História I can't love you... - Capítulo 57


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Lila Rossi (Volpina), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Sabrina
Tags Drama, Romance
Visualizações 829
Palavras 2.134
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura seus lindos ❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤

Capítulo 57 - Capítulo 57


Fanfic / Fanfiction I can't love you... - Capítulo 57 - Capítulo 57

 

               P.O.V. Marinette


Não esperei resposta de Adrien, afinal eu sabia que aquilo era bem complicado. 


 Estamos lidando com seu orgulho e eu não posso simplesmente o pressionar a ficar comigo. 


E sinceramente? Eu entendo essa recusa do Adrien. 


 Entendo que pra ele é mais fácil e confortável ficar com Gigi, afinal... Ela sim lhe traz certeza que ficará o tempo todo com ele. 


Adrien teme que eu vá embora, que eu parta de sua vida, como já fiz. 


Mas ele não entende que o que eu mais queria agora, era um sim dele pra que pudesse ficar pra sempre presa a ele. 


Suspirei e me aconcheguei em seus braços.


 Só por essa noite, eu queria dormir no lugar de onde eu nunca deveria ter saído. 


 Só por essa noite, Adrien seria meu, como nunca devia deixar de ter sido. 


O som das nossas respirações era escutada no quarto. 


 Eu sabia que ele não estava dormindo e sim pensando.


 Adrien passeava sua mão por meu corpo e ele sempre fazia isso quando tinha problemas na empresa e precisava pensar, na época em que estávamos casados. 


 Mas eu só queria que ele tivesse a certeza... Até eu colocar meu pé dentro daquele avião, só basta uma palavra dele, e eu fico.


                   ¤¤¤¤¤¤¤


Acordei e me mexi um pouco.


 Não sentia mais os braços de Adrien em minha cintura, e quando espalmei a cama ao meu lado, não sentia mais seu corpo. 


Abri meus olhos devagar e por um momento o flashback de quando estávamos no hotel, veio em minha mente. 


Corri pra fora do quarto e fui direto pra sala, nada


. A porta estava sendo aberta e eu sorri largo, mas meu sorriso morreu ao ver Alya e Emma entrando.


 Não que eu não esteja feliz em ver minha filha e minha melhor amiga, mas sim porque não era exatamente elas que eu queria ver. 


— Oh meu Deus Marinette... Vai vestir uma roupa — Alya falou assustada.


 Emma soltou uma gargalhada gostosa de ouvir e eu olhei pra meu corpo. 


 Só então notei que ainda estava com a blusa de Adrien, praticamente nua. 


 — M-meu Deus... E-eu já volto — Falei nervosa e corri pra meu quarto novamente. 


Assim que entrei, me joguei na cama um pouco frustada. 


Eu esperava de verdade que ele estivesse aqui quando eu acordasse 


             ¤¤¤¤¤¤¤¤


Depois de vestir uma roupa e fazer minhas higienes, voltei a sala e as meninas me ajudaram a fazer um café da manhã reforçado.


 Alya comentava o que aconteceu depois que eu vim embora da balada e Emma a interrompia contando o que aconteceu na casa dos avós.


 — Aí tia Chloé fez brigadeiro de madrugada pra mim e pra o Otávio — Falou animada dando uma última colherada do seu cereal. 


— Aí... Ela não sabe que essas coisas fazem mal não? Principalmente a criança? — Alya perguntou fazendo careta. 


Eu conhecia bem aquilo... ciúmes da Emma.


 Foi assim quando a minha filha começou a estudar e falar da professora, Alya vivia caçando defeitos na mulher. 


— Sabe o que eu acho filha? — Perguntei rindo. 


— O quê mamãe? — Perguntou confusa.


 — Tia Alya está com ciúmes de você — Apontei pra minha amiga que estava com uma carranca.


 Alya cruzou os braços e fez um bico.


 Bem ridículo por sinal


 — Eu não sinto ciúmes... Tia Chloé que é legal demais. 


Emma soltou uma gargalhada alta e saltou da sua cadeira, indo até a de Alya e abraçou ela.


 Alya pegou Emma nos braços e colocou sentada em seu colo. 


— Eu te amo muito tia... Amo as duas — Abraçou o pescoço de Alya.


Ela suspirou e beijou a testa de Emma.


 — Eu também amo muito você Emma... Aliás, vocês — Disse a última parte olhando pra mim.


 Sorri largo e pisquei pra minha amiga. 


 Sabia que com essa minha decisão de ir pra Argentina, Alya estava sofrendo. 


Ficamos pouco tempo daqueles 1 ano casada com Adrien, separadas. 


 Ela logo foi pra Itália com o ex marido, mas não passou muito tempo casada e quando eu fui, não nos soltamos mais. 


Era estranho pensar que eu vou ficar um ano longe da minha amiga e da minha filha. 


 Duas pessoas que eu nunca achei que me veria longe. 


