deve está lá em cima — Apontei pra escada. 


Meus pais assentiram eu eu me afastei, subindo a escada e indo direto pra o quarto de hóspedes. 


Entrei no quarto com cuidado pra não fazer barulho e acordar nenhum dos dois.


 Peguei o celular em cima do criado mudo e sai novamente do quarto. 


Desbloqueei a tela e fui direto pra conversa com ela, ignorando as mensagens de Gigi. 


Whatsapp On


Mari: Adrien, está aí? Adrien... Me responda Ok, não irei pegar a Emma hoje, 


mais tarde irei comemorar com Alya e Nino em uma balada 


Cuida da Emma por mim :-* 


              Whattsapp Off 


Como assim Marinette foi pra uma balada? Minhas carnes tremeram na mesma hora, só de pensar na possibilidade de ela está em um ambiente como esse. 


 Não... Ela não podia.


 Rapidamente disquei o número de Nino, que atendeu depois do quarto toque. 


                   Ligação On 


— Alô... Oi Adrien - O barulho de música alta no fundo, era insuportável. 


— Em qual balada vocês tão? — Perguntei direto. 


— Fala um pouco mais alto... Não tá dando pra te ouvir 


— QUAL A PORRA DA BALADA QUE VOCÊS ESTÃO? — Gritei irritado. 


Ouvi um suspiro e logo Nino me passou qual era a balada. 


 Pra eles terem ido mesmo a essa balada, isso só pode ter sido idéia dele. 


Ah Nino... Você me paga.

   

             Ligação Off


Desci a escada feito jato. 


— Ei... Pra onde vai? — Minha mãe perguntou assustada.


— Resolver problemas — Falei firme.


— Fica de olhos nos meninos Peguei a chave do carro que estava no porta chaves e sai da casa dos meus pais. 


               ¤¤¤¤¤¤¤¤¤


Procurei eles em todos os lugares e nada.


 Eles tinham mesmo que vim numa balada tão grande? Perguntei a mim mesmo.


 Mas quando eu menos esperei, a pista que eu precisava eu vi. 


 Aquela cabeleira ruiva voltando pra o meio do povo. 


Era a Alya.


 Andei até onde ela tava e depois a segui com o olhar. 


 Entrei no meio daquelas pessoas, dando de cara com Marinette que estava ao lado de um cara.


 Olhei ele de cima a baixo e eu tava com muita raiva.


 Não tava nem querendo imaginar o que tinha acontecido ali. 


             Momento Altual...


Depois das palavras da Mari, eu não tive outra reação que não fosse descer do carro e correr até ela.


 Ela estava quase entrando no prédio quando eu puxei seu braço com força, fazendo seu corpo chocar contra o meu. 


Quando ela me olhou com aquele olhar inocente, foi que eu perdi todo o limite da minha sanidade. 


Segurei em sua nuca e a puxei pra um beijo.


 Um beijo que começou calmo, mas assim como em tudo comigo e com Marinette, ganhou intensidade. 


Nossas línguas dançavam freneticamente em nossas bocas, desejando explorar ainda mais da boca do outro. 


Desci a mão que estava em sua nuca pra sua cintura e Marinette passou os braços em volta do meu pescoço.


 Paramos o beijo quando o ar faltou e ficamos nos encarando. 


 Eu não sabia o que era aquilo, só sei que não estava sendo capaz de controlar aquele fogo.


 — Eu preciso de você agora — Falei firme.


 Ela suspirou — E-Eu... Eu não posso — Falou nervosa. 


 Inclinei meus lábios na altura de seu ouvido.


 — Você sabe que podemos e queremos — Sussurrei e mordi o lóbulo. 


Marinette respirou fundo e se afastou de mim. 


Ela parecia travar uma batalha dentro dela, assim como eu travei dento de mim. 


 Mas o que eu estou fazendo? — Vamos subir vem — Pegou em minha mão, me puxando pra dentro do prédio. 


                 ¤¤¤¤¤¤¤


Assim que Marinette abriu a porta do apartamento, não consegui me controlar, a joguei contra a parede e ataquei seus lábios novamente. 


Eu não sabia o que estava fazendo, mas o desejo que tenho por essa mulher, me cegou totalmente, e essa noite estou disposto a dar ouvidos a ele.


 Era um beijo quente, feroz. 


Quanta saudade eu senti dessa boca.


 Ela colocou os braços em volta do meu pescoço e saímos andando pelo apartamento assim, nos beijando e batendo nas coisa.


 A encostei na parede novamente e separei nossos lábios, mordendo seu lábio inferior.


 Marinette me olhava com aqueles lindos olhos, ardendo de desejo. 


Segurei a barra daquele vestido e tirei de seu corpo. 


