1. Spirit Fanfics >
  2. I Didn't Ask To Be A King >
  3. "Eu Não Pedi Pra Ser Rei"

História I Didn't Ask To Be A King - Capítulo 1


Escrita por: , GbMr e GbMr2


Capítulo 1 - "Eu Não Pedi Pra Ser Rei"


Fanfic / Fanfiction I Didn't Ask To Be A King - Capítulo 1 - "Eu Não Pedi Pra Ser Rei"

Eraklyon era linda à noite. As estrelas brilhavam tanto no céu que quase podia ser confundido com Solaria.

Mas, apesar da beleza descomunal, o Castelo Real abrigava um menino triste.

O jovem príncipe de doze anos sentia-se sufocado. Se não fosse por Brandon, seu melhor amigo, talvez não aguentasse sua rotina Real.

Príncipe Sky de Eraklyon. Ah! Que título nobre. Muitos meninos e meninas nascem com essa ilusão de querer ser da realeza: de serem príncipes e princesas, saírem cantarolando pelos bosques e conversando com os animais da floresta. Uma bela fantasia para se pensar.

Mas não era bem assim.

O céu era a razão de seu nome. Sky era o único herdeiro de Erendor e Samara, o Rei e a Rainha de Eraklyon. Mesmo que com apenas doze anos, estava prometido a uma garota que sempre o artomentou: Diaspro. Por ser tão singular, possuía olhos em sua pessoa o tempo inteiro, sobretudo após as ameaças e ataques de Yoshinoya, um lorde mafioso que sonha em um dia assumir o trono, e por não ser da linhagem Real, faria isso pelo uso da força: extinguindo o único que poderia ser Rei futuramente.

Ou seja, ele.

Sky era perseguido por guardas todos os dias. Claro, seus pais expuseram Brandon como seu filho, para protegê-lo, mas sentia-se péssimo por pôr a vida de seu melhor amigo em risco. Enquanto Brandon era tratado como o príncipe para a mídia, Sky ficava nas entrelinhas, estudando Direito Real e Ortografia com as madames da Corte, aprendendo a fazer parte dela.

Como seria a vida fora do castelo? A vida de uma criança normal, que poderia correr por aí pelos bosques e se apaixonar por quem quisesse, ter seu coração partido por quem quisesse e se aventurar pelo mundo? Ah, seria o sonho de Sky, mas ele nasceu numa Família Real.

E Famílias Reais não têm sonhos.

.   .   .

Seu cabelo loiro ficou meio espalhado no rosto. Sabia que encarava o futuro Rei de Eraklyon, mas todos os dias, por mais duro que pareça, desejava sua morte a ter que seguir com uma carreira pré-destinada a ele e que ele ao menos queria.

Penteou os cabelos médios. Seus olhos azuis pareciam saber bem o que fazer agora, para evitar questionamentos pessoais desnecessários. Forçou um sorriso nos lábios, o que sempre convencia as outras pessoas de que estava tudo bem e para não pararem para falarem com ele, e pôs-se a vestir.

Aniversário do Rei Erendor. Claro que ele iria, como um escudeiro. Precisava fingir proteger Brandon. Era para isso que sua mísera vida pública servia.

Ele deu uma risada irônica. Ele ao menos se parecia com seus pais. Brandon tinha os cabelos e olhos idênticos ao Rei Erendor, o sorriso similar ao da Rainha Samara.

Sky nem sequer os lembrava fisicamente. Parecia ter nascido errado.  O cabelo loiro não se assemelhava com ninguém, os olhos azuis? Muito menos. Ele havia estudado que essas possibilidades eram possíveis se sua avó fosse loira, algo a ver com genética, que ele nunca sequer estudou à fundo.

Ajeitou sua calça formal e a camisa branca que possuia. Saiu dos aposentos, vestido, e seguiu até o salão da festa.

Pessoas de vários reinos se encontravam ali. Ele pôde identificar a jovem Princesa de Solaria se encarando num espelho. Viu Diaspro conversando com uma garota de cabelos cor de rosa, a Princesa de Linphea. Claro, os membros da Corte dos outros reinos estão aqui. São amigos do seu pai. E eles sabem quem ele é de verdade.