— Eu também te amo... Amo as duas — Sorri olhando pra elas. 


Depois que terminamos de tomar nossos cafés, Alya voltou a agência e eu fui arrumar Emma pra escola.


 Estaria com o dia todo livre pra mim. 


— Vamos filha... Você precisa ir pra escola — Insisti mais uma vez pra ela vestir o uniforme. 


— Mas... Mamãe eu não quero ir — Fez bico. 


— Mas você tem que ir Emma... Lembra o que a mamãe falou sobre desobediência? — Arqueei a sobrancelha.


Ela suspirou e abaixou a cabeça. 


— Que a mamãe fica dete... Deve... — Interrompi ela antes que eu soltasse uma risada e acabasse com toda a minha moral 


— Decepcionada... E que isso é pior do que a mamãe te deixar de castigo porque... — Ela quem me interrompeu. 


— porque o coração da mamãe fica triste comigo — Falou chorosa — Por favor mamãe... Não fica essa palavra comigo não — Pediu já com os olhos cheios de lágrimas. 


Suspirei e assenti. 


— Então você vai obedecer a mamãe? 


— Sim — Falou ainda triste.


Terminei de vestir seu uniforme e a deixei sentada na sala, assistindo seus desenhos.


 Fui a cozinha e preparei a lancheira dela.


 Quando estava voltando pra sala, escutei a campainha tocar.


 Deixei a lancheira de Emma em cima da mesa e caminhei até a porta. 


Abri a porta sorrindo, mas o meu sorriso se transformou em uma cara de surpresa.


 Meus olhos estavam arregalados e acho que minha boca em um O perfeito.


 Eu não esperava


 — Oi Mari... Posso entrar? — Perguntou com um meio sorriso. 


Acho que ficou sem jeito ao ver minha expressão de surpresa.


 Afinal, ele era a última pessoa que eu esperava. 


Fazia tanto tempo que não o via. 


Achava que tinha sumido da minha vida. 


— Daniel... Ahn... Claro — Falei um pouco confusa. 


Dei espaço na porta pra ele passar e assim que a Emma viu ele, deu um salto do sofá e correu em sua direção. 


— Oi tio Deni — Falou sorrindo largo. 


Daniel olhou pra mim sem expressão, acho que ele tinha ficado um pouco surpreso com Emma lhe chamar de tio e não de pai. 


— Oi pequena — Beijou o topo da sua cabeça.


 — O senhor sumiu.... Porque? — Minha filha sapeca perguntou com a mão no queixo.


 Eu ainda não estava acreditando que Daniel reapareceu.


 Não mesmo. 


— Tio Deni está morando em outro país agora Emma... Veio só visitar você e a mamãe — Sorriu. 


A campainha do meu apartamento tocou novamente, me fazendo despertar daquele choque de rever Daniel. 


Agora que eu vim me tocar, como Daniel tinha conseguido o meu endereço? Não... Adrien nunca o daria E como Daniel conseguiu entrar sem ser anunciado? Caminhei até a porta ainda com meus olhos arregalados e suspirei ao abrir novamente. 


Adrien. 


— O-o que... O que está fazendo aqui? — Perguntei nervosa.


 Eu estava mais nervosa pelo fato dele me deixar após a nossa noite, do que por Daniel está aqui. 


— Eu vim pegar Emma pra ir a escola... Esqueceu? — Arqueou a sobrancelha. 


— Xau tio Deni — Emma falou animada.


 — Tio Deni? — Adrien arqueou a sobrancelha e me encarou.


 Aquilo estava constrangedor demais pra mim. 


Adrien entrou no apartamento sem convite e me empurrando, acho que pra comprovar que Daniel estava mesmo ali.


 Olhei pra os dois que soltavam faíscas pelos olhos.


— O que está fazendo aqui? — Adrien perguntou irritado enquanto fuzilava Daniel.


— Eu vim visitar minha ex namorada e a filha dela... Porque? — Daniel perguntou com um sorriso cínico. 


— Não esqueça que a filha da sua EX NAMORADA... também é minha filha, então eu não te acho bem vindo aqui — Adrien falou entre os dentes e deu ênfase no ex namorada. 


— A casa não é sua pra você dizer quem é ou não é bem vindo — Daniel falou firme. 


Respirei fundo . 


— CHEGA — gritei, chamando a atenção das três pessoas na sala — A EMMA TEM QUE IR PRA ESCOLA, VOCÊS DOIS ESTÃO QUE NEM CRIANÇAS BRIGANDO POR BRINQUEDO. 


A Emma estava com os olhos arregalados me encarando. 


 Acho que ela nunca tinha me visto perder o controle daquela forma. 


Mas era o que aquela situação estava fazendo comigo. 


 Me fazem perder o controle.


 — Mari... — Interrompi Daniel.