 Marinette me ajudou, levantando os braços. 


 Ela desabotoou minha blusa e jogou em um canto qualquer, assim como eu fiz com seu vestido.


 Voltei minha atenção aquele corpo a minha frente, com toda certeza ela é a mulher mais bonita incrível do mundo. 


Me inclinei pra beijar seu pescoço e distribuir chupões em toda a extensão. 


 Fazendo assim, com que Marinette arfasse.


 Suas unhas foram diretamente pras minhas costas nuas, aonde ela as passou com uma certa agressividade. 


Desci os beijos até o colo dos seus seios, abaixei a alça do seu sutiã e abocanhei o direito. 


Marinette jogou sua cabeça pra trás enquanto eu começava a chupar seu seio, e apertar o bico do esquerdo. 


Eu fazia movimentos circulares com a língua em seu mamilo já enrijecido.


 Sabia que assim como eu, ela estava implorando por aquele momento.


 — N-não me p-provoca — Gaguejou.


 Segurei firme em sua cintura e a coloquei em meu colo.


 Ela passou as pernas em volta da minha cintura e eu parei de dar atenção ao seu seio.


 — Aonde é o seu quarto? — Perguntei baixo.


 — Primeira porta a direita — falou também baixo.


 Assenti e sai por aquele corredor, lhe carregando em meu colo. 


Assim que cheguei na porta que ela havia dito, abri com um pouco de dificuldade e a fechei com meu pé.


Caminhei com Marinette até a cama e a joguei lá. 


Ela ficou me olhando por alguns segundos enquanto eu tirava o cinto da minha calça. 


Marinette se levantou, ficando de joelhos na cama e tirou o seu sutiã, me olhando fixamente. 


Incrível como essa mulher não precisa de muito, pra ser extremamente sexy. 


 Apenas um olhar, e todo o meu sistema corresponde a ela.


 Ela mordeu o lábio inferior assim que terminei de tirar minha calça, ficando só de box.


 Sorri e balancei a cabeça. 


— Você... É muito lindo — Falou me olhando de cima a baixo.


 Fiquei por cima de seu corpo e novamente ataquei seus lábios. 


O beijo de Marinette é diferente de qualquer outro, seus lábios são doce. 


Eu sei o quão clichê é falar isso, mas é a verdade, seu beijo é único no mundo. 


Minhas mãos passeavam pelas laterais de seu corpo, dando leves apertos em sua cintura, algo que a fazia arfar. 


Levei uma de minhas mãos a sua intimidade, aonde acariciei por cima da calcinha. 


 Marinette separou nossos lábios, jogando a cabeça pra trás. 


Depois de ver que ela estava molhada, afastei aquele pano pra o lado e lhe toquei com a ponta de um dos meus dedos.


 Pude ver Marinette morder seu lábio com força e fechar seus olhos. 


Passei esse mesmo dedo por seu clitóris e comecei a movimentar ele, estimulando Marinette. 


— Ohh — Gemeu baixo.


 Coloquei mais um dedo dentro dela e repeti o mesmo processo, sendo que agora com os dois ao mesmo tempo.


 Movimentava meus dedos com rapidez, enquanto arrancava alguns gemidos tímidos da mulher a minha frente. 


Aumentei ainda mais a velocidade dos meus dedos, e quando vi que Marinette estava quase perto, os tirei, fazendo a mesma soltar um suspiro de insatisfação. 


Sorri de lado e puxei sua calcinha de seu corpo, fazendo o pano de rasgar em minhas mãos. 


Tirei minha cueca de meu corpo, deixando a mostra meu membro que já estava implorando pra esta dentro dela.  


Tanto que eu sou capaz de pular algumas etapas. 


— Eu... Eu não aguento mais — Ela falou choramingando.


 — Nem eu — Falei sorrindo. 


— Eu preciso de você Adrien... Eu preciso de você pra sempre — Confessou enquanto me olhava. 


Suspirei. 


Eu queria dizer o quanto precisava dela, o quanto preciso dela. 


 Mas eu não consigo. 


 É como se dentro de mim, tivesse instalado um bloqueio a Marinette.


 Um medo de que ela chegasse novamente tão fundo, e de uma hora pra outra partisse novamente, me deixando em cacos.


 Se bem que ela vai fazer isso mesmo. 


Balancei a cabeça afastando os pensamentos.


 Apenas por hoje, só por essa noite eu vou tentar não colocar todo o nosso passado na frente.


 Eu vou me entregar a esse desejo que está me consumindo aos poucos. Não falei nada, me aproximei dela novamente e a beijei.


 Um beijo demorado e que eu tenho certeza, todos os nossos sentimentos estavam nele. 


Segurei em sua mão, entrelaçando nossos dedos e a penetrei rápido e com força. 