— Sky! — Diaspro sorriu para ele e beijou sua bochecha. Ele retribuiu o gesto.

— Boa noite, alteza. — Ele deu um sorriso fingido que sempre convencia todas as pessoas.

— Que bom que chegou! Vamos dançar! — Diaspro se animou. Sky suspirou e desviou o olhar.

— Você sabe que não posso… não enquanto haver pessoas da imprensa por aqui. — Seus olhos azuis percorreram o ambiente.

— Não pode levantar suspeitas né? — Ela suspirou. — Tudo bem. Dançamos outro dia, então. Venha conversar um pouco! Como está indo seu dia?

.   .   .

Sky era sem dúvida o melhor espadachim. Brandon, que teve o mesmo ensino que ele, não podia aguentar um duelo infinito com o amigo. Quando o moreno ergueu a mão, pedindo um basta, estava com a testa molhada de suor, a boca entreaberta em ofegadas cansadas, o corpo curvado, com a mão livre indo até o joelho. Sky, por outro lado, parecia ter acabado de ter uma injeção e cafeína. Os olhos continuavam atentos, suor apenas salpicando sua camisa branca.

— Ok… você… caramba! — Brandon sentou no chão. — Não aguento mais um duelo com você.

— Ah, cara, qual é! — Sky riu e o ajudou a ficar de pé.

Alguém pigarreou atrás deles. A postura dos guardas mudou. Os dois jovens eraklyanos olharam para trás e viram Erendor em suas roupas reais, se aproximando dos dois.

— Vossa Majestade. — Brandon fez uma reverência desajeitada. Erendor ergueu a mão, dispensando a atitude formal do menino.

— Sky. Estive pensando em enviá-lo… Hm… — Ele pareceu escolher as palavras certas. — Em te enviar para Fonte Rubra.

Sky arregalou os olhos. — A-a escola d-de…

— É. Essa mesmo. Você iria se sair bem. Iria treinar e aprender a lutar. Claro que continuaria com sua atuação de escudeiro de Brandon, mas pelo menos…

Erendor parou de falar quando percebeu a alegria nos olhos do filho, e um sorriso cansado porém genuíno escapou de seus lábios. Imaginava o quão entendiante e monótono deveria ser a vida de Sky, estudando sobre a realeza e sobre os papéis que um monarca deve assumir, mas ir para uma escola com uma porção de garotos da sua idade? Sem se preocupar com etiqueta? Talvez isso fosse bom demais para ser verdade.

…E na verdade, era.

Erendor temia um ataque em Eraklyon. Poderia ceifar vidas, ele não sabia. E não ia querer arriscar a vida de seu filho, e, como humano, também não iria arriscar a vida de seu escudeiro. Precisava proteger os dois, e após conversar com Saladin e Codatorta, se convenceu que aquela era a melhor maneira.

Ver Sky comemorando com Brandon – cutucando a espada do moreno enquanto ele ainda recuperava o fôlego – fez Erendor sentir que, apesar de loucura, de certa forma aquilo valeria a pena.

Precisava valer.

E valeu. 

Sky sabia que ainda tinha obrigações Reais. Sabia que quando estivesse de férias, voltaria a exercer seu papel como parte da Corte, mas sentir esse peso aliviado das costas, a ausência e postura durante boa parte do ano, aquilo era perfeito. 

Quase se convenceu que ser Rei, futuramente, não iria ser tão ruim assim. Talvez pudesse encontrar alguém para amar, ou fazer mais amigos, para uma vida toda. 

Talvez, afinal, pudesse ser como os meninos da cidade: apenas um garoto normal.


Notas Finais


Essa backstory eu estive com vontade de fazer há tempo, e nada melhor do que publicar durante esse projeto maravilhoso!

Muito obrigada @Yestwinx pelo convite e todas as outras autoras envolvidas nessa grandiosa ação. Fico feliz que estejamos trabalhando tão bem juntas.

Muito obrigada por sua audiência, por sua paciência e por ser essa pessoa maravilhosa!

Beijos, GbMr ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...