História I choose you. (Taekook) menção yoonmin e namjin. - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtanboys, Namjin, Taekook, Vampire, Vampiros, Vkook, Yoonmin
Visualizações 114
Palavras 1.339
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, LGBT, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Canibalismo, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura! 💜

Capítulo 34 - Capítulo 33.


Fanfic / Fanfiction I choose you. (Taekook) menção yoonmin e namjin. - Capítulo 34 - Capítulo 33.

3 dias depois...

*Jungkook POV on*

Estou indo pra casa do Taehyung depois de ter ficado três dias em Daegu; os pais dele foram um amor comigo, me trataram bem e com muito carinho. Consegui um salão bonito pra cerimônia e para a festa; marquei data e hora com um juiz de paz, deixei pré montada a decoração (o salão ficará fechado nesse período então por isso deixei ele pré decorado), encomendei flores que pegarei no dia da cerimônia para finalizar a decoração do local, liguei para o Nam e aluguei os ternos e escolhi o buffet; assim a única preocupação dele será com as alianças e em chamar os convidados. Namjoon me agradeceu tanto no telefone que só faltou chorar. Eu já estava aqui mesmo então não custava nada ajudar, sendo assim os hyungs poderiam ficar tranquilos quanto a organização das coisas.

O primeiro mês do inverno está acabando e meu corpo já começou a dar os sinais de que meu sacrifício está próximo. Tive a febre que ocasionou no meu desmaio, o que é comum pra mim e daqui pra frente os sintomas só pioram. Do segundo mês do inverno em diante meu corpo ficará fraco e começarei a ficar feio; minha pele ficará mais pálida, meus lábios irão ressecar e arroxear, começarei a tossir e a expelir sangue. Meu corpo irá expelir sangue para que eu sinta o gosto e queira completar o sacrifício. Preciso estar bem amarrado nos últimos dias do fim da estação, e com isso poderei partir dessa para melhor.

(...)

Dirigindo para Seoul o tempo começou a fechar sinalizando que uma tempestade estaria por vir. Pisei no acelerador a fim de chegar o quanto antes, de repente sinto uma fisgada no meu baixo ventre. Dei uma freada brusca e quase bati o carro, parei em um acostamento sentindo meu corpo tremer e enfraquecer.

- Droga! Murmurei. – Mais um sintoma. Liguei o pisca alerta do carro e encostei a cabeça no volante. Cada fisgada que meu corpo recebia era como se eu estivesse sendo cortado ou rasgado ao meio.

Eu sempre odiei o período do sacrifício pois me causavam fortes dores. Lágrimas percorrem meu rosto enquanto sentia aquela maldita dor.

Estava esperando minha dor melhorar quando começou a chover forte e a trovejar. – Só me faltava essa agora. Digo frustrado.

Ouço meu celular tocar era Taehyung: - Oi amor. Você já está vindo?

- Oi amor. Suspiro forte tentando não gemer por conta da dor. – Estou na metade do caminho.

- Kookie está tudo bem? Pergunta desconfiado.

- Sim. Só está chovendo bastante e eu estou parado no acostamento esperando diminuir pra eu conseguir seguir viagem.

- Toma cuidado por favor.

- Eu tomarei. Era pra você estar dormindo...

- Eu sei mas eu senti que precisava te ligar então eu fiz. Sua voz soou chorosa.

Não tinha percebido mas após conversar com Taehyung minha dor cessou e senti meu corpo se revigorando. Taehyung era como um remédio pra mim, ouvir sua voz e sentir sua preocupação era algo que me acalmava. Ele era tudo na minha vida menos a minha cura, infelizmente.

- Amor não chora. Não gosto de saber que você está chorando ainda mais por minha causa.

- Kookie eu preciso tanto de você aqui, por favor vem logo.

- Daqui a pouco estarei aí hum. Agora vá pra cama e fica me esperando lá.

- Ok, vou deixar a porta aberta.

- Se não quiser não precisa eu estou com a chave  reserva aqui.

- Tá bom. Eu te amo.

- Eu também te amo e amo muito. Até logo.

- Até.

Desliguei o celular e retomei a direção, a chuva continuava forte porém eu já estava melhor, com atenção no trânsito logo chegaria em casa.

(...)

Após 2 horas dirigindo chego em segurança; estaciono o carro e adentro a casa. Hoseok parecia não estar lá, achei estranho pois pensei que ele ficaria mais tempo aqui conosco.