 — Está na hora de Emma ir pra escola Adrien... Você não veio aqui pra isso? Pegar ela? — O encarei. 


No fundo, eu estava com raiva. 


 Se ele não queria ficar comigo, pelo menos me avisasse que tinha ido embora.


 Ele foi um canalha — Vamos papai — Emma disse sorrindo


 — Xau tio Deni — Acenou e mandou um beijo no ar.


 Adrien ficou parado por algum tempo, enquanto Emma pegava sua lancheira e ia em sua direção 


— Ele vai ficar aqui... Com você? — Adrien perguntou com a testa franzida. 


Típico dele 


 — Isso importa? — Perguntei com ironia.


 Ele se calou e pegou na mão de Emma, saindo do meu apartamento sem falar mais nada.


 Suspirei cansada.


 Estava realmente cansada dessa bipolaridade de Adrien. 


 Ele precisa ter uma resposta concreta.


— Eu... Eu não queria causar esse clima entre vocês — Daniel falou um pouco sem jeito. 


— Não foi você quem causou esse clima... Ele está causado por nós mesmos — Dou de ombros — Mas... O que queria falar comigo? - Caminhei até o sofá e sentei. 


— Não quer ir comigo a um café? — Arqueou a sobrancelha. 


Assenti.


 — Deixa só eu trocar de roupas — Levantei.


 Daniel assentiu e eu fui em direção ao meu quarto. 


                ¤¤¤¤¤¤¤¤¤


Daniel abriu a porta da cafeteria e eu passei em sua frente.


 Sorri pra garçonete que já me conhecia.


 Acho que dessa vez ela estranhou eu não está com Nino ou com Adrien.


 — Você é bem conhecida aqui também — Daniel sorriu. 


Eu olhei pra ele e assenti também sorrindo.


 Na Itália eu era conhecida em alguns restaurantes que sempre íamos. 


Apontei pra mesa que sempre sento e ele me conduziu até lá. 


 Suspirei e depois que fizemos nossos pedidos, Daniel suspirou profundo. 


— Marinette... Eu preciso conversar algumas coisas com você — Ele falou um pouco nervoso.


 — O quê? — Arqueei a sobrancelha.


 Ele brincou com as mãos e depois segurou minha mão.


 Eu ia soltar minha mão da sua, mas ele a segurou com firmeza. 


— Daniel... — Ele me interrompeu 


— Eu quero que você saiba que tudo o que eu fiz, foi porque eu me apaixonei por você desde o primeiro dia que eu te vi naquele casamento. Lembrei do dia que conheci Daniel. 


Meu casamento com Adrien... 


— Você tá me assustando — Falei nervosa.


 Ele respirou fundo. 


— Foi eu quem disse a Lila pra ela furar a camisinha... Eu quem disse em qual hotel vocês estariam e foi eu quem mandei ela voltar com o Otávio — Ele disse tudo de uma vez. 


 Arregalei meus olhos e minha voz falhou, fazendo eu não falar nada. 


— Eu... Eu queria que você entendesse que eu... — Interrompi ele quando finalmente consegui falar. 


— Você o quê? — Perguntei com a voz um pouco alterada. 


— Mari eu... — Interrompi de novo. 


— Você tá me dizendo que fez de tudo pra me separar de Adrien? Minha voz tava alta.


 Bom, eu não achava isso, mas levando em conta que as pessoas da cafeteria estavam olhando pra mim com olhares assustados, eu realmente estava falando alto. 


— Mari calma — Ele falou desesperado. 


— Como calma Daniel? Você tem noção do que você fez? — Levantei irritada. 


— Eu estava completamente apaixonado por você... O que queria que eu fizesse? Te entregasse de bandeja a um homem que eu sabia que ia te magoar? 


Suspirei e senti meus olhos marejarem.


 Se não fosse por esse imbecil, eu ainda estaria casada com o homem que eu amo. 


Nada de toda a merda que aconteceu, tinha acontecido. 


— Não me venha com essas desculpas... Eu amava o Adrien, você não tem direito de julgar se ele me ama ou não... Você é podre — Cuspi as palavras enquanto sentia meu rosto molhar com as lágrimas. 


A garçonete se aproximou com os nossos pedidos na bandeja.


 — Aqui... — Interrompi ela — Eu não vou mais comer nada... Pode deixar pra que esse falso coma — Falei firme. 


Passei minha mão em meu rosto na tentativa de enxugar as lágrimas e sai dali sem olhar pra trás. 


Notas Finais


Eita...😬😬😬


Eu acho q além do Adrien, Daniel também tá precisando apanhar
Kkkkkkkkkkkkkk


Alguém sentiu falta do Deni?


Mano eu adoro os apelidos "carinhosos" q vocês dão pra Gigi
Kkkkkkkkkkkkkkkkk
😂😂😂😂😂😂😂😂😂

Sério eu amo ❤😂


Comentem 😝😝😝😝


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...