— Oh meu Deus — ela gritou um tanto assustada. 


Mordi seu lábio e comecei a me movimentar dentro dela. 


 Minhas estocadas eram rápidas e fortes, afinal fazia tanto tempo que eu estive dentro de Marinette que queria compensar esses quatro anos.


— V-você continua... Sendo a mesma — Falei com dificuldade enquanto me movimentava dentro dela. 


— A-apenas... Sua — Falou também com dificuldade. 


Essa pequena frase... Foi como se ligasse um botão dentro de mim. 


 Sorri vitorioso e aumentei a velocidade das estocadas, enquanto nossos dedos estavam entrelaçados.


                   ¤¤¤¤¤¤¤


Marinette estava de quatro na cama. 


 Estávamos no nosso quarto round. 


Sabia que a qualquer momento íamos entregar os pontos, estávamos exaustos. 


 Mas é como se eu não quisesse, eu não queria acabar com esse momento. 


— Ma-mais rápido Adrien— implorou.


 Segurei com força sua cintura enquanto aumentei a velocidade dos meus movimentos.


 Se olhasse atentamente, dava pra ver os nós dos dedos de Marinette brancos de tanta força que ela colocava pra apertar os lençóis. 


— Oh meu Deus Adrien... — Falou entre gemidos. 


— Porra — Falei também entre gemidos. 


Mordi meu lábio e senti o corpo de Marinette tremer. 


 Sabia que ela estava perto do orgasmo.


 Eu também não estava por trás. 


— Eu... Eu vou... — Não terminei de falar, explodimos juntos. 


Me derramei nela que caiu na cama. 


 Sai de dentro dela e relaxei meu corpo por cima do dela, enquanto regulávamos nossa respiração.


 Meu peito descia e subia com muita rapidez, assim como Marinette que estava ofegante em baixo de mim. 


— Você... Ainda tem... O dom de acabar... Comigo — Sorri e rolei pra me deitar ao seu lado.


 Apoiei meu peso com meu braço e distribui beijos em suas costas. 


Ela soltou uma risada gostosa com cada beijo que eu lhe dava. 


— Eu... Preciso de um banho... O suor está pregando — Falou sorrindo. 


Levantei da cama e esperei ela.


 — Vamos — Dei a mão pra ela pegar.


 — Não... Eu não tenho força pra andar — Falou manhosa.


 Sorri e me aproximei dela, a pegando no colo. 


 Marinette relaxou a cabeça em meu peito até chegar no banheiro.


 A coloquei no box e entrei junto, liguei o chuveiro em baixo de nós dois e lhe beijei. 


                  ¤¤¤¤¤¤¤


Saímos do banheiro com Marinette ainda em meu colo. 


 Eu lhe dei banho, pois ela estava o tempo todo querendo dormir em pé. 


A deitei na cama ainda de roupão e caminhei até o guarda roupas.


Assim que abri, tive uma surpresa. 


 Uma camisa minha estava ali. 


Olhei pra ela que me encarava ainda sentada na cama. 


— Eu... Eu nunca consegui me desfazer dela — Sorriu de lado.


 Sorri largo e assenti. 


 Peguei a camisa e voltei pra cama.


Terminei de enxugar seu corpo e vesti minha camisa nela. 


 — Dorme aqui? — Perguntou baixinho. 


 — Não sei — Cocei minha nuca.


 — Por favor... Eu te peço... Dorme aqui — Choramingou Suspirei e assenti.


Ela deitou na cama e eu peguei minha box que estava em um canto. 


Vesti e fui até a cama, me deitando ao seu lado.


 Fitei o teto por alguns segundos, até que me virei pra lhe encarar e ela estava me olhando.


 Sorri de lado.


 — O que foi? — Perguntei confuso Marinette levou sua mão até meu rosto e acariciou.


 — Eu te amo — Disse me olhando e sorriu. 


Não falei nada. 


 Eu também a amava, mas não sei se devo dizer isso a ela. 


 A puxei pra perto de mim e a aninhei em meus braços.


 Beijei o topo da sua cabeça e fechei meus olhos esperando o sono vim. 


— Adrien? — Me chamou. 


— Hum — Resmunguei.


 — Basta só uma palavra sua... Se você me pedir pra ficar, eu fico 


Notas Finais


Humm... Oq será q o Adrien vai dizer ??


Esses dois safadinhos...
Se deixar vão até o décimo quinto round ou até mais 😏😏😏


Kkkkkkkkkkkk
😂😂😂😂😂😂


Espero q tenham gostado,
Porq eu fiz o Hentai que cês tanto pediram 🌚🌚🌚


Comentem ❤❤❤❤


Amo vocês💛💙💜💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...