Deixei as malas na sala e fui em direção ao “nosso" quarto. Taehyung estava dormindo ou pelo menos aparentava estar, seu rosto estava inchado não sabia se era por conta de estar deitado ou por ter chorado.

- Amor. Sussurrei baixinho em seu ouvido.

Ele se mexe e abre os olhos lentamente. – Kookie. Ele levanta e me abraça. – Senti sua falta. Sua voz estava rouca e fraca.

- Eu também senti. Sorri e selei seus lábios iniciando um beijo lento porém necessitado.

- Você conseguiu resolver as coisas? Ele pergunta quando nos separamos.

- Sim, resolvi tudo. Até o aluguel dos ternos.

Ele sorri. – Obrigada Kookie. – Meus pais adoraram você.

- Eu percebi. Me trataram muito bem, adorei conhece-los.

- Minha mãe disse que você é o melhor genro que ela já teve. Ele sorri fraco.

- Irei fazer jus à isso até quando eu puder. Acaricio seu rosto. – Cadê o Hobi?

- Hobi está no hospital. Ele diz triste. – Quando eu te liguei eu tinha acabado de chegar de lá.

- Porque ele está no hospital?

- Noite passada ele teve uma crise muito forte, foi muito estranho e eu fiquei desesperado. Ele dormiu e pouco tempo depois começou a gritar. Eu corri pro quarto onde ele estava, ele não quis dormir comigo. Ele estava suado e tentava acordar mas não conseguia. Sabe o filme do Freddy Krueger? Eu assenti. – Ele parecia estar preso no sonho, eu fiquei um tempão em cima dele e depois de sacudi-lo a ponto de meus braços doerem ele conseguiu despertar. Mas assim que despertou ele desmaiou. Eu o levei pro hospital e ele está em observação, o médico disse que ele teve uma exaustão e aconselhou a deixá-lo lá tomando sedativos. Todo mundo ficou arrasado.

- Oh meu amor, eu sinto muito. Amanhã eu passo o dia com ele lá tudo bem?

- Claro, se o Yoongi quiser.

- Sim se ele quiser.

- Kookie porque tá dando tudo tão errado hein? Ele me abraça fortemente.

- Eu não sei, mas as vezes temos que passar por coisas ruins para as boas virem. Beijo o topo de sua cabeça.

Taehyung ficou quieto um instante, sinto algo molhar meu braço, eram suas lágrimas.

- Tae por favor não chora. Digo virando seu rosto para o meu.

- Eu não quero te perder, eu não quero perder o Hoseok, eu não quero ver ele internado em um hospital psiquiátrico como se fosse um maluco. Ele soluça.

Meus olhos encheram de lágrimas, praguejei mentalmente por tudo o que eu estava causando na vida dele.

- Eu te amo tanto Jeon. Ele me olha.

- Eu também te amo tanto, tanto, tanto. Beijo seu nariz.

(...)

Deixei Taehyung que já não chorava mais na cama e fui tomar um banho quente.

Após o banho, me deitei ao seu lado e abracei seu corpo.

- Kookie?

- Hmmm?

- Vamos fazer um combinado?

- Que combinado?

- Como você não sabe por quanto tempo ficará ao meu lado eu quero que nós dois tenhamos apenas momentos felizes, então, quero aproveitar ao máximo tudo com você.

Eu fiquei calado, senti um aperto no peito, Taehyung mesmo sofrendo, mesmo sabendo que eu iria partir e que o machucaria bem mais queria aproveitar ao máximo seus dias ao meu lado. Se existe alguém tão maravilhoso quanto ele eu desconheço.

- Kookie. Ele vira de frente pra mim.

Nem percebi que lágrimas involuntárias saiam dos meus olhos.

- Amor não chora. Você diz pra eu não chorar e quando eu paro você começa. Ele dá uma gargalhada gostosa. – Assim fica difícil. Ele seca meu rosto.

- Você é incrível Tae, eu não te mereço.

- Você quem é incrível Jungkook e não tem dimensão disso.

Selamos nossos lábios em mais um beijo apaixonado, naquela noite eu só queria ficar em seus braços e cumpriria meu propósito de ama-lo intensamente o fazendo a pessoa mais feliz enquanto eu estivesse presente.



“Se me dessem um último pedido, eu escolheria você. Se a vida acabasse hoje ou daqui a mil anos, eu escolheria você.”


*Jungkook POV off*


Notas Finais


Espero que tenham gostado, obrigada e até a próxima! 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...